História As Regras do Baile - Jungkook - Capítulo 5


Escrita por: , iapew e Cloreto-


Notas do Autor


Primeiramente, esse capítulo só saiu graças à @scararmst e @benzodiazepyne que me ajudaram organizando minhas fics e me apresentando o trello, maravilhoses. Obrigada 💕💕💕
Quero agradecer novamente a @benzodiazepyne que betou o capítulo, obrigada de novo hihi
Sim, eu tenho zero criatividade para títulos e os capítulos dos bailes serão “primeiro baile”, “segundo baile”, etc., quando terminar o baile eu peno para arranjar algum nome para os capítulos.
Eu sou de enrolar nas notas finais e não nas iniciais, por isso, boa leitura <3

Capítulo 5 - Primeiro Baile


Fanfic / Fanfiction As Regras do Baile - Jungkook - Capítulo 5 - Primeiro Baile

 Desde que possuía seis primaveras, Jungkook iniciara as aulas de dança e, poucos meses mais tarde, já conseguia dançar ao menos uma valsa com perfeição. Ele havia dançado inúmeras vezes nos anos seguintes, fosse treinando com suas irmãs ou em bailes com nobres donzelas e, de fato, era reconhecido que possuía bastante experiência e talento na arte de dançar. Naquele momento, porém, ele questionou a si mesmo se, realmente, se lembrava de como conduzir uma valsa.

 Os acordes musicais que explodiam em seus ouvidos indicavam que ele já deveria ter dado início a dança, mas continuava paralisado, ainda segurando fracamente a mão da donzela a sua frente. Apesar de já ter permanecido exatos quarenta minutos —sim, ele estava contando— dentro do baile, em todo aquele tempo ele estivera aprisionado pelos próprios pensamentos, tão desconcentrado que nem reparara nas jovens com quem dançara.

 Ele deveria estar conversando em meio à dança, conhecendo-a para que, caso se interessasse, lhe entregasse um dos quinze bilhetes que indicavam que a garota estaria na seleção, localizados dentro de seu paletó, porém, ele estava tão concentrado em não estragar tudo que mal percebera que, para as jovens com quem dançara, ele estragara tudo.

 — Milorde? — chamou um pouco desconfortável a donzela — A valsa já teve início.

 Jungkook saiu, por um breve momento, de seus pensamentos incômodos quando percebeu o aviso da jovem. Sorriu envergonhado, concentrando-se em não enrubescer pelo olhar de repreensão e desconforto da jovem. Deu início a alguns passos, tentando em vão deixar de focalizar os pensamentos em seus monstros internos.

 As inseguranças que o assolavam eram grandes, principalmente o pensamento de que poderia, muito bem, não vir a encontrar nenhuma jovem. Eram sete bailes, e dezenas de damas em cada um deles, não teria como Hanôver não se interessar por nenhuma delas, certo? Ou, seria errado? E se ele não se interessasse por nenhuma?

 Balançou a cabeça, tentando afastar suas preocupações, e concentrando-se na jovem a sua frente. Ela era bastante bonita, algo que Jungkook não poderia negar, embora, todas as garotas naquele salão fossem lindas. Seus traços eram levemente asiáticos, provavelmente japoneses, ainda que mantivesse alguns poucos traços londrinos. O vestido deslumbrante de cor azulada dela esvoaçava a cada passo da dança, podendo visualizar o par de sapatos dourados que ela utilizava. Seus lábios eram finos e rosados, a pele um pouco corada e os olhos pequenos e escuros, escondidos por uma máscara de mesmo tom que o vestido, e que guardavam certa insegurança. Apesar de ter reparado em tal fato, era um pouco egoísta —ou apenas humano— e priorizava seus próprios problemas.

 Não tardou para que a valsa viesse a terminar, sem que nenhuma palavra fosse trocada entre os dois jovens, que tão logo se separaram. Ainda que Jungkook observasse que ela lhe sorrira ao fim da dança, o olhar pesaroso e de desânimo que lhe lançou foi evidente. A jovem esperava ser selecionada, assim como a maioria das garotas, ansiando por adentrar o conto de fadas que seria a seleção. De todo modo, Jungkook não poderia se deixar levar pelos olhares tristes das damas, se o fizesse, acabaria por entregar os bilhetes para todas naquele salão de baile. Deveria apenas selecionar aquelas pela qual se interessasse, não escolher por compaixão. E, ele precisava dançar com várias donzelas para encontrar as quinze selecionadas.

 Apesar disso, não seria difícil encontrar alguma dama para iniciar a valsa, grande parte das damas do local apenas almejavam ser convidadas para uma dança com o príncipe. As orbes ônix de Jungkook vagaram pelo salão de baile, tão logo estacando em uma garota de cabelos escuros e uma máscara excêntrica. Aproximou-se da mesma e inclinou-se para beijar-lhe o dorso da mão, demonstrando todo o seu cavalheirismo. 

 Assim como a jovem anterior, esta também possuía traços asiáticos, com a cútis clara e os lábios rosados, porém, diferente da anterior, as orbes escuras carregavam um ar de perseverança. Um leve sorriso pode ser visto em seus lábios quando Jungkook recitou as palavras que já havia se acostumado a falar: “me concede esta dança, milady?”.

 Era uma dama claramente exótica, com um vestido bufante e uma máscara em tom de ouro com referência à personagem da mitologia grega, Medusa, trazendo pequenas cobras de ouro como decoração da máscara e de seus cabelos. Uma escolha bastante excêntrica, entretanto, fora o motivo que o chamara a atenção. Porém, não se mostrara uma máscara pouco sutil e prestativa enquanto rodopiavam pelo salão, onde o Hanôver teria de desviar a cabeça para não ser acertado pelas decorações.

 Não trocaram uma palavra sequer em meio a dança, pelo menos da parte do príncipe, já que a donzela tentara dar início a uma conversa, a qual fora totalmente ignorada. Ele ainda se mantinha preso nos próprios pensamentos, perdido nos “e se’s”. E, fora assim que as danças se seguiram, com Jungkook preso em seus temores e as jovens bastante desconfortáveis, buscando conseguir a atenção do príncipe. Certo tempo após a dança com as duas jovens de traços orientais, ele deixara de prestar atenção ao tempo, concentrado demais em si mesmo que mal percebera que já se aproximara do fim do baile. 

 — Já encontrou alguma selecionada, meu irmão? — Jungkook se assustou ao escutar a voz de sua irmã, a princesa Mary Elizabeth Henriqueta de Hanôver, acompanhada de sua dama de companhia, Lily Brown, que era como uma irmã para ambos os príncipes.

 Um suspiro escapou dos lábios de Jungkook, enquanto observava sua irmã com os cabelos castanhos escuros presos em um penteado bonito e com um elegante vestido rodado cor-de-rosa. Apesar de ter mais proximidade com sua gêmea, sempre pôde contar com a caçula e lhe dizer todos os temores.

 — Infelizmente, não. — respondeu, um pouco nervoso — Não consigo conversar com nenhuma donzela, acabo sempre com medo de fazê-lo e acabar estragando tudo.

 — Você não irá estragar tudo, Kook! E se vier a estragar, é o príncipe! — disse um pouco exaltada a dama de companhia, com seu vestido igualmente luxuoso, a irmã em tons de bege e ambas utilizando cores que jovens solteiras deveriam utilizar. O olhar de desconfiança que o Hanôver  lhe lançou a fez suspirar e completar: — Posso lhe ajudar, caso deseje.

 Um pequeno sorriso surgiu nos lábios finos do príncipe, que assentiu, agradecendo pela ajuda da irmã de criação. A Brown era extremamente crítica e sincera, além de muito observadora, e, decerto, conseguiria facilmente ajudar o Hanôver. Ambos caminharam até a pista de dança e iniciaram a valsa. Apesar de existir uma série de danças, todos os organizadores entrarem em consenso de que todas deveriam ser valsas iguais.

 — Como irá me ajudar, exatamente? — questionou um pouco confuso, Jungkook.

 — Apenas espere. — e ele esperou, esperou até a dança terminar e um pequeno sorriso surgir nos lábios de sua irmã de criação — Bem, primeiramente, se não conseguir encontrar quinze selecionadas, pode entregar os bilhetes para mim e suas irmãs… — iniciou ela, mas se auto-interrompeu quando soltou uma risada — Mas, se não quiser me ter em sua prestigiada seleção, pode falar com aquela garota ali. 

 Lily apontou discretamente para uma donzela de beleza marcante. Os cabelos longos e pretos semelhantes a escuridão da noite, bastante ondulados que desciam até o meio de suas costas. A cútis parda e o corpo proporcional eram cobertos pelo tecido vermelho e negro de seu vestido. Os olhos de um castanho escurecido eram cobertos por uma máscara branca como a neve e pouco pareciam lhe observar como a maioria das donzelas do salão.

 — Por que deveria chamá-la para dançar? — questionou, confuso com o motivo de Lily ter escolhido-a. 

 — Não sei, apenas acho ela bonita e parece interessante. — disse com um dar de ombros.

 Os olhos escuros de Jungkook voltaram a novamente fitar a jovem que Lily indicara, tão logo decidindo que iria acatar o conselho da dama de companhia. Voltou o olhar para a Brown, para lhe agradecer, porém, ela já se encontrava na outra ponta do salão, ao lado de Mary. Jungkook suspirou, se pondo a caminhar até a donzela que Lily indicou.

 — Com licença, senhorita, concederia-me esta dança? — questionou ao aproximar-se da jovem, tão logo beijando o dorso de sua mão, como as regras de decoro pediam. 

 ~*~

 Rosemary Blanche, filha do Marquês de Mildford, ao contrário da grande parte de donzelas daquele grande salão de baile, não desejava estar no Baile de Crisocola. A jovem herdeira possuía uma série de motivos para apenas querer que tal baile acabasse o mais rápido possível; nunca fora fã de festas e bailes, desgostava dançar e ser cortejada por homens libertinos que apenas desejavam seu exuberante dote. E, embora neste baile o príncipe nem se importaria com o valor de seu dote, a ideia de que, talvez, pudesse vir a ser selecionada a apavorava. 

 Não que ela desgostasse do príncipe, Rose não o conhecia para fazer tal julgamento, apenas não poderia se tornar selecionada. Seria um passo certeiro para vir a ser a “flor da temporada” no ano seguinte, da qual receberia inúmeros pedidos de casamentos de jovens bastante afortunados e que seus pais, claramente, não iriam negar. Adentrar a seleção lhe traria uma série de pretendentes desagradáveis quando viesse a ser despachada pelo príncipe. E, se não viesse, talvez o príncipe se desejasse casar consigo, o que seria pior ainda.

 Era uma opinião bastante contraditória, visto que todas as damas no baile apenas desejavam tornar-se selecionadas. Mas, também diferente da maioria das garotas, Rosemary não viera por desejar adentrar a seleção, mas sim, por obrigação de seus pais. Os Marqueses de Mildford viram como uma grande oportunidade ter sua filha casada com o príncipe e, desta forma, poderem usufruir do castelo e do trono. 

 — Sorria, Rosemary! — ordenou sua mãe, Isobel Law Blanche, filha do Conde de Law e Marquesa de Mildford, com os dentes cerrados.

 A herdeira suspirou, sua mãe viera como sua acompanhante, visto que sua melhor amiga e criada pessoal, Regina Francis, não lhe acompanharia pois esta tentaria adentrar a seleção. Rosemary torcia para que Gina, como costumava chamá-la, conquistasse o coração do príncipe; a mais velha ficaria tão feliz de ver a Francis na seleção, pularia de alegria junto a Regina caso esta viesse a ser selecionada.

 Abaixou o olhar, fitando seu anel de prata ornamentada com uma pedra de safira ao centro. Era uma herança de família que Rose sempre utilizava, sendo um de seus bens mais preciosos. A Blanche sabia que, tão logo, o baile acabaria; à meia-noite todas as donzelas deveriam voltar para as suas casas e, por ser bastante observadora, Rosemary notara que, há poucos minutos, o relógio de bolso que o guarda próximo a si sempre vinha a olhar já marcava onze e meia. Continuou a olhar para o guarda, esperando que ele novamente observasse o relógio e que a mesma pudesse constatar novamente o horário, mas, fora surpreendida por sua mãe, que lhe deu uma cotovelada.

 — Vossa alteza! — simplesmente gritou, um pouco engasgada, a marquesa de Mildford, chamando a atenção de Rosemary, que observou o príncipe em seus trajes negros. 

 Ele era bonito, percebeu ela, porém, não exatamente atraente, as mulheres eram infinitamente mais desejáveis que o mesmo. De todo modo, a máscara em dourado pareceu combinar bastante com ele, escondendo seus olhos escuros e profundos que, para a surpresa de Rosemary, não carregavam luxúria ou crueldade, mas uma inocência incomum. 

  — Com licença, senhorita, concederia-me esta dança? — questionou com sua voz melodiosa o príncipe, quase como um ultraje para a jovem Rosemary. Ele não poderia dançar consigo e, talvez, lhe chamar para participar da seleção, ela não teria como negar. 

 — Oh, é claro que ela quer! — intrometeu-se sua mãe, a qual recebeu um olhar indignado e julgador de Rosemary. Ainda assim, a herdeira assentiu levemente com a cabeça.

 Serenamente pousou sua mão sobre a dele, sendo guiada para a pista de dança. Rosemary não gostava de dançar, porém, tinha talento para isso. Não que rodopiar por um salão fosse algo difícil, ainda sim, Rose sabia fazê-lo com perfeição, assim como a maioria das jovens aristocratas.

 — Qual é seu nome? — questionou o príncipe Jungkook de Hanôver, fazendo com que a Blanche arqueasse uma sobrancelha.

 — Pelo que me lembro, não deveria saber quem sou. — respondeu com um pequeno sorriso — Mas pode me chamar de Rose. Rosas são minhas flores favoritas.

 — Eu também gosto de rosas, eram as flores favoritas de minha mãe, apesar de apreciar mais margaridas. — disse Jungkook, com um sorriso, lembrando de sua amada mãe. Os olhos escuros do mesmo analisaram a jovem a sua frente, antes de declarar com a voz doce — Você se parece um pouco com ela. 

 Rosemary sorriu com o elogio, enquanto continuavam a rodopiar pelo grande salão. Ele era alguém gentil e amoroso, e parecia amar a mãe. Seria um excelente amigo para si, mas, para que isso viesse a ocorrer ela deveria adentrar a seleção, a odiada seleção. Continuaram a conversar, sendo a primeira dança do príncipe que palavras foram trocadas, ainda que Rosemary não soubesse disso. Ela estava ocupada demais observando a decoração, os vestidos e o relógio do guarda que localizava-se próximo a si. Ela também estava bastante ocupada pensando no quanto desgostaria de adentrar a seleção, presa em seus pensamentos e observações que tão pouco observara o príncipe. 

 Dialogaram sobre coisas banais, como o tempo, o sabor de chá favorito e suas flores favoritas, e nem ao menos perceberam quando a dança parara de tocar. Jungkook lembrava a Rosemary seu caçula, o pequeno Matthey Blanche, futuro Marquês de Mildford, sendo um jovem gentil e de um sorriso contagiante. Porém, a pequena magia de talvez fazer uma amizade com o príncipe acabou quando ele lhe entregou um bilhete dourado escondido em seu paletó.

 — O que seria isso? — questionou com um sorriso, que tão logo murchou ao ler: “Cara donzela, é com grande alegria que informamos que, dentre todas as garotas, você foi selecionada pelo príncipe a participar da competição.”

 — Isso significa que você está dentro da seleção, Rose. — respondeu o mais velho com um sorriso — Lhe vejo em breve.

 E assim, mal percebendo que deixara uma jovem desolada para trás, Jungkook se foi.


Notas Finais


As personagens que Jungkook dançou são a Daphne e a Yeji, respectivamente, duas garotas que não foram aceitas, mas que, como já havia falado, virão a aparecer na fanfic. Então, se você não foi aceita, pode ficar tranquila que no baile sua personagem aparece, nem que seja só um pouquinho como aconteceu com as duas meninas deste capítulo. ELAS TERÃO CHANCE DE BRILHAR!
Eu estou separando as meninas aceitas para aparecer nos sete capítulos de baile, alguns deles apenas aparecerão uma única selecionada, outros duas, e outros três, e por aí vai. Por enquanto, apenas a Rosemary apareceu, mas espero que tenham gostado dela. E, para a usuária que a criou, caso eu esteja interpretando a personalidade da Rose errada, por favor me avise.
Espero que tenham gostado do capítulo e, se puderem e quiserem, comentem por favor <3
Apesar de não ter lei do tordo, saibam que, quanto mais comentários eu recebo de ume usuárie, mais eu dou prioridade e destaque a personagem.
E eu FINALMENTE consegui escrever um capítulo para ardb com mais de 2k de palavras hahahah torcendo para que, nos próximos, eu consiga aumentar ainda mais o número de palavras.
Bem, bem, eu particularmente gosto bastante da parte da Lily, foi algo que estava planejado desde o início, embora eu achasse que essa cena só aconteceria no último baile, mas, como a Rose foi a que mais se encaixou e a mãe dela era desesperada demais para deixar ela ir apenas no último baile, coloquei para o primeiro hahahaha
Espero que tenham gostado do Jungkook e da Rose, assim como do capítulo sz
Agradecendo de novo aos anjos que salvaram minha vida @scararmst e @benzodiazepyne <3
Se puderem comentar eu agradeceria, fico bem felizinha com comentários 💕💕💕
(sim, eu repito as coisas, faço isso direto)
Até o próximo gente!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...