História Assim como eu. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Gravity Falls
Personagens Dipper Pines, Mabel Pines
Tags Mabel X Dipper
Visualizações 76
Palavras 1.029
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Mistério, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura. ♥

Capítulo 2 - Sonho Misterioso.


Fanfic / Fanfiction Assim como eu. - Capítulo 2 - Sonho Misterioso.

_ Você é mesmo muito eficiente. – Bill outra vez sentado a uma cadeira dourada bem em minha frente, nós estamos no meio do nada, em um espaço vazio.

_ Do que você está falando? – Me aproximo dele.

_ Eu quero que todos saibam o mais rápido possível que eu voltei. – Ele cruza as pernas e apoia seu rosto sobre o braço.

_ Você voltou, mas não vai ficar por muito tempo. Vou acabar com você.

Eu o encaro.

_ Por isso que você sempre foi a minha preferida. Com a mente inteligente de Dipper e sua determinação seremos invencíveis. – Ele se aproxima de mim e segura meu cabelo.

_ Eu nunca disse que me juntaria a você. – Afasto o seu braço de mim.

_ Você não precisa concordar com nada.

Sinto meu pescoço arder.

Aaah ~ - Caí de joelhos.

_ Você é minha.

_ Nunca!

Ele ri e se aproxima de mim.

_ O que você pode fazer pra mudar isso? Pense pelo lado bom, sei que você gosta do Dipper, eu terei o corpo dele e farei oque você quiser. – Bill agacha e coloca a mão sobre meu ombro.

_ Você nunca, NUNCA VAI SER O DIPPER!

(...)

~ Mabel... Mabel.

Eu ouço a voz do Dipper.

_ Acordei.

_ Mabel, você falava enquanto dormia...

_ Xiiu, não era nada. – Coloquei meu dedo sobre sua boca. _ Não se preocupe tanto.

_ Já que você acordou, vamos atrás daqueles unicórnios. – Dipper senta na beirada da cama.

_ Vá para o banheiro logo. – Chutei suas costas.

_ Eu vou me vingar, você vai ver. – Ele ri.

Dipper vai ao banheiro e eu vou junto para escovar os dentes.

(...)

_ Escovou direitinho?

_ iiiii. – Mostrei os dentes para ele.

_ Estão bonitos. – Dipper bagunça meu cabelo.

Voltei para o quarto e troquei de roupa.

(...)

_ Tio vô Stan, olha meu NOVO SUÉTER ROSA SUPER DEMAIS. – Apertei minhas bochechas.

_ Ganharíamos muito  dinheiro com isso.

_ Não, ele é único.

_ Nossa vei, bem louco. – Disse Soos segurando Gompers (o cabrito).

Ford aparece do nada com uma expressão preocupante.

_ Mabel, depois que conseguir a crina de unicórnio, venha falar comigo.

_ Tudo bem... Mas onde o Dipper se meteu?

_ Vamos Mabel. – Dipper pegou minha mão.

(...)

~ Chegamos.

_ EII SEUS UNICÓRNIOS CONVECIDOS! – Gritei.

_ Foi desse jeito que vocês conseguiram a crina da ultima vez? – Dipper perguntou.

_ Não, nós usamos a violência. – Eu soquei minha própria mão em um sinal de ataque. _ Vamos Dipper, eles não vão nos dar cabelo tão fácil.

Nós atravessamos a ‘’Passagem secreta’’.

_Ei Selestibela Beta Bela, me dê o seu cabelo. – Gritei apontando para o unicórnio.

_ Nossa, há quanto tempo que não nos vemos? Você podia ser educada. – Ela balança suas crinas.

_ Pff, com você? NUNCA! – Gritei.

_ Mabel, calma. – Dipper ri.

_ Eu sabia que você ia enrolar, por isso trouxe uma TESOURA. – Tirei a tesoura de dentro do bolso do meu suéter.

_ Garotinha, não seja tão má. Eu não disse que não te daria minha crina. – Ela fingiu uma cara triste.

Fui até ela e cortei um pedaço médio, já que suas crinas são grandes.

_ Pronto. Trate de se contentar com isso, não te darei mais meus cabelos.

_ Muito obrigada Selestibela Beta Bela. – Disse Dipper.

Já no caminho para a Cabana...

_ Até que não foi difícil como da ultima vez. – Sorri.

_ Mabel, enquanto você dormia... Você falou alguma coisa sobre ‘’Nunca vai ser o Dipper’’. – Ele parece preocupado.

_ Dipper, não se preocupe com isso. O fato de ter visto Bill noite passada me incomodou muito, então eu sonhei com ele, não foi nada sério.

_ Vem cá. – Dipper me puxa pelo braço e com a outra mão afasta o cabelo de meu pescoço. _ Essa marca não é comum e no diário não tem nada sobre ela.  

_ Eu também não sei o que é, mas não se preocupe tanto. Ele não é tão forte quanto parece, e agora até temos uma vantagem, ele tem uma forma humana e nós somos humanos... Suas fraquezas serão fáceis de encontrar.

_ Espero que você tenha razão. Eu não suportaria vê-lo te levar de mim. – Dipper sorri.

_ Ele não fará isso, PORQUE EU SOU MABEL PINES. – Eu soco o ar.

_ Essa é minha garota.

(...)

_ TIO VÔ FORD, CHEGUEEI! – Corri até o laboratório dele. _ Aqui estão as crinas de unicórnio.

_ Tudo bem Mabel, agora se sente. Preciso te alertar de algumas coisas.

_ Certo. – Assenti com a cabeça.

_ Não sabemos oque pode ser esta marca em seu pescoço, mas me diga sempre que sentir algo estranho como dor ou coceira.

_ Uhum.

_ Também me avise quando ele aparecer em sonhos para você.

_ Tio vô Ford, não podemos apenas acabar com ele fazendo aquele circulo de pessoas?

_ Sim, podemos... Mas quero saber algumas coisas, como ele conseguiu a forma humana e por que você? – Ele caminha pelo laboratório com a mão esquerda na cabeça. _ Quero saber conseguiu voltar. Pode ter sido outra invocação?

_ Eu não faço a mínima ideia. Mas noite passada eu sonhei com ele e esta marca no meu pescoço doeu. Ele também falou que eu era dele... Bem doido.

_ Isso é ruim, mas Mabel não sinta medo. Nós protegeremos você. – Ele passou a mão nos meus cabelos.  

_ CERTO! – Sorri.

_ Então vá com seu irmão e pergunte a ele onde por a crina do unicórnio, ele deve lembrar-se da ultima vez.

(...)

_ Dipper, aqui?

_ Sim, bem ai. – Ele apontou para o canto da casa.

Abaixei e um vento misterioso e perverso levantou minha saia.

_ Opaa... – Eu ri.

_ Mabel... Só continua com a crina. – Dipper chuta minha perna.

_ Seu... Eu vou chutar sua cara.

_ Tente anã. – Ele ri.

 Eu me aproximo dele e dou um soco em seu peito.

_ É isso que consegue fazer? – Ele me puxa pelo braço e abraça meu corpo.

Aah ~ Apertei suas costas.

Ele segura meu queixo e me beija.

(...)

_ Dipper... – Sussurrei.

_ Não babe Mabel. – Ele sussurra em meu ouvido. ♥

(...) 


Notas Finais


Obg por ler. ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...