1. Spirit Fanfics >
  2. Atenciosamente, Eu - Taekook >
  3. Capítulo dois.

História Atenciosamente, Eu - Taekook - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Demorou mais saiu. Admito que estou meio insegura com o capítulo. Tentei deixar o mais claro possível, alguns pontos. Obrigada pela betagem anjo,
@Andygmin ❤❤

Caso tenha passado algum erro, desculpa.

Capítulo 2 - Capítulo dois.


» Jungkook «

Depois da minha falta de controle no banheiro da faculdade, e depois de conversar com os meus Hyungs, fui para casa. Chegando no meu quarto deitei na cama e chorei tanto que pareceu que durou horas.

Dormi no decorrer desse tempo. Acordei na manhã seguinte e parecia que tinha sido atropelado, estava exausto e meu corpo doía bastante. Então lembrei do motivo. Poderia sim ser um motivo bobo, e lembrei das palavras do Hobi Hyung, mas eu preciso me afastar, talvez eu me arrependa depois, mas no momento eu sei que devo fazer isso. 

Quando nos apaixonamos não importa se somos fortes, ou se não choramos fácil. Quando bate aquele sentimento de queimação no peito, pode até ser infarto, antes fosse, mas quando nos damos por conta e o sentimento aparece, é complicado. Você deseja que não aconteça, principalmente quando sabe que não é recíproco. 

Quando se entra em uma amizade colorida não é necessário ter grandes sentimentos, muitas pessoas sabem diferenciar as coisas. Mas, quando se perde as rédeas da situação e os sentimentos crescem fica difícil controlar certas emoções.

Depois que pensei bastante resolvi que iria conversar com Taehyung, iria pedir um tempo para pensar. Não pretendo acabar com a nossa amizade, mas também não consigo mais ficar apenas por diversão. 

Então me levantei, tomei um banho, passei um pouco de base para tirar as olheiras me arrumei e fui para a casa do Tae. Chegando lá conversamos, bom, não foi uma conversa com muitas palavras. Não me julgue, eu realmente pretendo terminar com isso, está me corroendo por dentro. Mas eu não consigo resistir quando tenho um Kim Taehyung todo manhoso beijando meu pescoço, passando a mão pelo meu corpo, me fazendo ter as melhores sensações, e ainda sendo o passivo, vocês tem noção do que é ele me recebendo tão bem e pedindo por mais? Não. Me arrepio só de lembrar. 

(...) 

— Tae, a gente precisa conversar - Eu estava deitado em seu peito, me recuperando da manhã incrível. 

— Hum. Aconteceu algo? 

— Eu andei pensando - Me sentei na cama e ele também. - Talvez seja melhor a gente parar com a amizade colorida e só sermos amigos mesmo. 

Ele mordia o lábio superior enquanto pensava, eu sabia que ele era inseguro, eu também sou. Baixei a cabeça e quando ele suspirou olhei novamente e consegui enxergar uma certa decepção em seu olhar. 

— Eu fiz algo de errado? Você não está gostando, é isso? 

— Não, não Tae. Não é nada disso. Eu só ... Olha é complicado. 

Ele suspirou, parecendo cansado. 

— Eu realmente quero te entender, mas se não explicar fica difícil. 

— Não vamos acabar com a amizade, só não vamos ter os extras. Isso é simples. 

Ok, não era simples, e me doía muito falar aquilo. Me levantei e comecei a me vestir. Meu coração estava doendo, mas eu só estava ignorando ele. 

— Tudo bem.. Faça o que é melhor para você. Tranca a porta quando sair. 

Ele me olhou rapidamente e seguiu em direção ao banheiro.  

— Vou indo.. 

Sai o mais rápido que consegui, estava me tremendo e tive uma certa dificuldade para abrir e trancar a porta. Quando finalmente cheguei ao elevador é como se tudo que tivesse guardado viesse a tona, senti as lágrimas, a sensação de sufocamento, e eu precisava colocar para fora.

Odiava não ter controle daquilo, chorar era sinal de fraqueza e eu precisava ser forte para lidar comigo mesmo e com as consequências das minhas escolhas.

  (...) 

Taehyung saiu do banheiro e sentou-se na cama, respirou fundo, e deitou olhando para o teto. Bem lá no fundo ele sabia que aquilo iria acontecer, as coisas iriam sair do controle e alguém iria se afastar. Ele tinha sentimentos por Jeon, mas o medo de estragar tudo foi maior, era melhor ter ele na vida só como amigo do que não ter. Então aceitar foi a melhor opção naquele momento.

Algumas lágrimas insistiram em cair, e ele tentava a todo custo as parar, mas a dor que sentia era grande. Pegou seu celular e fez uma ligação. "Oi, está na faculdade, tem como vir aqui?" Então desligou e deitou na cama olhando para o teto, fechando os olhos. Passou alguns minutos até escutar a porta de sua casa ser aberta. E uma voz conhecida o chamando "Tae?"

Então ele respondeu com a voz embargada; "Quarto"  

Logo uma cabeleira rosa apareceu com uma cara de preocupação e sentou-se na cama. 

— O que ele fez? 

Ele não perguntou como Jimin sabia, afinal  ambos sabiam que Jungkook era um dos poucos motivos que deixaria Taehyung mal. Ele sabia como era a dor que o amigo estava sentindo, então deitou a cabeça de Taehyung em sua coxa e começou a fazer carinho nos cabelos azuis do amigo. 

— Eu não sei o que fiz, será que não sou o suficiente? Eu sabia que não era ..

Taehyung falou chorando ainda mais, aquilo deixa Park triste, mas ele também entendia o lado de Jungkook. Era novidade para os dois e eles precisavam de um tempo para aceitar os sentimentos. A situação era complicada, então um suspiro foi ouvido pelo quarto. 

— Não diga isso TaeTae. Você é mais do que o suficiente, por favor não pense em coisas assim. Tenho certeza que o Kookie tem seus motivos, só dê um tempo, logo tudo se resolve. 

— Se ele pelo menos tivesse me falado os motivos. Mas não, ele preferiu acabar comigo de vez. Chim, está doendo - Falou suspirando e abraçando a perna do amigo. - Eu só quero ele aqui, o cheiro dele me acalma. 

— Eu te entendo Tae, mas por favor só espera a poeira baixar. 

E nenhum dos dois falou mais nada. Taehyung apenas deixava suas lágrimas caírem, afinal ele precisava aliviar aquela dor de algum modo, sabia que era só uma parte dela, mas já estava deixando seu corpo relaxado e seus olhos pesados. Jimin apenas observava e cuidava como um bom Soulmate que era. 

Horas depois ele dormiu, Park se levantou e foi para a cozinha preparar algo para comerem, mandou mensagem para Yoongi, e disse que passaria lá quando saísse da aula. Estava com um sorriso bobo nos lábios quando viu o Kim se aproximando. 

— Que sorriso bobo é esse? 

— Não estou sorrindo - Disse revirando os olhos. - está se sentindo melhor? 

— Estou na medida do possível. Acha que ele está bem? 

— Tenho certeza que ele não está.. Ah e o Yoon Hyung disse que vai passar aqui. 

— Você está apaixonado, não é mesmo? Consigo ver seus olhos brilhando.

Jimin apenas sorriu e seus olhos se fecharam, e foi a resposta que Kim queria. Estava feliz pelo melhor amigo.  

— Vamos comer que é o melhor a se fazer. 

Taehyung deu um meio sorriso e começou a comer, elogiando a comida do outro, como sempre fazia. Horas depois a campainha tocou e Jimin foi atender. 

 Assim que abriu a porta um sorriso gengival o fez suspirar, Jimin tentou disfarçar, ou não. Yoongi entrou deixando os sapatos na entrada, e depositou um selar perto da boca de Jimin. Que corou e baixou a cabeça mordendo o lábio inferior, então sorriu deixando Yoongi mais bobo ainda. Estavam no mundinho deles quando escutaram um pigarreio, os trazendo de volta para a realidade. 

E foram conversar com Taehyung. 

   (...) 

Hoseok e Seokjin caminhavam lentamente e em um silêncio que estava os incomodando, mas continuaram sem falar nada. Finalmente chegaram na casa do mais velho, deixaram seus sapatos na entrada e seguiram em direção ao sofá. 

— Quer beber algo? 

Jin perguntou indo em direção a cozinha. 

— Uma água, por favor. 

Logo voltou, sentou ao lado do Jung, e entregou a água. Estavam desconfortáveis. Passando uns segundos Hoseok não aguentando suspirou e começou a falar. 

— Eu sei que tínhamos bebido quando tudo aconteceu, não planejamos aquilo. -Ficou em silêncio por uns segundo, vendo que Jin não falaria, continuou. - Eu me recuso a acreditar que não tenha sentido nada, que aquela noite só tenha sido um passa tempo. Que todas as coisas que me disse tenham sido da boca para fora. 

Seokjin mordeu o lábio em sinal de nervosismo, desviando o olhar para o chão. 

— Diz olhando pra mim que lembra daquela noite, que todas as sensações que sentimos significou algo, que o seu coração batendo rápido por um beijo não foi coisa da minha cabeça. Por favor Jin, se falar que não foi assim eu prometo que te deixo em paz, e esqueço que aconteceu aquilo. 

Jin sentiu o desespero de Hoseok, respirou fundo e flashes vieram a sua cabeça, não tinha esquecido da noite maravilhosa que tiveram. Sentia as mesmas coisas que o amigo, mas tinha medo. Estava em uma luta interna, respirando fundo decidiu ser sincero e se abrir. 

— Eu lembro, claro que lembro.. Estávamos conversando na sua casa para passar tempo, e fomos beber. E acabamos nos beijando. 

Jin corou pela lembrança, seu coração batia rápido. 

— E fizemos amor - Hoseok completou. - Tenho certeza que não foi apenas sexo para você. Assim como não foi para mim. 

— E-eu não posso te dar o que quer. Você não entende. 

— Entendo Jin, entendo sim. Se permita sentir algo sem medo pelo menos uma vez, eu sempre fui apaixonado por você. E eu sei que sabe disso - Riu de forma irônica - Todos sabem. 

Aquilo não era surpresa para o mais velho, mas ele não deixou de se surpreender pela primeira vez em escutar aquilo vindo do próprio Hoseok. E mesmo ele negando, seu coração batia descontrolado dentro do peito, e sentiu uma alegria que não saberia explicar, queria se declarar mas sua insegurança era maior. 

— Eu não sei o que dizer - Levantou-se e foi em direção a janela, ficando de costas para Hoseok, enquanto observava o céu. - Hobi, você é muito importante na minha vida, eu sou muito grato de te ter nela. Mas eu realmente não posso te dar o que quer. 

Mais um suspiro pode ser escutado, então ele se levantou também, parando atrás do Kim e falou rente ao seu ouvido. 

— Tudo bem.. Eu sei que sente algo, eu vou esperar, mas espero que caia na real logo antes que venha alguém e me faça mudar de idéia. Faltam duas semanas para a festa do Jackson, quero uma resposta até lá. 

Depositou um selar no pescoço do mesmo, sentindo a pele do mais velho arrepiar-se. 

— Duas semanas é pouco. — Jin não sabia se poderia organizar todos os pensamentos e sentimentos até lá.

— É o suficiente.. Depois disso se eu não obter uma resposta, a gente finge que isso nunca aconteceu, culpamos a bebida e nunca mais falamos nisso. 

Então pegou a mochila, foi em direção a porta, calçou os sapatos e saiu. SeokJin nada fez durante o resto do dia, ficou pensando em tudo o que aconteceu semanas antes na casa de Hobi e na conversa que tiveram. 

Se permitiu chorar e colocar as coisas ruins para fora. Ele iria da uma resposta a Hoseok em duas semanas, só esperava que conseguisse ser forte e lutar contra sua insegurança. 

    (...) 

Os dias passavam lentamente, o clima entre Taehyung e Jungkook mudou como o esperado, a turma sentia falta dos dois juntos, mas quando tentavam conversar com ambos sobre a relação deles, ficavam com raiva ou mudavam o rumo da conversa.  

Em uma tarde Taehyung andava pelos corredores da universidade, estava quase chegando ao banheiro masculino, achava que tudo estava indo bem em sua vida, tentava não pensar em Jeon, evitava passar pelo mesmo caminho que o mais novo. Mas, naquele dia pareceu ironia do destino, Taehyung sabia todos os passos do ruivo, por isso se surpeendeu quando viu Jungkook saindo de uma sala vazia e logo em seguida Yugyeom, parou no meio do corredor, assim que o mais novo virou o rosto e encontrou seu olhar, ficando paralisado. 

Taehyung virou-se rapidamente, precisava sair daquele lugar, mas escutou a voz de Jungkook " Taehyung, espera" , aquelas palavras fizeram suas pernas tremerem. 

— O que é Jeon? - Respondeu seco ainda de costas para o mais novo. 

— Hyung.. Não é o que parece. 

Taehyung sentiu vontade de rir.

— Não me deve satisfação da sua vida Jeon. Aproveite com seu novo brinquedo, cuidado para não partir o coração dele também. 

E saiu quase correndo sem esperar a resposta, deixando um Jungkook com o coração doendo e com a certeza que fez o que nunca imaginou, partir o coração do homem que amava. Mas continuava sem entender o motivo do mesmo estar partido, já que em sua cabeça não era correspondido pelo mais velho. Então seguiu em direção ao refeitório. 

Comia lentamente, sem muita vontade por estar pensando muito, quando escutou uma voz rouca e baixa ao seu lado. 

— Acho que está com o Kim errado. 

Ele olhou rapidamente e viu Yoongi o olhando como se estivesse pensando em qual seria a forma ideal de matá-lo. 

— Não entendi - Disse dando de ombros. 

— Entendeu muito bem, acha que eu não te vi entrando naquela sala com o Yugyeom. 

 — Hyung .. - Disse gemendo baixo como se não quisesse tocar no assunto. - Não aconteceu nada demais. 

Yoongi apenas ignorou a resposta e continuou falando. 

— Sabe o quanto Jimin está triste pelo Taehyung, o quanto a gente quer vocês juntos no mesmo lugar como antes, ele entende seu lado, mas quer que você caia na real sobre algumas coisas. - Parou um pouco e suspirou. - O medo te cegou tanto que você não consegue enxergar o óbvio aí na sua cara. Não sou eu quem vai te dizer,  pensa em quando vocês ficavam e nessas semanas que vocês estão separados. Ficar com outras pessoas não vai te fazer esquecer do Tae, pense a respeito, mas pense com calma. Valeu a pena passar por tudo isso? 

Então se levantou e deixou Jeon com a boca aberta, sua cabeça estava a mil. Passou os dedos pelas têmporas e massageou calmamente como se fosse capaz de esquecer de todos os problemas em um piscar de olhos.

Sabia que seu Hyung poderia ser duro com as palavras e tinha um respeito enorme por ele, no fundo merecia o que havia escutado. Será que o medo realmente o havia cegado? 

Olhou a hora e notou que estava atrasado para a aula de Produção de imagens, saiu correndo pedindo desculpas rápidas para as pessoas em quem esbarrava. Tinha muito o que fazer, então deixou para resolver os problemas mais tarde. 

(...) 

Yoongi se encontrava aos beijos com Jimin na escada que dava ao terraço. Namjoon entrou e se deparou com a cena e suspirou baixo, imaginava algo do tipo, afinal já tinha presenciado aquela cena algumas vezes antes deles aceitarem seus sentimentos. 

— Qual a dificuldade de ir para um quarto? 

Pararam o beijo e olharam na direção da tão conhecida voz. 

— Temos aula ainda - Respondeu Jimin - Já vai olhar suas flores novamente? 

— Sim, e vou aproveitar para estudar um pouco. 

— Nam, deveria ler menos e tentar achar alguém para trazer pra cá. 

Yoongi falou sorrindo debochado. Mas o Kim apenas sorriu e falou com a maior calma. 

— Eu não preciso achar, afinal eu estou de rolo com o Jackson, e eu não iria trazer ele para cá, gosto de privacidade -  Passou ao lado deles, parou alguns degraus acima, deu uma pausa e continuou. - Mas eu quero tirar uma dúvida, vocês já agem como namorados, quando vão realmente se assumir entre si?

Min ficou vermelho, abria e fechava a boca e nada saia, Jimin apenas colocou a cabeça no pescoço do "namorado" para não mostrar o quão vermelho estava. 

Namjoon sorriu por ter plantado a semente do bem, pois sabia que era um empurrãozinho para finalmente algo acontecer. Então deixou os dois e subiu. 

Yoongi tirou o rosto de Jimin delicadamente de seu pescoço e olhou nos olhos do mesmo, começou a fazer carinho em sua bochecha, indo em direção ao queixo. 

— Jiminie, eu… Eu acho que o Nam tem razão - Apesar de não ser comum, corou um pouco. - Praticamente agimos como namorados.. E eu gosto de você, muito. Admito que esse não é lugar que eu pretendia te pedir em namoro, mas eu posso te recompensar depois.. Você a-aceita namorar comigo? 

Jimin sorriu da maneira que deixava seu Hyung sem estruturas e completamente apaixonado, então deu um selinho no mesmo.  

— Claro que sim, seu bobo - Sorriu mais ainda, com o coração a mil -  Não importa o lugar, mas posso te desculpar se me levar para jantar naquele restaurante que fomos quando ficamos pela primeira vez.. 

— Te levo para qualquer lugar que quiser. 

Então se beijaram, um beijo calmo sem segundas intenções, estavam apaixonados e isso poderia ser visto de longe.

 Aproveitaram mais um pouco, então foram para a aula de mãos dadas e com um sorriso de fazer inveja em qualquer pessoa, não foi novidade para quase ninguém em saber que estavam juntos. Afinal eram péssimos em disfarçar. 

  (...)  

A aula de Ecologia era uma das preferidas de Taehyung, mas nem isso conseguiu fazer com que ele prestasse atenção, "apenas tolos se apaixonam por você, Jungkook" pensou se sentindo derrotado, fazia alguns rabiscos no caderno totalmente alheio ao que se passava ao redor. Nem se tocou quando a aula acabou. 

Sentiu uma pessoa puxar a cadeira ao seu lado, mas não deu muita atenção. Sem nem notar que era o único aluno na sala.

— Tae, o que um ruivo aconteceu para te deixar tão distraído?  

Choi YoungJae um dos professores preferidos de Kim o olhava com um meio sorriso e uma sobrancelha arqueada. 

— Direto demais, Choi. Por que acha que é por causa dele? 

Um sorriso apareceu no rosto de Jae. 

— Só um cego para não enxergar a intensidade dos sentimentos de ambos. 

— Se fosse tão intenso, tenho certeza absoluta que ele não teria desistido do nada. 

Taehyung estava cansado, fisicamente e mentalmente. 

— Entendo. Vocês já conversaram sobre seus sentimentos? Ou sobre como tudo foi acontecendo? Taehyung você é um dos melhores alunos desse curso, e seu desempenho caiu, nunca te vi assim.

— Desculpe professor, eu juro que vou recuperar as notas. 

Youngjae murmurou baixo, balançando a cabeça negativamente, mas resolveu falar. 

— Tae, não é só as notas. É seus sentimentos, se não estiver bem consigo, nada ao redor está. Vá para casa, pense nisso com calma. Procure as palavras certas e vá falar com Jungkook. 

— Obrigado, de verdade. 

Guardou o material, levantou-se e seguiu em direção a saída. Agradeceu mentalmente por não encontrar nenhum dos seus amigos, mas para seu azar encontrou Jungkook na entrada da Universidade, não foi preciso mudar o caminho por causa do ruivo, pois logo Yugyeom chegou ao lado do mesmo e deixou um selar em sua bochecha e saíram.

Foi o suficiente para fechar a cota de sofrimento do dia. Mal sabia o Kim que Jimin, Yoongi e Jin observavam a cena de longe, Park fez menção de ir atrás dele, mas Seokjin o impediu, não poderiam resolver todos os problemas, eles precisavam achar o caminho certo, sozinhos. 

A caminhada a casa de Taehyung foi lenta, ele observava a paisagem que a muito tempo não se permitia, ignorando o aperto em seu coração. Ao passar próximo à uma praça, decidiu parar e sentar-se perto de uma árvore e observou as crianças brincando no parquinho sem se preocupar com o que existia ao redor. Viu pessoas caminhando com seus cachorros, e pensou em Yeontan, não estava dando a devida atenção nem para seu cachorro. 

Iria mudar aquilo. E seria naquele fim de tarde. 

 » Último dia de aula « 


Era a semana de prova, o que deixava tudo bastante estressante e cansativo, não tinham tempo nem de se coçar. Os seis amigos sentiam na pele tudo aquilo, menos Seokjin, que afirmava estar às mil maravilhas e estava empolgado para finalmente ir a festa de Jackson.  

Como habitual de todos os dias, cinco deles já estavam sentados na mesa de sempre no refeitório. Hoseok conversava animadamente como sempre, com Jimin e Jin. Namjoon conversava com Yoongi sobre finalmente ele ter pedido Jimin em namoro. 

Quando menos esperavam chegou Jungkook e Taehyung, ao mesmo tempo mas de direções diferentes. O silêncio se fez presente na mesa, ambos se olharam, Jungkook mordeu o lábio por sinal de nervosismo - E o Kim sabia - então se virou, estava prestes a sair quando Namjoon não aguentando resolveu colocar tudo para fora. 

— Será que dá para os dois ficarem na mesma mesa, como pessoas adultas, que sabem lidar com os problemas e não agirem feito crianças mimadas que não conseguem nem olhar para a cara um do outro?! - Suspirou pesado - Estamos de saco cheio dessa frescura, vocês precisam se entender, ninguém aqui vai escolher qual lado ficar, porque no fundo aparenta ser isso o que querem. Chega, eu estou cansado, vejo vocês na casa do Jackson. 

Todos estavam de boca aberta, Jimin abraçou o Min pois tinha medo quando seus Hyungs ficavam bravos, realmente era assustador. Taehyung não demonstrou reação, mas por dentro estava assustado, ninguém falou mais nada. Jungkook engoliu em seco totalmente sem reação. 

Então passando alguns segundos o silêncio continuou presente, e Yoongi resolveu quebrá-lo. 

— Bom.. Depois dessa Namjoon finalmente demonstrou que vai ser um advogado de primeira e coitado de quem vai pegar casos com ele. Cuidado Jin, ele pode pegar seu posto no Teatro. 

Seokjin soltou sua risada escandalosa que foi o que fez o clima voltar ao normal, ou quase. 

— Meu bem, ninguém chega ao nível de Kim Seokjin, filho de Afrodite e Deus de toda a beleza no mundo. 

Taehyung sorriu pois amava quando Mitologia era mencionada nos assuntos, Jungkook sorriu por causa do mesmo pensamento, ambos se olharam e conseguiam ver tristeza escondida no olhar um do outro. 

— Jungkook, eu converso com você na festa do Jackson. 

Falou curto e grosso, deu as costas e saiu. 

— Tudo bem Tae.. - Falou baixo mas todos ma mesa conseguiram escutar. - Encontro vocês na festa. Tchau gente. 

— Tchau JK - Todos falaram ao mesmo tempo. 

Cada um decidiu ir para casa, o descanso era necessário, pois sabiam que a festa daria o que falar. 

 (..) 

Horas depois todos estavam se arrumando. Taehyung decidiu colocar uma camisa de cetim preta e um casaco florido por cima, nada muito exagerado, calça preta um pouco colada e seus sapatos preferido. Passou bastante perfume, exatamente o que Jungkook mais gostava nele. Iria passar por cima de seu orgulho e fazer Jeon Jungkook cair na real e tê-lo por completo. 

Jimin disse que passaria com Yoongi para buscá-lo. Não demorou muito e o interfone tocou, sabia que era os amigos, fez carinho rapidamente em Tannie que dormia tranquilamente em sua caminha e saiu. 

Chegou no carro e só escutou os assobios de Jimin. 

— Uau Tae Tae. Jungkook que lute, hoje. 

Yoongi apenas sorriu, já Taehyung concordou e sorriu malicioso. 

— Veremos hoje o quanto ele consegue aguentar. Vamos para essa festa.

E no meio de brincadeiras entre os três seguiram em direção a casa do Jackson. 

(...) 

Duas batidas na porta e Hoseok já sabia quem era, abriu com seu sorriso radiante de sempre e Jin retribuiu o sorriso.

Entrou deixando os sapatos na entrada e foi para a cozinha. Jung já tinha percebido, mas valia ressaltar, Seokjin estava perfeito como sempre, vestia uma Blusa preta com alguns detalhes em branco, uma calça jeans e sapatos brancos, na visão do mais novo ele era a própria Afrodite, com sua beleza surreal. O que só aumentava o Ego do moreno. Hoseok estava todo de preto com alguns brilhos na roupa, não precisava de muito para ficar lindo. 

— Então Hyung, seu prazo acabou. 

Falou indo em direção ao sofá vendo que o outro já estava sentado. 

— Hobi.. - Baixou a cabeça respirou fundo e falou - Senta aqui. 

Hoseok sentou e olhou nos olhos dele, então Jin fez algo que não era o esperado no momento.

O beijou, a princípio Jung ficou sem reação. Ele esperava um beijo, claro, mas não imaginava que seria tão rápido. Então aproveitou para maltratar os lábios cheinhos do maior, o beijo tinha pressa, passou a mão pelas coxas e foi subindo para a cintura, modelando aquele corpo tão bem conhecido e que o deixava louco. O beijo foi parando e terminado com pequenos selares, precisavam de ar. Juntaram as testas e sorriram juntos. 

— Eu precisava fazer isso - Jin falou recuperando o fôlego. - Jung Hoseok, eu sou completamente apaixonado por você, foram as duas semanas mais difíceis, nessa luta interna misturada de medo e vontade de fazer algo acontecer.  

Hobi o beijou novamente, com calma aproveitando o momento, poderia gritar para todos escutarem que Kim Seokjin finalmente havia se declarado, não conseguia colocar em palavras a felicidade que sentia. Sorriu e encheu o rosto de seu hyung de beijinhos. 

— Você não imagina o tamanho da minha felicidade. 

Kim sentia o coração bater acelerado.

— Amor - Se permitiu falar assim, e Jung sorriu mais ainda. - vamos andando que os meninos já devem está esperando a gente. 

— Temos mesmo que ir ? 

Mordeu o lábio em provocação. 

— Sim bobo. Te recompenso depois. 

Depositou mais um selar em seus lábios, e seguiu em direção a porta, saíram de mãos dadas sem se preocupar se iriam olhar ou falar algo. 

(...) 

Chegando a casa de Jackson, os três encontraram Namjoon aos beijos com o dono da casa bem perto da entrada. 

— Que pouca vergonha é essa, bem na entrada? - Yoongi falou, fazendo os pombinhos se afastarem e os amigos sorrirem.  

— Sejam bem - vindos a minha humilde festa. 

Jackson falou com sua alegria normal de cada dia.

Por fora parecia que nada rolava, mas quando ele abriu a porta o som estava alto, o jogo de luz mudava as cores a todo segundo, pessoas dançavam de acordo com a música. 

— Uau - Falou Jimin - Nam, depois procura a gente. 

Deu uma piscadela e entraram. Taehyung avisou que iria procurar bebida, Yoongi apenas assentiu com a cabeça e foi em direção a Jimin que já estava dançando. Kim desviava das pessoas que dançavam como se não houvesse o amanhã, quando já estava chegando no que parecia um bar, avistou Jungkook sentado em um sofá um pouco afastado com uma garrafa de Vodka, pensou em ir falar com o mais novo, mas iria esperar um pouco mais. 

Chegou no bar, sentou e pediu uma caipirinha, não pretendia ficar bêbado. Ficou observando o ambiente, dava para ver Jeon do lugar em que estava, percebeu que o ruivo estava com uma de suas calças que deixavam suas coxas marcadas (aquilo matava Kim por dentro) e usava uma camisa branca com alguns botões abertos e seus coturnos, os quais eram uma das paixões do ruivo. 

Terminou sua bebida, respirou fundo e foi em direção a sua perdição e problemas. Chegando perto do sofá que Mingyu estava sentado ao seu lado e conversando próximo demais, Taehyung ficou com ciúmes, mas não iria assumir. 

— Jeon - Falou alto o suficiente para os dois o olharem, o sorriso do mais novo foi diminuindo. 

— Kim. 

Falou para o Min que iria conversar com Taehyung, antes de sair deixou um selar na bochecha do mesmo, fez de propósito, a bebida tinha sua parcela de culpa, levantou ficando frente a frente ao mais velho e olhou em seus olhos. 

— Então Tae.. Vamos conversar? 

— Vamos. Me segue. 

Saíram em direção a um pequeno jardim que ali havia. Era um lugar bonito, tinha uma iluminação roxa em uma parte e azul na outra. 

— Vou ser bem sincero - Taehyung começou - Acho que você gosta de se sentir frustrado e ter menos do que queria ter, porque isso é mais fácil, não é ? O fracasso e a infelicidade são mais fáceis, porque você pode fazer piada com isso. 

— Não entendi.

Jungkook o olhava com a testa franzida, sem realmente saber onde o outro queria chegar. 

—  Vou explicar, você me tinha, o medo teu cegou então me "perdeu" , eu sou muito e claramente está com menos agora. Fica frustrado por não usufruir desse corpo maravilhoso aqui, o que é uma pena. - Olhou para o ruivo que estava com uma cara que não sabia se ria ou se ficava mais confuso ainda. - Não é desmerecendo o Yugyeom mas ele não te merece. Não que seja fracassado, óbvio que não, mas fracassou por um sentimento que inclusive é recíproco, e para terminar.. Estamos infeliz Bunny, você não tem noção do quanto eu sofri essas semanas. 

Jungkook estava assimilando tudo, então começou a rir, achou tanta graça que a barriga começou a doer,  então limpou as lágrimas que se formavam no canto de seus olhos. Taehyung observava a cena sorrindo, amava a risada de seu dongsaeng. 

— Você precisa parar de conviver com o Jin Hyung, sério. Não está te fazendo bem - Riu mais um pouco e recuperou o fôlego. - Me chamou de Bunny.. Que saudades que eu estava disso. Tae, eu não tenho nada com o Yug.. Eu-eu assumo que tive medo, eu tenho ainda, você é demais para mim. 

— Acha mesmo que eu não iria ter sentimentos? Você acaba com o meu psicológico, sua boca se encaixa tão bem na minha, seu corpo me leva ao céu e ao inferno, a maneira que se encaixa em mim quando estava com frio, quando está manhoso e quer carinho, eu nunca seria passivo de outro. É privilégio completamente seu. Eu te amo, precisa de mais? 

Jeon o olhava com os olhos brilhando, na cabeça do mais novo tinha certeza que não estava bêbado. Seu Taehyung estava ali, na sua frente se declarando, então o abraçou e começou a chorar.

— Bunny, o que houve? 

Taehyung começou a ficar preocupado enquanto apertava ele em seu abraço. 

— Eu sou muito idiota, tenho medo de sentir o que sinto. - Respondeu com a voz embargada. 

— Você pode até tentar não sentir nada, mas no fundo sabe que é impossível. - Levantou o rosto do ruivo e olhou em seus olhos. - Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o que, com frequência, poderíamos ganhar, por simples medo de arriscar. Então não pense no medo. Me dê sua mão e caminharemos juntos, descobrindo sensações e sentimentos. 

— Quando se tornou tão sábio em relação a sentimentos? 

— Desde o dia que descobri que estava apaixonado por você, pouco antes do nosso primeiro beijo. 

Não se aguentando e beijou a boca do mais novo, que retribuiu com a mesma intensidade, o que pareceu que durou anos teve que ser separado, por falta de ar. 

— Eu te amo Kim Taehyung, muito, mais do que eu posso falar. 

— Eu também te amo Bunny, muito, mil milhões. 

E sorriram sem acreditar que finalmente tudo se resolveu. 

— Pretende ficar na festa?  - Perguntou Jungkook com uma cara um tanto safada. 

— Não, meu planos são outros. 

Kim mandou uma mensagem a Jimin avisando para não se preocupar e que iria para casa com JK. Na saída se depararam com Hoseok e Jin aos beijos. 

— Mas olha só, finalmente se acertaram - O maknae falou sorrindo. 

Ambos se assustaram e pararam o beijo. 

— Estamos felizes por encontrar os dois de mãos dadas e sorrindo. - Seokjin comentou sorrindo também. - E usem camisinha. 

— Aish, não precisa falar isso, vamos Bunny. 

Pegaram um táxi e foram em direção ao apartamento de Tae. Não demorando a chegar, ele se atrapalhou com as chaves pois sua atenção era voltada a boca de Jeon. Conseguindo abrir a porta entraram rapidamente e o fogo presente no corpo de ambos não deixou chegarem ao quarto, peças de roupa ficaram no pequeno corredor até o sofá. 

Tae foi jogado no sofá, corpo com corpo, estavam nus, suas ereções roçavam uma na outra e mandavam descargas elétricas por todo o corpo. Beijos ganhavam mais urgência a cada segundo.   

— Tae, eu preciso agora. 

— Lubrificante e camisinhas estão na gaveta perto da Tv. 

Jungkook se levantou, seguindo até a gaveta e pegou o que precisava. Taehyung observava o corpo do outro, as coxas, bunda branquinha maravilhosa para marcar, as costas largas e o pescoço clamando para ser marcado. Voltando rapidamente, levantou Kim do sofá e este ficou de quatro para o mais velho. 

— Garoto, eu ainda vou morrer por sua causa. 

Taehyung mordeu o lábio, colocou a camisinha e passou o lubrificante na entrada do mais novo que piscava querendo ser preenchida. Colocou um dedo e Jungkook gemeu baixo, esperou um pouco e colocou outro dedo, começou a fazer movimentos de tesoura o preparando. 

Não aguentando mais, passou lubrificante em seu pênis, apesar de a camisinha já ser lubrificada. 

— Por favor, logo. - JK pediu manhoso e impaciente com a demora. 

Então segurou a bunda do mais novo, e deu um tapa, escutou um gemido alto e posicionou seu tamanho na entrada do mesmo, foi colocando a cabeça devagar e suspirou com a sensação de ser apertado e quente, continuou colocando lentamente, a sensação que Jungkook sentia era de ser rasgado, mas logo ficaria melhor. 

Começou a se movimentar rápido e fundo ambos gemendo alto e em harmonia, segurava com força a cintura de Jungkook. 

— Ai- ai, ma-mais rápido Tae. 

Taehyung sorriu por achar o ponto doce, de seu ruivo. Acelerou e fechou os olhos para aproveitar a sensação. Tirou seu pênis do lugar tão prazeroso para si e sentou no sofá. Escutou resmungos. 

— Senta pra mim, vai. Do jeito que você gosta.

Jungkook subiu em seu colo, pincelou sua entrada e sentou devagar. 

— Com todo prazer. - Falou entre gemidos. 

Começou a subir e descer aumentando a velocidade, seu pênis já esquecido e dolorido batia na barriga de Kim, então começou a se masturbar. 

— Isso Kookie, estou quase lá. 

Com mais alguns movimentos chegaram ao ápice juntos, as respirações se misturaram. Jungkook se levantou com um gemido de reprovação e sentou ao lado de Taehyung. Se olharam e sorriram. 

— Estou exausto. Acabou comigo, quase não sinto minhas pernas. 

— Eu que o diga.. Precisamos de um banho, vamos.. 

— Jajá. Vá na frente. 

— Vamos juntos para economizar água - Piscou e beijou JK rapidamente. - Eu quero te sentir dentro de mim. 

— Sempre que fala isso eu me arrepio todo. 

Foram para o banho, e as coisas começaram a esquentar novamente, terminando na cama, dessa vez com um Taehyung manhoso e gemendo cada vez mais alto com as estocadas que recebia. 

» Horas Depois « 


Deitados, Taehyung estava aninhado no braço de Jungkook, o mais velho o abraçava como se a qualquer momento fosse ser deixado novamente. 

— Calma amor, eu não vou a lugar nenhum. 

Beijou os lábios de Kim delicadamente e logo depois beijou sua testa. 

— Nesse tempo que ficamos distante eu compus uma música, mas não mostrei para ninguém. 

— Quero ver. Não, prefiro que cante. 

— Aish, estou com vergonha. 

Escondeu seu rosto no pescoço dele. E sorriu. 

— Seu bobo, por favor. 

— Tudo bem… 

Começou a cantar baixo. 

Ah, se tu soubesse

Que eu me derreto todo

Quando tu vem

Com essa de meu bem

Olhou nos olhos de Jeon. 

E que meu coração

Quase sai pela boca

Quando tu chega pertinho de alguém 

Observou seu rosto e suas expressões. 

Ah, se tu soubesse

Que meu coração adoece

Quando tu vem com essa de novo amor

Sentou na cama e Jungkook também. Segurou sua mão. 

E que meu coração

Quase sai pela boca

Quando tu chega pertinho de alguém. 

O ruivo sorriu passando a mão no rosto de seu amor, fazendo carinho ali, e fecharam os olhos. 

Que precisa esquecer o "nós"

Antes que esse nós

Nos mate com tanta dor. 

Que precisa agora caminhar

Pra eu não sentir tanta saudade da tua voz. 

Quando terminou se beijaram apaixonadamente mais uma vez. 

— Eu não tenho palavras para descrever o quão profundo essa música é. Meu namorado é um artista. 

— Namorado? - Sorriu, mas ambos coraram. - Eu não lembro de um pedido. 

— Espera. 

Se levantou, correu para sua calça e pegou uma caixinha pequena, roxa e voltou para o quarto. 

— Então - Mostrou a caixinha para Kim que ficou surpreso. - Eu ia te pedir ontem, mas vejo que agora é o momento perfeito - Se ajoelhou e fez o pedido. - Kim Taehyung, aceita namorar comigo? 

— Sim, sim, aceito. Meu namorado pelado.

Ambos sorriram, pegaram as alianças, colocaram no dedo um do outro e se beijaram.  

— Eu te amo meu Kim.

— Eu também te amo meu Jeon.

Passaram a madrugada entre beijos, abraços, conversas até finalmente dormirem. E serem acordados por um Jimin  curioso para saber de tudo. 

Ainda que precisemos conhecer o inverno para compreender o verão, assim como é necessário passar por momentos de tristeza profunda para conseguir identificar e valorizar a felicidade quando ela chegar. E não devemos, nunca, nos esquecer das pessoas que amamos. 



 


Notas Finais


Muito obrigada por chegar até aqui ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...