História Atraído - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Got7
Personagens Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Youngjae
Tags 2jae, Jinson, Markbum, Markjin, Markjinson, Markson
Visualizações 68
Palavras 900
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Fluffy, LGBT, Poesias, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Enton... estes dias eu estou postando bastante, sabe? criatividade abundante dá nisso, foda né?

eu deveria estar fazendo tanta coisa, poderia estar lendo sobre o universo que vai se rolar minha marksung, poderia estar lendo outras fanfics para ficar mais familiarizada com fanfic, ou escrevendo mais do plot da bendita marksung, mas cá estou eu, postando uma 2jae com aquele cheirinho de markbum

boa leitura!!!!!!1

Capítulo 1 - Único


Talvez fosse o sorriso?

Não, era mais que isso.

Talvez a forma de lhe dominar, como ninguém nunca antes fez?

Não, não tinha como ser, era algo mais.

As manias, que prendiam sua atenção enquanto executadas, talvez?

Ainda não parecia ser, mas se não, o que era, então?

A voz, que lhe hipnotizava enquanto cantava, por mais banal que fosse a canção?

Talvez fosse, mas, por que sentia o coração acelerar sempre que via o garoto de sorriso fácil e personalidade variável?

Não fazia sentido, para Jaebum, nada mais fazia sentido.

– O que está fazendo? – A voz suave de Mark lhe adentrou os ouvidos, fazendo com que despertasse de seus devaneios. O caderno em seu colo sequer fora fechado, sabia que seria em vão – “Minha mente me trai, seu sorriso é uma das coisas que me atrai. A verdade persiste, e você já não mais existe. Minha cabeça parece fechar, e eu sinto que irá recomeçar. Uma atração sem fim, que sempre se perde em mim.” – Recitou, por cima do que havia conseguido ler do caderninho de poesias do mais novo – Escrevendo sobre Youngjae de novo? – Perguntou, baixo, se sentando ao lado do menor e encolhendo as pernas rente ao peito.

– Eu não sei mais como viver sem aquele garoto – Bagunçou os cabelos negros, sua frustração parecia o queimar por dentro – Hyung, o que está acontecendo comigo? Eu passei anos sem sentir nada parecido, aí ele chega e me deixa todo... coisado.

– Ainda não sabe o que sente por ele? – Jaebum negou, e o Tuan se permitiu sorrir – E se você estiver apaixonado por ele, Jaebummie?

O mais novo lhe encarou, as sobrancelhas franzidas e a boca retorcida em desgosto.

– Melhor você trocar seu curso para culinária, hyung, psicologia não está fazendo efeito – Negou, e continuou negando a si mesmo.

Im Jaebum apaixonado? Sem cabimento algum!

– Então como você chama essa “atração” que sente por ele? Me responda agora, já que sabe tanto – O encarou, exigindo explicações que, sendo seu melhor amigo, obviamente merecia.

Jaebum o encarou, observando os lábios alheio, não se pareciam com os de Youngjae, observou os cabelos loiros, não, mesmo se Youngjae fosse loiro, seus cabelos não seriam parecidos com os de Mark.

Por fim, se aproximou mais do mais velho, e ele não estranhou, sabia os métodos de Jaebum para saber se está apaixonado.

Ele provavelmente lhe beijaria, e caso sentisse o mesmo que sentia com Youngjae, diria que o loiro estava errado, mas se não sentisse, correria atrás do moreno e faria alguma loucura típica de Jaebum.

E lhe beijou, e o Tuan aproveitou daquilo, aproveitou-se das mãos para pôr na cintura alheia, como o baixinho sorridente fazia, aproveitou-se o suficiente para apertar ali despudoradamente, para se inclinar sobre o corpo do amigo, quase o pondo deitado sobre o gramado, mas antes que o fizesse, rompeu o beijo, apoiando as mãos no peitoral alheio, o encarando, sorridente e ofegante.

– Então? – Arqueou uma das sobrancelhas, mordendo o lábio inferior para conter seu sorriso claro de vitória.

– Qual a aula que Youngjae vai ter agora?

Mark riu, contido, mas riu, arrumando a postura e encarando o campus, como se procurasse pelo baixinho, e não demorou a achar a bolinha azul que se espremia entre tantos outros estudantes e vinha até onde antes estavam, correndo.

– Por que você mesmo não pergunta? – Disse, calmo, e Jaebum levantou em meros milésimos de segundos, atordoado, olhando ao redor e sorrindo largo ao ver Youngjae vindo em sua direção, se pondo a correr em direção ao garoto assim que notou o quão idiota devia estar parecendo ali, parado, sorrindo igual bobo. Mas ele era, completamente bobo por Choi Youngjae.

– Dando uma de cupido novamente, Tuan? – Uma voz falou atrás de si, apenas encostou a cabeça na àrvore e afirmou, já sabendo quem era apenas pelo timbre rouco e suave.

– Você devia arrumar um namorado para você, hyung – Falou outra voz, e Mark abriu os olhos, encarando Jackson e Jinyoung, que estavam de mãos dadas, com um sorriso maligno.

– Só aceito se for um de vocês dois – Piscou, arrancando um sorrisinho de ambos enquanto se sentavam de frente para si.

– Se Jinyounggie aceitar, tudo bem por mim, seriamos um trio maravilhoso – Sorriu o chinês – Um médico bonito para caralho, um diretor de cinema mais bonito ainda e um fotográfo que, convenhamos, é o mais delícia da ala, se existir um trio melhor, eu discordo – Gesticulava incansavelmente, sorrindo bobo.

– Eu estudo pscicologia, não medicina – Mark revirou os olhos, cansou de explicar aquilo ao Wang depois de tanto tempo.

– Continua sendo bonito para caralho, mocinho – Jinyoung lhe tocou o nariz, enfim entrando na conversa.

– Ai meu Deus, vocês ainda me enlouquecem qualquer dia desses.

– Enfim, onde o Jaebum foi correndo? – Indagou o Park novamente, se posiciando mais perto do mais velho, pondo a cabeça encostada em seu ombro.

– Atrás das respostas dele.

Os garotos lhe olharam, confusos.

– Vocês não sabem como ele caça as resoluções das coisas? – Os dois então murmuraram, entendendo.

– Por isso vocês estavam se beijando? – Perguntou Jackson, mais confuso que Jinyoung.

– Yeah.

– Acho que preciso de umas respostas também – Murmurou Jinyoung, aproximando-se do mais velho com um biquinho como se fosse lhe beijar, e pretendia, se não fosse Mark lhe pondo a mão sobre a boca e o afastando.

– Jackson, controla seu namorado! – Gritou, rindo, já tendo Jinyoung sobre si.

– Difícil, você é realmente atrativo, sabia? – E riu, atiçando vergonha no louro.


Notas Finais


sobre a poesia... rs, autoria minha

e esse jinson todo atirado no markinhos? Credo que delícia, digo, que delícia mesmo

quem queria amigos como mark, respira

hehehe

até uma próxima! eu acho...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...