História Assassin's Creed Império - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Assassin's Creed
Visualizações 4
Palavras 1.102
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Mutilação, Tortura
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - O começo


dia 16 de outubro de 1821, Rio de janeiro.

Josué da silva de 16 anos era um garoto de vida farta, seu pai Hiran era deputado e podia lhe dar das melhores coisas além de uma grande casa na Guanabara. Ele era um bom garoto mas achava a vida dele muito monótona e sem sal, e sempre que podia escapava de casa pelo telhado e ia correndo livre pelos telhados do Rio de janeiro com uma visão privilegiada da baía de Guanabara. Seus amigos o perguntavam se ele não tinha medo de cair ou errar algum pulo.

Amigo: me diz Josué, tu não tens medo de escorregar ou pegar algum telhado frágil ? sendo sincero para ti isso é muita coragem, por quê você não se alista para o exercito ? Dom Pedro adoraria te ter no exército

Josué: eu sinto que já faz parte de mim, quando pulo de um telhado para o outro sinto como se eu fosse uma águia e que nada me pararia, nem toda a Inglaterra, e bem... meu pai quer que eu seja deputado de todo jeito...é um saco

Eles ficaram um bom tempo parados ali sentados olhando toda a paisagem da Guanabara quando o amigo dele olha para o corcovado

amigo: olha que coisa mais linda, pena que tudo isso está debaixo da coroa portuguesa

Josué se levanta

Josué: não tenho do que reclamar, é Portugal que paga o salário do meu pai

amigo: falando nisso, quanto seu pai ganha em ?

Josué o olha com um olhar sarcástico

Josué: ele ganha mais dinheiro em um dia do que você vai ser na sua vida inteira

amigo: ah, desumilde

Josué olha em seu relógio de bolso a hora

Josué: bem, tenho que partir antes que a governanta perceba que eu escapuli

Quando Josué vai saindo dois homens o empurram para poder passar e um deles fala com um sotaque português

homem: saia da frente miúdo, estou a passar !

Josué cai no chão e vê que eles estão a caminho do palácio real

Josué: portugueses...

amigo: não reclame, são eles que pagam o salário do seu pai

Josué: cale a boca !

Ele se despede de seu amigo, sai correndo e sobe em uma escada para um telhado olhando o sol alaranjado se pondo sob o mar e vai em direção a casa dele fazendo as acrobacias ousadas que era acostumado a fazer, até chegar em um ponto alto de uma igreja. Lá de cima ele sente o vento gelado no seu pescoço e o mormaço do fim da tarde queimando seu rosto, então ele olha para baixo e vê um monte de palha em uma carroça de madeira e fica encarando por um tempo. Josué nunca teve coragem para tal entretanto dessa vez ele estivesse com total convicção de que era capaz, então toma folego, abre os braços e salta...ao saltar ele vê uma águia em seu lado como se estivesse o acompanhando e ele vê na mesma uma visão rápida de um homem com uma túnica de capuz branco saltando da mesma maneira que ele.
Josué fica um pouco sem foco por um momento mas logo volta a ficar concentrado e cai suavemente na palha

Josué: o que foi aquilo ? tive a impressão de que aquela águia virou uma pessoa por alguns instantes

De repente Josué sente uma tontura enorme e uma grande pressão dentro de sua cabeça e vai em direção a sua casa cambaleando e chega em silêncio rapidamente partindo pro seu quarto e entrando nele acaba se deitando na cama e olhando para o teto extremamente ofegante até que então ele se vê em um local com as paredes da mais sólida rocha com umas linhas azuis brilhantes e um homem velho com uma roupa parecida com a da pessoa que ele viu na águia, só que era de uma cor azul cinzenta e ele estava com uma esfera amarela na mão que brilhava muito até que Josué volta a si e acorda de madrugada do jeito que deitou na cama.

Josué: ai !

ele vê que todas as coisas da sua casa estão em um tom de azul meio escuro e no chão vê um rastro dourado e ele decide seguir até chegar em um canto no lado lateral da casa bem escondido por uma moita que tinha um simbolo que parecia um V invertido que brilhava naquela visão azulada estranha que ele estava tendo e ao se aproximar o bastante a visão dele volta ao normal

Josué: o que é isso ?

ele passa a mão e sem querer aperta descobrindo que era um botão que abriu um alçapão oculto na rua bem a frente da sua casa, e como Josué sentia necessidade de ter emoções não pensou duas vezes e desceu encontrando um corredor meio escuro com umas tochas apagadas em direção a debaixo de sua casa até que ele acha um disco com ranhuras amareladas e brilhantes e o pega. Ao tocar o disco brilha bastante iluminando o lugar revelando uma biblioteca pequena e um estandarte preso na parede com o mesmo simbolo parecendo um "V" invertido com a frase "orde dos asasinos de Galicia"

Josué: isso tá em galego

ele olha mais as estantes e vê alguns livros marcados de 1607 até 1781 e no meio de tudo acha um pequeno baú de madeira sem fechadura, ele abre e vê algo como se fosse uma braçadeira de couro com alguns mecanismos e o simbolo em forma de V da ordem, ele a pega sem cuidado e acaba acionando uma lamina saindo da parte de baixo da mesma bem enferrujada que fica bem próxima de seus olhos quando do nada escuta um barulho alto vindo de sua casa e ele corre pra ver o que é. Chegando lá ele vê a porta de sua casa quebrada e alguns gritos, entrando ele vê seu pai com a cabeça atingido por um tiro de pistola de pederneira junto da governanta da casa e sua mãe Ágata com o fio de um sabre em seu pescoço sendo detida pelos mesmos homens que esbarraram em Josué mais cedo, ele fica em silêncio paralisado vendo tudo escondido até que um dos homens fala

homem: você vai apodrecer em Portugal assassina

e eles saem a levando, só que Josué não vai simplesmente ver sua mãe sendo levada por dois portugueses, então ele coloca a lâmina oculta enferrujada em seu pulso, sobe num telhado e os segue

Josué: finalmente sair por ai pulando como um macaco vai me servir de algo

então ele os segue ate a entrada do palácio do imperador.

 


Notas Finais


deem dicas de como melhorar, e ajude se gostou :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...