1. Spirit Fanfics >
  2. Assassinato em Wood River >
  3. O Tempo Está Acabando!

História Assassinato em Wood River - Capítulo 5


Escrita por:


Capítulo 5 - O Tempo Está Acabando!


- Clary: Achei!

Aquilo fez com que Aleck e Allef se espantassem. Seguindo até ela.

- Allef: Deixe-me ver isso! Mas não é possível – o quê não é possível Allef? – o nome de todos os hóspedes sumiram daqui!!!

- Aleck: Isso é impossível! É só você que tem acesso a essa bancada!

- Clary: Allef, Deixe-me ver isso!

Allef deu a pasta para Clary, que ficou analisando apoiada na bancada.

- Aleck: As horas estão passado! Temos que nos apressar!

Clary já estava agoniada com aqueles dois falando enquanto ela tentava ver o nome das pessoas em uma outra folha.

- Clary: Algum de vocês dois, me empresta o celular! Agora! Ordenou a garota já cheia de esperanças.

- Allef: Mas pra quê você quer um celular agora? No que isso vai ajudar?

- Clary: Vai me dar ou não?

Allef bufou e entregou o celular pra Clary, que ligou a lanterna. Aleck e Allef se olharam com uma feição de “que diabos ela tá fazendo?” e não entenderam nada.

- Clary: Olhem só, venham aqui! Tá vendo isso aqui – apontava ela para um pedaço de papel com as marcas dos nomes, que estavam indecifráveis – era disso que precisávamos!

- Aleck: Mas não tá dando pra ver nada! Ou você não tá enxergando isso?

- Clary: Você é bem lerdo em?! Nós só precisamos dos números dos quartos, que provavelmente estão aqui! Não é mesmo, Allef?! Allef? Allef, estou falando com você!

- Allef: Oi?! Há, me desculpem estava pensando em uma coisa aqui!

- Aleck: E esse pensamento, pode nos ajudar?

- Allef: Mas é claro! Como não pensei nisso antes?! Venham, me sigam!

- Clary: Mas e...

- Aleck: Anda!

Allef os conduziram para o andar de cima. Onde andaram até a porta do banheiro.

- Clary: Espera! Não quero entrar aí!

- Allef: Clary, já tá na hora de deixar de frescura e prestar atenção no que estamos fazendo aqui!

Allef puxou uma lâmpada qje estava na parede, fazendo uma corda descer do teto, caindo aos pés de Clary, que pulou de susto. Allef continuou a puxar a lâmpada até onde não era mais permitido. Pegou a corda e puxou para seu lado, fazendo descer uma escada do teto. Aquilo parecia estar deixando Allef animado, seus olhos brilhavam como se fosse uma criança prestes a ganhar um presente ou um doce!

A escada era pequena, só podia subir uma pessoa de vez. Lá em cima, era tudo escuro, sem nenhuma iluminação.

- Clary: Ei, espera! Pra onde essa escada vai dar?

- Allef: Lá em cima é onde fica as caixas d’água. O único lugar onde o maníaco pode estar!

- Aleck: E Você quer quê a gente entre aí?! Você tem problemas?

- Allef: Você quer encontrar ele, não quer? Então, essa é a única maneira. Se me derem licença vou subir. Essa situação está me deixando muito alegre!

- Clary: Alegre?! Quem consegue ficar alegre com isso? All...

- Aleck: É ele não está de brincadeira, já até subiu. Vamos, você primeiro!

- Clary: Mas eu não quero subir!

- Aleck: Está certo então! Depois que estiver frente a frente com o assassino, não nós grite! Adeus Cla...

- Clary: Me deixe subir!

Ambos subiram. O ambiente era assustador para um hotel. Não havia iluminação nenhuma, só de uma vela que estava em cima de um tipo de mesa. Clary logo se grudou nos braços de Aleck, o deixando sem jeito e desconfortável.

- Aleck: Allef, once está você?

Nada podia se escutar, a não ser as respirações dos dois jovens grudados onde seria o esconderijo do assassino.

- Aleck: Porra Allef! Aparece logo! Isso já tá ficando chato!

- Clary: Aí!

Aleck pegou seu celular e ligou a lanterna. Dando visibilidade para o que seria um corpo de um homem. Homem esse que parecia muito com Allef, parecia não, era ele!

- Clary: Há meu Deus! Que horror. Allef?!

Clary já estava chorando, mas não pela lerda de seu colega. Mas pelo fato de que aquele pode ser seu último dia de vida!

- Aleck: Olha, tem um papel! Olá Clary e Aleck. Sabia que vocês iriam vir aqui! Vocês não acharam que eu ia ficar não é mesmo?! Isso é só uma amostra do que está esperando por vocês se vocês não conseguirem desvendar a charada que será passada a vocês! Não se preocupem com o horário do antigo bilhete. Vocês já encontraram o corpo! Charada: DURANTE UM INCÊNDIO, UM BANCO FOI ASSALTO. O SEGURANÇA DISSE QUE QUERIA SALVAR UMA MALETA DE DINHEIRO, MAS SE SENTOU EM FRENTE A SAIDA DE EMERGÊNCIA PARA AMARRAR SEUS SAPATOS. LOGO A PORTA SE ABRIU E A SEGUIR LEVOU UMA PANCADA NA CABEÇA. QUANDO ACORDOU O DINHEIRO NÃO ESTAVA MAIS ALI. POR QUÊ, AFINAL, O SEGURANÇA FOI PRESO?

Vocês terão meia hora até a descoberta da resposta, se o tempo for ultrapassado, gases serão liberados pelas entradas. Boa sorte. E mais uma coisa, matar seu namorado, Carlos, até que foi bom. E muito, mas muito prazeroso.”

- Aleck: Mas quem esse cara acha que é?!

Aleck amassou o papel e jogou no chão.

- Clary: Não cara! Você não leu o que estava escrito?! Só temos meia hora pra saber a resposta daquela maldita charada! Você amassar o papel só dificultou as coisas.

- Aleck: Você tem razão, me desculpe!

Aleck pegou o papel e começou a cronometrar o tempo. A agonia fez com que ambos começaram a andar de um lado para o outro. Aleck ainda não tinha visto que ali onde eles estavam, também estava o corpo de Carlos.

- Aleck: Clary! Temos que pensar direito! Ele disse que o segurança queria pegar a mala de dinheiro.

- Clary: Sim! E depois, ele parou em frente a saída de emergência para amarrar os sapatos

- Aleck: Sim... Mas o quê é isso?

- Clary: Parece uma caixa de água. Talvez tenha alguma pista aí dentro. Abre ela!

- Aleck: Eu?!

- Clary: Não, minha avó. Da licença! Aí que merda!

Clary levantou a tampa da caixa e viu um corpo, amarrado, com sua barriga completamente furada, sua garganta cortada e sua boca com uma mordaça. Era Carlos, se bem que Clary tinha visto o mesmo somente de relance, mas havia uma certeza muito maior que a dúvida.

- Aleck: Meu Deus, Carlos! O que aquele animal fez com você? Que monstro! Eu vou vingar sua morte! Pode ter certeza disso! Nem que eu morra também, mas eu vou! Te prometo!

Aleck já chora horrores. Clary também. Mas o tempo estava passando, eles não podiam pensar em outras coisas que não fossem se salvar.

- Homem Misterioso: Como vocês podem ver, já se passaram 26 minutos. Só resta 4, a porta já está fechada. O tempo está acabando!

- Clary: Aleck, ele tem razão, temos que não preocupar com o agora! Me ajude a pensar, se estava tendo um incêndio, o segurança só queria a mala de dinheiro. Más, as saídas de emergência só se abrem por dentro, e não por fora. Fazendo o próprio segurança de culpado. Então, a resposta é a seguinte...



Notas Finais


O que vocês estão achando da história?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...