História Astro diferente ( BakuDeku - KatsuDeku ) - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Dabi, Denki Kaminari, Eijirou Kirishima, Inko Midoriya, Izuku Midoriya (Deku), Katsuki Bakugou, Mina Ashido, Momo Yaoyorozu, Ochako Uraraka (Uravity), Shouta Aizawa (Eraserhead), Shouto Todoroki, Tenya Iida, Toga Himiko, Tomura Shigaraki, Toshinori Yagi (All Might), Tsuyu Asui, Yu Takeyama (Mount Lady)
Tags Bakudeku, Bkdk, Bnha, Deku, Kacchan, Kaminari, Katsudeku, Kirikami, Momoxjirou, Músico, Todorokixlida
Visualizações 278
Palavras 2.000
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Opaaaaaa sz
Tenham cuidado em festivais, existem pessoas assim por todos os lugares, a culpa não é sua, do seu jeito ou de sua roupa e sim da mentalidade de cada um
NÃO SE CULPEM CRIANÇAS SZ
Sinto alguém surtando, sim ou claro?
Eu amo festivais, nhaaaaa
Saudades dos festivais da Espanha, sem dúvida alguma a Espanha é a coisa que mais amo nesse mundo inteirinhooooo
( Madara : tem certeza Versalhes?
Me chamando pelo sobrenome? Nossa!
Madara : vai com a Espanha, vai! )
Tirando a revolta do meu marido e o fato de que, eu amo ele muito mais que a Espanha nhaaa
Espero que gostem do cap ( espero mesmo, por que pelo que eu estou vendo, sinto que se eu colocar algum drama na fic meus pés sumiram )
Desculpem erros meus amores nhaaa ( eu só queria que existisse um aplicativo que revisasse por mimmmmmm )
Tenham uma boa leitura sz beijinhos sz

Capítulo 11 - Um perfeito festival



Analisou com atenção a porta do quarto do loiro por alguns segundos, lembrava de todas as perguntas que os seus amigos lhe fizeram graças ao selinho recebido pela manhã e no final das contas não soube o que responder, afinal não sabia o que tem com o mesmo, tudo era tão perfeito e estranho que não conseguia encontrar respostas, talvez seja um passatempo para ele, uma pessoa que ele goste de beijar, de ser carinhoso, muito carinhoso aliás, talvez ele esteja carente e queria acabar ela em si do modo que ache melhor, Deus queira que não seja isso, pois irá sofrer muito se for, soltou o ar pesadamente demonstrando a sua incompetência, toda vez que tentava descobrir algo sobre o loiro fracassava miseravelmente, talvez fosse por isso que ele lhe chamava de " Deku ", pois era um inútil em tudo que fazia, engoliu em seco tentando limpar sua garganta para falar algo com o mesmo, porque ele disse que queria lhe ver? Porque ele lhe dava tantas esperanças? Porque ele surgiu em sua vida? Porque mesmo sabendo das consequências que posem ter seu coração faria tudo igual antes se voltasse atrás? Ah, claro, talvez fosse pelo fato de o amar com todas as suas forças.

- c-com licença Kacchan... - fora abrindo a porta do quarto devagar, até revelar toda a imagem do loiro e cada vez que o via ele estava mais belo que a última vez e isso era tão estranho e bom ao mesmo tempo - atrapalho? - perguntou curioso com um misto de confusão, afinal não queria o atrapalhar de modo algum, ele tem shows pela frente, tem um estresse e pressão sem igual sobre si, tudo que ele não precisa agora é de um problema ou incômodo.

- entra Deku, você não precisa pedir licença, eu já te falei mil vezes você tem passe livre, vip e exclusivo pequeno - um sorriso de canto muito sensual surgiu nos lábios rosados do loiro lhe fazendo corar significativamente, porque corava sempre que via isso? Ah, claro, talvez pelo fato dele ser incrivelmente lindo.

- m-mesmo assim, eu tenho que pedir licença, vai que você esteja trocando de roupa ou você está fazendo algo importante - fechou a porta e fora até o mesmo ao receber tal sinal - o que fo... - teve a gola de sua camisa puxada e os lábios do mesmo pressionaram os seus lhe fazendo corar significativamente, quando iria se acostumar com esses selinhos que ele lhe dava? São apenas selinhos e queria muito mais que eles.

- você é mais importante que qualquer coisa e quero saber se você vai corar toda vez que eu te beijar? - aquela pergunta fora uma facada em seu estômago e só lhe fez corar ainda mais - você é tão fofo Deku - um beijo fora depositado na ponta de seu nariz e logo ganhou um selinho demorado lhe fazendo ir ao céu novamente - estava te esperando chegar pra te chamar pra uma festa estranha que vai ter no centro, quer ir comigo? - mandou a saliva que estava em boca de garganta abaixo com certa dificuldade graças a tudo que aconteceu desde que chegou.

- p-pode ser... - fora tudo que conseguiu falar antes de receber outro selinho demorado, que Deus lhe dê juízo nessa noite que com certeza iria ser muito longa e acima de tudo não iria conseguir obter razão por si só.

        ~ 2 horas depois ~

- quer comer alguma coisa? Algo pra beber? - negou prontamente observando as luzes das barracas que ali tinham, sempre amou as ver - Terra chamando Deku, câmbio responda - abriu um enorme sorriso com aquele comentário, sinceramente, o loiro era a melhor pessoa do mundo sem dúvida alguma.

- eu ouvi tudo que disse senhor Bakugou Katsuki, estou apenas olhando tudo, eu não sabia desse festival, câmbio desligo - observou o outro arrumar a máscara de forma agressiva e ela continuou desarrumada como estava desde que a colocou - meu Deus do céu, deixa eu te ajudar com isso - deu dois passos apressados e ficou frente a frente com o maior - você é tão desajeitado as vezes Kacchan - meneou a cabeça sorrindo e passou a arrumar a máscara que cobria a boca e o nariz alheio.

- é culpa minha que essa porra não para num canto quieta? - sorriu largamente com aquela pergunta, sem dúvida alguma o vocabulário dele é engraçado demais, muito impróprio, mas muito engraçada.

- eu não coloquei a culpa em você estressadinho, fique calmo tudo aqui é lindo demais pra você está se estressando - corou assim que a testa alheia colou na sua de forma carinhosa e muito fofa, sinceramente, ele é perfeito demais para si.

- você é a coisa mais linda desse festival - arregalou os olhos ao ouvir tais palavras e automaticamente seu rosto rubozirou completamente, como ele lhe fala algo assim de forma tão sutil?

- s-sou? - o outro apenas assentiu com um brilho muito lindo nos carmesins, ele é lindo demais Jesus Cristo, tinha que agradecer todo santo dia por ter alguém tão lindo na sua vida.

- quer algo pra beber? Você não bebe nada com álcool, bebe? Eu nunca te vi bebendo algo assim - os braços muscolosos lhe envolveram em um abraço apertado e muito gostoso.

- n-não... nunca tomei nada e creio que o papai me mata se o fizer, então não quero arriscar dessa vez - se arrepiou inteiro ao ouvir a risada maravilhosa do loiro, crime... que crime gigantesco ele é.

- o seu pai queria me matar, sério mesmo e mesmo assim eu não tenho medo dele, por que eu quero muito o filho dele - ergueu a mão direita e afastou alguns fios dourados da testa alheia delicadamente vendo melhor o seu rosto do outro, ele tinha o dom de lhe fazer corar.

- ele é assustador demais, mas é uma ótima pessoa - sorriu largamente e logo após deitou a cabeça no ombro do maior, amava inalar o perfume do loiro mesmo que fosse de forma disfarçada, ele é tão cheiroso, tão tudo.

- vocês já tiveram a conversa que ele disse que teriam? - correu o indicador pela gola da camisa do loiro apreciando as pequenas partes de pele que era permitido sentir as vezes, embora soubesse que se o quisesse tocar mais ele iria deixar.

- sim... não foi tão ruim quanto eu pensava, eu não fiz nada errado, ele apenas queria saber algumas coisas - afastou-se do outro ao lembrar que estava em meio a tantas pessoas e que, com certeza elas estavam lhes olhando - v-vamos? - os braços saíram de si e automaticamente começaram a caminhar por entre a multidão de pessoas que ali estavam.

- você é muito tímido, puta que pariu - corou significativamente assim que o loiro pegou sua mão entrelaçando os dedos nos seus, ele com certeza era muito liberal - eu não vou te perder de vista nem fodendo - mordeu o lábio inferior para conter um sorriso, era tão bom sentir-se amado como sentia-se quando estava com ele - tem certeza que não quer nada pra comer, nem beber? Você tem que ficar hidratado, você disse que é anemico, não é? - soltou o riso espontaneamente, ele se preocupava demais consigo e isso era tão fofo.

- aceito um refrigerante, está bem assim? - o loiro apenas soltou sua mão fazendo seu corpo inteiro protestar pelo cessar do contato, ah, se soubesse que iria ser assim não teria aceitado nada.

- me espera aqui, pode ser? Não quero te perder de vista - assentiu prontamente, afinal não tinha porque sair andando sem rumo por aí - já volto - observou a mão direita alheia ir até a máscara, a abaixar e logo após um selinho demorado lhe fora dado, PORQUE ELE FAZ TUDO SEM SE IMPORTAR COM QUEM ESTÁ AO REDOR? - não saía daqui! - assentiu novamente o vendo ir direto para uma barraca ali perto, era como se ele não quisesse lhe deixar sozinho e talvez realmente não quisesse isso.

- han? Está sozinho garotinho? - olhou em direção a voz se deparando com dois homens com um sorriso estampado no rosto, odiava pessoas assim, pois quando era criança um certo homem quis abusar de si.

- não quer vir conosco um pouco? Vai ser bem divertido - arregalou os olhos ao ouvir tal pergunta, aquilo não cheirava nada bem, realmente não cheirava e com certeza não iria a lugar algum com eles.

- n-não acho que seja uma boa idéia fazer isso, então vou recusar - deu o melhor sorriso que podia sendo correspondido de imediato, mas não eram sorrisos nada satisfatórios para si.

- porque você acha isso? - engoliu em seco recuando alguns passos, tinha que sair de perto deles o mais rápido possível, ou seja, agora mesmo.

- por que ele não quer que alguém seja preso - aquela voz rouca atrás de si lhe fez gelar inteiramente, oh, não tivera ouvido os passos do loiro, nunca os ouvia pra falar a verdade.

- ele vai nos denunciar? Pelo o que? Por chamar ele pra passear? Não podem nos prender por isso garoto - os sorrisos a sua frente aumentaram de forma vitoriosa e maliciosa fazendo seu estômago embrulhar.

- eu faço box, se eu bater em alguém sem autorização irei ser preso e a sentença não irá ser tão pequena assim, isso seria uma pena, não acham? - todos os pelos de seu corpo erriçarem completamente, ok, ele era assustador quando queria ser e agora com certeza estava sendo bastante.

- acho melhor irmos embora, não é? Não queremos confusão com ninguém - suspirou aliviado assim que eles começaram a caminhar para longe de si, graças a Deus e ao loiro tudo iria ficar bem novamente.

- obrigado Kacchan - o braço do outro rodeou o seu pescoço e um copo de refrigerante surgiu diante de seus olhos e o canudo ficou próximo aos seus lábios.

- você está bem arbusto ambulante? - assentiu puxando o conteúdo do copo fazendo um leve barulho ser ouvido pelo canudo, afinal aquele apelido não lhe importava, afinal era um apelido carinhoso.

- graças a você, sim, agora estou muito bem - sorriu largamente ao receber um beijo em sua cabeleira, aquele homem era a perfeição em pessoa e não há ninguém no mundo que lhe prove o contrário.

- desculpa ter te deixado sozinho - negou sorrindo, sério que ele estava se culpando por isso? Que pessoa tão fofa meu Deus.

- você já faz bem mais do que eu preciso Kacchan, eu que deveria está agradecendo e não você se desculpando - pegou o copo da mão alheia e tomou um longo gole do líquido, ele com certeza é muito fofo e teve o cuidado suficiente de pedir o seu favorito.

- não faço nada demais, você que exagera tudo que eu faço - deu outro longo gole no líquido, sinceramente, o loiro era modesto demais as vezes e isso lhe fazia ainda mais perfeito aos seus olhos.

- você que diminui tudo que faz Kacchan, você toca um monte de instrumento, me salva das coisas, canta bem, é famoso, é bonito, você é todo perfeitinho - mostrou a língua e automaticamente ela fora sugada levemente, aquele ato só fez sua face ruborizar inteira.

- você é tão fofo Deku, eu com certeza acho que o perfeitinho aqui é você - as orbes dançaram de um lado para o outro lentamente e aquilo só lhe fez corar ainda mais, alguém traga um prêmio para ele, pois ele tirou em primeiro lugar na categoria de roubar o seu coração.

- hun? - olhou em direção aos sons de explosões e os feixes de luz surgiam no céu estrelado fazendo as esmeraldas brilharem de alegria por os ver, amava os festivais, pois tinham tudo que faziam as pessoas felizes.

- quer namorar comigo!?...


Notas Finais


Obrigada por lerem sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...