História Atraídos - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Camille O'Connell, Klaus Mikaelson
Tags Amor, Bruxa, Camille O'connell, Klamille, Klaus Mikaelson, The Originals, The Vampire Diaries, Trevas, Tvd, Vampiro, Vampiro Origianal
Visualizações 27
Palavras 636
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Voltei ❤

Voltei agora com uma história de Klamille...

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Atraídos - Capítulo 1 - Prólogo

" Minha mente esta enlouquecendo, sinto as vozes, as visões se tornarem um fardo. Sinto que cada parte do meu corpo colaborar para a minha morte. Estou enlouquecendo eu sei, não ha a cura, apenas morte. "

Diário de Lilian O' connell. 


Camille:

Cami fechou o diário de sua bisavô e suspirou baixinho. A jovem levantou a cabeça e olhou para a passagem que passava por sua janela. Seus olhos ficaram marejados em lembrar de seu irmão, Sean! O rapaz havia se suicidado após matar varias pessoas na igreja. Cami ainda não conseguia acreditar que o seu adorável irmão havia cometido tamanha crueldade. Cami era a ovelha negra da familia e não Sean.

Cami descansou a cabeça no banco do carro e fechou os olhos, talvez a loucura de Lilian O' connell tenha passado para seu irmão. Nesse momento a voz de sua mãe soou em sua mente "No mundo sobrenatural jamais haverá uma morte sem motivo" Cami assentiu, sua mãe havia tido razão, e naquele momento o único pensamento que rodiava a jovem era descobrir o que havia acontecido de fato com seu irmão, e se quanto tempo ela tinha antes de enlouquecer como Sean.

*

— Minha sobrinha favorita! — O padre Kieran sorriu para mais nova e abriu os braços para abraçar-lá.

— Olá, tio! — Responder Cami baixinho e a mesma força um sorriso. — Há malas no carro, o senhor me ajudar?

— Claro, minha sobrinha. — Fala Kieran e ele se afastar a admirando. — Você está tão linda! Você é a luz, minha querida!

Cami abre um sorriso envergonhado e balança a cabeça. 

— Obrigada! — Fala Cami com um sorriso fofo no rosto.

Enquanto Cami retirava suas coisas dentro do carro, no outro lado da rua um homem de terno a observava. Assim que Cami fechou a traseira do carro, seu olhar se encontrou com o do homem.  A loira ficou parada o encarando, ela não o conhecia. Nunca o havia visto, nem mesmo na época que morava em Nova Orleans. Cami desviou o olhar por alguns segundos e quando voltou a encarar-lo, ele não estava mais ali.

*

Um tempo passou desde que a Cami chegou na cidade. Cami havia conseguido um emprego como bartender no bar da cidade. A loira limpou o balcão de madeira e bocejou. Não era a sua noite, mas acabara ficando no lugar de outra garota.

Cami ouviu o barulho de copo batendo na madeira e encarou o fim do balcão. Havia um rapaz ali. Ele deu um sorrisinho, que Cami definiu como um sorriso cafajeste. O copo do loiro ainda estava cheio e a jovem decidiu ignorar, deveria já esta bêbado. Após alguns minutos Cami olhou para onde o rapaz estava sentado e ele havia sumido e deixando uma gorjeta de cem dólares.

Klaus: 

A batalha contra Dhalia finalmente havia acabado. Hope Mikaelson estava finalmente em paz, assim deixando os irmãos Mikaelson sossegados, pelo menos até aquele momento. Apesar de saber que tudo havia acabado, Klaus ainda nutria um sentimento que aquele sossego não era tao verdadeiro assim. 

A cada dia que passava Klaus começava a desconfiar de todos e de tudo. O sossego nunca fora verdadeiro, esse era o seu único pensamento naqueles dias. Querendo distancia esses pensamentos, Klaus decidiu-se ir em um bar. Chegando lá, ele viu a loira de longe. 

Não era possível que fosse ela, ela estava morta. Ele a viu morrer

Klaus entrou com tudo no bar e a loira que ele viu fechou a cara.

— Ei, ei!!! Aqui não! — Fala a loira alterado a voz. — Respeito!

A loira voltar a trabalhar ignorando Klaus. Não era ela, mas como ?  O rosto delicado, os cabelos loiros era igual a... Os olhos eram diferentes, tinha algo profundo nos olhos da jovem. 

Klaus se sentou e viu no cachá da jovem escrito " Camille". 

— Camille!! — Sussurrou Klaus pensativo.


Notas Finais


Então???


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...