História As Verdadeiras Histórias - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias A Bela Adormecida, A Bela e a Fera, A Pequena Sereia, A Princesa e o Sapo, Alice no País das Maravilhas (Alice in Wonderland), Branca de Neve, Chapeuzinho Vermelho, Cinderela, Frozen - Uma Aventura Congelante, Mulan, Pocahontas, Rei Leão
Personagens Absolem, a Lagarta, Alice Kingsley, Anastasia Tremaine, Anna, Ariel, Banzai, Bela (Belle), Branca de Neve, Bulda, Caçador, Chapeleiro Maluco, Chapeuzinho Vermelho, Chien Po, Chi-Fu, Cinderela, Cliff, Coelho Branco, Dormidonga (Mallymkun), Duque de Weselton, Ed, Elsa, Fa Li, Fa Mulan, Fa Zhou, Fada Madrinha, Fauna, Fera, Flora, Gato de Cheshire (Gato Risonho), Grand Pabbie, Hans, Imperador, Irmãozinho, Khan, Kiara, Kovu, Kristoff, Lebre de Março, Li Shang, Ling, Lobo Mau, Madrasta, Malévola, Marshmallow, Mufasa, Mushu, Nala, O Caçador, Oaken, Olaf, Personagens Originais, Primavera, Princesa Aurora, Príncipe, Príncipe Encantado, Príncipe Eric, Príncipe Felipe, Pumba, Rafiki, Rainha (Bruxa), Rainha Branca, Rainha Vermelha, Sarabi, Sarafina, Scar, Shan Yu, Shenzi, Simba, Sitron, Sven, Timão, Tweedle-Dee, Tweedle-Dum, Valete de Copas, Vitani, Vovó (Granny), Vovó Fa, Yao, Zazu, Zira
Visualizações 22
Palavras 1.218
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Literatura Feminina, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiii,hoje vos trago mais uma verdadeira história dos contos de fada mais famosos e conhecido
O conto da Cinderela (ou Gata boralheia)

Capítulo 2 - A verdadeira história da Cinderela


Fanfic / Fanfiction As Verdadeiras Histórias - Capítulo 2 - A verdadeira história da Cinderela

A HISTÓRIA DA CINDERELA (DISNEY)

Cinderela é um dos contos de fadas mais populares do mundo. Na versão da Disney, Cinderela vivia com sua madrasta e suas duas meias-irmãs. Elas maltratavam Cinderela fazendo-a limpar, costurar e cozinhar o dia todo. Certo dia, um mensageiro levou um convite especial dizendo que haveria um baile no palácio real! O Rei queria encontrar uma noiva para seu filho. Todas as jovens do reino estavam convidadas, inclusive Cinderela! Presa no sótão, Cinderela encontrou um velho vestido que havia pertencido a sua mãe, mas quando as irmãs viram o vestido de Cinderela, ficaram enciumadas e rasgaram todo o vestido, Cinderela então foi para o Jardim onde começou a chorar, quando de repente sua fada madrinha apareceu, transformou uma abóbora em carruagem e criou um lindo vestido para ela ir ao baile, porém a fada explicou para Cinderela, que o feitiço se encerraria a meia noite e ela voltaria ao normal. No baile o príncipe se encanta por Cinderela e os dois dançam a noite toda, Cinderela então percebe que o relógio havia começado a tocar as 12 badaladas que indicariam a meia noite. E sai correndo apressada, na fuga, Cinderela perde o seu sapatinho de Cristal. O príncipe então, apaixonado, sai em busca de seu amor, levando o sapatinho e fazendo com que todas as mulheres do reino experimentem o sapatinho para que assim ele pudesse encontrar aquela bela moça que havia conhecido. Como já sabemos o sapatinho serve perfeitamente em Cinderela e ela e o príncipe então, se casam e vivem felizes para sempre!


A verdadeira história

A verdadeira história, até certo ponto, é igual a que já conhecemos. O que muda são alguns pequenos detalhes, que fazem toda a diferença e deixam todo o conto de fadas mais sangrento e muito menos mágico do que a versão que a Disney nos contou e fez com que as garotinhas quisessem se tornar princesas algum dia.

Como vimos antes, tudo começa com a morte da mãe de Cinderela, fazendo seu pai, em busca de uma substituta, se casar novamente. Porém a escolhida é uma mulher , que já possuía duas outras filhas que eram piores ainda. Por este motivo, o  pai de Cinderela morre de desgosto e não demora muito para que a pobre menina vire a escrava da casa, tendo que vestir trapos e morar ao lado do fogão.

Tudo vai mal, até que chega o convite para o baile, (não um baile qualquer, e sim uma festança que duraria três dias), para que o príncipe pudesse escolher a sua noiva e a futura princesa do reino. As irmãs e a madrasta vão ao baile, porém ,  Cinderela não consegue ir, pois não havia conseguido a permissão delas para ir junto.  Bem curiosos. Essa parte é a que todos nós conhecemos. Mas é aqui que a história começa a tomar outro rumo. Triste por não poder ir ao baile, Cinderela vai chorar no cantinho até aparecer a fada madrinha e salvar o dia, certo? Errado!


A verdade é que a pobre jovem, ao se ver sozinha em casa, vai correndo para uma árvore, que ficava ao lado do túmulo de sua mãe  e que segundo a história, a Cinderela mesmo havia plantado,  com um galho qualquer, e que teria regado ela com as suas lágrimas, triste e sem saída,  Cinderela pede ajuda para a árvore que simbolizava a sua mãe. Então, um passarinho, todo caridoso, aparece com um vestido magnífico de ouro e prata. O que nos leva a pensar: será que aquele passarinho teria criado magicamente o vestido, assim com a fada madrinha? Não sabemos, mas existem boatos de que ele teria roubado o vestido de outra donzela para que Cinderela pudesse vestir.

Então, com o lindo vestido, Cinderela enfim vai ao baile, a pé mesmo, porque o passarinho não era mágico, então a carruagem feita de abóbora nesse caso não teria existido.  Como a festa duraria três dias, Cinderela fugia todas as noites do príncipe, voltando cedo pra casa, para esconder o vestido na árvore e não ser pega pela madrasta e pelas irmãs. Porém, na terceira noite, quando a jovem tenta fugir novamente, as coisas não saem como o planejado. O príncipe, nada bobo, manda seus empregados passar piche na escadaria e o sapatinho (que, pasmem, era de ouro, e não de cristal), fica grudado. Sem escolha, Cinderela volta para casa descalça de um pé, toda esculachada.

As coisas seguem seu rumo e o lacaio do príncipe vai atrás da misteriosa donzela da festa com apenas um sapatinho em mãos. Até que ele chega no casarão da madrasta e começa a experimentar os sapatinhos nas filhas da madrasta. É ai que a história fica tensa! Para o sapatinho caber no pé de sua primeira filha, a madrasta de Cinderela dá uma faca pra filha e ordena que ela corte o dedão do pé. E assim a sua filha número um, faz o que a madrasta mandou e corta o seu dedo fora!

Para que o sapatinho pudesse caber em seu pé, a primeira irmã de Cinderela corta o próprio dedo do pé.

A moça então engole o choro e experimenta o sapatinho, que cabe perfeitamente. Assim a primeira filha segue com o lacaio para ver o príncipe, que aguardava por sua princesa do lado de fora. Eles vão em direção ao castelo quando, no caminho, passam pela árvore de Cinderela.
Em um dos troncos das árvore, duas pombinhas amigas de Cinderela, denunciam a impostora com um belo versinho:


"Olhe para trás, olhe para trás,

    Há sangue no sapato,

O sapato é pequeno demais,

Sua noiva lhe espera muito atrás."



O principe então volta para mansão da madrasta, onde encontra a segunda irmã, que desesperada para ir junto do principe e incentivada pela sua própria mãe, arranca um pedaço do próprio calcanhar para que o sapatinho pudesse servir.  Novamente, as pombinhas mostram a verdade ao príncipe e na terceira tentativa, ao testar o calçado no pé da empregada,  o príncipe enfim, encontra Cinderela, o seu verdadeiro amor.


A segunda irmã de Cinderela cortou o próprio calcanhar para que o sapatinho pudesse servir.

Assim, tudo termina bem para Cinderela. Mas, não para suas irmãs, que durante a festa de casamento, quando as duas irmãs aparecem tentando fazer as pazes e tentam se aproveitar da fortuna da princesa, as pombinhas justiceiras entram em ação novamente e furam os olhos das duas irmãs, que vivem como mendigas cegas pelo resto de suas vidas. Que final sinistro, não é mesmo?

A que ponto chega a maldade de uma pessoa para conseguir alcançar os seus objetivos não é mesmo? A Ganância e a busca pela riqueza muitas vezes deixa as pessoas cruéis e sem coração e é isto que a história mostra.

Outra coisa interessante, é que o nome original do conto não é “Cinderela”, e sim “A Gata Borralheira”. Essa denominação vem de Cucendron, termo que utilizavam para chamar a moça, que, em tradução livre do francês, significa “pôr a bunda no borralho, nas cinzas”, um sinal de humilhação e dor na antiguidade. Para você ver como Cinderela era humilhada a todo instante.

E para finalizar, um outro fato curioso é que algumas versões do conto falam que o pai de Cinderela chegou a pensar em casar com ela, já que ela parecia muito com sua antiga esposa, por quem ele era muito apaixonado.  Um pai se casando com a própria filha, loucura não?



Notas Finais


Loucura essa verdadeira história não?, Bem sangrento também, chega a dar calafrios , bom, espero que tenham gostado ,até o próximo com uma nova verdadeira história de contos de fadas😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...