1. Spirit Fanfics >
  2. Atração Perigosa >
  3. Um Like e Um Flagra

História Atração Perigosa - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Olá, meus amores!!
Tudo bem com vocês?
Bora conferir mais um capítulo?
Espero que gostem...

Capítulo 2 - Um Like e Um Flagra


Fanfic / Fanfiction Atração Perigosa - Capítulo 2 - Um Like e Um Flagra

Mara continuava pressionando sua boca contra a de Antônio, mesmo sem o homem corresponder. Era uma loucura o que estava acontecendo. Antônio jamais havia imaginado que estaria beijando a ex-namorada do filho. Tudo bem, ele não podia negar que sentia uma certa atração pela garota e que esse havia sido o motivo dele querer tanto que Alex terminasse sem relacionamento com ela. Sim, Antônio Gutiérrez nutria secretamente um desejo pela jovem rainha do Laix, porém, nunca havia tido coragem de confessar. Até porque ele sabia que a garota era apaixonada por seu filho. E não queria correr o risco de ser descoberto em mais uma de suas mentiras. Por sua vez, Mara também não era nenhuma santa. A jovem estava disposta a tudo para se vingar e nada melhor do que seduzir o pai de seu ex para obter finalmente seu triunfo sobre o rapaz e também sobre Carmin e Paula. A mãe de Alex sempre lhe tratou mal e agora... Agora estava na hora de pagar pelo que havia lhe feito.

- Mara... Es... Espera. – Antônio fala tentando se afastar, porém, a vontade de ceder e beijar a garota era maior que tudo. O homem então entreabre a boca e começa a corresponder o beijo, o que surpreende Mara. A garota jamais havia imaginado que seria correspondida. Antônio puxa a garota para mais perto e intensifica o beijo, fazendo Mara gemer contra sua boca. Gutiérrez pede passagem com a língua e prontamente é atendido. Mara passa os braços pelo pescoço do homem e suspira contra sua boca. Jamais havia sido beijada daquela forma. Com tanto desejo e paixão. Alex jamais tinha lhe beijado daquele jeito e isso era o que mais a irritava. Seu namorado que deveria beijá-la daquela forma, jamais havia sido capaz de fazer enquanto o homem que não era nada seu... Estava lhe surpreendendo.

A falta de ar se faz presente e o casal se separa. Extremamente ofegante, Mara levanta do sofá e encara Antônio um pouco atônita com o que havia acontecido. De fato, havia sido um impulso da jovem. Porém, não podia negar que tinha sido muito bom. E agora, mais do que nunca ela tinha certeza do que queria fazer para se vingar. Seduziria Antônio e acabaria de vez com a família Gutiérrez. – Desculpa, Antônio. Eu... Eu não sei o que me deu. Des... Desculpa. – Mara fala nervosa, fingindo estar mal por ter beijado o homem.

- Ér... Tudo bem. Vamos... – Antônio fala e suspira. – Vamos esquecer o que aconteceu. Foi... Foi algo de momento. Você... Você está sensível por tudo o que aconteceu. – O homem fala. Era óbvio que ele queria continuar a beijando, porém, precisava manter a pose de um homem “fiel”.

- Eu... Eu preciso ir. – Mara fala pegando sua bolsa no sofá. Quando vira novamente, seu corpo se choca com o de Antônio que também estava em pé. – Eu... Desculpa. – Nervosa, a jovem se afasta ao mesmo tempo em que Carmin e Paula entram.

- Tudo bem por aqui? – A mulher pergunta encarando Antônio. O homem engole a seco e força um sorriso.

- Sim, claro.

- Bom, eu... Eu preciso ir. Lembrei que tenho um compromisso muito importante agora. Ér... Antônio, nos vemos no Laix. Lá, terei mais tempo pra assinar o contrato. – A jovem fala e se despede do Gutiérrez.

Caminhando pelas ruas, Mara se sentia extremamente confusa. Tudo bem que ela havia beijado Antônio por impulso, mas não imaginava que iria gostar tanto do beijo. Jamais pensou que o pai de Alex beijasse tão bem. Era de um homem assim que ela precisava em sua vida. – Antônio Gutiérrez, você vai me ajudar a me vingar de todos os que me fizeram sofrer e que me humilharam. Em especial, sua querida família. – A garota fala para si mesma. Mara estava disposta a tudo para se vingar e agora tinha uma nova carta na manga. Antônio Gutiérrez. Ele seria seu alvo. Ele a ajudaria a se vingar.

[...]

Já era madrugada, quando Mara decidia levantar para tomar um copo de leite. A jovem não conseguia parar de pensar no beijo que havia trocado com Antônio. Apesar de agora se dar conta de que ele seria sua arma secreta para se vingar, a garota não podia negar que havia gostado muito do que havia acontecido. E Mara queria mais. Não somente por causa de seus planos, mas porque estava se sentindo muito atraída pelo homem e queria ir até o fim. As consequências de seus atos depois ela veria. Agora, ela só precisava seduzi-lo e se entregar a essa maluca atração que estava sentindo. Mara estava entrando em um terreno extremamente perigoso, porém, ela amava o perigo. E nada melhor do que tirar proveito de algo que a beneficiaria. Antônio era um homem bonito, beijava bem... Era carinhoso com ela e agora era seu mais novo representante. Ela podia muito bem se aproveitar da situação. E era isso o que iria fazer.

Após terminar seu copo de leite, a jovem volta para o quarto tendo plena certeza de que não iria conseguir dormir naquela noite. Já na casa dos Gutiérrez, a coisa não era muito diferente. Antônio não conseguia pregar o olho. Há tempos vinha escondendo sua atração por Mara e agora que ela havia lhe beijado, não saberia dizer se continuaria fingindo que não sentia nada. Ele já havia sido infiel diversas outras vezes, porém, agora era diferente. Mara era diferente. Pela primeira vez, o homem tinha medo do que poderia acontecer entre ele e a jovem. Mara era igual ou pior que ele e não media esforços para conseguir triunfar. Ele tinha até um certo medo do que a garota pudesse fazer. Mas... No fundo, ele sabia que estava disposto a tudo somente para beijá-la mais uma vez.

O dia finalmente amanhece e já no Laix, Mara arrumava suas coisas para a gravação de mais um vídeo. Havia tido algumas ideias e queria coloca-las em prática. Claro que iria esperar Antônio e Marcos chegarem para contar-lhe as ideia. A jovem tinha certeza de que os dois iriam adorar. Novamente, os pensamentos da garota recaem no beijo com Antônio. – Droga! Porque eu não consigo parar de pensar em você?

- Falando sozinha, Mara? – Antônio fala ao entrar na sala e ver a jovem sentada com um semblante pensativo.

- Ah... Ér... Não é nada demais, Antônio. Tudo bem? – A garota pergunta se aproximando do homem e lhe dando um beijo no rosto.

- Sim, tudo.

- E... Porque essa cara então?

- Não... Não dormi bem à noite. – O homem confessa encarando a jovem que sorri.

- Também tive o mesmo problema. E com certeza também é pelo mesmo motivo. Eu... Eu sei que parece uma loucura, mas... Eu não consigo parar de pensar em você e no nosso beijo. – A jovem fala dando às costas para Antônio. – Desculpa por falar isso, mas... Eu... Eu gostei muito do beijo.

- Eu também gostei. Demais. – Antônio fala se aproximando da garota que repentinamente se vira e o encara. Ambos estavam próximos demais. Seus corpos quase se tocavam. O calor que um emanava pro outro era surreal e muito gostoso. – Eu não consigo parar de pensar em você. – Antônio confessa enquanto acaricia o rosto de Mara que instantaneamente fecha os olhos. Ela nunca havia sido acariciada assim. Porque Alex nunca tinha lhe tratado daquela forma? Porque ele nunca a olhou da forma como seu pai a olhava? Porque tinha que ser Antônio ali e não ele?

- Antônio... Me... Me beija. – Mara pede ao abrir os olhos e se rendendo ao desejo de seus corpos, o homem cola sua boca na da jovem num beijo quente e intenso. Seus corpos se chocam e o calor aumenta. Mara corresponde de imediato ao beijo e estremece quando sua língua encontra a de Antônio. A jovem então sobe as mãos pelos braços do Gutiérrez e as repousa em seu pescoço. Cada vez mais entregue, Mara arranha a nuca de Antônio e recebe um gemido como resposta. Mara sente seu corpo pegar fogo ao ser prensada na parede. Seu corpo estava cada vez mais colado ao de Antônio e a jovem já conseguia sentir os sinais que aquele beijo intenso estava dando. Antônio estava começando a ficar excitado e isso a estava deixando louca. Alex jamais havia ficado assim com ela. Sim, o casal nunca havia transado. O motivo? Alex acreditava que era cedo demais para se entregarem daquela forma. Agora, Mara sentia cada vez mais raiva pelo ex e queria a todo custo se vingar. Alex não perderia por esperar. Sentindo falta de ar, Antônio separa sua boca da de Mara e passa a distribuir beijos pelo pescoço da garota que geme em seu ouvido.

- Você me deixa louco... Completamente louco. – O homem sussurra e volta a beijar os lábios da garota. Mas, o momento quente não dura muito. Ambos se assustam quando escutam aplausos logo atrás dele. Ao olharem, o casal arregala os olhos ao verem que Marcos Golden estava parado sorrindo maliciosamente enquanto os observava.

- Like para essa parceria. Ou será que... Seria um deslike por sua traição, Antônio Gutiérrez?


Notas Finais


Gostaram?
Pois é, Mara decidiu que vai usar Antônio para se vingar de Alex, Carmin e Paula. Mas... Será que isso vai dar certo?
Marcos Golden pegou o casal no flagra. Algum palpite sobre o que o CEO do Laix irá fazer?
Espero vocês no próximo capítulo!
Beijos e até mais!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...