História Até o Carbonara - Imagine BTS (Jimin) - Capítulo 24


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bts, Eiza Gonzalez, Hoseok, Jimin, Jin, Jungkook, Namjoon, Taehyung
Visualizações 52
Palavras 1.710
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi beaaaux 💕💕💕💕💐💐💐💐
Eu cheguei no brasil ontem 🇧🇷🇧🇷🇧🇷🇧🇷 fiquei meio cansada para terminar o capítulo parte 2 então eu cortei ele e esse aqui virou um quase monólogo 😂😂😂😂😂 desculpa pela falta de criatividade para o título do capítulo
Espero que gostem 🤭❤️ Desculpem não poder postar a parte 2 hoje tmb

Capítulo 24 - Almost A Monologue


 

Ele obviamente não passaria a noite inteira naquele bar, aquelas bebidas básicas estavam bem longe de seu interesse, ele estava la pela vista. Em uma cobertura de um prédio vizinho a NextZoom, Taehyung era a pessoa mais calada e sozinha naquele ambiente barulhento e quente. Tomou sua bebida na varanda, dispensou uma mesa, se debruçou no lugar e observou por longos minutos o prédio da famosa revista. Aquele não era o Taehyung que conhecia, era estranho até mesmo para ele, beber sozinho, ignorar a cantada da garota de vestido preto, mesmo que tenha feito o esforço de sair de perto de seu grupo de amigas para tentar puxar conversa com ele, apenas não a achava seu tipo, pelo menos foi essa a desculpa que criou em sua mente enquanto afastava a menina com suas respostas curtas e frias até que entendeu que era um caso perdido, mesmo se depois tivesse passado o caminho todo para casa pensando “Eu não gostava do bar e ela não era meu tipo ou toda essa situação de merda esta arruinando minha vida e vou envelhecer dezessete anos em dois dias? Terminar como o Jimin?”. Decidiu que estava apenas exausto. Se sentia mais exausto ainda quando se dava conta de que tudo estava apenas começando.

 

Taehyung’s

Waterfield, USA

 

Ele entrou em seu apartamento e jogou a chave no carpete, a porta se fecha atrás dele.

Taehyung pega o maço de cigarro no bolso traseiro de sua calça observando a mulher sentada em seu sofá – Deus… - disse virando a cara de nojo, se dirigiu até seu armário de bebidas, pensou duas vezes antes de pegar um copo para encher com whiskey, a faxineira só viria daqui a dois dias, preferiu beber na garrafa – Você não acabou de voltar de um bar? - perguntou a si mesmo enquanto se dirigia ao sofá, se senta de frente para a mulher – Eu sei que está se perguntando isso … – riu fraco – Eu não fico bêbado a um tempo, ou eu vivo bêbado ou essa droga apenas não tem mais efeito em mim, triste, hein? Eu gostava do tempo em que bebia para me divertir, fazer essas merdas um habito é … - suspira – Não deveria nunca ter virado um habito, eu estou uma bagunça … Você sabia? Sou um puta de um azarado … Eu juro por Deus, eu juro por mim! Eu juro por você! - e olha para a mulher se calando por um momento – Merda, eu não posso dizer isso … posso? Esquece … -bate em seu peito – Eu sou uma cara maneiro… Eu sou um cara muito maneiro, você acredita em mim, não é? Eu tive meus dias de sorte no passado, mereço minha sorte de novo – ele dá um gole desviando seu olhar da mulher, fixa o vazio – Eu fui muito mimado, minha avó sempre dizia “Vocês vão estragar o garoto!”, meus pais simplesmente não ligavam, pelo menos ainda não temos problemas com nossa fortuna… - ele fixava o vazio refletindo, tentava começar uma frase, mas simplesmente parava, como se realmente alguém pudesse o ouvir e o julgar – Meu pai sempre teve que viajar muito por causa de seu trabalho, minha mãe e eu sempre o acompanhamos… Eu não tive amigos próximos, nunca tentei fazer também porque tudo era sempre “passageiro”… Daqui a dois ou três anos eu estaria em outro lugar, em outro país talvez falando outra língua, eu tenho um mecanismo de isolamento montado em mim por causa disso… Mas meio que gosto, gostava de todas as mudanças, acho que passar um tempo fora do seu cenário habitual te ajuda a saber quem você realmente é além de te deixar mais educado, ter a oportunidade de recomeçar em um lugar onde ninguém tem seu nome na boca, se jogar em um outro futuro, se aprende muito disso, eu odeio essa cidade pequena, todo Riverdy, esse vale de merda … Se rir de minhas próprias piadas e fazer de minha sombra meu único melhor amigo era o preço a se pagar, sinceramente foi o melhor negócio que eu fiz… México… - e desaprovou a si mesmo com a cabeça rindo fraco, memórias boas o vinham em mente – Eu morei no México quando tinha … Dezesseis? Dezessete anos? Não me lembro muito bem…Deus, eu não sabia falar merda nenhuma em espanhol, que diabos eu fui fazer naquele lugar?! - e riu – Claro, foi ideia de meu pai me enviar para la, acho que todas as crianças famosas e ricas dessa cidade precisam obrigatoriamente ter uma história assim, “intercambio”, apenas os atores mirins que vão potencialmente apenas usar suas famas e dinheiro para virarem bloggers não fazem isso, é por isso que existe uma nítida diferença entre as pessoas ricas porque são famosas e as pessoas famosas porque são ricas … Ver aquelas pessoas festejando o dia de morte de um chefe do tráfico, acedendo velas para ele, dançando nas ruas e decorando suas casas, as pétalas de rosa…Como se o cara fosse um tipo de santo, aquilo era tao louco para mim e me ensinou tanta coisa, as vezes me pego pensando se meu pai não sabia que seria assim e havia feito de propósito… Em menos de um mês eu já havia me metido na briga de dois cartéis, eu só estava tentando comprar do que fumar mas eles descobriram de onde vinha e o que tinha, graças a Deus desses caras eu não sinto falta nenhuma – Taehyung molha seus lábios, levanta um pouco a garrafa vendo o quanto de bebida restava nela – Eu sinto falta dela… Pouca ideia tenho do que dizia mas eu apenas sinto falta dela, já deve estar casada hoje e eu nunca vou aprender espanhol – estalou o dedo e apontou para a mulher animado – Sabe quem se parece com ela? A namoradinha do Jimin, Delafonte – deu um gole em sua bebida – Eu sei que não vai durar mas eu não pegaria ela não, claro que não, um, eu tenho é medo dela, dois… Acho que Jimin ainda vai demorar muito para chegar até onde ele quer com Denver e finalmente a deixar em paz – espreme seus olhos pensando sobre a situação – E eu ainda teria muito medo dela, sinceramente, não sei como ele faz isso… - faz uma pausa – Mas talvez saiba o porque dele fazer isso … - olha para a mulher – Eu não sou o mesmo, ele não é o mesmo, nada esta parecido com o que deveria depois de 2015, desde então tudo o que fazemos é tentar sobreviver, colocando a sujeira para debaixo do tapete, escondendo algo que um dia, com certeza, vai ser descoberto, é a porra de uma bomba relógio e só estamos tentando adiar para podermos viver como inocentes até quando explodir mas é ridículo! Esse segredo está destruindo nossas vidas e maior que o problema que é lidar com ele virou lidar com as pessoas que sabem dele… Chegou a um ponto onde muitos de nós apenas querem colocar a culpa toda no outro e fugir, ou esperar que um seja descoberto e testemunharmos todos contra ele como culpado para poder salvar nossas peles, seu inimigo esta contra você e seus aliados também e as vezes eu fico pensando … Esse filha da puta é tao inteligente… Ele sabe que um falso aliado é muito mais perigoso que um inimigo declarado e com alguém como Delafonte investigando, em alguma parte disso ela provavelmente vai descobrir as outras pessoas envolvidas e vai investigar elas também, a coisa vai parar exatamente na mão de Jimin no final das contas e em tempos tao confusos e perigosos como aquele que sua famosa reabertura criou, ele saberá exatamente quem são aqueles que virão pela pele dele… Mas o que ele vai fazer com a menina? - e olhou para o corpo da mulher novamente, o cadáver de Greta sentado em seu sofá – Você também esta curiosa? - e desviou seu olhar passando a mão em seu queixo, ele realmente mal podia esperar para se livrar daquilo – Quero dizer … Eu entendo ele preferir a usar para descobrir o que planejam contra ele mas dai ignorar o fato de que ela trabalha para a NextZoom e vai ela mesma provavelmente o destruir nos jornais? Do que serviria ele se salvar de nós para depois a deixar o expor desse jeito? Eu não estou brincando, eu já o disse mesmo, ela vai acabar com ele! - e faz uma pausa - Jimin não é tao desesperado para não ter pensado nisso… Eu só quero saber como ele vai se salvar dela

 

(…)

Pansao Sira

Blanc City, USA

DENVER

 

Eu odeio esse jogo. Por que estou sentindo que vou perder essa droga apenas o observando calmamente comer esse kebab de merda que eu nem mesmo tinha mais fome para dar uma garfada. Ele com certeza sabia que eu o encarava mas por algum motivo me ignorava. Nos últimos minutos parecia intrigado com algo, comia fixando o vazio espremendo seus olhos como se estivesse concentrado em alguma coisa, como se tentasse desvendar seus próprios pensamentos.

Eu me assusto quando Jimin deixa os talheres escaparem de seus dedos, pegou o guardanapo de seu colo e limpou sua boca enquanto me dizia – Eu vou na cozinha

-Vai na cozinha?! Como assim você vai na cozinha? - ele não responde já se levantando – Jimin … - eu controlava meu tom, não eramos os únicos comendo ali. Seguro em seu pulso e ele se vira para mim finalmente me encarando – Você acha que está em seu restaurante ou oq…

-Eu quero ver o chefe – eu o encaro séria e ele puxa seu braço se soltando – Prove a comida, você está em um restaurante, não em um museu – e se afasta indo até a porta que levava até a cozinha do lugar

Eu suspiro apoiando minhas costas na cadeira, cruzo meus braços. Olho para atrás ainda vendo os seguranças de Jimin conversando la fora.

Eu dei algumas garfadas na comida mesmo sem fome, brinquei passando meu dedo na chama da vela, contei quantas mesas tinha no lugar e ouvi o casal que estava sentado próximo a nós discutir a relação, nem depois de todas aquelas coisas e longos treze minutos Jimin voltou daquela cozinha, se ele ao menos tivesse mesmo ido la.  


Notas Finais


O tempo está tão feio no rio 😭😭😭😭😭 espero q Brasília esteja melhor 💐🇧🇷 Vcs são de onde?????

Update:gente essa casa é assombrada wtf eu tinha me esquecido q esse lugar é assombrado e agr eu to dormindo no pior quarto do apartamento sozinha com a minha irma? Socorro? Gente como faz serasi dou a minha irma p me salvar


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...