1. Spirit Fanfics >
  2. As meninas da roça >
  3. Fedor, enxada, galinhas e uvas.

História As meninas da roça - Capítulo 7


Escrita por:


Capítulo 7 - Fedor, enxada, galinhas e uvas.


Depois de um almoço nada confortável, com as estranhezas entre os mais jovens, tsunade resolveu se retirar daquela guerra fria que eles estavam armando, talvez daqui uns dias eles ficassem em paz ou fizessem uma amizade, mais em seu interior algo dizia que seria algo bem longe disso, talvez ela devesse mandar em um futuro próximo uma mensagem de meus pêsames pela perda de um filho para algum dos pais deles. Mas esperava do fundo do coração que isso não fosse necessário.

Já dentro da casa o clima ficou pesado e as meninas fingiam que nada acontecia, o que irritava profundamente as rapazes que queriam, estranhamente, discutir e colocar em pratos limpos as maluquices das duas colegas de casa.

- Céus, que fedor é esse? – Sasuke comentou quando sentiu um cheiro nada agradável perto dele. – Parece que tem um esgoto aberto aqui dentro. – Olhou por todos os lados vendo se não era a lixeira aberta ou algum bicho de fazenda que entrou na casa. Mas notou uma loira tampar a boca e sacudir os ombros. – Você tá bem?

Não aguentando mais ela explodiu em uma gargalhada alta e escandalosa com os olhos cheios de lágrimas e algumas até caiam pela face bronzeada enquanto ria descaradamente na frente de um ruivo nada feliz e que estava prestes a enforcar a coisa loira que tinha como colega de casa, frustrado ele olhou para o amigo que ainda tampava o nariz com a testa franzida.

- Eu, sou o esgoto. – Disse entre dentes e quando viu a as faces alheias se torcerem para não rirem da cara dele, a loira era a única que ria abertamente sem se importar. Sasuke olhou o amigo de cima a baixo e chegou perto dando uma fungada perto dele e comprovou que era o ruivo a fonte de tal fedor.

- O que fizeram com você? – Perguntou depois de se afastar.

- Fizeram dele uma fossa, tá sentindo não? – Acusou Temari apontando para o gaara com uma garfo na mão. Shikamaru revirou os olhos pela personalidade difícil que ela tinha.

- Claro que ele está, se não estivesse não estaria tentando manter o nariz no lugar. – Retrucou impaciente. Mas viu ela insinuar que ia levantar para dar mais uma chave de braço nele e recuou com medo de perder a vida bem ali. – Tá bom, entendi! – Recuou mais ainda quando ela se sentou pacífica na cadeira. Hinata olhou para tudo estranhada, enquanto batia nas costas da irmã que se engasgou com o ar enquanto ria.

- O que rolou enquanto eu estava fora? – Ino se recuperou e olhou para o lado pronta para dar um resumo do que ela sabia. Mas Tenten foi mais rápida

- Ino jogou gaara num monte de merda de animal, Temari quase mata shikamaru com uma chave de braço, neji é um frangote que não aguenta carregar umas tábuas e bom, o Sasuke você já sabe. – Disse apontando para cada indivíduo que era jogado na rodinha.

- Por que só fazem as coisas divertidas quando estou fora? – Reclamou com um biquinho, era óbvio que queria ter visto aquele ruivo metido cheio de fezes de animais. Era uma cena imperdível que ela teve o desprazer de não ver por estar ocupada fazendo a vida do amiguinho dele um inferno.

- não fica assim, nos só vimos ele no laguinho, quem ficou com a imagem mais divertida foi ela – Tenten disse apontando para a loira de rabo de cavalo. – O que eu queria ter visto era Temari dando uma chave de braço nesse morto vivo. – A morena reclamou vendo o mais preguiçoso daquela casa revirar os olhos, ele tinha impressão que todas queriam ver eles literalmente a um pé da cova ou dentro dela de uma vez.

 - Se quiser eu posso recriar a cena. – Temari disse dando um sorriso que arrepiou até o último fio de cabelo de shikamaru que nem terminou de jantar e já saiu voando para o andar de cima. – Covarde.

Nem os meninos puderam dizer o contrário da última palavra dela, era um pequeno defeito de seu amigo, e não podiam fazer nada para ajudar ele.

.

Sasuke subiu para o andar de cima para tomar um merecido banho, mas parou assim que viu gaara invadir o banheiro com uma carranca horrível no rosto, estalou a língua desanimado, iria ter que deixar seu banho para mais tarde, sabe-se lá como o banheiro iria ficar depois dele se livrar de toda a sujeira. Escutou um grito vindo do seu atual quarto e foi de mansinho até ele e viu uma coisa não muito comum. Ele tinha suspeitas de que aquela mulher poderia ser mais forte que eles, mas não ao ponto de conseguir carregar shikamaru como um saco de batatas no ombro, com medo de ser o próximo a cair nas garras da loira fez o que qualquer um em sã consciência faria, correu para longe dali escutando os gritos de socorro diminuirem de acordo com o que se afastava.

- Hospício do caralho. – Disse assim que saiu da casa e olhou para os lados sem saber o que fazer, não tinha internet, celular, vídeo games, algumas garotas que valiam a pena para flertar. Mas sua atenção foi até Neji que arrastava atrás de si o que parecia uma pá ou algo parecido. Ele não fazia a mínima ideia do que era e pra o que servia e provavelmente o cabeludo também não.

Neji estava quase expulsando sua alma do corpo quando chegou até a parte onde ficava as plantações, viu que tinha duas de suas colegas de trabalho com a mesma coisa que ele segurava bater na terra e puxar, abrindo um caminho reto e longo. Logo sentiu uma mão pesada bater contra suas costas e quase cai com a força, olhou para trás com os olhos arregalados e viu sua torturadora pessoal, cujo tsunade disse ser tutora ou babá, mas pra ele dava tudo no mesmo, uma diaba mandada diretamente do quinto dos infernos para fazer a vida dele uma tribulação sem descanso.

- Bora. – Tenten disse firme agarrando a gola da camisa dele e o puxando para o terreno e o colocou de frente para algumas plantas estranhas. – Você vai tirar essas plantas daqui, são tudo inútil, só crescem para fazer mato e estragar a terra.

- O que exatamente eu devo fazer? – Neji perguntou já olhando para as plantas como se fossem suas piores inimigas, sentia dó delas e esperava que elas sentissem dele também. Revirou os olhos quando notou seu pensamentos, já estava ficando tão doido quanto os que moravam ali.

- oras, capinar. – A morena respondeu piscando os olhos como se fosse a coisa mais óbvia do mundo.

- E como se capina? – Já desesperado ele disse, parecia que conversava com uma criança, ela nãoa notava que ele não sabia nada de nada naquela área rural?

- Ah! – Tenten abriu a boca em um O de compreensão. – Bom, me imite, só que você já vai fazer direto nas plantas.

 Ela ganhou um aceno afirmativo e ela mostrou a ele como fincar a aquela coisa que parecia uma pá para ele no chão e puxar com força até as raízes saírem da terra.

- Vai repetir isso em todas as desse tipo, você não vai confundir com as plantas úteis porque que nos recolhemos elas faz uns dias. – A morena olhou ao redor vendo se não tinha mais nenhuma área que poderia fazer seu “ discípulo” capinar. – Estava vendo aquela lado ali e ali? – apontou para os locais e novamente ele afirmou já sabendo que teria que juntar forças de outro mundo para conseguir terminar aquilo sem morrer no meio do caminho. – Capine.

 Foi tudo o que disse antes de sair de lá feliz por conseguir fazer o garoto de útil e mais feliz ainda por saber que estava certa no que disse para as irmãs. Eles não serviam de nada, nem sabiam o que era viver em uma área rural. Mas ela ensinaria até que eles ficassem úteis de verdade naquela fazenda.

Neji suspirou pesado antes de levantar o tronco e olhar a quantidade de moitas e plantas que tinha que dar fim, o dia iria ser longo. Então começou com um esforço e quase nada de firmeza a capinar.

.

Shikamaru queria se esconder no fundo da terra como um furão e nunca mais sair, estava morto de vergonha enquanto Temari o carregava nós ombros como um verdadeiro saco de batatas e desfilava com ele pela fazenda e foi muito fácil ver algumas caras que nem disfarçavam um riso enquanto viam a humilhação que ele passava.

Logo ele viu que estavam indo para uma espécie de casinha alta e com um cercado estilo colmeia grande ao redor com um portãozinho para a passagem de alguém. Logo os piados e barulho de asas batendo deram o sinal de onde eles estavam. No galinheiro.

- Está de sacanagem comigo. – Ele sentiu seu corpo ser jogado no chão sem cerimônia nem dó, Temari bateu suas mãos uma na outra para limpar e arrumar seu macacão jeans surrado, cruzou os braços impaciente vendo que o meio morto ainda estava no chão e sequer parecia pensar em levantar.

- Não, e levante essa bunda daí, temos trabalho pra fazer. – Sem esperar que ele levantasse ela o puxou pela gola da camisa para cima e pós de pé. Shikamaru tinha certeza absoluta de que ela era a mulher Hulk, depois daquele dia ele tinha plena certeza, pelo menos ela não era verde ou tinha aparência de um bombado de academia.

 Limpando a bunda que estava cheia de terra a porta de madeira e grade foi aberta e eles passaram para dentro do galinheiro, engoliu em seco quando viu algumas olharem na direção deles e começarem a mexer o pescoço para frente e para trás como se treinassem para bicar ele.

Viu a mulher entrar entrar na casinha e o chamou.

- Está vendo essas caminhas de palha? Dentro delas tem ovos, pegue eles e coloque nessa cesta, e nem sonhe em quebrar um ovo se não o ovo que eu vou quebrar será esse que tem entre essas pernas. – Dito isso shikamaru sentiu uma dor nas suas partes baixas antes mesmo de ela tentar concretizar a ameaça, ele tinha que proteger de alguma forma sua futura família. Se um dia quisesse ter uma.

Olhou ao redor e viu que a maioria das caminhas estavam com galinhas em cima.

- Só um minuto, quer que eu enfie minha mão embaixo delas e pegue os ovos? – ele tinha as sobrancelhas grudadas a raiz do cabelo de tão altas que estavam.

- ah, sim! – Afirmou com a mão na cintura. – está mais do que na cara que sim. 

Sem mais ela saiu da casinha e foi colocar a ração delas, deixando um desesperado moreno para trás.

Ele olhou para a primeira caminha e viu que estava sem a galinha, ele iria começar pelas vazias, depois passava para as que estavam ocupadas pelas mães dos ovos.

Já com a cesta com alguns ovos ele olhou para a primeira galinha que o encarava de forma que ele suspeitava que se desse mole ela furava seu pescoço com o bico.

- Vamos, não deve ser tão difícil, se ela consegue eu também posso!

Do lado de fora Temari escutou um grito forte vindo de dentro da casinha junto com os gritos das galinhas e um monte de bater de asas. Correu para a portinha e viu shikamaru cheio de pena enquanto segurava uma mão entre as pernas e protegia o cesto de ovos com cara de dor e se não estivesse vendo de mais, algumas lágrimas no canto dos olhos.

Ela tentou, jurava por tudo que tentou, mas quando viu já estava apoiada na parede e ria como se sua vida dependesse daquilo.

.

Sasuke andava escondido, toda vez que via alguém arranjava algum lugar para se esconder, jamais iria querer ser pego, viu ao longe o terrível trator de sua “baba” e quis aprontar uma que faria a garota se arrepender de ter feito ele correr sozinho no meio da estrada e chegar na fazenda a beira da morte.

- O que está fazendo? – A voz de sua torturadora pessoal soou atrás dele e amaldiçoando todos os mundos que conhecia ele se virou para trás e topou com a morena com um rosto confuso.

- Hum..... Nada. – Se levantou no esconderijo que estava agachado e olhou para ela com as sobrancelha erguidas.

- Já que está desocupado, como sempre, venha me ajudar a colocar umas caixas na camionete. – Sem que ele pudesse dar a resposta negativa ela já tinha puxado ele pelo braço e o arrastava até uma caminhonete velha e surrada, umas caixas estavam do lado dela.

- Pegue as caixas e vai me passando. – Disse subindo na parte trazer a aberta da caminhonete e viu o moreno com cara de bunda pegar a primeira caixa com esforço e entregar para ela com uma careta mais azeda que o habitual.

- Essa coisa pesa. – Reclamou enquanto tirava outra do chão e entregava pra ela.

- Deixa de ser frouxo, são só uvas. – Revirou os olhos pela moleza irritante que ele e os amiguinhos tinham.

- Odeio uvas. – Disse fazendo mais uma de suas enormes caras feias.

- Do que você gosta mesmo? – Hinata ironizou, ele só reclamava e isso a fazia querer jogar ele no chão e passar o seu amado trator por cima.

- Você é uma chata insuportável, sabia? – Com o último fio de paciência rompido ela pegou a outra caixa que ele tinha dado a ela e deixo cair no chão bem em cima do pé dele. – Aah!

Ele sufocou um grito de dor e o rosto ficou incrivelmente vermelho.

- sua filha da puta!

- Não xinga minha mãe, babaca!



Notas Finais


Demorei, mas cheguei!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...