História As Vantagens de ser Invisível - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Loona
Tags Chaewon, Gowon, Hyejoo, Hyewon, Loona, Loop?, Olivia Hye
Visualizações 74
Palavras 1.550
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oioi gente! como vão? espero que bem!

minha intenção era postar esse capítulo no domingo, mas eu tive aula no sábado então me atrasei um pouco... será que algum dia conseguirei cumprir o prazo?
mas eu não queria postar esse capítulo de qualquer jeito, ele é meu xodó, e muito importante para a história!
então, vamos lá ^^

Capítulo 7 - VI


Hyejoo estava no final do terceiro bimestre do primeiro ano do ensino médio, suas notas estavam ótimas e tinha certeza de que passaria direto, se continuasse assim.

Mas não continuou.

Hyejoo começo a ficar perdida, desanimada, com a cabeça em outro lugar.

No hospital, para ser mais exata.

Naquele dia, assim que ouviu o último sinal da escola tocar, ela pega sua mochila (onde já havia guardado todo o material) e sai correndo da sala, e logo depois, da escola. Pegara seu celular e ligava para chamar um táxi na corrida, o número ganhara lugar na discagem rápida com tudo que estava acontecendo.

Ele fala o nome do hospital principal da cidade para o taxista às pressas, o pé batendo sem parar e o coração batendo extremamente rápido, mas não por ter corrido, ela não se cansou, como se estivesse ocupada demais para seu cérebro ter processado que a garota correu mais rápido que nunca antes.

Chegando em seu destino, ela quase esquece a mochila no carro, e ri nervosa quando o moço a lembrou do pagamento, envergonhada.

Entrando no grande hospital, ela vai até o balcão e conversa com a secretária, que calmamente (coisa que deu à Hyejoo uma vontade enorme de estapear a moça), diz por qual caminho Hye deveria passar.

Encontrou o lugar, e só aí fez questão de parar, ficando cansada de uma hora para outra. Respira fundo por pelo menos três vezes, e entra no quarto com um enorme sorriso.

A visão que teve quase a fez desmoronar em lágrimas, mas manteve o sorriso para parecer forte.

_Oi... Está melhor?

A garota que olhava algum ponto pela janela desvia seu olhar para Hyejoo, sorrindo ao vê-la. Estava ligada a aparelhos e outros elementos médicos, a aparência exausta, mas mesmo assim, continuava linda.

_Acho que o tratamento está fazendo efeito - Sooyoung sorri fracamente quando termina a frase.

Hyejoo sabia que aquilo era mentira, mas não era hora para discussões.

_Estava com saudades - os olhos e a garganta de Hyejoo ardem, as lágrimas querendo sair.

_Também estava, Hye.

Após um longo silêncio, Hyejoo sentada em uma cadeira ao lado da cama de Sooyoung, segurando sua mão, sua amiga volta a falar:

_Sabia que Jiwoo veio me visitar?

Hyejoo sente raiva, mas se controla o suficiente para não deixar transparecer:

_Sério? Você deve estar muito feliz.

_Estou, se morrer, morrerei feliz.

Estava cada vez mais difícil para Hyejoo segurar as lágrimas que insistiam em sair.

_Não diga isso, Sooyo.

_Eu estou melhor, Hye. Acho que não acontecerá nada, mas é melhor se acostumar com a ideia, não quero te deixar abalada.

Mais mentiras, Hyejoo sabia que Sooyoung só dizia estar melhor para tranquilizar Hyejoo.

_Jiwoo conversou bastante com você?

_Sim! Ela é tão fofa, Hye! Não parava de sorrir, isso me deixou tão leve...

Hyejoo olha para seu colo, sabia que Sooyoung era apaixonada por Jiwoo, e bem trouxa, já que essa não via a amiga assim. Mas ficava contente em saber que a garota da sua sala, de quem tanto sentia raiva, deixou sua amada alegre.

De novo o silêncio, não estava saindo nada como Hye havia planejado. Ela estava tão brava!

_Fico feliz que tenha vindo, Hye. Você sabe que é muito importante para mim, certo? Sabe que eu te amo muito, não é?

O coração de Hyejoo dói, sabia que ela não a amava da maneira que queria, sabia o que Sooyoung estava tentando dizer, estava tentando se despedir, ela sempre fazia isso.

Hyejoo finalmente deixa as lágrimas saírem.

_Eu também amo você.

_Ei, não chore! - Sooyoung dá um leve aperto em sua mão - Não quero te ver assim.

Hyejoo seca as lágrimas, o que tira um sorriso orgulhoso de Sooyoung.

Depois de outra pausa, os olhos de Sooyoung claramente procurando algo, ela diz, convicta: 

_Hyejoo... Se eu morrer, por favor, não chore. Nunca. Quero que me prometa.

Hyejoo concorda levemente com a cabeça, mas sabia que se aquilo acontecesse, sua promessa iria para o ralo.

Talvez, no fundo, Sooyoung também soubesse disso.


Hyejoo odiava admitir, mas suas "consultas" com Chaewon estavam dando resultados.

Ainda não tinha liberdade o suficiente para falar com ela abertamente, mas pelo menos, não se sentia mais como antes perto dela. Seu coração ainda acelerava, mas com moderação, seus olhos pararam de arder e o sentimento de medo era quase inexistente.

Pelo menos, quando se deitava em seu divã adaptado, ela esquecia de Chaewon e dizia tudo que estava em seu interior.

Já fazia um mês que Chaewon ia à sua casa, sempre com um caderno, lápis e borracha.

_Desculpe a demora - Chaewon diz sem graça, parecia incomodada com alguma coisa.

_Ah... imagina, você faz um favor pra mim, eu não tenho que reclamar.

Elas sobem para o quarto, Hyejoo já se acomodava na cama quando Chaewon para olhando para sua escrivaninha, e pergunta:

_Hyejoo, sempre quis perguntar, mas não tinha liberdade o suficiente pra isso... Quem é ela?

Ela estava com um porta retrato na mão, na foto, estava Hyejoo abraçada com Sooyoung, as duas sorrindo como se não houvesse amanhã.

_Minha melhor amiga - Hyejoo não queria entrar em detalhes.

Chaewon o coloca em seu lugar novamente, e se senta na cadeira que já não mais saia do lado da cama de Hye.

_Muito bem... Hoje vim pra cá inspirada! Vamos descobrir esse motivo.

_Desculpa, mas você diz isso toda semana.

Chaewon começa a escrever em seu caderno.

_Por favor, senhorita Hyejoo, sem pessimismo!

Hyejoo começa a rir, mas logo para e fecha os olhos, acalmando seu coração e relaxando.

_Então, Hyejoo, até agora nós trabalhamos sua confiança. Está preparada para descobrir o que te aflige?

_Acho que sim.

_Sem essa de "acho"!

_Tá, Chaewon, eu estou pronta.

Chaewon se arruma na cadeira.

_O que você sente que te incomoda?

_Bem... Meu coração se acelera absurdamente, meus olhos começam a arder, minhas pernas fraquejam, eu sinto tonturas e...medo. É como se eu fosse invisível, Chaewon! Não por ficar sozinha, mas sim por não sentir nada de bom, por não sentir felicidade, amor ou esperança.

_Não se preocupe, Hyejoo, sempre gostei de histórias de fantasmas.

A loira anota tudo com muita concentração.

_Quando os sintomas começam?

_Quando estou perto de pessoas com mais ou menos a minha idade...principalmente de garotas.

_Há momentos em que eles ficam piores?

_Quando são carinhosas e gentis comigo.

_Será que é medo de fazer amizade e ser abandonada? Não, ela não ficaria ansiosa em situações que acabou de descrever, apenas se isolaria - Chaewon sussurra tudo, mas Hyejoo mesmo assim escuta.

Ela folheia as páginas, tão concentrada que Hyejoo estava ficando desconfortável, ela estava prestes a dizer algo quando Chaewon grita, assustando Hye:

_EUREKA!

Eureka? Chaewon estava enlouquecendo.

_Eureka? Sério isso, Chaewon?

_Eu descobri, Hyejoo. Eu descobri!

_É? E o que é?

_Você tem filofobia.

É.

Chaewon de fato havia enlouquecido.

_Você está brincando, né?

_Claro que não! É isso, Hyejoo, estou dizendo.

Hyejoo pensa no quão patético aquilo era.

_Eu não tenho isso.

_Você sabe o que isso é?

_Sei, medo de amar.

_Medo irracional de amar...tudo bate!

Chaewon volta a fazer anotações.

_Diga, paciente, quando isso começou, mais ou menos?

Hyejoo se põe a refletir, nunca tinha parado para pensar quando começara a ficar desse jeito. Ela repetia cada acontecimento de sua vida, quando de repente se tocou da verdade.

_Desde quando minha melhor amiga, por quem era apaixonada, faleceu.

Chaewon solta a caneta, os olhos estavam tristes e preocupados.

Ela se levanta e senta na cama, de frente para Hyejoo.

_Hyejoo... Não fique assim! A vida é uma plena batalha, ela nos dá golpes para nos machucar, mas é preciso revidar! Você não pode deixar a vida ganhar essa batalha, te deixando assim!

Hyejoo, repentinamente, começa a chorar. Ela não se importava com o fato de Chaewon estar em sua frente, ela apenas chorou. Deixou as lágrimas saírem.

Chaewon a surpreende, dando-lhe um abraço. Ela deu um abraço apertado em Hyejoo, que retribui. Ela não se importava com isso, não agora, retribuiu o abraço de Chaewon e encostou seu delicado rosto em seu ombro, colocando tudo pra fora.

~~~~~~~~~~~~~

Chaewon ficou na casa de Hyejoo durante um longo tempo, até se certificar que a morena estava bem.

Chaewon odiava filmes de terror, mas Hyejoo amava, então a loira se forçou a assistir vários junto com a Hye, e só foi embora quando ela parecia suficientemente bem.

Hyejoo tomou um banho quente e se preparou para dormir, ela vira de um lado para o outro, vários pensamentos passando por sua mente, a maioria relacionado à Sooyoung.

Ela pega o celular, e num impulso, liga para Chaewon.

_Alô? - ela ouve a voz do outro lado da linha.

_Chaewon?

_Sim. Hyejoo, você está bem? Quer que eu volte aí?

_Eu estou bem... só queria ouvir sua voz.

_Quer conversar?

_Canta pra mim?

Chaewon fica quieta, obviamente surpresa com o pedido inesperado.

_Não canto muito bem, mas se fará você se sentir melhor... O que quer que eu cante?

_Baby don't cry, do EXO.

Chaewon não questiona, apenas começa a cantar, enquanto Hyejoo se aconchegava na cama.

Amor, não chore esta noite

Quando a noite escura iluminar novamente

Amor, não chore esta noite

Basta fingir que isso nunca aconteceu

Você nunca se tornará espuma

Você não sabia?

Então, amor, não chore, chore

Meu amor por você a protegerá e não a deixará ir


A voz da loira era tão doce, Hyejoo se surpreendeu com a sua linda voz ao cantar. Ela começava a se acalmar, e acaba dormindo antes que a música tivesse chegado ao fim.


Notas Finais


gostaria de agradecer pelos comentários e favoritos, lê-los me alegra tanto, e me dá uma força enorme para escrever. vocês são demais!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...