História As paixões de July - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Big Bang, EXO, House, Infinite, SHINee, UNIQ, VIXX
Personagens Cho Seung Yeon, D-Lite (Daesung), Dongwoo, Eric Foreman, Gregory House, Hoya, James Wilson, Jinki Lee (Onew), Jonghyun Kim, Kai, KiBum "Key" Kim, Kris Wu, Leo, Lisa Cuddy, Minho Choi, Myungsoo (L), N, Personagens Originais, Ravi, Robert Chase, Suho, Sunggyu, Taemin Lee, Taeyang, Wang Yibo
Tags Bigbang, Daesung, Dongwoo, Dr Eric Foreman, Dr House, Dr James Wilson, Dr Robert Chase, Exo, Hakyeon, Infinite, Kai, Kim Jongin, Kpop, Medicina, Minho, Sangue, Sunggyu, Taemin, Traição, Vixx
Visualizações 163
Palavras 1.005
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 14 - XIV


Tanta coisa na cabeça, saí pensando naquele pobre homem que foi atingido, pensando na Wanda que estava em observação. Parei um momento em frente de um vidro que refletia minha imagem conturbada. Nossa eu estava um horror, escabelada, maquiagem borrada e o jaleco com uma mancha, pensei que não poderia encontrar o Edu assim, ele iria começar a pegar no meu pé como sempre fazia quando me via neste estado. Estava tão envolta em meus pensamentos que não percebi que alguém havia parado atrás de mim, levantei o rosto no intuito de me olhar mais uma vez e sair correndo para o vestiário. E o inevitável aconteceu, Chase estava parado me olhando. Virei vagarosamente limpando o canto do olho que estava borrado, sorri e cumprimentei-o constrangida. Logo após sua resposta vieram as perguntas...

-O que aconteceu com você? Está trocando de horário o tempo todo, não atende minhas ligações e não responde minhas mensagens! O que eu te fiz?

Antes que eu pudesse responder, o que também não fazia questão, Eduardo nos encontra no corredor. Bom, o que eu tanto temia (ser encontrada por ele naquele estado), foi um alivio. Veio em nossa direção já com sua frase pronta.

–Qual o feitiço que a bruxinha tem para hoje? Assim que se deu conta da situação que estava acontecendo logo desculpou-se.

-Eu vou me arrumar Edu e depois podemos ir almoçar, já falou com o Dr. Wilson?

-O tio disse para irmos nós dois, ele terá um compromisso. Te espero na recepção maninha.

Me deu um beijinho na testa e saiu. Chase ficou observando sem reação alguma.

Quando pedi licença para sair ele segurou-me e usou as expressões: -Bruxinha? Maninha? Tio?

Olhei-o dentro daqueles olhos que tanto me abalavam e só consegui pensar no que eu estava fazendo, qual o sentido de não responder as mensagens ou não atende-lo, porque evita-lo? Soltei meu braço e puxei-o para saída das escadas e beijei-o. Perdi a noção  do certo e do errado e somente beijei-o. Ele então me segurou e perguntou o que está acontecendo? Eu preciso saber!

Respondi que não era nada com ele, só que eu não queria compromisso. Mas poderíamos conversar mais tarde, depois que eu voltasse do almoço.

Saí correndo para me arrumar enquanto Chase ficou ali, parado, olhando para mim.

Preciso dizer que na recepção estava uma confusão por causa do Edu, das recepcionistas até as médicas plantonistas. Estavam igual pombas querendo acasalar... Isso sempre nos gerou boas risadas, no final ele sempre sai com um cara tão bonito quanto ele!

Saímos abraçados como sempre fizemos. Que saudade da época da faculdade! Nós não tínhamos medo de sermos nós mesmos!

Rimos muito no almoço, e como disse Edu sempre sai com um cara tão lindo quanto ele, desta vez foi um sushiman, (alto, cabelos escuros estilo Suho no MV Mama, um corpo bem definido). Quase fiquei com inveja sempre quis ficar com um asiático. Trocaram números de telefone e ficaram de marcar alguma coisa.

Voltamos para o hospital, desta vez o Edu quis ir junto para emergência. Nos arrumamos e fomos, mais uma vez meu trajeto foi interrompido. Chase queria conversar, (não tenho saco para DR), pedi para o Edu procurar o Raphael e ajuda-lo.

Então fomos para minha sala conversar... Fui direta e respondi todas as perguntas feitas anteriormente.

-Não aconteceu nada comigo, e não quero que aconteça. Troco de horário sempre que acho que é conveniente para mim, não atendo e não respondo porque não quero. E não, você não fez nada para mim, e nem fará. Eu não farei nada para mim. Quanto ao Edu, sim meu “irmão de criação”, nos conhecemos desde os 16 anos, moramos junto. O pai dele me patrocinou. E tio sim, ele é sobrinho do Dr. Wilson. Explicado? Acho que sim, e não temos mais o que conversar. Vou ver como está Wanda. Até mais Dr. Chase.

Sai da sala sem olhar para trás, corri até a emergência pensando estar segura, mas me enganei. Desta vez subestimei a vontade que Chase estava de resolver a situação, a qual para mim já estava resolvida. Mal consegui falar com Wanda (que está com uma crise de ulcera gástrica). E ele chegou, entrou na sala e disse:

-Tá bom então, vamos conversar aqui, já que eu ainda não disse o que queria. Em primeiro lugar, aquela noite para...

Sai correndo de trás da cortina e gritei, sim, gritei na emergência de um hospital, olha o que a pessoa bem equilibrada faz! (Existe uma piadinha que diz, tá vendo aquela vergonha, perai que eu vou lá passar. Acho que foi inspirada em mim.). Voltando ao grito.

-NÃÃÃÃÃOO! Vamos subir e conversar!

Imagina a cor que eu devia estar, se o grau de vermelho for de acordo com o calor que se sente no rosto, devia estar fosforescente!

-Então Dr. Chase, estou com atenção toda voltada para você fale!

-Como disse lá embaixo, aquela noite para mim, não foi só uma noite, o que tivemos foi muito especial e sei que você também sentiu isto. Aquele beijo na escadaria, não foi só para me calar. Eu sinto muito mais do que desejo, quando disse que te amo, não é da boca para fora. Espera aí, foi isso? Isso te assustou. Sim. Agora entendi. Você não quer mesmo um compromisso, mesmo sentindo o que sente por mim. É isso não é?

-Bom desta vez você queria ser ouvido, já foi, eu disse tudo que já tinha que ser dito, posso voltar ao trabalho, quero ver alguns pacientes antes de ir embora.

-Pode sim. Mas eu não irei desistir.

-Então tchau Dr. Chase. Vou trabalhar!

Liberei dois pacientes e fui ver o que ainda me perturbava o Sr. que havia sido agredido. Raphael me informou que ele estava estável e que não tinha nenhuma sequela aparente, e que o Dr. Foreman também havia examinado o ainda paciente anônimo. Ele iria ficar na observação e seria submetido a mais exame no dia seguinte.

Tudo pronto e liberado, Fomos para casa Edu e eu.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...