História Atração Inevitável - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Atração, Chefe, Drama, Romance, Secretária
Visualizações 57
Palavras 1.638
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá pessoal!
Mais um capítulo de Atração Inevitável.
Eu fiquei um tempo sem atualizar, mas recordem-se do aviso que eu dei lá no primeiro capítulo, onde eu disse que os capítulos seriam postados por quinzena ou semanalmente, é certo que eu devia postar nesta terça, mas eu estava em busca de uma citação e sugestão musical ideais que se adequasse ao capítulo, enfim, sem mais delongas e desculpas, prossigam e boa leitura!
Nos vemos nas notas finais:)

Capítulo 3 - Diante do chefe


C a p í t u l o  T r ê s: Diante do chefe

S u g e s t ã o  M u s i c a l: Traces - Hipnotized

“Just your presence and I second guess my sanity (Apenas tua presença me faz duvidar de minha sanidade) — Fragmento de S.O.S de Rihanna”

~12.07.18

●▬▬▬▬▬๑۩۩๑▬▬▬▬●

 

As mãos de Lauren ficaram frias, devido ao nervosismo que surgiu de repente.

A ironia da vida lhe pregando peças de novo. James, aquele que a ajudou na noite de ontem, é o seu chefe e dono da Donovan Industry?

Soa infantil, mas a vontade da mulher era sair correndo dali, apreensiva coçou ligeiramente a garganta, James reparou o desconforto e sentiu vontade de rir, não de Lauren, mas da situação, quem diria que a sua nova secretária seria a mulher que conhecera ontem na boate?

— Bom dia. — James estendeu a mão para saudá-la. — Seja bem vinda.

— Obrigada. — Engole em seco, tentando não demonstrar a confusão que está a sua mente.

Por um momento, não se reconheceu, já passou por algumas situações mais embaraçosas, talvez menos constrangedora do que essa, entretanto, o ponto não é a medição de qual circunstância é pior do que a outra, é de como Lauren teve audácia em resolvê-las independente de sua proporção. Então não é dessa vez que seria diferente. Iria lidar com isso, com muita elegância e profissionalismo.

— É um prazer estar aqui, Sr. Donovan. Eu me chamo Lauren Ochker.

Refez a postura em algo mais decente e se permitiu esboçar um sorriso simpático.

— O prazer é todo meu, Srta. Ochker. — James piscou sorrindo sem mostrar os dentes.

Ele está flertando? É isso mesmo? Que jogo sádico esse homem está jogando? — Se perguntou.

Tentou compreender todo esse embaraço, e chegou a duas alternativas bem automáticas, ou Donovan bebeu demais quando Lauren saiu da boate e esqueceu-se de tudo que houve, ou ele está atuando uma falsa amnésia. A segunda opção era mais viável, notoriamente ele se recordava dela, a surpresa tênue que surgiu em sua face quando a viu há alguns minutos, denunciou que ele estava cônscio de quem ela é.

— Venha sente-se.

Ele deu as costas à mulher que o acompanhou até a sua mesa, nesse curto trajeto Lauren analisou rapidamente a sala. Segue o mesmo designer do restante da empresa, onde o branco e os tons pastel predominam, o piso de arenito era espelhado de tão limpo, e a extensa sala possuía duas janelas de vidro que iam do chão até o teto, proporcionando a visão da silhueta de Seattle. Com certeza era de tirar o fôlego.

Os dois sentaram-se ao mesmo tempo nas poltronas.

Lauren passou os olhos pela enorme mesa de vidro onde todos os itens, papéis e detalhes estavam meticulosamente arrumados. Certa vez havia lido em algum artigo que a mesa de trabalho de um empresário diz muito sobre ele, mais do que anos de convivência poderia revelar. Com certeza Lauren estava diante de uma vítima de transtorno obsessivo compulsivo.

— Gostou de minha mesa, Srta. Ochker?

A secretária sentiu as suas bochechas corarem ao ver a diversão reluzir nos olhos dele. Donovan estava achando-a engraçada?

Vamos lá, Lauren não se intimide.

— Sim. É bem organizada. — Afirma casualmente.

— A Danielle faz um ótimo trabalho aqui. — James se inclina para trás para fitar melhor a sua secretária. Ela conseguia ser ainda mais bela do que ontem à noite quando a sua face angelical carregava uma grossa camada de maquiagem. — Mas enfim, a minha agenda está uma loucura e lhe asseguro que um trabalho denso lhe espera.

Aquiesce em compreensão.

— Estou aqui para o que for útil. Darei o meu melhor, Sr Donovan.

— Assim espero. — Refaz sua postura, ficando ereto na poltrona. — Fale-me um pouco sobre a sua experiência em secretariado.

Uma equipe especializada em admissões e demissões, levou em consideração alguns critérios  na contratação da nova secretária para Donovan, o mais importante era fluência em língua estrangeira, por isso, eles nem hesitaram ao contratar a senhorita Ochker, apesar de sua inexperiência.

— Nunca trabalhei como secretária antes, senhor. Mas fiz alguns cursos técnicos de secretariado e fui a algumas palestras muito enriquecedoras. — Talvez a última coisa que disse não teve validade, grande valor é participar de palestras.

Jack, líder dessa equipe, proveu informações rasas sobre Lauren, o mesmo deu a James um papel com tudo aquilo que julgou relevante, mais uma razão para James estender esse momento, e juntar o útil ao agradável. Iria conhecê-la melhor.

— Então diante do que a senhorita disse, eu acredito que sua inexperiência não anula a sua noção de secretariado já que fez alguns cursos técnicos, estou certo? — James arqueou a sobrancelha e Lauren notou como as palavras fluíam com naturalidade de sua boca, era tão agradável ouvi-lo.

— Muito certo, senhor. — Diz com segurança, mesmo não sabendo o que lhe esperava.

— Vou lhe dar um voto de confiança.

Um sorriso contido surgiu nos lábios de Lauren, não entendeu a felicidade momentânea que lhe sobreveio ao escutar a declaração do Donovan, talvez tivesse se esquecido de quem ele era e de como seria frustrante conviver todos os dias ao seu lado... Seria tentador demais, no entanto ela tinha domínio próprio até então, saberia lidar com a situação, e se não soubesse, tinha que aprender, embora sair correndo dali parecesse uma boa ideia.

— Obrigada pela confiança.

Comprimindo os lábios, ele levanta-se da poltrona fechando os botões centrais de seu paletó usando uma única mão, as veias eram saltadas e os seus dedos esguios similares a de um pianista. Será que a habilidade dele com as mãos excedia ao ato de fechar botões? Céus... O que ela está pensando?

O chefe foi até Lauren, os seus olhos flamejavam em algo desconhecido... Era crescente... Quase tangível e quando ele se inclinou colocando as mãos nos braços da poltrona, automaticamente a morena afastou a cabeça, temendo que o mesmo invadisse o seu espaço pessoal e arregalou levemente os olhos.

Com um sorriso de canto e sacana disse:

— Vou lhe dar uma coisa. A senhorita irá gostar. — Sussurrou.

Afastou-se indo em direção a adega, tirou de lá um vinho do porto Tawny e duas taças. Lauren de costas, não pôde ver o que o chefe estava fazendo, surgiu um turbilhão de pensamentos em sua mente. O que ele iria lhe dar?

Donovan apareceu com duas taças entrelaças em uma mão e a garrafa na outra.

— Me dar à honra de me acompanhar na bebida? — Pergunta se aproximando da secretária que ergue seu olhar.

Sem dúvidas James estava brincando com essa situação, ele devia manter o formalismo, ao menos no âmbito em que estão, porém, ele prolonga esse momento com simpatia e um quê de flertes enrustidos, tornando tudo mais complicado do que já era.

Maldita noite. Maldito destino. Maldito olhos verdes. Maldita pessoa que os possui.

— Sinto muito, Sr. Donovan. Mas eu não ingiro bebidas alcoólicas em horário de trabalho.

Lauren tomou muito cuidado com o tom e com suas palavras, não queria que as mesmas soassem grosseiras.

Diante da desfeita de sua secretária, James saca a rolha da garrafa e serve somente uma taça. Lauren acompanha o líquido avermelhado tomando espaço na taça redonda. Parece um vinho delicioso, bem rubro e cheiroso do jeitinho que gosta.

— O senhor costuma oferecer bebidas alcoólicas a todos os seus empregados que passam por essa porta? — Sabe quando as palavras fogem da boca sem passar pelo filtro do que é sensato falar ou não? Foi o que ocorreu com Lauren.

— Não. — Responde duramente, manuseando a taça com muita etiqueta. — A senhorita é minha secretária agora, pensei que seria cortês de minha parte, oferecer-lhe algo para beber. — Leva a taça até os lábios e bebe um pequeno gole com fluidez.

O modo como ele encostou a taça nos lábios... A sua mandíbula moveu-se irreparavelmente... O movimento de sua garganta quando o vinho desceu... E a sua língua passando de leve pelos cantos de sua boca, limpando qualquer resquício da bebida... Nossa, ele era deliciosamente másculo.

Lauren acorda! Disse para si mesma assustada com o rumo de seus pensamentos.

— Assine esses papéis, por favor. — James deixou a taça sobre a mesa e pegou o contrato e uma caneta para a sua nova secretária oficializar o seu posto.

Ela analisou rapidamente as clausulas daqueles papéis, disponibilizou alguns dados de sua documentação e por fim assinou.

— O que a senhorita espera nesse novo trabalho?

Lauren pensou por alguns segundos, o que responder? A pergunta foi inesperada, como todo o rumo dessa conversa está sendo, a mesma não ensaiou nada para responder isso, por isso preferiu ser sincera e disse:

— Eu espero ser uma profissional de verdade com funções condizentes e dignas, não uma servidora medíocre de café.

James abafou a vontade de rir da resposta de sua secretaria, ela era divertida, apesar de sua resistência em partilhar da bebida com ele, não somente uma mulher bonita, Lauren Ochker excedia as suas expectativas, era inteligente e perspicaz.

— Me agrada muitíssimo a sua franqueza. Continue assim. — Diz passando o peso do corpo para a outra perna. — Aliás, não se preocupe sobre a questão do café. Eu odeio café, mas aceitarei chá ginseng adoçado com mel.

Lauren sorriu largo, se levantando da poltrona, quando sorria os seus olhos se fechavam e ficavam pequenininhos, era aquele sorriso singelo e genuíno, aquele raro de se ver, enfim, ela era encantadora, concluiu James.

— A primeira etapa já foi cumprida, um dia denso de trabalho nos espera, Srta. Ochker. Pode voltar para sua mesa.

Com passos lentos, os dois foram até a porta, James dotado de cavalheirismo, abriu a porta para Lauren.

— Obrigada. — Agradece antes de sair olhando fixamente nos olhos do homem que apenas maneia a cabeça em cumprimento sutil e educado.

 

How you would look good on me (Como você ficaria bem em mim)

You look good on me (Você fica bem em mim)


Notas Finais


O que acharam desse capítulo? Estou ansiosa para saber a opinião de vocês!
Até a próxima, pessoal!
Link para sugestão musical:
https://youtu.be/2rMJisrFaIc


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...