1. Spirit Fanfics >
  2. Até que a morte nos separe (vhope) >
  3. Na sela

História Até que a morte nos separe (vhope) - Capítulo 18


Escrita por:


Capítulo 18 - Na sela


HOSEOK ON



O delegado mandou os policiais nos levarem até duas selas, uma de frente para a outra para evitar tal briga. Eu estava preocupado com Tae, porque ele já sofre muito por causa da da família e não queria que ele sofre- se por mais coisas. Era torturante saber disso, e ter que aturar essas coisas. Lá estava eu, de frente para Mark na sala o encarando, mas eu procurava não ter contato visual com ele, eu estava extremamente bravo com o mesmo. Eu não sabia o que Mark queria de mim e nem o porquê ele estava tão vingativo comigo. Nunca fiz nada. E por isso me deixava confuso, até cheguei a pensar que ele era louco... mas se bem que louco ele já é, apenas foi para o nível mais alto.


Eu não pensava só apenas em Taehyung e Mark, eu também pensava em minha situação com a minha tia e a reação dela. Ela é extremamente brava e irritada quando atrapalham ela em tempo de trabalho, que na verdade era sempre. Como eu disse antes, ela nunca me deu atenção, só cuidava de mim por obrigação, já que os meus pais confiaram dela para me sustentar enquanto moravam em outro país. Eu só não sabia qual país era porque eles são nômades, ou seja, eles não moravam e um lugar fixo, eles mudam de lugar toda hora. E o pior: se meus pais souberem, vão vim para cá e minha tia será culpada mesmo não ter feito nada. Isso irá trazer problemas familiares.


O delegado veio e parou na em frente à minha sela. Ele estava com o seu celular, parecia que estava falando com alguém.


---- Tudo bem. Venha. ---- Após iss o delegado desliga o celular.

---- Delegado, eu sou inocente. ---- Eu imploro.

---- Pode me chamar de Yuto. Sua tia vem até aqui. ---- Arregalei os meus olhos: aconteceu o que eu não queria.

---- O que?! A minha tia? A Keith? ---- Me deu um batimento de desespero.

---- Sim. Olhei no seu celular, já que peguei, e vi que você tinha oito chamadas perdidas dela. Então eu vi que ela estava preocupada, por isso que fiz isso. ---- Yuto dizia simples e quanto eu estava quase morrendo (drama).

---- Mas, delegado! Ela não podia saber, isso vai trazer problemas 'pra mim e 'pra minha família!

---- Desculpa, mas ela estava preocupada. E eu não podia deixar ela assim. Mas agora eu tenho mais coisas pra fazer. ---- O delegado se retira.



E agora? O que será de mim?


Eu andava de um lado para o outro pensando no que eu iria fazer, e Mark estava rindo e debochando de mim por isso, já que ele já havia ouvido a conversa entre eu e o delegado. Porém eu tentava ignorar. Era um desespero tão grande que foi difícil eu não chorar. Me sentei no chão daquela sela e comecei a chorar profundamente, chorava por tudo que estava acontecendo; eu chorava por causa do Tae, por causa do trauma e medo que vou levar da minha família e pela a raiva que sinto do Mark. Nessa hora eu o odiava, nem mais queria olhar para a cara dele. Mas eu estava lá, chorando.


Depois de minutos ouço passos correndo até mim, parecia barulhos de salto alto, e ao saber entrei em mais um desespero. Era a minha tia. Tentei cobrir meu rosto para que ela não me visse, mas foi em vão: ela já tinha me reconhecido. Engoli o seco tentando me controlar, e ela estava lá com ódio no olhar.



---- Garoto, você é um imbecil! Como pode fazer isso comigo?! Você sabe o problema que eu vou me meter com os seus pais?! Porra! ---- Primeiro; ela estava bem alterada. E segundo; era a primeira vez que ouço ela dizer um palavrão. Mas mesmo assim eu e ela estávamos chorando.

---- Tia, eu não tive culpa de nada! Esse idiota me denunciou! ---- Eu apontava a mão para Mark que estava observando a drama, e o mesmo fingi que não sabe de nada.

---- Assuma os seus erros, Hoseok. Eu juro... se eu tive problemas com os seus pais, eu vou te destruir... ---- Cada momento ela engolia o seco por causa do choro e soluços, tremendo de raiva e de medo.

---- Tia, eu admito que eu fazia isso... mas eu parei! Mas mesmo assim eu fui acusado. ---- Só vejo ela se distanciar.

---- Eu vou embora daqui, não aguento mais olhar você assim. ---- Ela sai do local. Mark só dava risada.

---- Cala sua boca, idiota! Olha o que você fez. ---- Foi a última frase que eu falava para Mark. Depois disso não falei mais.



HOSEOK OFF


[...]




TAEHYUNG ON




A minha casa estava toda revirada por causa da bagunça que eu e Jungkook fizemos quando estávamos proucurando algo do meu pai que nem sei como é e nem o nome. Eu estava perdendo as esperanças disso.


---- E agora, Jungkook? ---- Eu suspirava colocando as mãos na cintura, cansado.

---- Calma, a gente vai encontrar algo. Fica calmo, 'tá? ---- Jungkook tenta me confortar.

---- Vamos descansar um pouco. ---- Me joguei no sofá. Jungkook se sentou no meu lado.


---- Você não sabe nem o nome do seu pai?

---- Não. ---- Digo derrotado.

---- Mas que diabo! ---- Eu não consegui me segurar, comecei a rir da expressão que Jungkook usou. ---- O que foi?

---- Nada. ---- Eu parava de rir aos poucos.


Eu estava rindo e de repente a porta abre revelando Nayeon. Ela estava chorando horrores com o barrigão com a criança. Ela estava passando mal. Por esse motivo eu me levantei.


---- Nayeon?! O que aconteceu?


---- A mamãe... a mamãe com o papai me expulsaram de casa!





...








Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...