1. Spirit Fanfics >
  2. Assas negras, Cresçam! >
  3. Os Estranhos Acontecimentos em Paris

História Assas negras, Cresçam! - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


boa leitura!💜📘

Capítulo 2 - Os Estranhos Acontecimentos em Paris


-Tia Emilie, eu vi algo se mexendo ali!

-Vamos ver o que é! -Não preciso nem dizer que isso não acabou bem. Pare de caminhar  em direção ao próprio fracasso, pequena Jaqueline! Pare! Você já viu as geleiras. Devia ter voltado para hotel, ou simplesmente ter olhado para o outro lado!

-Filha saia desse quarto, pelo amor de deus!- ouvi minha mãe berrando da sala. Não to afim de sair. Não vou levantar da cama nunca mais! Vou morrer nesse quarto. nessa mesma posição. Não vou mexer um dedo. Mas, na duvida...

-Pelo amor de qual deus? Existem muitas culturas diferentes pelo mundo. Cada pessoa acredita em um diferente. Seja mais específica.

-Pode escolher o deus. Só saia dessa cama.

-Vai ser Zeus então. E ele já destruiu uma cidade inteira só porque o rei usou uma fantasia ridícula. Não sinto amor nenhum por ele. Sinto muito, talvez eu levante depois que conseguir uma máquina  do tempo para consertar o passado.

-Pela milésima vez, você não fez nada de errado! -   Ela não fazia ideia. Ninguém sabia da verdade. Só a tia Emilie e... Bem, ninguém  vivo sabia da verdade.

-Se você não vier tomar café agora eu vou...

- Vai o que? Eu não tenho nada a perder. Eu já perdi praticamente tudo que tinha.

-Você ainda tem a mim, Jaqueline, então por favor, por mim, venha tomar café.

Eu realmente não queria mas.... Ela parecia desesperada, então achei melhor ir. Ela não fez nada de errado, e, por mais que não soube-se, também estava sofrendo a s consequências dos meus erros. 

Então, eu fui até a cozinha, ela me serviu torradas com mirtilo e tentou puxar assunto enquanto eu me obrigava a comer um pouco:

-E Paris hein? Tem acontecido cada coisa estranha naquela cidade...-então ela percebeu que tinha tocado no nome Paris- Eu... Desculpa querida. Eu sei que aquela cidade ainda te trás memórias de quando... Eu sinto muito... 

Ela forçou um sorriso mas eu percebi que estava segurando as lágrimas.Não me leve a mal, ela é boa em esconder sentimentos, mas não me engana. Eu entendo mais sobre o assunto do que ela acha. Eu sei quando alguém está bem ou quando está tentando parecer forte. Sabe, Paris me trás muitas lembranças. Nós moravamos lá, até que eu cometi o meu pior erro. Aí nós nos mudamos para a Alemanha.

-Tudo bem, pode falar de Paris. Não vai piorar muito o que eu já estou sentindo. -Tentei sorrir, me lembrar das coisas boas de lá como por exemplo...han... Adrien Agreste. Ele era me melhor amigo, quando eu era pequena. Ele e Chloé Burgeois. Me concentrei nas  memórias que tinha de nós três juntos. -que tipos de coisas tem acontecido por lá?

Ela pareceu aliviada por eu não ter surtado.

- Não sei, parece que tem alguns super heróis por lá. Como em filmes de ficção. E algumas pessoas tem sido possuídas por borboletas. Vai passar uma reportagem mais detalhada na TV daqui a uns 15 minutos. - Espera. Super Heróis. Borboletas... Minha mão automaticamente foi até o meu braço esquerdo e tocou minha cicatriz. Sim, eu tenho uma cicatriz. Algumas pessoas pensam que é uma tatuagem, porque se parece muito com uma borboleta. Mas não é uma borboleta. Assim como o que minha mãe viu na televisão também não eram borboletas.

-Esses super heróis tem algum tipo de poder? -perguntei, o mais casual que consegui parecer.

-Ah, sim. Um destroi tudo que toca, e a outra cria objetos aleatórios. Eles se vestem de...

-Gato e joaninha - completei. - Quero assistir a reportagem.

Não posso acreditar que os miraculous voltaram a circulação.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...