1. Spirit Fanfics >
  2. Até o último suspiro >
  3. Posso te beijar?

História Até o último suspiro - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Hi everyone !!
Como estão? Espero que bem e se cuidando.
Aqui está maixx um capítulo para vocês, espero que gostem (◍•ᴗ•◍)

Capítulo 11 - Posso te beijar?


Fanfic / Fanfiction Até o último suspiro - Capítulo 11 - Posso te beijar?

Taehyung on

Quando saímos da sorveteria, fomos para a casa de JungKook, no caminho fico pensando como posso ter sido tão estúpido perguntando aquilo a ele? Certo, é verdade! eu gosto do JungKook, mas não acho que eu esteja, que NÓS estejamos preparados, mas ainda assim não deixo de pensar como seria se a gente namorasse, acho que iriamos fazer um bom casal, somos fofos juntos, não sei... Mas sempre tento esquecer isso por que eu não estou em condições, estou psicologicamente abalado, e JungKook já foi estuprado, talvez não esteja pronto para ter um relacionamento.

Às vezes eu sinto que sou muito imaturo, é difícil até eu lidar comigo mesmo, eu sou confuso, estranho, por vezes não consigo entender como a minha mente funciona, ela quase não desliga, passando e repassando aquele dia, o dia que recebi a notícia, depois, o dia que foram mortos, lembro exatamente como me senti... Fiquei sem chão, um sentimento de raiva me consumindo, eu  me sentia morto, mesmo quando os cadáveres em questão eram os meus pais, e depois fiquei anestesiado, não fui capaz de sentir nada e isso me machucou mais ainda, até o dia do enterro, foi a partir desse dia que veio a dor.

Estava praticamente quase chorando quando JungKook chamou pelo meu nome:

— Tae! Chegamos - diz erguendo os dois braços em direção da sua casa. Ele estava com pouco ânimo na voz — Ah... e não liga para a minha mãe, okay? Às vezes ela pode ser um pouco constrangedora 

— Como praticamente a maioria dos pais?

— Como praticamente a maioria dos pais, Kim Taehyung - diz e logo em seguida toca a campainha, encarava a porta a sua frente, estava nervoso, percebi que não parava de estralar os dedos, segurei a sua mão, ele me olhou assustado, surpreso, mas não com medo.

Quando a porta finalmente foi aberta, deixou a amostra uma mulher com aparentemente 39 anos, cabelos tão negros quanto o de JungKook, olhos escuros, ela era uma perfeita cópia do garoto ao meu lado, se ele deixasse o cabelo ir até a cintura ficariam idênticos, a única diferença era essa: o tamanho do cabelo.

— Oi!! Eu me chamo Kim Taehyung - digo

— Hum... Eu não sabia que você era tão bonito, nem que meu filho tinha um namorado - ela levou o seu olhar até às nossas mãos entrelaçadas, eu olhei também, JungKook soltou a minha mão em seguida a pôs no bolso de seu moletom

— E não tenho... ele é só um amigo

— Ainda apenas amigo - ele me olha um pouco bravo

— Nós somos só amigos - diz JungKook pesando a sua fala, dou um soco leve em seu braço direito soltando um risinho para o mesmo

— Ah tudo bem - a senhora Jeon diz - Queria poder dizer "Ah esse é o famoso  Kim Taehyung?", Porém meu filho não tem o hábito de conversar muito comigo.

— Eh... omma ele pode dormir aqui hoje?

— Claro - diz e logo em seguida vai em direção a rua, não iria perguntar ao JungKook onde ela foi, mas possivelmente à casa de uma amiga ou algo do gênero, e pelo visto o padrasto não estava também, então teríamos  a casa toda para nós.

Quando adentro a casa do mesmo vejo vários quadros emoldurados, nenhum de fotos de família, mas sim de filósofos, eu sempre gostei de filosofia, sei que para muitos ela não tem utilidade, porém ela é importante só depende do que for útil para você, se buscar compreender o significado do mundo, da cultura, da história for útil, se conhecer o sentindo das criações humanas nas artes, ciências for útil, se para ti for útil compreender e entender mais de si mesmo e consequentemente do mundo a sua volta e se for útil para todos desejar a liberdade e a felicidade, então a filosofia será mais útil do que todos os saberes que os seres humanos são capazes de imaginar e adquirir, pois a filosofia nos ajuda a sair do conforto do senso comum, ajuda a liberta sua mente da prisão que você próprio se pôs, ajuda a sair do mundo das aparências, sair da caverna.

Observando mais vejo um quadro  que me  chamou atenção, meu preferido entre os demais, estava escrito : "Muitas palavras não indicam necessariamente muita sabedoria - Tales de Mileto".

— Taehyung? - JungKook me chama, eu havia parado e estava olhando esse quadro — O que está olhando? - ele se aproxima e ler em voz baixa

— Sabia que Tales de Mileto foi considerado o primeiro filósofo? - ele faz que não com a cabeça — Foi, pois ele teria sido o primeiro a afirmar que a razão pode conhecer a causa da origem, permanência e transformações de todas as coisas.

— Ohhh, muito bem filósofo Kim Taehyung - ele diz rindo e eu empurro ele de leve — Então vamos para o meu quarto? - assinto, eu já poderia imaginar como era o quarto dele, mas quando entrei fiquei totalmente perdido, o quarto dele não era  tão organizadinho como pensei, tinha uma cama ao lado da janela, papéis espalhados pelo chão, vários posters colocados nas paredes de grupos de Kpop, cantores, bandas e também tinha alguns desenhos... Caralho ele desenhava demais, dava até um pouco de inveja, quando percebeu que eu vi os desenhos ficou vermelho

 — Então... Agora você sabe que eu desenho - diz coçando a nuca — Não são tão ,tão, tão, bonitos assim, mas eu gosto de desenhar, não de mostrar para os outros, você é a primeira pessoa de fora que entra no meu quarto e ver eles, claro que minha mãe já viu, mas... - o corto, ele falava tudo rápido e corado, me aproximo dele e observo a sua boca rosada eu queria o beijar, desejava imensamente o beijar, mas só segurei as suas mãos, fiz carinho ali e levei até meus lábios, era menos assustador, mas esse pequeno ato me fez tremer por dentro

— Eu amei eles - eu disse, e JungKook ficou em silêncio por um momento e piscou rápido em seguida — Eles são lindos JungKook... Ei você poderia me desenhar 

— Eu? Não acho que eu consiga - fiz biquinho — Ah tá bom eu posso tentar - diz e balança meus cabelos logo em seguida e eu dou mini pulinhos de alegria.

-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-

Taehyung off

JungKook on

Devia admitir, Taehyung causava algo em mim, ele causava algo que eu não consiguia explicar, faltavam palavras, mas era tão forte que eu poderia me afogar, sendo sufocado lentamente e eu adorava me sentir assim, eu esquecia de absolutamente tudo na sua presença, por que estávamos juntos, estávamos em um mundo que construímos, um mundo que só nós existiamos, sem consequências para os nossos atos, eu me sentia livre, quando que por muito tempo me senti preso, mas o Taehyung, ele veio e me libertou, me fez vivo de novo, fez o sol voltar a nascer no meu mundo.

Já estava de noite, tínhamos ficado a tarde toda conversando, eu resolvi ir tomar um banho, lá dentro eu encarei meu reflexo enquanto me despia, entrei na banheira quente e me deixei ser envolto pela água, quando terminei Tae já havia adormecido, ele estava deitado no chão, os olhos fechados, ele estava calmo, eu me abaixei e fiquei o observando por um tempo, peguei o mesmo no colo e pus ele na cama, ele estava leve, acho que não tem comido direito, me deitei ao seu lado logo em seguida e acariciei a sua bochecha, ele sorriu ainda dormindo.

°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°-°

JungKook off 

Taehyung on

Acordo no meio da noite, por que algo me empedia de ter um sono tranquilo, vou em direção a sala com um pouco de dificuldade, estava tonto e minha visão embassada, possivelmente por que acabei de acordar e fico pensativo, não sabia exatamente em que estava pensando, talvez não fosse em nada, eu só estava encarando o cômodo vazio sendo preenchido pela minha respiração, passei meus dedos pelo sofá, imaginando JungKook sentado naquele local, imaginando ele assistindo e comendo ali e eu sentia uma chama acender em mim apenas por me sentar naquela sofá, que com toda certeza JungKook já esteve. Depois de um tempo começo a escutar passos.

— Ah ! É você - digo

— Estava com medo Tae Tae?

— Talvez... Você é feio me assustou - digo brincando, por que eu sei, e ele sabia que a sua beleza era de outro mundo

— Mentiroso! Admita que me ama

Ele senta ao meu lado e começamos a nos encarar, o cômodo estava sendo preenchido apenas pela nossa respiração, eu estava cedendo, ele estava cedendo, estavamos ficando cada vez mais próximos um do outro, até roscarmos nosso nariz, ele coloca a mão sobre a minha perna e por algum motivo solto um sorriso ele me encarava, eu me perdia em seus olhos, e foi ali que eu tive certeza que estávamos carregados de desejo um pelo outro.

— Você gosta né? - JungKook pergunta 

— Que? 

— De mim - ele diz, eu nunca havia sentido nada por ninguém do mesmo modo que eu estava sentindo por JungKook, ninguém nunca me fez ficar assim, e eu não entendi por que estava tendo sentimentos tão fortes, eu não conseguia administrar por que era algo tão grande e tão belo, que não sei se aguentaria por muito tempo — Tae - ele me chama — Eu posso te beijar?

— Você quer me beijar?

— Mais do que tudo no mundo - fiquei sem reação por um tempo, mas eu me senti vivo assim que nossos lábios se tocaram e pudemos sentir cada cantinho da boca um do outro, nossas línguas se encontravam e continuavam em um mesmo ritmo, nós estávamos conectados, entregavamos um ao outro atravéz daquele beijo energias boas, o nosso beijo tão esperado, necessitavamos daquilo, beijávamos sem pressa, inebriantes. Esse beijo era um acumulo de emoções, que carregamos por um grande período de tempo, mesmo quando não adimitiamos o que  estávamos sentindo e apesar de estarmos ali naquele momento eu não podia acreditar que estava o beijando, temia que fosse um sonho, eu queria decorar como me sentia preso por ele, queria lembrar do cheiro e da textura do pescoço dele, nesse momento nenhum de nós dois percebia o mundo a nossa volta, estávamos totalmente presos um ao outro, e eu implorava o calor do corpo dele, o beijo não era suficiente, eu queria mais, queria tirar toda a roupa que estava entre nós naquele momento para poder tocar a sua pele de verdade por debaixo do tecido, eu estava feliz, e ele estava feliz quando nos separamos e colamos nossas testas, agora sei que o amor existe, por que estou apaixonado por JungKook, estávamos sorrindo até que tudo ficou escuro e eu senti o ar faltar em meus pulmões, minha visão foi ficando embassada e a última coisa que vi foi o rosto preocupado de JungKook antes de'u apagar completamente...

Eu havia desmaiado







Notas Finais


Então foi isso, espero que tenham gostado e desculpa qualquer erro...
Beijos e até logo (~ ̄³ ̄)~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...