História As Vantagens De Estar No Controle - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Draco Malfoy, Harry Potter
Tags Drarry
Visualizações 176
Palavras 2.168
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Hentai, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 5 - Capítulo 5


E passar os próximos dias mudo ele fez. Toda vez que ele via o Malfoy nos corredores ou na Transfiguração, ele ignorava religiosamente o outro garoto. Por alguns dias, Malfoy aproveitou triunfalmente todas as oportunidades para insultar Harry nos corredores, mas quando os dias passavam e ele ainda não recebia qualquer retaliação, ele apenas ficava olhando Harry desdenhosamente sempre que ele passava.

As lições eram particularmente difíceis também, e Ron e Hermione tiveram que ajudá-lo a comunicar aos professores que ele era incapaz de falar. Como resultado, a maior parte do corpo docente de Hogwarts estava com a impressão de que Harry estava sob algum tipo de azar modificado, mas que ele tinha a situação sob controle e estava resolvendo isso. Suas interações com seus amigos também eram compreensivelmente estranhas, e Harry se viu quase ignorado enquanto todos falavam e riam.

Depois de alguns dias sem conseguir falar, Harry foi completamente e totalmente feito com isso. Era óbvio que isso não ia embora tão cedo, e ele se sentiu tão isolado assim. Ele não se sentia tão solitário desde as festas do segundo ano, quando achava que havia sido abandonado por seus amigos, e isso era ainda pior, já que eles estavam ali, mas ele era incapaz de falar com eles. Ele estava frustrado e pronto para esse silêncio forçado, e a única maneira que ele conseguia pensar em livrar-se dele era fazer com que Malfoy lhe dissesse para falar.

Então, ele foi em uma caçada ao outro menino.Era surpreendentemente difícil, já que Malfoy claramente evitava passar muito tempo em lugares onde pudesse ser encurralado por outros estudantes que achavam que ele deveria estar apodrecendo em uma cela em Azkaban.Como resultado, Harry começou a retirar o mapa dos Marotos toda vez que tinha um período livre, mas o outro garoto estava sempre na sala de aula ou em algum lugar nos dormitórios da Sonserina.

No entanto, na tarde de quinta-feira, Harry finalmente localizou Malfoy no mapa, indo em direção à biblioteca. Ele jogou o mapa em sua cama, incapaz de apagá-lo sem sua voz, e correu em direção ao corredor que ele sabia que Malfoy teria que percorrer para chegar à biblioteca. Estava bem longe, mas Harry era rápido e, graças a vários anos do mapa e dos dois George, sabia vários atalhos que o levariam até lá.

Ele correu pelos corredores, eventualmente atravessando uma tapeçaria falsa e entrando no corredor, assim que Malfoy virou a esquina.Malfoy deu um pulo de surpresa, mas então sorriu levemente para o desafio e se dirigiu para ele. “Goste de ver você aqui Potter.” Malfoy provocou. "Pensando em sua mãe morta de sangue-ruim?" 
Raiva ferveu dentro de Harry com a provocação, mas ele não podia revidar, apesar de querer desesperadamente. Isso pareceu confundir Malfoy. "O que há de errado com você no momento Potter?" O menino loiro perguntou em desgosto. "Apenas retalie seu fodido idiota."
Harry sorriu levemente, tendo conseguido o objetivo de fazer com que o outro garoto lhe dissesse para falar, e abriu a boca para dizer algo ofensivo em retorno, mas nada saiu. Ele sentiu vontade de gritar de irritação, mas Malfoy claramente não estava irritado o suficiente para usar sua voz de Alfa instintivamente.

Então, depois de pensar um pouco, Harry ergueu sua varinha, não para lançar um feitiço ou maldição, mas para fazer algo que Malfoy provavelmente acharia muito mais irritante. Ele lançou um feitiço não-verbal para simplesmente mudar o cabelo de Malfoy ... para ser tão laranja quanto o de Rony e tão confuso quanto o seu antes da transformação. Foi uma invenção do próprio George, um feitiço bastante simples que mudou a cor, textura e comprimento de seu cabelo por 48 horas, mas uma vez que o feitiço foi lançado, era impossível mudar seu cabelo de volta ao seu estado original até o tempo estipulado .

No começo Malfoy não conseguia descobrir por que Harry estava rindo silenciosamente histericamente, mas então sua mão voou para seu cabelo em horror, enquanto seu cabelo se alongava ligeiramente, ficando laranja e explodindo em uma bagunça completa. Ele conjurou um espelho e a princípio olhou para Harry, fervendo, mas depois pareceu se acalmar.“Realmente Potter? Transfiguração? Quão juvenil. ”Ele perguntou com um sotaque paternalista, já lançando um feitiço para devolver o cabelo ao estado normal. Quando não funcionou, ele franziu a testa. Ele tentou outro feitiço, mas quando isso também queria sucesso, a fúria surgiu em seus olhos. "É melhor não ser fodidamente PERMANENTE Potter!" Ele gritou. Quando Harry, claro, não respondeu, apenas riu silenciosamente ainda mais, ficou ainda mais irritado. "Pelo menos diga algo que você idiota!" Malfoy gritou, e desta vez o tom alfa era audível em sua voz.

No entanto, com um olhar para Malfoy, que estava absolutamente furioso com o dano ao seu cabelo precioso, Harry decidiu que sua melhor aposta seria provavelmente a perna dele.Ele correu de volta através da tapeçaria, e seguiu por um confuso labirinto de passagens que Malfoy não seria capaz de segui-lo. Ele atravessou as paredes de truques, fez cócegas nas portas para abri-las e deslizou pelo corrimão de uma escada não corpórea, antes de chegar à torre da Grifinória.

"Leonem!", Harry exclamou assim que a Dama Gorda estava ao alcance da voz, e subiu dentro do retrato quando ele se abriu. 
Quando Harry chegou a sua porta, ele riu pela primeira vez em dias. Foi bom ter sua voz de volta.

~ oOo ~

Draco ficou enfurecido. Mais do que enfurecido.Ele estava fodidamente lívido.

Uma coisa era insultar seus pais ou sua pureza de sangue, ou até mesmo azarar ou azarar ele, mas como DARE Potter o transforma em um sósia de WEASLEY. Seu cabelo estava arruinado e ele até parecia um traidor de sangue total! Isso foi horrível, especialmente quando Draco não tinha ideia da permanência desse feitiço. Ele passou a mão pelo cabelo grosso e bagunçado de gengibre que agora tinha que lidar. Ele não podia deixar ninguém mais vê-lo assim, toda a sua reputação estaria arruinada!

Ele suspirou e pegou um chapéu da mala.

~ oOo ~

No dia seguinte, Harry entrou na sala comunal do oitavo ano, com um sorriso enorme no rosto.Não só ele tinha recuperado a voz, como também conseguira um no Malfoy. "Oi Ron, Oi Hermione." Ele cumprimentou seus dois amigos, que estavam esperando por ele. Hermione engasgou e imediatamente deixou cair o livro que ela sempre parecia ler na sala comunal no chão. 
“Harry! Sua voz! Ela gritou animadamente. 
"Isso acabou então?" Ron perguntou a Harry, sorrindo. 
Com isso, Harry fez uma careta. "Bem, não realmente ..." Ele admitiu e explicou o que havia acontecido entre ele e Malfoy no dia anterior.

No final, o sorriso de Ron era tão grande que parecia que seu rosto ia se dividir completamente em dois. “Um bom companheiro! Você o acertou exatamente onde vai doer - seu precioso cabelo ... Eu teria adorado ver seu rosto, o idiota presunçoso. ” 
Hermione, no entanto, parecia perturbada."Harry, você percebe que quando ele perceber que ele é o seu dominante, ele vai querer vingança?" 
Ron afastou-a. “Vamos, você não precisa ser tão deprimente sobre isso. Apenas seja feliz que Harry tenha sua voz de volta!

Então, no momento em que Harry desceu para as criaturas de Cuidado das Magias mais tarde, ele estava particularmente animado. Chegou até a cabana do Hagrid cedo!

Quando Hagrid o viu, ele sorriu por baixo de sua barba espessa e seus olhos enrugaram-se alegremente. Ele avançou para Harry e o abraçou. "Olá Arry!" O meio gigante sorriu."Fiquei tão irritado quando descobri que você estava me levando para a aula de novo, você não tem idéia!" Harry sorriu também, incapaz de resistir ao entusiasmo de Hagrid. "Eu tenho uma boa lição alinhada hoje, algo que eu tenho certeza que você vai se conhecer muito bem!"

Pela primeira vez naquele dia, Harry sentiu uma pontada de desconforto. O que Hagrid chamou de uma "boa lição de direita" geralmente acabou sendo o pior pesadelo de outra pessoa. Ele sorriu hesitante para Hagrid e virou-se para olhar em volta.

A essa altura, a maior parte da turma havia chegado e Hagrid se adiantou para começar a aula. E então, é claro, porque a vida de Harry era assim, Hagrid começou a conduzi-los diretamente para a floresta proibida. Lutando contra as pontadas de desconforto, Harry e o resto da classe bem pequena o seguiram. "Eu gostaria de obter permissão da McGonagall para mostrar isso para você, é apenas temporariamente". Ele chamou atrás dele alegremente, fazendo ninguém se sentir melhor.

Após alguns minutos de caminhada pela vegetação rasteira, a turma emergiu em uma clareira vagamente familiar, com um cercado. E, dentro do paddock, era um dragão.

oOo ~

Draco estava apenas cinco minutos em sua aula de Aritmancia, quando sentiu um leve puxão em seu estômago. Ele se mexeu desconfortavelmente. A parte inferior de suas asas foram esmagadas contra a cadeira e agora puxando também? Ele ignorou e houve outro puxão, mais forte. Seu companheiro deve se sentir desconfortável ...

Quando o puxão seguinte o puxou para fora da cadeira, a turma virou-se para ele, com várias expressões que iam da curiosidade à hostilidade. "Erm ... eu posso usar o banheiro?" Ele perguntou sem jeito, bastante consciente de que ele estaria deixando a sala de aula, quer gostasse ou não. Quando o professor Vector disse que sim, ele correu para fora da porta. Ele andou, seguindo a direção geral do puxão, que começou a aumentar em força, até que Draco estava correndo para ficar em pé.

De repente, o puxão se intensificou, tropeçando-o. Draco caiu, seu chapéu voando para longe dele. Ele pousou em sua frente, e quando ele pegou o chapéu para cobrir seu cabelo laranja, o puxão o afastou dele. Sem nenhuma dignidade, Draco se deixou arrastar pelo chão em direção ao suposto companheiro, cada vez mais rápido.Ele estava logo saindo do prédio de Hogwarts, seu entorno era um borrão.

No entanto, quando Draco se aproximou da floresta proibida, ele ficou mais cauteloso. Que porra era sua companheira fazendo na floresta proibida? Ele ainda estava sendo puxado, quando de repente ele virou uma esquina e foi confrontado com um grupo de pessoas e algo muito grande.

O puxão de repente mudou de direção, puxando-o de repente a seus pés a tempo de colidir diretamente com alguém menor, derrubando-os se o caminho instintivamente como um jato de fogo disparava atrás deles. Ele não era muito rápido o suficiente, e ele sentiu a chama lamber uma língua de fogo em seu braço. Ele assobiou de dor, quando ele e a outra pessoa caíram no chão, aterrissando em uma pilha indigna, com Draco diretamente acima.

Balançando a cabeça aturdido, Draco virou a cabeça para ver o ambiente pela primeira vez.Ele estava em uma clareira, cercado pelo que parecia ser uma pequena classe ... e um dragão.Aquele idiota, Hagrid, estava lutando contra algum tipo de focinho à prova de fogo. E, embaixo dele, deve ser sua companheira. "Umm, você está bem, quem você é?" Perguntou uma voz.

Draco olhou para baixo, e seus olhos encontraram os esmeralda, piscando para ele em confusão, um par de óculos ao lado dele.

Não.

Draco desceu do menino menor, imediatamente estremecendo com a queimadura em seu braço.Potter ficou de pé também, pegando seus óculos e colocando-os, enquanto tirava o pó de suas vestes. Ele então olhou para cima e, ao ver Malfoy, sua boca se alargou em um "O" chocado.

Neste ponto, Hagrid notou ele, e aparentemente a queimadura em seu braço. "De onde você veio Malfoy?" Ele perguntou, perplexo. Quando ele não obteve resposta, ele continuou. "Oh, nunca, você pode levar para a ala hospitalar?" Ele disse claramente confuso.

Potter assentiu rigidamente e se virou para sair da clareira. Malfoy seguiu, inseguro da saída de qualquer maneira. Nenhum dos dois falou até que eles estivessem a uma distância razoável da classe. “Dragão Potter? Realmente? ”Perguntou Draco, incrédulo. "Como isso aconteceu?"

Potter suspirou. “Não foi de propósito. Hagrid trouxe um dragão para a aula de criaturas de hoje, e estava me olhando todas as lições. Nós começamos a fazer uma coisa, tentando se aproximar, mas todos estavam bem porque apenas olhavam para mim… Então foi a minha vez e… bem… você estava lá… Na verdade, por que você estava lá Malfoy? Você apenas pareceu aparecer do nada e me tirar do caminho ... ”

Isso o trouxe de volta para si mesmo. “Porque eu me transformei em veela nos feriados e é meu trabalho resgatar meu parceiro quando ele faz alguma coisa estúpida!” Para ilustrar seu argumento, ele removeu o glamour de suas asas, mostrando-as para o outro garoto.

Com isso, os olhos de Potter se arregalaram, mas não em choque. Parecia ser mais ... a expressão de alguém que acabara de ser apanhado numa mentira. “Olha eu… não sei do que você está falando Malfoy. Apenas ... leve sua porra para a ala hospitalar. ”Potter cuspiu, seu tom tornando-se mais hostil, embora ainda não tivesse nenhum ódio real e parecesse estar tingido de medo, enquanto se dirigia para a floresta.

Draco decidiu testar sua teoria. "Potter, pare." Ele disse ao recuo do menor menino. "Potter, eu disse pare!" Ele gritou. Quando Potter parou abruptamente, Malfoy sorriu. Isso pode ser um ano interessante.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...