História Assassina de Aluguel - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Sasusaku Naruhina
Visualizações 30
Palavras 1.986
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oie olha quem tá de volta!!
Eu!
Saldades?
Pq eu fiquei e com muita.
Eu estava um pouco sem criatividade me perdoem se não estiver bom!
Espero que gostem. E espero que comentem isso me dar uma alegria imença, e, me faz, querer posta mais e mais na fic.
E muito abrigada pelos novos favoritos e por tá em algums listas de leitura! OBRIGADA DE CORAÇÃO!

Sem mais enrolação,
Bora ler?

Capítulo 13 - Banho de Sangue


Fanfic / Fanfiction Assassina de Aluguel - Capítulo 13 - Banho de Sangue

- A ordem de matar foi dada”

A voz de Tobi ecoou em minha mente, como um eco em uma caverna. Estava preparada mas do que tudo, armada até os dentes! Entrei no carro e dei partida rumo a boate.

Dias Atuais

– Sakura, sabe qual foi seu maior erro? Sasuke disse frio e calculista, a Haruno não disse nada então o moreno continuou sua fala. – Seu maior erro ocorreu no dia que salvou a mim na quela boate. Não foi por ter me salvado o algo assim mas por não ter usado as malditas lentes ou aquela peruca nojenta!

A voz do Uchiha, ecoou ensurdecedora em sua mente seu erro avia sido notado, naquela noite. Mas não era um erro, sempre que ia matar seu alvo não usava lente e nem peruca, tinha sempre o gostinho de ver sua vitima se agoniando com a ultima imagem em seus olhos fosse a sua. Mas era sempre assim nunca usava lentes e nem peruca quando ia matar.

– Maldito! Murmurou para si.

 

– Eles estão na mira, tenho ordem pra atira? Disse a mulher de outro predio mirando no moreno e na rosada.

“ – Ainda não.” disse o homem pelo fone.

 

 

– Menma! Sussurrou Kushina com saudades do filho

– Eu sei meu amor! Disse Minato abraçando a esposa por trás

– Faz tanto tempo. Choramingou deixando uma lagrima cai.

– Eu sei.

– O pior é, que, nunca encontraram o corpo dele. Afirmou amargurada. – Eu sinto aqui dentro, que ele ainda tá vivo. Disse a ruiva com as mãos sobre o peito e apertando o tecido da roupa por cima do corpo. O loiro nada disse apenas beijou o topo da testa da mulher.

 

– Eu, não queria isso. Eu quis ir em bora lembra? E você não deixou. Cuspiu as palavras com raiva

Sasuke encarou as esmeraldas verdes e nada disse.

– Sabe, acho que… Sakura deu uma pausa olhando no fundo dos olhos do Uchiha

– A NOSSA HISTORIA ACABA AQUI! Gritou os dois! E um disparou de uma arma foi ouvido.

Messes antes

Autora on

Sakura estava pronta, caminha pela calça até a boate, em cada lado de sua cintura avia uma arma semiautomática, os pentes das armas estavam no sinto envolta de sua cintura e nas suas costas presas avias duas katanas, onde o sobre tudo preto cobria, e presa em sua bota alta, um canivete e na outra uma pistola ponto 40, sem conta que carregava presa em seu cinto uma bolsa que contia ramas ninjas. Sua roupa de couro perfeita pro serviço, sem conta que o sobretudo tem um capuz que escondia perfeitamente o rosto deixando só a boa e o queixo a mostra.

Sakura passou pelos seguranças do local sem nenhum problema. Ao entra no local, a Haruno viu vários assassinos conhecidos, sabia se matasse um ali, la dentro em poucos segundos começaria uma verdadeira guerra, mas tal sabia se não quisesse que algo acontecesse, tinha que chama a pessoa que iria morre para que os demais assassinos não se preocupasse em morre aquela noite. Percebeu também que avia vários traficantes e pessoas com comando territorial aquilo seria um problema e tanto, se avisasse os assassinos os demais, mesmo assim iriam, atacar. Mas idai? Pensava a Haruno, se fosse pra matar teria que matar. Mas cedo ou mais tarde!

Sakura avia reparado, não avia como não observa esse fato. O local estava cheio de stripper e prostitutas, e pelas características apostava e alto que a maioria, eram mulheres casadas que querem aumentar a renda familiar e estudantes para pagar e concluir a faculdade. Mas também reparou que a maioria apenas dançavam e não se deitava com nenhum homem presente ali. Chamariam elas de hipócritas, ou não? Não cabia a se jugar ninguém, elas só dançavam e traiam e quanto a se torturava e tirava vidas.

De inocentes? Talvez

De culpados? Quem sabe

Mas todos merecem uma segunda chance não?

Dando uma olhada rápida, viu que poderia subir tanto para o segundo andar pelo elevador ou pela escada, pensou em um plano rápido. E logo o executaria. E para facilitar a sua vida, sorriu de canto um de seus alvos estava logo a sua frente secado de mulheres e de outros traficantes e de alguns de seus homens. Um sorriso brotou nos lábios de Sakura, ela sabia que a maioria dos assassinos que estavam ali não sabiam quem eram tal, só os que aviam saído do ramo sabia, mas ela por ser filha e treinada por quem foi sabia perfeitamente quem eram. Logo a mesma identificou os dois ex-assassinos e logo viu a prostituta senda no colo de um cara. Só faltava a maldita assassina Deli será que ela estava no anda de cima? As duvidas logo seriam tiradas. Parou no meio na boate.

Autora off

Sakura on

Parei no meio da boate e subi em um dos palcos, olhei pro DJ ali e fiz um sinal pra ele para a musica e fui atendida, todos ali pararam e olharam pra mim. Olhei em direção, aos dois ex-assassinos um moreno de olhos marrons e um ruivo de olhos terra. Puxei a arma da cintura e atirei nos dois um dos tiros acertou a cabeça de um e o outro o peito. Ninguém se moveu mas estavam preparados para sacarem as armas se necessário. Me preparei pra matar a prostituta … E levei uma rasteira caindo no chão, ela subiu em cima de mim e tentou me socar e eu conseguir para o seu soco, a mesma tirou de trás do short um canivete e tentou acertar em mim e eu me defendi segurando suas mãos e dando uma cabeça em seguida na mesma que caiu do palco e eu me levantei um pouco tonta. Quando dei por mim toda a palada avia virado um confronto, muitos se matavam, era tiro de cá e tiro de lá, avia virado um ringue a briga corria solta ali. A prostituta se arrastava no chão tentando fugir. Pulei do palco e fui em sua direção e dei um chute na barriga dela e a puxei pelo cabelo fazendo-a ficar em pé.

– Vadia! Rosnei e a joguei longe.

Quando ela caiu no chão, sente alguém quebra uma garrafa em minha cabeça, cair no chão de joelhos e levei a mão a cabeça.

Merda…

Uma outra vadia veio com tudo pra cima de mim, apenas levei a mão a cintura e peguei a kunai ali, e quando a mesmo chegou perto com a ansia de mim corta joguei a kunai que acertou em sua testa a fazendo cair morta no chão. Sorri pra prostituta e a peguei, subi em cima da mesma e desferi vários socos até leva a mão no bolço e puxar de lá a foto da assassina que tenho que matar.

– Onde ele está?

– Não sou obrigada a te falar.

– Ou você fala por bem ou por mal. Dei mais uns socos na mesma e sangue espirrava por todo lado, sentir a aproximação de um homem com uma cadeira pra acertar em mim e peguei a arma dando um tiro em seu peito sem olhar pra trás vi seu corpo cair ao lado da prostituta e uma poça de sangue forma perto do seu corpo a cadeira caiu logo a frente.

– Diga! Ordenei

– Lá em cima. Lá em cima. Lá em cima. Quarto 25.

– Obrigadinha! Sorri de canto e olhei dentro dos olhos dela, vi a minha imagem refletida em seus olhos e atirei em sua cabeça. Me levantei. E olhei em direção a escada. O elevador estava aberta e avia vários corpos mortos lá e para chegar a escada, teria que passar por uma verdadeira batalha. Corri pelas mesas do local e cair em cima de um traficante e o matei quebrando seu pescoço.

Sakura off

Sasuke on

A prostituta entrou, e veio em minha direção fazendo um jogado de cintura. Quando ela chegou perto a puxei a fazendo sentar no meu colo, a mesma passou suas penas de cada lado e sentou de frente pra mim em meu colo e mordeu o lombo da minha orelha esquerda, abaixei seu sutiã e comecei a mordiscar o bico do seu seio direito. A mesma gemeu e eu ouvir barulho de tiros lá em baixo. Olhei desconfiado para a porta mas ignorei guando a mesma começou a rebolar. Merda! A ergui e fui para a cama a deitando e deitei por cima dela. Comecei a beijar o seu pescoço e lamber, deci minha mão direita pelo seu corpo apertei sua cintura enfiei minha mão por dentro de sua calcinha enquanto beijava e lambia seu seio reservando em um e outro. Sentir as mãos da mulher percorre por minhas costas, em segundos minha camisa estava no chão. Os barulhos lá em baixo ficaram frenéticos e mais altos, tiros, coisas quebrando, tem algo de errado nisso!

Tentei me afastar da mulher e a mesma não deixou sentir ela arranhado de leve minhas, e em seguida passando a mão na sua própria coxa. Quando sentir algo gelito tocar em meu peito.

- Desculpas Uchiha! Sussurrou em meu ouvido.

Merda!

Bem que o Itachi me avisou, então eles não iam matar a Karin e sim manda uma mulher me matar! O Itachi tentou me alerta e eu não capturei o recado no ar. Merda!

– Quem disse que hoje eu vou morre? Indaguei

Ela me encarou, e eu conseguir tira o canivete de sua mão e joguei ele pra longe, ela me acertou na boca do estomago e me derrubou da cama, e vei em minha direção preparada pra dar mais um golpe e quando foi me chutar segurei o seu pé e a emburrei pra trás fiquei de pé, e mais uma vez ela veio pra cima de mim eu ia dar um soco na mesma mas, não vi quando a porta do meu quarto foi arrombada e por ela passou alguém, uma mulher. Com um sobretudo de couro preto com capuz. Ela deu uma rasteira na mulher e sorriu de canto eu não via nada além do seu queixo e sua boca mas seus sorriso era lindo mesmo que fosse um sorriso “Você ver a ultima coisa aqui! E isso é o meu rosto.”

– Até o inferno, Deli! Disse a mulher que invadiu o meu quarto. Após isso ela deu um tiro na cabeça da mulher e me olhou, não vi os seus olhos mas uma mecha do seu cabelo caiu pra frente e era rosa!

– Acabou sensei! Disse um traficante entrando no quarto com 5 dos seus homens ela os olhou e igual eu fiz. – Não acredito Taka você está com ela. Eu ia negar mais um dos homens do desgraçado me atacou e eu apenas me defendi do seu soco e quebrei o seu pescoço, então os outros atacaram. Dois em mim, e o traficante e mais dois homens nela. Eu iria a ajudar mas foi rápido, ela correu e subiu no sofá se apoiando e dando um chute na cara de um dos homens e em seguida o matando. Sorri sarcástico e soquei um dos homens que tentava me atingir com uma faca em seguida dei uma joelhada no mesmo e tomei a faca de sua mão cortando seu pescoço, corri e peguei minha arma e atirei na cabeça do outro que espalhou seus miolos podres por toda parte e quando olhei pra quela mulher ela avia matado o traficante e o homem. Eu sabia que as coisas iam ficar feias por ali, e a vi corre, e quando passou por mim foi como se tivesse passado em câmera lenta vi que ela me olhou, como eu queria poder ver todo aquele rosto, e logo sorriu de lado e pulou a janela caindo no prédio vizinho corri até a janela e a vi parada olhando em minha direção e logo correu e pulou sumindo de minhas vistas.

Recolhi todos os meus pertences e sair dali correndo. Avia um verdadeiro banho de sangue ali.  


Notas Finais


Até o proximo dependendo de como tudo ocorre! amanhã tem novo cap


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...