1. Spirit Fanfics >
  2. Assassino 404 - Kim Taehyung >
  3. Prólogo

História Assassino 404 - Kim Taehyung - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Essa história é apenas uma ficção e deve ser levada ao lado esportivo. Nada daqui deve ser influenciável e de jeito algum deve ser aplicado na vida real.

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Assassino 404 - Kim Taehyung - Capítulo 1 - Prólogo

Prólogo

Goodbye, Cassy Miller

As luzes coloridas deixavam meu interior agitado. A música alta me dava vigor e a sensação de liberdade. Minha mão esquerda e estava para o alto, já a direita segurava um copo cheio de bebida alcoólica. Nunca me senti tão jovem.

Posso dizer que sou um homem fraco de bebida. Bebi apenas três copos e meu estômago está delirando. Segurei no corrimão da rampa para o banheiro e respirei fundo. Preciso tornar meus sentidos e parecer sóbrio.

Fui Cambaleando de um lado para o outro até conseguir entrar no banheiro masculino, quer dizer, espero que seja o masculino. Entrei em uma cabine e ao invés de vomitar, pensei o tanto de vezes que fui rejeitado esse ano. Cinco. Sou tão abominável assim? Aliás, cerveja não foi feita para distrair dos problemas da vida? Por que os lembro? O pensamento me fez querer chorar, mas também quis vomitar. Meus inimigos iam adorar me ver em tal situação.

— Ele não é o culpado, já falei! Que inferno! — Ouvi uma voz feminina. Então entrei no banheiro errado. Eu gostaria de sair andando e ir para o masculino, mas aquele timbre único e enjoado só podia ser de Cassy Miller. Eu não pagaria esse mico na sua frente.

— Me desobedeceu. Eu avisei que aconteceria. — Outra voz, desta vez masculina porém irreconhecível, aparece na conversa. Não sei dizer se é um banheiro feminino ainda.

— Sabe o que você é? Um covarde. Até quando vai se esconder... — A conversa se silencia por alguns segundos. Eu não ouso mexer um dedo sequer. Não por que estou curioso, na verdade estou sem forças para fazer isso. — Certo. Eu imaginei que terminaria assim.

— Não me entenda mal, você foi útil. — Ele ri sutilmente. — Agora não tanto. Não preciso de você.

Tento olhar por baixo da porta mas me assusto com o pipoco extremamente alto. Meus olhos se arregalam ao ver Cassy caída ao chão, com os olhos ainda abertos, porém sem vida. Sinto vontade de vomitar outra vez, porém as luzes são apagadas e preciso tatear o vaso para encontrá-lo.

A sirene de incêndio é ativada e eu caminho lentamente até a saída, segurando as paredes para não me arrebentar no chão. A música foi desligada e todos pareciam frustrados. Mas aquilo era uma festa, e as pessoas precisariam de fervor, mesmo que seja uma notícia catastrófica como a de Miller. Ouvi um grito masculino vir do banheiro. Encontraram o corpo. De repente metade da festa corria em direção ao grito para observar a mais nova falecida.

Esbarrando em uns e outros, saí pela porta principal olhando para o céu. Estava começando a ficar claro, mas ainda era crepúsculo. Me sentei no banco do lado de fora e peguei meu celular para chamar um Uber. Porém algo chama minha atenção, uma mensagem anônima. Clico para ver do que se tratava.

“Oi, docinho. Você matou Cassy Miller. Eu sei de toda a verdade.”

A princípio, a mensagem me fez rir. Não estou 100% sóbrio, mas sei que fui a testemunha. Os olhos azulados e perdidos de Cassy ficarão nas minhas lembranças para sempre.

“Não é uma boa hora para passar trotes. Tente com alguém mais ingênuo” Respondi com pouca paciência.

“A bebida é sua pior inimiga, assassino ingênuo.” Ele retrucou me deixando um pouco confuso. E logo em seguida mandou uma foto. O corpo de Cassy Miller no chão, entretanto havia uma discrepância. Os traços laterais do rosto do assassino eram idênticos aos meus. Me pergunto duas vezes se aquilo não era fruto da bebida.

“Que porra é essa? Photoshop?”

“A polícia chegará em um minuto e vai te prender. Eu vou colocar esta imagem no telão do baile da faculdade.”

“Com quem caralhos estou falando?”

“Você não sabe quem sou e nem com quem está se metendo, Taehyung. Mas eu sei tudo sobre você e tenho mais provas de que você é o assassino.”

Senti minhas mãos suarem. O garoto que matou Cassy realmente se parecia muito comigo. Eu serei preso? Quais seriam as suas outras provas?

“Sei que está confuso. Por isso quero que leia com atenção. Você faz parte do meu jogo agora. Faça o que mando por pouco tempo. Caso contrariar, será preso em 10 segundos.”

Vi as sirenes subirem a estrada para a balada. Seja lá quem for o filho da puta, me convenceu.

“Eu não sou o assasino.”

Você era o único que estava no banheiro. Olhe para seus sapatos. Será que você consegue convencer a polícia?”

Olhei para os sapatos e estavam sujos de sangue. Já era, minha digital estava na cena do crime.

“Eu aceito. Me tire dessa.”

“Ótima escolha, Kim. Siga para a zona sul, entre no beco da loja CU, lá terão ornamentos para você se limpar. Sobre a cena do crime, esqueça, você não será mais o assassino.”


Notas Finais


Créditos:
— Capa da fanfic: @keepmephysical


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...