1. Spirit Fanfics >
  2. Atormentado por Demônios >
  3. Interessante

História Atormentado por Demônios - Capítulo 13


Escrita por:


Capítulo 13 - Interessante


2 dias atrás. 


Taemin estava planejando tudo, sabia exatamente o que fazer. 


– Quero todos os soldados na oeste da fronteira, se tentarem fugir atraem nos locais exatos, mas não os matem. – 



Flashback on: 


Taemin estava indo de casa em casa e nada de qualquer pista sobre Jungkook e Jimin, estava frustrado. Faltava apenas o bairro no final do reino ao qual era de pouca nobreza. Foi em muitas casas, batia nas portas e nada, foi quando sentiu o aroma de baunilha e mel de Jimin, farejou o ar e seguiu o rastro até uma casa, era bonita e o aroma vinha daquele lugar. Bateu na porta e um alfa junto de um ômega atenderam a porta.  


– Sim? – Falou o alfa. 


– Não irei enrolar. Vocês estão acusados de traição e se não colaborarem irei ordenar para que matem vocês. – Disparou e viu o ômega se encolher no alfa ao seu lado. 


– Do que falas, meu senhor? – O ômega fala confuso e recebe um olhar de repreensão do Lee. 


– Cale-te, ômega. – Ouviu um rosnado do alfa do ômega. – Não rosne pra mim! – Suspirou e arrumou sua postura. – O ômega que está em sua casa é um inimigo do reino, quero que me diga quando eles irão partir. – Diz. 


– Não sabemos do que fala, senhor. – Hoseok tenta fechar a porta mais é barrado por Taemin. 


– Vou ser mais claro. Se não me falarem o que eu quero eu vou matar vocês, ou melhor, eu mato o ômega. – Empunhou a espada e mirou em Taehyung, em um movimento rápido, ele puxa o ômega o colocando colado ao seu corpo e com a espada em direção ao peito. Hoseok arregalou os olhos em desespero. 


– Tudo bem, irei falar. – 


– Não, Hobi. – Fala tentando se mexer mas sente a pressão da espada em seu peito. 


– Não vou deixar ele te machucar. – Hoseok fala com um certo desespero na voz. 


– Me fale, não irei soltar o ômega até me falar. – O Jung suspira e começa. – Jimin está no cio e Jungkook o está ajudando, irão ir embora em alguns dias, não sei ao certo. Eles irão pela fronteira a oeste. Isso é tudo que eu sei. – Disse tudo o que sabia, sentiu o impacto do corpo de Taehyung no seu e o abraçou rapidamente. 


– Muito obrigado, estão agora sobre minha proteção e não deixarei nada acontecer com vocês, obrigado pelas informações, o rei ficará feliz em saber da lealdade de seu povo. – Disse em sarcasmo e deu as costas para o casal, mas parou e falou ainda de costas. – Ah, não contém nada ao príncipe e ao ômega, se contarem, morrerão. – e voltou a andar. 


Hoseok fechou a porta de sua casa e foi em direção ao sofá se sentando com os olhos arregalados em descrenças 


– Meu Deus. – Taehyung fala com lágrimas escorrendo por sua face. – O que você fez? – 


– Eu só queria te proteger, eu te amo, não posso jamais deixar nada acontecer contigo. – 


– Eles podem morrer. – e então ele desabou, as lágrimas não eram mais seguradas e corriam soltas por seu rosto. – Hoseok, meu Deus. – Sentiu os braços de seu alfa o abraçar e chorou com força. 


Ficaram daquele jeito a noite toda e de manhã não puderam contar nada ao seus amigos, e então 2 dias depois aconteceu o que temíam. 


Flashback off: 


Jimin e Jungkook andavam pelo corredores do palácio e Jimin tentava segurar suas lágrimas, o ômega estava com tanto medo de algo acontecer consigo ou com seu alfa. 


Jungkook percebendo a tristeza no ômega se aproximou do mesmo e o abraçou, tentava passar seguranças mas nem ele sabia o que iria acontecer. 


– Afasta, ômega. – Um guarda disse empurrando o ômega para longe de Jungkook e em resposta ele ouve um rosnado do príncipe. 


De repente, Jimin é afastado mais ainda de Jungkook e levado pra um corredor em direção contrária do alfa. 


– Jungkook. – Chamou o alfa com um timbre de claro desespero, eram alfas que o levavam, podiam fazer muitas coisas consigo. 


– Jimin, não o levem pra longe de mim, não, não, não! – Jungkook tentava se soltar dos guardas, mas nada adiantava, ele viu Jimin ser arrastado pra longe de si e não pode fazer nada. – O que vão fazer com ele? ME DIZ! – Ninguém o respondeu. 


Estava aflito, não sabia que iria acontecer com seu ômega, sentia pela marca que ele estava com medo, tentava passar tranquilidade, mas não adiantava, seu ômega ainda sentia medo. 


– Vamos pra sala do trono. – Jungkook tentava se soltar do aperto dos guardas. – Quieto, Jungkook. – Taemin fala. – Jimin está indo pra lá também, então fica quieto. – Curto e grosso. Voltaram a andar  e quando chegaram no corredor da sala do trono, Jungkook conseguiu sentir o doce aroma de Jimin. 


Jeon tentou se soltar do aperto dos alfas e entrar na sala do trono, mas novamente foi repreendido. 


– Obedeça. – Taemin diz apenas. O alfa abre a sala do trono e Jungkook finalmente consegue ver Jimin, ele estava bem, não tinha nenhum machucado e isso era o mais importante pra si. 


– Você chegou. – A voz grossa do rei é ouvida por todo o salão real. – Estaca conversando com seu ômega, e ele me propôs uma coisa bem interessante. – Jungkook olhou de imediato para o ômega. – Ele vai ficar enquanto você vai embora e pagar por todos os seus erros, isso é muito interessante. – 


Jimin estava de cabeça abaixada quando ouviu Jungkook rosnar. Finalmente Jungkook consegue se libertar dos alfas e vai em direção a seu ômega, seus olhos em verde água deixavam Jimin em uma mistura de receio e paixão. Era o alfa ali e não mais Jungkook. 


– Não, você não vai ficar aqui, não vou deixar. – 


– Não há o que fazer. Vão te matar não irei suportar a dor que sentirei se isso acontecer contigo, eu te amo, alfa. – 


– E o que acham que vai fazer com você? Eles vão fazer muito pior do que apenas de matarem, vão fazer você sofrer, eu não vou aguentar a dor de sentir que vocês está com medo. – 


– Desculpe. – Jimin abaixou a cabeça e sentiu os braços de Jungkook o rodearem. 


– Não podem nos separar, estamos marcados. – O alfa anunciou seus olhos estavam voltando ao normal. 


– O quê? – A rainha pergunta desacreditada. – Quando? – 


– A uma semana, o marquei no mesmo dia em que fugimos. – Jungkook revela, não tinha mais nada o que esconder, todos já sabiam sobre ele e Jimin. 


– Esse ômega é um completo bastardo. Se deitou com um alfa sem estar no casamento e pode ter muito bem engravidado. – Nari dispara contra Jimin. Seu plano estava indo por água a baixo, o simples fato de Jimin estar marcado já estraga muita coisa. 


– Não podem nos machucar nem se quisessem. Está na lei, e o senhor não quer quebrar uma lei de Deus, quer? – Jungkook pergunta com sarcasmo. – creio que não. – 


Um silêncio se instalou na grande sala do trono, todos estavam em silêncio e ninguém ousava dizer nada, o olhar raivoso do rei já era o suficiente para dar medo em todos ali. 


– SAIAM DA MINHA FRENTE. – Usou a voz de alfa fazendo Jimin e a rainha se encolherem. – Se ousarem aparecer, ao menos respirar em minha presença, ambos estarão mortos. – O rei 


Jimin foi levado por Jungkook até seus aposentos e assim que entraram ele desabou. Meu Deus, o que iria ser deles agora? 


– Jungkook... estou com medo. – Jimin revela o óbvio. 


– Estou aqui, nada vai te fazer mal, irei te proteger mesmo que eu morra fazendo, sua vida acima de tudo. – Declara, e leva Jimin para o banhar. – Não irei sair de seu lado por nada, meu amor. Se eles quiserem te levar, terão que me enfrentar. – 


Agora, ambos estavam deitados na cama, o primeiro a dormir foi Jimin, estava tão cansado e não se importava se era dia ou era noite. Jungkook que velou o sono de Jimin, sentia o cheiro diferente vir do ventre, as suspeitas eram reias, Jimin estava grávido de si. Se falasse que não estava feliz estaria comentando a maior mentira de sua vida, enquanto Jimin dormia, Jungkook deitou sua cabeça na barriga de Jimin e sorriu dormindo em seguida. 


Jimin acordou e percebeu que era noite, olhou pra baixo ao sentir um peso em sua barriga e sorriu ao perceber que era Jungkook, acariciou os cabelos negros de seu alfa e suspirou, fechou seus olhos e voltou a dormir, mas o que sonhou iria mudar tudo.


Sonho on: 


Jimin estava no mesmo cenário ao qual se afogou da última vez em que tinha sonhado, sentiu um temor ao sentir seu corpo ser puxado para o fundo da água. Sentiu todo o seu ar se esvair de seus pulmões. Sentia seu corpo ser picado cada vez mais fundo e nada adiantava tentar nadar pra superfície. Então sentiu, sentiu alguém o puxar pela mão e a pessoa que puxava seus pés o soltou, quando conseguiu respirar novamente ele ficou com os olhos fechados até conseguir respirar com tranquilidade. 


– Que bom que eu estava aqui. – Ouviu uma voz conhecida por si. 


– Você? – 


– Eu disse que iria te visitar em seus sonhos. – Min-Ki fala sorrindo. 


– MIN-KI! – Jimin abraçou a velha senhora, agora com uma aparência bem mais jovial. As lágrimas saiam com total liberdade, estava tão feliz por ter reencontrado com sua velha "amiga". – Senti tanto a sua falta. – Jimin fala se separando de Min-Ki. 


– Não temos tempo, você tem que acordar. – 


– Mas eu acabei de chegar. – 


– Use o livro, Jimin. – 


– Livro? – 


– Acorde! – Jimin estava tão confuso, queria resposta. 


– Espera, do que você está falando? – 


– Até a próxima. – Um clarão foi a última coisa que Jimin viu e então acordou. 


Sonho off 


O ômega acordou assustado e olhou para o quarto. Estava amanhecendo e seu alfa estava grudado em si ainda. Suspirou, aquele sonho era estranho, se lembrou das palavras de Min-Ki e foi em direção a um piso em falso que tinha em seu quarto onde tinha escondido o livro de bruxaria de Min-Ki. Ele começou a ler cada página e quando chegou na página 127, lembrava dela quando abriu o livro pela primeira vez. Por algum motivo aquela página em especifica o chamada atenção. Leu a página com atenção e logo já estava lendo todo o conteúdo daquela maldição. 


– Interessante. – 


(...) 


A rainha estava prestes a ter entrar em estado de loucura, estava passando por tanta coisa e tinha mais essa. Maldita hora em que concordou em deixar Jungkook ter esse ômega. Sabia que Jimin estava grávido, as probabilidades dele estar com um filhote no ventre nesse segundo é quase nula e isso a irritava. Sua loba não aceitava o fato de ter que matar um filhote, ela era mãe e sabia como é sofrer. 


– Droga. – A ômega fala irritada. – O que eu faço? – 


Notas Finais


———————-


Me perdoem pelo capítulo tão pequeno, o próximo eu vou recompensar vcs com um capítulo de mais de 3500 palavras. Me perdoem de novo.

O que acham que vai acontecer?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...