História Asylum - TaeKook - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Park Jimin (Jimin)
Tags Drama, Fluffy, Namjin, Tae!top Jungkook!bottom, Vkook
Visualizações 61
Palavras 964
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura ❤😊
Desculpem a demora, mas a imaginação não tava de bem comigo...

Capítulo 12 - Twelve


Jeon Jungkook.

__ Kim Taehyung. - Chamei o mesmo em seu quarto, eu precisava falar com ele, e era algo importante.

O mesmo levantou sua face a mim para que prosseguisse, me aproximei.

__ posso falar com você? - me sentei ao seu lado e ele concordou. 

Nossa relação estava mudando desde o último ocorrido no jardim botânico. Ele estava tentando me ouvir, e eu insistia em não colocar pressão nele, pois seu esforço estava sendo grande. 

__ eu gostaria que me respondesse algo. Você gostaria de voltar a sua casa?

Seus olhos se arregalaram, e pude perceber a coloração extra em suas bochechas, provavelmente Taehyung estava com seu coração palpitando forte; Mas por que eu senti disso? Porque isso é uma condição normal que todos nós passamos ao ouvirmos algo novo. Talvez. Estar naquele hospital há um bom tempo saindo apenas para o jardim pertencente do hospital e vendo sempre as mesmas coisas, tomando remédios que não quer e etc, deve ser cansativo. 

__ está querendo dizer que meu tratamento acabou? - ele me perguntou baixinho, e calmo. Sua voz estava estável. 

__ não. - sorrir ao ouvir dizer aquilo. __ o que quero dizer é que este lugar não é mais adequado a você. Não merece está aqui.

__ mas...E você?

__ eu continuarei com você. - levantei seu rosto com meu polegar por impulso, mas logo retirei, pelo o fato de ter percebido isso. 

Eu gostaria muito de tocá-lo, e sentir mais uma vez o toque de suas mãos e...

Deixa pra lá.

__ você terá sua vida de volta...Vai poder fazer o que o seu pai queria, trabalhar, dar entrevistas e...

__ não,não,não,não,não,não... - Disse repetidas vezes cobrindo os ouvidos para não ouvir. Entendi que não queria ouvir aquilo e sorrir para ele, dizendo que não voltaria voltar a falar sobre aquilo. 

__ você quer voltar a casa? - perguntei tentando encontrar seu perdido.

__ eu quero, mas há coisas em que eu não quero passar por lá. 

__ como por exemplo?

__ meus pais, o trabalho, o fato de ser uma pessoa que não quero ser...

__ ei...Você não pode fazer tudo o que quer. - dei uma pequena pausa e pude ver dúvida em sua expressão. __ no entanto também não pode fazer e ser algo que não goste. 

__ eu não quero...Ficar abaixo daquela pressão...Não quero tirar isso. - seu olhar recaiu sobre mim com duvida, apenas levantou um pouco sua blusa. Tentei desviar meu olhar, no entanto era quase impossível. O peitoral de Taehyung era perfeitamente definido, e com alguns gominhos. Não chegava a ser musculoso, sua estrutura é magra no entanto forte. Senti minhas bochechas esquentarem, e sabia que estava vermelho. __ não quero ser obrigado a fazer coisas como por exemplo retirar isso. -logo vi a pequena tatuagem que havia ali. Era pequena, não havia motivos para retirá-la.

__ você não precisa retirar isso, a não ser que queira. Você já é maior de idade, mesmo que ainda more com eles, há coisas que eles não podem mandar em você. 

__ está dizendo que eu posso fazer o que quero?

__ não. Você tem que saber a conhecer o que tem ou não que fazer. - dei uma pausa e continuei. __ você está pronto?

__ estou. - Taehyung disse após ficar alguns segundos calado. 

Três meses depois.

Kim Taehyung.

__ Taehyung. - a voz de Jeon se ecoou pela a sala grande e espaçosa da mansão.

__ sim? - o respondi enquanto ajeitava a gravata borboleta em meu terno.

__ conversei com seus pais. - o vi se sentar ao assento que do piano da sala. __ você disse que ainda não estava preparado para hoje, certo? 

__ certo. - eu teria que voltar ao cargo, ao cargo que na verdade nunca exerci de verdade, e algo que não tinha vontade de fazer.

__ eu roguei a eles para que dessem mais um tempinho a você, duas semanas.

__  duas semanas?! Só isso?

__ Taehyung. - Jeon tocou em minhas mãos e me convidou a sair. Sua expressão era rígida. Como da vez em que o vi irritado. __ podemos conversar em outro lugar? 

O levei até o meu quarto, que por sinal, Jeon nunca havia entrando lá.

Vi sua expressão mudar para curiosidade, será que nunca havia visto um quarto?

O chamei para que se sentasse a cama, e timidamente, o mesmo se sentou a beirada. 

__ você já pensou em que quer ser?

__ claro que sim. - respondi rapidamente. _ eu quero trabalhar na empresa. 

__ então porque anda fugindo do que você quer? - sua voz era calma, mas rígida. 

__ eu...

__ se isso se chama medo, é muito comum, Taehyung. 

__ eu só tenho receio de assumir tantas coisas, e se eu não conseguir? Jeon, você sabe o que eu sofreria se falhasse e algo? 

__ e eu sou o que para você? Acha que está só? 

__ não eu...

__ enquanto não confiar em mim para se expressar... 

Encarei sua face, e percebi o quanto ele era bonito, será que se o tocasse ele se importaria?

E por impulso meu polegar se encontrava em sua bochecha que ganhara uma coloração rosada. Seu olhar era confuso, e via seu lábios se entreabrirem como se quisesse falar algo, no entanto nada saía.

Minhas duas mãos já estavam em seu rosto. Eu estava sendo tomado pelo o impulso. Jeon estava assustado, mas não me importei, apenas tentei me aproximar de seus lábios, no entanto no momento antes do ápice, o mesmo se afastou. 

__ e-eu tenho que ir... - e em questões de segundos apenas vi sua silhueta se afastando a cada vez mais.

Agora ele não estava mais ali.

O que eu fiz?

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...