1. Spirit Fanfics >
  2. As Primeiras Vezes do Amor >
  3. O Primeiro Almoço

História As Primeiras Vezes do Amor - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Oii Cupcakes ♥! Era para eu ter postado ontem, mas acabei ficando sem tempo. Peço mil desculpas por isso. Eu quero agradecer demais a CALLMEVENUS pelo lindo comentário que em breve eu devo responder. Espero de verdade que goste do capítulo. Boa leitura...

Capítulo 8 - O Primeiro Almoço


Capítulo VIII – O Primeiro Almoço

"Por você, eu seria capaz de fingir estar feliz mesmo estando triste. Por você, eu seria capaz de fingir ser forte mesmo estando machucado. Eu queria que o amor pudesse ser aperfeiçoado apenas com amor. Queria que todas minhas fraquezas pudessem ser escondidas. Eu plantei uma flor que não pode florescer, em um sonho que não pode se tornar real.”

Fake Love – BTS

Seoul - 2007

As aulas passaram mais rápido do que eu imaginava que passariam. Chanyeol quase não se cabia de tanta felicidade e orgulho por finalmente ter criado coragem para tomar uma atitude quanto a Baekhyun. Eu não o julgava. Alguns dias atrás eu estive no lugar dele, então entendia perfeitamente seu sentimento de realização por conseguir ter a atenção do seu amado. Era como se cada suspiro e dias de sofrimento valessem a pena só pelo sorriso e os olhares que recebemos da pessoa que nós gostamos. É ridículo, é claro, mas essa é a nossa realidade.

Quando enfim as aulas terminaram, Chanyeol e eu fomos um dos primeiros a se levantar e a arrumar os materiais. Animados, esperamos por Kyungsoo e Baekhyun fora da sala de aula. Troco olhares com meu amigo e quase posso ouvir seus pensamentos, enquanto encarava o Byun como um bobo apaixonado e olhos preocupados. Coloco a mão sobre seu ombro e sorrio com suavidade.

- Você vai se sair bem. Não se preocupe. – Garanto, sabendo que sua mente estava começando a autossabotar sua recém adquirida confiança. – Ele pareceu bem animado com a possibilidade de ir com você até o hospital. Apenas tenha mais um pouco de confiança em si mesmo.

- É fácil falar. Não é você que só falta desmaiar todas as vezes em que a pessoa que você gosta olha para você. – Resmunga, suspirando. – Eu nem mesmo consigo falar com ele sem gaguejar. Ele deve pensar que eu sou um grande idiota.

- Aposto que ele não pensa isso. Na verdade, pareceu mais que ele ficou bem animado com o fato de você estar indo com a gente. – Comento e ele me encara com esperança, mas logo faz um bico e cruza os braços, parecendo irritado.

- Não adianta me iludir. Isso não me ajuda em nada! – Exclama Chanyeol e logo ele está olhando de maneira apaixonada para Baekhyun. – É tão injusto ele ser tão bonito, educado e gentil, porque meu coração sempre acaba se acreditando que ele é doce e divertido apenas comigo. E então, quando eu dou por mim, ele está sendo legal com outras pessoas ao redor dele.

- Não seja tão pessimista. Hoje você terá a chance de mudar a sua situação lastimável. Então, sorria e aproveite essa sua cara de bebê para conquistar o coração de Baekhyun. Eu tenho certeza de que ele não vai resistir ao seu charme quando perceber como você é legal, divertido e inteligente. – Tento animar meu amigo, enquanto passo o braço por cima de seus ombros. Ele suspira e posso sentir seu corpo tensionado. Chanyeol estava ficando nervoso. – E acalma esses nervos. Você não vai estar sozinho. Se você começar a falar alguma besteira, eu prometo que te interrompo.

- Obrigado. – Chanyeol agradece, dando um fraco sorriso.

Nesse momento, Kyungsoo e Baekhyun aparece na porta da sala com grandes sorrisos em seus rostos. Assim como nós, eles pareciam animados para a visita ao hospital de veteranos. Troco olhares com Chanyeol, sentindo aquele frio na barriga sem sentido. Sorrimos e nos aproximamos dos dois amigos que nos encaravam com expectativas.

- Vocês estão prontos? – Questiona Baekhyun, assim que nós os alcançamos.

- Claro. – Concordo, ajeitando a mochila em minhas costas. – Estava pensando que deveríamos almoçar por aqui antes de irmos para o hospital. Não sabemos se a entrevista vai demorar e nem se conseguiremos comer depois que sairmos de lá. O que vocês acham? Ainda temos tempo e felizmente o hospital fica por perto.

- Acho uma ótima ideia. – Concorda Kyungsoo, pensativo.

- Tem... – Chanyeol engole em seco quando sua voz falha. Seu nervosismo era evidente e isso faz com que todos os olhares se voltassem para ele. Inclusive Baekhyun parecia curioso para saber o que meu amigo tinha a dizer. Relembrando de minha promessa, dou uma cotovelada em Chanyeol e assinto, incentivando-o a continuar a sua fala. O rapaz respira fundo e volta a falar, agora com a voz mais firme, ainda que bastante tímida. – Tem um restaurante muito bom aqui perto e a comida é barata. Podemos almoçar por lá.

- Então vamos! Eu estou morrendo de fome. – Confessa Baekhyun, dando um sorriso animado. Ele arrasta Kyungsoo pelo corredor, comentando sobre o que estava com vontade de comer.

Kyungsoo me olha por cima do ombro e sorri, parecendo compartilhar o segredo dos sentimentos de Chanyeol por seu melhor amigo comigo. Surpreendo-me por conseguir identificar o humor em seus olhos e acabo sorrindo. Aos poucos, eu tenho aprendido mais sobre as sutis mudanças em suas expressões e o que seus olhos podem transmitir.

- Ele aceitou. – Sussurra Chanyeol, sem conseguir esconder sua euforia.

- O dia está apenas começando, meu amigo. – Afirmo, animado. Passo o braço por cima dos ombros de Chanyeol e o puxo em direção a Kyungsoo e Baekhyun. Eu estava animado para saber o que o dia nos reservaria.

Como Chanyeol havia dito, o pequeno restaurante ficava próximo da escola. Por se tratar de um ambiente mais tradicional, com comida caseira coreana e decoração simples, o local era frequentado por pessoas mais de idade. Ainda assim, o aroma que invade nossos olfatos é o bastante para fazer nossas barrigas famintas roncarem.

Para evitar atrapalhar os outros clientes, que tínhamos certeza que reclamariam do barulho que quatro jovens animados fariam, nós nos sentamos em uma mesa mais afastada. A proprietária do restaurante não demorou a aparecer com o cardápio. Depois de uma longa discussão – da minha parte e de Baekhyun, como era de se esperar dos mais tagarelas do grupo -, nós finalmente realizamos nosso pedido.

- Estou com tanta fome. – Resmunga Baekhyun, jogando-se sobre a mesa.

- Eu também. – Kyungsoo suspira, colocando a mão sobre a barriga. – O cheiro delicioso desse lugar estar me dando ainda mais fome.

- A proprietária e o marido dela são rápidos para preparar os pratos. Logo eles devem trazer nossa comida. – Afirma Chanyeol, dando um sorriso compreensivo.

Aos poucos ele estava começando a ficar mais à vontade com a presença de Baekhyun. Desde que saímos da escola, ele não estava gaguejando mais quando era alvo dos olhares do Byun e ainda estava sendo mais participativo nas conversas.

- Eu nunca tinha visto esse restaurante antes. – Comento, olhando em volta. – Ele parece ser antigo por aqui.

- E ele é. Mas acontece que por causa do tamanho e da simplicidade dele, quase não chama a atenção. Eu vim aqui com os meus pais. Parece que meu pai resolveu um problema no encanamento do restaurante e foi somente assim que ele conheceu o local. Minha mãe até sugeriu que eles fizessem algumas mudanças para chamar mais clientes, mas aparentemente, os proprietários querem manter os clientes antigos. Por já serem mais de idade, eles disseram que não daria mais conta de atender muitos clientes e contratar novos funcionários está fora de cogitação. – Comenta Chanyeol, pensativo.

- Talvez eles só estejam trabalhando para ocupar a mente, então não achem que seja preciso mais clientes, já que o restaurante é apenas um passatempo. – Sugere Baekhyun, apoiando o cotovelo sobre a mesa e o rosto sobre o punho. Ele sorri, encarando os proprietários do restaurante. – Exatamente como os meus avôs. Eles dizem que trabalhar foi a forma que encontraram de se divertir e passarem mais tempo juntos.

- Pelo que eles disseram, é isso mesmo. – Concorda meu amigo, sorrindo com satisfação. Eu só não sabia dizer se era por Baekhyun ter acertado na teoria ou pela conversa entre eles estarem se desenvolvendo tão bem. – Parece que os filhos deles possuem bons empregos e moram longe, então o sr. e a sra. Song não veem os netos com tanta frequência, então eles se sentem mais confortáveis trabalhando do que passando o dia em casa sem nada para fazer.

- Eles parecem se dar muito bem. – Observo o homem alto, magro e de cabelos grisalhos, sorrir, acariciando o rosto da esposa. Eles trocam sorrisos apaixonados e eu acabo sorrindo. – Na verdade, eles parecem um casal de jovens apaixonado ainda.

- Isso é bem romântico. – Afirma Kyungsoo com um sorriso doce, enquanto encara o casal de idosos. Ele suspira exatamente como minhas irmãs fazem quando assistem a um daqueles filmes idiotas de romance que elas são apaixonadas. – Espero um dia encontrar alguma garota com quem eu possa viver um amor como esse.

E no mesmo instante, sinto um balde de gelo cair sobre mim. Ele desejava viver um romance genuíno como aquele que assistíamos com uma garota? É claro que eu sempre soube que existia essa possibilidade, mas ouvir de sua boca de que minhas chances com ele eram inexistentes me deixam completamente sem chão. Se ele fosse hétero, como eu poderia conquistar seu coração?

Chanyeol me encara com preocupação e coloca a mão sobre o meu ombro, sabendo exatamente o que estava acontecendo. Sinto o olhar de Baekhyun sobre mim, como se analisasse minha reação, mas nem mesmo me importo de devolver o olhar ou entender o que ele esperava de mim. Meu coração doía e eu não sabia bem como reagir.

- Credo, Soo! Que mal gosto! – Resmunga Baekhyun, dando um empurrão no melhor amigo. – Garota? Com tanto homem bonito no mundo louco por você, vai querer logo uma garota? Devia aproveitar esse rostinho bonito para pegar um cara lindo, talentoso, cheiroso e popular. E vamos ser sinceros aqui. Eu sei que no fundo, você está longe de ser hétero. Apenas está com medo de admitir sua orientação sexual para a tia Yejin.

- Cala a boca, Baekhyun! – Kyungsoo repreende o amigo, dando um tapa em seu braço. O rosto do rapaz fica tão vermelho que momentaneamente me questiono se ele não estava passando mal. Kyungsoo ajeita os óculos no rosto e encara as próprias mãos. – Isso... isso não é... verdade.

A voz baixa e incerta de Kyungsoo faz com que Baekhyun o encarasse com um sorriso irônico. O Byun então desvia o olhar para me observar e novamente sinto um brilho diferente vindo do rapaz de cabelos platinados. E nesse momento percebo que Baekhyun sabia de meus sentimentos por Kyungsoo. Prendo minha respiração, sem saber como esse fato iria influenciar em meu relacionamento com o garoto de olhos cor de chocolate amargo.

- Eu... – Tento dizer alguma coisa, mas não havia motivos para eu estar me justificando para Baekhyun quando eu não havia feito ou dito nada de errado.  

- Com licença. Aqui está o pedido de vocês. – Para a minha sorte, a proprietária do restaurante aparece com a comida, que estava com uma aparência maravilhosa. O cheiro faz meu estômago se revirar em expectativa para experimentar a comida com o cheiro maravilhoso. – Boa refeição.

- Uau! Isso está... incrível! – Comenta Baekhyun, suspirando em êxtase.

- Eu disse que era bom. – Afirma Chanyeol, sorrindo animado.

Enquanto comemos, Chanyeol e Baekhyun iniciam uma conversa sobre os pratos deliciosos do restaurante e suas comidas prediletas. Kyungsoo e eu permanecemos calados, perdidos em nossos próprios pensamentos. De alguma forma, depois do comentário de Baekhyun, Kyungsoo pareceu se fechar para todos. Ele não olhava para nada além de seu prato, como se sua mente estivesse longe demais para ouvir o que acontecia a nossa volta.

Eu não estava muito diferente. A resposta de Kyungsoo continuava a ecoar em minha mente, torturando-me de inúmeras formas. Meu coração se aperta ao pensar que indiretamente eu havia sido rejeitado sem nem mesmo ter tido a chance de me declarar para Kyungsoo. Ao mesmo tempo, uma parte de mim tinha esperança de que as palavras de Baekhyun pudessem ser verdade e que de alguma forma ele ainda seria capaz de me amar tão intensamente quanto eu tenho desejado ser o alvo de sua atenção.

E o mais estranho disso é pensar que tudo aconteceu tão rápida e sem qualquer explicação. Kyungsoo e eu não nos conhecemos direito. Passamos a conversa somente quando fomos obrigados a fazer um trabalho juntos e desde então temos dado passos lentos em nossa amizade. Ainda assim, eu continuava a me encantar com os pequenos gestos do rapaz e seus singelos detalhes, algo que nunca havia acontecido comigo antes.

Nunca imaginei que seria capaz de ficar tão feliz com apenas um olhar ou um sorriso direcionado a mim. Nunca desejei tanto passar mais tempo com alguém quanto desejo estar com ele. Nunca ansiei tanto para conhecer mais de uma pessoa quando anseio por Kyungsoo.

Ele é alguém que desperta emoções tão intensas e conflitantes em mim que me faz perder noites de sono e o ar. Nem mesmo os palcos pareciam tão assustadores quanto a chance de conversar Kyungsoo. Ele despertou um lado meu que nunca imaginei que existia dentro de mim.

Meu celular vibra em meu bolso, despertando-me de meus pensamentos. Ao pegar o aparelho no bolso da minha calça, vejo que se trata de uma mensagem de meu cunhado. Suspiro e passo a ler o recado de Hyundong, surpreendendo-me com o conteúdo.

- Droga! – Exclamo, indignado.

- O que aconteceu? – Questiona Chanyeol com preocupação.

- D-War vai ser adiado de novo. – Respondo sem esconder a minha decepção.

- O quê? Por quê? – Indaga Kyungsoo, encarando-me com os olhos arregalados e evidente frustração. – Primeiro era para ele ser lançado no mês passado. Depois eles adiaram para mês que vem, alegando ter problemas com os produtores. Qual foi o motivo que eles deram dessa vez.

- Meu cunhado acabou de me dizer que eles falaram que foi por causa na finalização do filme. Algum problema na equipe de efeitos especiais. – Conto, lendo a mensagem mais uma vez. Suspiro frustrado e coloco o celular sobre a mesa. – A nova data de estreia é dia primeiro de agosto. A produção está extremamente cara, então espero de verdade que esse filme seja tão bom quanto estão prometendo.

- Eu vi. Ao que parece, eles estão estimando que o custo de produção é de quase cem milhões de dólares. Estou com altas expectativas para ele. – Afirma Kyungsoo e eu assinto em concordância.

- E o que tem de tem demais nesse filme para vocês ficarem tão animados? – Questiona Baekhyun, entediado.

- Está brincando? Serão dois dragões enormes lutando para decidir o destino da civilização. – Respondo, sem acreditar na falta de interesse do platinado. No entanto, mesmo com o meu resumo do filme, Baekhyun continuava a nos encarar com tédio.

- É uma ficção científica baseada no folclore coreano sobre os Evil Imoogi. Será um dos filmes com maiores quantidades de efeitos especiais de todos os tempos! – Complementa Kyungsoo, animado.

- Para mim parece apenas mais um filme idiota de ficção como outro qualquer. – Comenta Baekhyun, que recebe um olhar mortal do melhor amigo. O platinado o encara com ironia. – O quê? Você sabe que é verdade.

- Você definitivamente não sabe o que é bom, Baekhyun. – Provoco e dessa vez recebo o apoio de Kyungsoo.

- Pelo que vocês estão falando será só mais um filme bobo sobre animais mágicos batalhando. – Comenta Chanyeol e Baekhyun ri e bate palmas concordância.

- Finalmente alguém com um pouco de juízo por aqui! – Exclama Baekhyun, batendo a mão em comemoração na mão de Chanyeol.

- Você não tem direito de fala aqui, Chanyeol. Para você, todo filme no cinema é chato. Você dormiu assistindo X-Men! – Comento, relembrando de nossa última ida ao cinema.

- E o Baekhyun é agitado demais para conseguir ficar parado por mais de trinta minutos. Ele sai toda hora da sala do cinema e depois reclama que não entendeu nada. – Acusa Kyungsoo, encarando o amigo com repreensão.

- Vocês não entendem a diversão que é estar diante de uma tela enorme e toda a emoção que o cinema passa. – Afirmo, fazendo Kyungsoo aquiescer e os outros dois rapazes me encarar como se eu fosse um idiota. – Vocês não entendem a magia do cinema!

- Isso mesmo! – Concorda Kyungsoo, cruzando os braços, enquanto exibia uma expressão séria e determinada.

- Já que vocês dois entendem tanto da “magia do cinema” deveriam ir juntos assistir esse filme idiota. – Propõe Baekhyun, encarando-me em desafio.

- É uma boa ideia. Vocês vão se divertir mais indo juntos. – Chanyeol apoia Baekhyun, encarando-me pelo canto do olho em animação.

- Eu vou adorar ir ao cinema com alguém que tem um gosto tão refinado para filmes como o Kyungsoo. – Respondo com humor, enquanto sinto que meu coração pode sair pela minha boca a qualquer momento.

- Compartilho da mesma opinião. – Declara Kyungsoo, sorrindo de maneira divertida. Quase suspiro aliviado ao ver que ele realmente parecia feliz com a ideia.

- Certo. Então está combinado. Assim que D-War lançar, nós iremos na pré-estreia assistir esse filme incrível. – Combino e Kyungsoo assente, concordando. Meu sorriso se alarga. Essa era a chance que eu almejava para me aproximar ainda mais do rapaz. E eu definitivamente não desperdiçarei a oportunidade.


Notas Finais


Oii Cupcakes ♥! O que acharam? Deixem a opinião de vocês. E quero fazer o convite para vocês me seguirem no Insta e entrarem nos meus grupos de leitores tanto no Facebook quanto no Whatsapp. Vou deixar os links logo abaixo. Eu vou ficar muito feliz em receber vocês. Obrigada a todos que leram até aqui.

Família Cupcake 2.0: https://chat.whatsapp.com/BbOG6KJnuHy2dQIs1sC9Ss
Cupcakes da Lara: https://www.facebook.com/groups/677328449023646
Instagram: @_cupcakesdalara


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...