1. Spirit Fanfics >
  2. Astúcia e coragem - Dramione >
  3. Um erro?

História Astúcia e coragem - Dramione - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


As vezes somos fracos demais para resistir a potência do amor... recaidas acontecem...

Boa leitura!

Capítulo 5 - Um erro?


Fanfic / Fanfiction Astúcia e coragem - Dramione - Capítulo 5 - Um erro?

Pov. Hermione Granger 

Viktor.. ele  era um bom homem, meu Deus como eu estava feliz, eu de fato estava começando  a ter um carinho por ele, sua presença  me fazia bem, não  era paixão,  não  era... definitivamente  não  era... porque pra mim paixão  era algo tempestuoso, dona de olhos acinzentados... era combustão... fogo puro e adrenalina. E com Viktor era calmaria, como ele havia me pedido em casamento  decidimos esperar pra transar, era bobo  mas eu também  sentia que não  era o momento  para dormir  com ele,  não  ainda.

E no meu trabalho minha vida estava  em pura ascensão,  minha voz era ouvida pelo país,  estava participando de um caso importante, com visibilidade mundial, a mídia  me cercava, e eu era exaltada  pela minha defesa. Eu sabia que era a melhor no meu ramo e não  aceitaria menos que isso. 

Ia por vezes visitar Alvo, ele ficara muito sozinho sem o Draco para lhe fazer companhia.

- Querida, você  o ama?- Alvo me tirou dos meus devaneios.

- Quem?- Perguntei perplexa achando  que ele  tinha lido minha mente, ele sabia sobre Draco?

- Ora.. Krum querida... quem mais seria? - Me olhou  inquisitivo, ele sabia  a resposta,  pressionava-me a dizer sovre minha relação  com Draco, eu no entanto  fiz-me de desentendida.

- C.. claro Alvo, como não  amaria meu noivo?

Uma discussão silenciosa envolveu a sala, pude ler seus pensamentos  pelo seu olhar, fiquei incomodada e me levantei.

- Sinceramente Alvo, não  tenho tempo pra isso.

- Então  me faça  um ultimo favor, aceita ajudar um velho que ja não  tem alegria na vida, que aguarda ansiosamente  o anjo da morte.

- Alvo..

- Minha querida, quero que me acompanhe ao baile de gala da minha filial em Paris,  é  em comemoração a minha aposentadoria  e a efetivação  do Draco, naturalmente. Traga um pouco de paz ao meu coração  me encante  com sua formosura por uma noite..

- Você  não  ten jeito não  é  mesmo? Eu te acompanho, será  um prazer!

Pov. Draco Malfoy 

Eu amo trabalhar, eu vejo o quanto a empresa está  crescendo  e como meu desempenho faz toda a diferença,  tenho a amado como se fosse minha, me mudei para um duplex e comprei um bom carro, conheci famosas bem combiçadas, jantei com algumas delas,  e eu estava vivendo como nunca. 

No meu apartamento  te uma sala só  de colecionáveis, de todos os filmes  e séries  que eu tanto amo. Mas a empresa tem me tomado muito tempo, não  tenho mais lido ou visto os caras, faz parte eu sei, mas sabe  eu me sinto 99% completo. Nunca chega a 100% pois uma parte de mim está  longe daqui, amarrado a uma castanha. Sinto falta  do cheiro dela, via os noticiários para ver suas entrevistas, e poder enamorar seu olhar, sua personalidade e me perder  em sua voz, já  me peguei bisbilhotando suas redes sociais,  mas toda vez que faço  isso dou de cara com suas fotos com Krum. Não  entendo como ela pode  ama-lo.

Mesmo tendo tudo agora,  ainda me sentia incapaz de faze- la feliz, de faze-la minha, nunca seria  bom o suficiente  para ela, ela merecia mais, o que eu to falando? Ela nunca me veria como homem, nunca me enxergaria como companheiro. E ainda assim era dona do meu coração,  sem que soubesse me tinha nas mãos. 

*******

Essa noite seria um baile de gala da empresa Sliteryn, vesti meu  melhor smoking,  sapatos italianos, minha barba estava aparada, meus cabelos alinhados, coloquei  minha abotuaduras, e segui para a festa, fui com Blaz e Nott, chegamos e fomos para o bar.

A festa estaca incrivel, extremamente  luxuosa, com lustres e uma pista de dança  enorme,  haviam mais de 3 mil pessoas ali tranquilamente, o lugar era imenso, todos perfeitamente  vestidos e alinhados,  mulheres lindas, modelos, atrizes, monarcas, era inacreditável, nós  nos sentimos num livro, e começamos  a jogar detetive, acredite se quiser, ideia do Nott, advinhar quem era o assassino, e apontar as vítimas,  rimos muito com isso, mas minha risada morreu.

Pov. Hermione Granger 

Encontrei o Alvo no seu jatinho particular,  eu tinha comprado um lindo vestido de noite, verde jade, ele tinha um lindo decote profundo nas costas, era de mangas compridas, meu cabelo estava prezo em um coque com alguns cachos soltos,  uma trança  o prendia na base do cabelo, minga maquiagem era leve e minha jóias  discretas, naquela  noite resolvi não  usar minha aliança  de noivado. Alvo  estava lindo, num terno azul com uma gravata roxa, uma fofura. Chegamos em 40 minutos ao nosso destino, eu estava pronta  e ele também,  fomos direto para a festa. Chegamos no alto das escadarias  que dava para o grande salão  e os olhares todos  se voltaram para nós,  para mim era um hinra acompanhar aquele velho e sábio  senhor  que construiu um império. 

E quase  no pé  da escada, uma figura cruza nosso caminho, sou tomada  pela tempestade e me a afogo naquele mar azul acinzentado, ELE estava ali, claro que estaria,  mas ele estava na minha frente. Céus, como senti falta  desse perfume. 

- Boa noite Alvo..- Cumprimentou, e se voltou para mim, pegou minha mão  e deu um delicado beijo- Senhorita, está  realmente deslumbrante. 

Não consegui responder, não  sem antes Alvo se pronunciar.

- Crianças,  fiquem a vontade, vou procurar  pessoas  da minha idade.- Piscou descaradamente  para mim e saiu.

- Não  acredito  que ele fez isso...- Comentei, ainda olhando para o caminho que o velho senhor rumava. Ouvi a risada de Draco. 

- Ele me parece sábio...- Draco falou com um brilho no olhar, olhando diretamente  para os meus olhos, podia senti-lo lendo-me. - Me daria a honra  dessa dança?

Estendi a mão para ele, sem ter muita certeza do que estava fazendo,  ele estava diferente, com certeza mais elegante, fino, seus modos eram refinados, delicados  e precisos,  não  havia hesitação,  não  havia qualquer  indício de insegurança.  Ele parecia adoravalmente mais maduro. Chegamos no meio ta pista, ele me tomou em seus braços  e aproximou nossis corpos,  senti o calor da sua mão  em minhas costas desnudas, estavamos tão  perto, e eu me sentia em casa. - Você  está  diferente. 

- Me sinto diferente.

- Bem agora tem o sucesso não  é? Mulheres, dinheiro, visibilidade..

- Nunca quis isso, mas amo o que eu faço,  e amo aquela empresa! .. Quero te mostrar um lugar, me permite?

- Estou com o Alvo, não  vou embora sem ele...

- Trago você  antes do fim da festa, cinderela. - Sorriu e meu coração  desmanchou .

- Ok.- Ele me pegou pela mão, saímos  e fomos até  um carro esportivo, entramos  e fomos  até  seu apartamento.  Todo o caminho fomos calados. Ao entrar me deparei com um apartamento  minimaliata,  com desing industrial, tinha cinza por toda parte, e alguns detalhes em verdes... era a cara dele. 

- Venha, o cômodo  que quero mostra fica lá em cima.

O segui, e me minha boca caiu e eu ri, gargalhei, ele tinha uma sala nerd, coml se fosse o segredo mais sagrado do seu coração,  a alma da sua casa. Era perfeito, tinha miniaturas, bonecos, livros  e dvds em edição  especial, era incrível,  me sentia  entrando na terra média... olhei para ele e ele tinha o sorriso nais verdadeiro e inocente  nos lábios. 

Mas por algum motivo  suas palavras vieram a minha mente e eu precisava sair dali, me virei e fui em direção  as escadas. Senti uma mão me puxar e meus olhos marajeram.

- O que foi? - Ele me olhava preocupado.

- Sinto muito Draco mas não  posso fazer isso,  vir aqui como se nada tivesse acontecido, você  me falou coisas  horríveis  e infundadas, não  veio conversar,  esclarecer  suas inseguranças,  você  simplesmente  me julgou. Me senti horrivel  e não  vou me sentir daquela  forma  novamente,  vir aqui foi um erro!

- Eu sinto muito Hermione,  eu sinto mesmo, por favor  fique,  podemos fazer o que você  quiser, viajar, jantar,  tudo o que você  me pedir, qualquer  coisa  eu farei! Eu posso te oferecer o mundo agora,  você  não  precisa mais do Krum...

Ri cinicamente... ele ainda não  tinha entendido... o que eu queria dinheiro algum podia me dar... ele ainda não  entendia.. uma lágrima  escapou dis meus olhos,  havia amor e dor demais para ficar dentro de mim, estava transbordando.

- Quero aquele livro, o Hobbit...

- Claro  comprei semana passada a primeira edição... 

- Não- Interrompi- Eu quero aquele que você  lia quando nos conhecemos... 

Ele foi até  uma estante e pegou um livro surrado, com páginas  amareladas e páginas  dobradas pelo excesso  de uso. - Mas olha o estado dele, está  horrível..

- Ele é  valioso pra mim.. - 



Mesmo sem entender,  com confusão  estampada em seu rosto, ele a beijou, profundamente.  Sua língua  se deliciava dela, suas mãos  desciam pelo seu corpo, ela o olhava com desejo, arfando pela falta de ar, os corações dançavam  em seus peitos, sem parar de beija-la ela, ele  deslizou  seu vestido até que caisse no chão, ele passou delicadamente os  dedos pela extensão  dos seus braços,  subindo pelo seu ombro e tocando seu mamilo entumecido, parou de beijar-la, para olha-la nos olhos, estes estavam queimando  de desejo, então concedendo a autorização para continuar,  ela leva a mão até seu smoking e o tira, sem tirar os olhos castanhos dos tempestuosos de Draco,  ela começa  abrir botão  por botão  da camisa dele, numa lenta tortura, quando porfim ela a tirou dele, Draco avançou  em sua direção  a beijando e pegando com firmeza  suas coxas trazendo para junto de si, carregando ela em seus braços  sem tirar sua boca da dela, foram em direção  ao quarto,  onde tirou sua calça  fitando-a já  deitada com as costas na cama, havia tanto a ser dito, mas o fogo em seus olhos não  os permitia, ele beijou então  o pescoço  dela, roçando seua dentes até  os ombros da castanha, sentindo o mel de sua pele, o cheiro que ela exalava, sua língua  dançou  até  o mamilo esquerdo e o abocanhou, chupando-o com intensidade, ouvisse  apenas o gemido intenso da castanha, ela apertava os lençóis  enquanto mordia os lábios, na intensão  de não  produzir tais sons, falhando miseravelmente,  quando ela estava prestes a explodir de prazer ele foi para o outro mamilo, mordendo-o delicadamente,  fazendo-a arfar, continuando o seu caminho para a calcinha preta, sua língua  sambava em sua pele,  como se fosse um terreno a ser explorado. Ela estava totalmente  entregue a ele,  quando finalmente o loiro chegou a sua intimidade, mordeu por cima do tecido e o beijou, nesse momento ela gemeu  alto, abaixando os olhos para olha-lo, viu esse tirando sua calcinha com os dentes, e isso a excitou ainda mais, suas mãos massageavam o peito da castanha, quando jogou a calcinha  no chão  lambeu a extensão  mais íntima  dela, vagarosamente, sentindo seu gosto, sua textura, coml ele desejou prova-la,  ouvindo os constantes gemidos, cantando em seus ouvidos, ele fez movimentos  circulares intensos,  precisos, adentrando por vezes a intimidade dela, fazendo assim ela chegar ao seu ápice. Subiu olhando para ela e a beijou intensamente,  para que sentisse o sabor dela em sua boca, ele estava enlouquendo de prazer, arrancou a boxer  e então  posicionou  entre as pernas dela,  e penetrou-a rapidamente,  em um movimento  único,  fazendo  ela gemer de dor  e prazer, começaram  então os movimentos,  intensos, desejosos, queriam mais contato, sentir seus limites sendo ultrapassados, querua sentir um ao outro pra sempre, aquela era a pequena  eternidade que os unia. Ela estava delirando de prazer enquanto  sentia as esticadas do loiro, sentido-se totalmente  desejada, mais 2 estocadas  e ela contraiu sua intimidade contra o membri dele,  fazendo-o chegar ao climax ao mesmo tempo. 

Deitaram um ao lado do outro olhando para o teto imaginando a sorte que tinham em se ter... e então como uma subta lembrança,  veio Krum na mente dela. 

-MERDA.- Falei quanto me levantava e ia me vestir, Draco  me olhava sem entender.- Vamos preciso que me leve lara a festa, isso foi um erro, não  devia ter acontecido, eu sou compromissada!

- Só  pode estar brincando...DEPOIS DE TUDO ISSO VOCÊ  AINDA VAI VOLTAR PARA ELE?

- EU ESTOU NOIVA, NÃO  POSSO SUMIR, FIRMEI UM COMPROMISSO,  SOU UMA MULHER DE PALAVRA.

- Você  o ama?

Engoli em seco.

- Krum, você  ama ele Hermione? Olha nos meus olhos e responde.

Não  conseguiria mentir, mas precisava,  aquilo era um erro, ELE não  a amava, já demonstrou o quanto a desprezava. Não  seria feita de boba.  Também  não  se perdoaria se o afastasse das suas obrigações,  ele amava a empresa não  poderia abandonar  tudo e voltar para Hosgmeade, para ela,  e ela não poderia largar sua carreira promissora para ir para Paris  com ele, tudo que os envolvia  era errado.

Então...

Olhou nos olhos do homem que amava, que era perdidamente  apaixonada e mentiu.

-Sim.

Em silêncio  seguiram para a festa , ele a deixou  na frente.

-Hermione, pegue, leve, é  seu.- Ele me entregou o livro, e antes que eu chorasse em sua frente, peguei o livro e corri para encontrar Alvo e voltar para casa.


Pov. Draco Malfoy 

Desgraçado. 

Essa foi a melhor noite da vida dele,  ao lado da mulher que ama, e se sentia um lixo, uma escória,  ainda que conquistasse o mundo, nunca seria o bastante  para Hermione.  Permitiusse chorar amargamente  no caminho de volta para casa. Agora era hora de seguir em frente, ela  amava outro.





Notas Finais


Que triste!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...