1. Spirit Fanfics >
  2. As Vezes Falar Não É Preciso (Drarry) e (Lucius e Severus) >
  3. Rebelião

História As Vezes Falar Não É Preciso (Drarry) e (Lucius e Severus) - Capítulo 10


Escrita por:


Capítulo 10 - Rebelião


Ron On

Me afasto do Potter e Malfoy, eu simplesmente não entendo! Como ele pode querer ficar com o Malfoy, sendo que ele é simplesmente um verme! Eu odeio Malfoy, aqueles olhos cinzas azulados, e eu sei que eles guardam maldade. Eu percebo, do jeito que ele se move, como o Malfoy parece estar armando a qualquer momento. Eu tentei! Ou melhor, estou tentando. Salvar o Potter do Malfoy, mas aquele idiota simplesmente não me ouve. Toda minha família entende que os Malfoys nem deveriam existir. Porque não faz sentido, uma linhagem inteira de Bruxos, que são mudos! Isso até mesmo parece piada, porque não consigo imaginar, eles vivendo felizes sendo mudos. Quem gostaria de ser mudo? E ainda pior, sendo feliz por isso. Eles são um bando de aberrações, que deviam se matar, porque de alguma forma. Eles devem saber, que não podem ser úteis. Não vale nada um Bruxo que é Mudo, quase ninguém do Mundo Mágico sabe libras. Afinal, não existem Bruxos Mudos, e não deveriam existir. Penso no Professor Malfoy, ele só sabe fazer Poções! Duvido que ele consiga fazer um feitiço sequer. E aquilo que o Malfoy fez, na Aula de Transfiguração, não pode ser verdade. Eu deveria ter conseguido fazer aquele fósforo se transformar numa agulha. Mas o Malfoy! Ele fez alguma coisa, deve ter sugado minha magia, e usado para transformar o fósforo dele em agulha. Ele roubou minha magia! Disso eu tenho certeza.

Eu realmente quero ser amigo do Potter, mas estou achando que não é uma boa ideia. Eu vi em seus olhos, que ele não se importa comigo. Que seus olhos, só estão voltados para o Malfoy, como ele pode gostar de alguém como aquela aberração. Malfoy deveria ser ignorado, ninguém deveria falar com ele, o deixarmos murchar até que morra. Mas ninguém vai fazer isso, porque todos vão seguir o que o menino de ouro faz. E ninguém vai querer me ouvir, porque sou simples Sangue-Puro e Pobre! Eu quero destruir o Malfoy, mas tenho que fazer um plano. Pensar em alguma coisa, algo que faça o Potter perceber, que o Malfoy não passa de um lixo. Eu vou ser amigo do Potter! Nem que eu tenha que fazer algo hediondo com o Malfoy. Afinal, quem vai perceber o sofrimento dele? Ninguém se importa com um Bruxo Mudo, não servem para nada. Mas todos se importam, com o Potter, as pessoas querem que ele seja o herói. Só que eu preciso, que elas percebam, que se o Potter está com o Malfoy. Ele não vai entender, o que é ser um herói. Eu duvido que ele se torne algo importante! Ele com certeza, vai se tornar algo insignificante como o Malfoy. O Potter precisa de mim! Para que eu possa, o influenciar, para se tornar o grande herói do Mundo Mágico! O Potter, só têm que perceber, que eu sou mais valioso que o Malfoy. Que eu posso levar ele à grandeza! Que juntos, somos muito mais forte, que vamos acabar com todos os Malfoys por ai.

É então que olho ao redor, percebo que não sei onde estou. Eu não entendo, é minha segunda vez neste castelo, e eu ainda consigo me perder! E isso é realmente irritante, eu queria ter algum tipo de mapa, para conseguir achar o caminho. Eu suspiro, e tento pensar. Que lugar eu estou, olho ao redor, mas não consigo perceber nada que possa me ajudar. Quando começo a ouvir passos, olho ao redor, mas não vejo ninguém. Até que sinto minha mão sobre o ombro, dou um pulo de susto e percebo que é o Professor Quirrell. E isso me deixa mais calmo, porque ele é inofensivo. E ele então fala.

- Sabe, eu ouvi sua conversa com o Potter. E eu não pude deixar de perceber, que você está com muita raiva no seu peito. E eu me pergunto, isso é do Potter ou do Malfoy? - Eu elevo a sobrancelha, eu conheço o Quirrell e ele nunca me chamou atenção. Ou quis falar comigo, mas esse tom de voz é tão estranho. Nem mesmo parece, o Quirrell do ano passado, mas eu estou curioso e digo.

- Do Malfoy, aquele idiota, está enganando o Potter! O Malfoy é do mal, ele está usando o Harry para seus motivos nefastos. Igual, ele fez hoje, na aula de Transfiguração - Os olhos de Quirrell parecem brilhar, e isso é um pouco angustiante. Mas eu me mantenho firme, afinal sou da Grifinória e não tenho medo de nada. Por isso, continuo olhando em seus olhos, até que ele diz.

- Sabe, Weasley, eu pensava muito pouco de você. Mas agora, eu percebo outra coisa. Você tem coragem! Quer ajudar Harry Potter a se livrar do encosto do Malfoy por acaso você tem algum plano? - Plano, eu não tinha um plano. Mas eu não precisava de um, tudo que eu precisava era de um bom argumento. Algo que possa convencer o Potter.

- Na verdade, não. Mas eu tenho uma ideia, eu só preciso fazer as pessoas ignorarem o Malfoy. Até que ele murche, como uma planta, porque o Malfoy se alimenta da atenção que os outros dão - Quirrell inclina a cabeça, enquanto que um sorriso sinistro adorna seu rosto. E isso me deixa um pouco nervoso.

- Você está certo, completamente certo! Eu vejo uma mente brilhante, por trás de toda essa coragem! Então, porque você não espalha, um pequeno boato sobre os Malfoys - Um boato, isso na verdade é muito interessante. E uma ideia completamente perfeita! Eu posso destruir o Malfoy, de dentro para fora, e vou fazer cada um deles sofrer. E digo.

- Mas Professor Quirrell, que tipo de boato, têm que ser algo completamente bombástico! Que faça todos perceberem que Malfoy é a pior pessoa do Mundo Mágico, e que o fato dele ser mudo só piora a situação - Quirrell riu, enquanto se divertia. Eu estava adorando essa conversa, porque está fazendo com que tudo se torne melhor.

- Isso não é problema, eu sei uma coisa sobre os Malfoy. O Abraxas Malfoy é um Comensal da Morte e ele deu muito dinheiro a causa Puro-Sangue. Mas não é só isso, a coisa mais interessante, é que Abraxas fez um acordo com Lord das Trevas - Um acordo? Arregalo meus olhos, isso não faz o menor sentido! Ou melhor dizendo, faz muito sentido, afinal ele é um Malfoy e digo.

- Que tipo de acordo? Algo que tem haver com Draco Malfoy, algo que possa destruir ele de dentro para fora? - Quirrell, parece tão animado. E eu acredito, que ele está do meu lado. Que vai me ajudar a destruir o Malfoy, o que é completamente perfeito, um adulto do meu lado é uma ótima ajuda.

- Abraxas, concordou em servir ao Lord das Trevas, em troca que o Lord matasse Severo Snape e qualquer descendente dele. Agora vá, e espalhe por toda Hogwarts

Confirmo e saio correndo, porque essa é uma bomba, que precisa explodir e têm que ser agora.

Draco On

Começo a mexer minha Poção, eu realmente estou adorando a aula. Minha mãe está passando pelas mesas para observar todas as poções. Olho para Harry, que parece agradavelmente confuso. Ele parece muito bonito, quando está confuso. E isso é muito estranho, quando penso nisso. Porque nunca achei alguém bonito, mas quando eu olho para o Harry percebo que ele é a pessoa mais bonita do Mundo Mágico. Mas balanço a cabeça, e volto a me concentrar na Poção. Eu estou feliz, porque Ron Weasley está do outro lado da sala e não está se importando com o que acontece comigo. E isso me deixa mais calmo, porque estar perto do Weasley me deixa nervoso. Eu odeio o jeito que ele me olha, ou como me trata. Às vezes, eu quero simplesmente sumir. Mas eu vou aguentar, porque sou uma pessoa forte. É quando minha mãe toca o sino, todos olham para ele, quando diz em libras.

“O tempo acabou, aqueles que terminaram suas Poções tragam para minha mesa, aqueles que não acabaram devem fazer 2 Metros de pergaminho sobre boa utilização do tempo e isso é para amanhã!” - Abro um sorriso, porque eu acabei de fazer minha poção. E o Harry também, por isso levamos até a mesa. Mas então ouvi a voz do Weasley que diz.

- Isso é um ultraje, Professor! Eu não sei o que você diz, como eu posso aprender alguma coisa, se você não sabe nem falar - Fecho os olhos, porque minha mãe odeia quando dizem coisas assim. Mas então volto o meu olhar para ele, que parece irritado, mas que segura essa emoção com força e em libras.

“Sr. Weasley! Às instruções estavam no quadro, sem falar que eu falei em libras todas elas! Mas se o Senhor, não sabe ler, bom isso já não é minha culpa!” - Todos começam à rir, enquanto eu abro um sorriso. O Weasley fica tão vermelho quanto seu cabelo, mas ele então se levanta indignado. Parece realmente irritado e diz.

- Eu não sei o que você disse, mas eu tenho certeza que foi uma coisa horrível! E eu não vou deixar isso barato, eu não vou fazer o dever ou entregar a poção! - Ele parece firme quando diz isso, e olha para o caldeirão e o joga no chão. Todos abrem a boca em choque, e percebo que minha mãe parece nervoso quando diz.

“Sr. Weasley, direto para Sala da Minerva, eu tenho certeza. Que ela vai adorar ouvir sobre sua pequena rebelião!” - Ron, não se mexe e nem faz nada. Minha mãe pega um pedaço de papel, com algo escrito e dá para ele. Que acaba arregalando os olhos, enquanto que parece irritado e diz.

- Eu posso ir, mas não vou fazer nada que um sem voz, vai me mandar fazer! Porque você é uma aberração, igual ao seus filhos. E Abraxas Malfoy, estava certo em mandar matar você e suas descendências!

Abro minha boca em choque, isso não faz o menor sentido! Eu quero simplesmente me esconder, porque como o Abraxas pode fazer algo assim com os seus familiares. Ele não gosta de nós, mas não precisa nos matar e minha mãe diz.

“Direto, para sala do Diretor” - Olho para Harry, que me abraça.

 


Notas Finais


O QUE ACHARAM?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...