1. Spirit Fanfics >
  2. Atrás da Pessoa Certa >
  3. Capítulo Único

História Atrás da Pessoa Certa - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


oi, oi, gente, como vocês estão? mais uma vez eu em meio de semana fazendo postagem de fanfickk. esse plot surgiu enquanto eu assistia o filme “Como eu era antes de você”, então né, espero que vocês gostem, achei o finalzinho assim meio mé, mas espero que gostem mesmo assim, porque eu gostei muito de escrever...

[capitulo não corrigido]

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Atrás da Pessoa Certa - Capítulo 1 - Capítulo Único

Capítulo Único 

 

“Quando começamos a ler uma história, nunca pensamos como será a última parte dela… e talvez, tudo fique mais mágico sendo assim”.

 

Com o rosto debruçado sobre a vidraça do carro, sentindo seus fios sendo bagunçados pelo vento frio do ar-condicionado e com seu rosto tão estático quanto uma estátua, assim estava Naruto. Seus pensamentos rodavam atordoados por sua cabeça e ele simplesmente não conseguia dizer ou fazer nada.

 

“Não há mais nada a se fazer, o tumor já tomou quase todo o seu pâncreas e já começa a invadir seus vasos esplênicos, a quimioterapia não está dando resultados… sentimos muito”.

 

Era tudo que se passava em sua cabeça; a sensação de perder seu chão e a angústia de ver todo o futuro que planejou durante toda a vida se esvair em um piscar de olhos, não havia nada mais aterrorizante que isso, principalmente quando você percebe que a esperança que você se agarrou com unhas e dentes, era apenas… ilusão.

 

Saber que não terá mais um amanhã é devastador.

 

“Quanto tempo, doutor? — perguntou, sua voz soava tão baixa que nem se dava para saber se realmente procurava uma resposta.”

 

“No máximo, você tem… um mês sr.Uzumaki — respondeu, tão frio como a geada do inverno, como se ele já houvesse dado tal notícia milhões de vezes, que essa… bom, era apenas mais uma. — Sinto muito —, seus pêsames soavam de uma forma tão falsa, que era impossível se ver empatia naquilo que dizia”.

 

Um mês. Não era tempo suficiente… não tinha como ser; Naruto não conseguiria terminar a sua faculdade, esta que ele trancou quando diagnosticado, e nunca poderia exercer a profissão que sempre amou, não poderia realizar seu sonho de se casar com a pessoa que ama, não teria tempo para ter um filho… era pouco tempo para tudo que quisesse fazer algum dia.

 

Não poderia amar Sasuke da forma como ele merecia, já que nos últimos dois anos, o namoro dos dois haviam virado dias diários no hospital, quimioterapia, e muita dor. Mesmo que essas atitudes mostrassem o quanto Sasuke amava seu namorado, o que o loiro tinha feito durante esses dois anos que mostrasse ao Uchiha que ele o amava, irrevogavelmente e intensamente? Esses pensamentos lhe martirizava.

 

Naruto apenas o ocupou, fez o Uchiha perder seu tempo amando alguém que nunca poderia ter um futuro consigo, ele foi um fardo, impedindo Sasuke de achar a pessoa certa, alguém que pudesse envelhecer ao seu lado, alguém que… lhe completasse.

 

O Uzumaki apenas se prendeu a expectativas e esperanças fajutas, e fez seu namorado se prender a isso também. 

 

Ele iria morrer. Disso não tinha dúvidas. Mas e Sasuke? Naruto apenas esqueceria de todo o tempo que o prendeu em um relacionamento que não teria um futuro? Deixaria-o sofrer por toda a quebra das esperanças? Não podia fazer isso, não podia simplesmente deixá-lo, pelo menos não depois de impedi-lo de seguir sua vida, sem alguém com câncer lhe atrasando.

 

“Amor?”...

 

“Amor, ei, amor?”...

 

— Naruto? — os olhos azuis-piscina agora sem brilho, se desviaram quando seus pensamentos se esvaíram; uma mão estava pousada sobre seu ombro, e olhos escuros, e um sorriso murcho lhe olhavam. — Chegamos — disse, desviando seus olhos para uma casa alaranjada exorbitante.

 

O loiro não disse mais nada, ele nem sequer sabia se conseguiria dizer alguma coisa depois do que ouviu, e do que pensou; Naruto desceu do carro, cambaleando, sentindo-se fraco, efeito das intensas quimioterapias, que não o ajudaram. Ele fechou a porta, e prosseguiu, adentrando sua casa, Sasuke o segurou, ao ver sua fisionomia desvanecendo-se, e o ajudou a se sentar sobre o sofá. 

 

O Uchiha já sabia tudo que precisava fazer: fazer uma comida, pois Naruto não podia ficar fraco, pelo menos não mais do que já estava, e servi-lo da melhor maneira possível, depois ajudar o loiro a tomar um banho quente bem relaxante, para que seu sono prosseguisse bom e tranquilo, e depois, dar seus remédios para finalmente deixá-lo descansar.

 

— Hmm, bom, eu estava pensando — Sasuke proferiu, ele estava destruído, mas não poderia mostrar isso à Naruto, pois ele com toda certeza, estava bem mais desnorteado, — o que acha de uma pedirmos um delivery daquele lamen que você adora? — disse, sentando-se ao lado de seu namorado. — Podemos maratonar Genius, pois como sabe… ehr, ela é nossa série prefe-

 

— Você odeia essa série, Sasuke —, os olhos escuros do Uchiha se arregalaram, pois essa era a primeira vez em cerca de cinco horas que Naruto abria a boca para falar alguma coisa, Sasuke suspirou, totalmente rendido. 

 

— É, mas eu sei que você gosta muito dela — retrucou, sorrindo, mas o rosto do Uzumaki havia mais uma vez perdido o brilho; novamente seu sol interior parecia querer se apagar, e isso estava o matando de todas as formas possíveis. — Ou então, pulamos para o banho, e depois ficamos bem quentinhos debaixo dos cobertores… que tal?

 

O silêncio se instaurou naquela sala, a tensão que antes estava dentro do carro, parece ter invadido a casa da maneira mais avassaladora possível; os olhos azuis já não encontravam-se com os de Sasuke, nem sequer tinha um lugar para olhar. 

 

A verdade era que os dois não sabiam o que, e nem como dizer qualquer coisa que fosse relacionado a tudo que aconteceu, apenas precisavam mais do que nunca… serem apenas eles dois.

 

Perdido. 

 

Sozinho.

 

Fim.

 

Naruto veria aquela luz brilhando, lhe chamando? Para onde ele iria? Viraria uma estrela, ou simplesmente sumiria no meio da imensidão, haveria de fato um céu? Sasuke se lembraria? Seus pais… amigos… quanto tempo levariam para o esquecer? Era tudo perguntas, e mais perguntas sem respostas, estava totalmente preso nas incógnitas incompressíveis.

 

Naruto sentiu um arrepio forte quando seu corpo foi puxado, colapsando-se abruptamente com o corpo quente e forte do Uchiha, que lhe aconchegou em seu peito, puxando-o para si como se fosse fazer um abrigo. Naruto agarrou-se a blusa vermelha que Sasuke usava, inspirando o ar pesado para seus pulmões, para guardar tudo que podia dele.

 

Naruto queria poder lembrar minuciosamente do seu rosto fino, e pálido, com um maxilar marcado, que lhe dava uma feição tão séria e tão supersensual; seus olhos puxados com as orbes em um tom tão escuro de preto, e um nariz afilado. Seu cheiro era como de morangos que floresceram na estação certa, era desestabilizante sentir este hircismo de alguém que passa uma imagem tão culta e amedrontadora. 

 

Do seu corpo que não era nem tão musculoso, nem tão cheio, mas também nem tão magro; era como a quantidade certa. Das tatuagens que percorriam por todo seu corpo, e também pelos belos piercings que lhe acompanhavam. 

 

Sasuke era perfeito. 

 

Naruto não tinha dúvidas do quanto o amava, de forma tão profunda e intensa que seu fôlego parecia sumir no meio de tantos sentimentos. E tudo parecia doer mais ainda, quando ele sabia que só tinha mais um mês para sentir tudo aquilo, apenas um mês para ficar zonzo pelo amor embriagante que sentia, mas ele não conseguia aceitar, e nem sabia se alguém aceitaria… que só havia mais um mês para olhar a pessoa que ama, e para observar todos os detalhes esquecidos do mundo ao nosso redor.

 

O Uzumaki não poderia ficar parado, ele precisava fazer alguma coisa, precisava fazer algo que compensasse o tanto de tempo que Sasuke desperdiçou consigo.

 

Precisava achar alguém para substituí-lo, e teria que ser a pessoa certa.

 

{ … }

 

Naquela noite, os olhos do loiro mal se fecharam; a ansiedade e a tristeza lhe cercaram e lhe fizeram companhia. E, quando nos poucos minutos que conseguia cochilar, pesadelos o acordavam, e mais uma vez ele se punha a fazer a única coisa que poderia: chorar. 

 

Baixo, e encolhido. Hora ou outra observando Sasuke dormir; tão angelical. 

 

Seu porto seguro, a única pessoa que foi capaz de lhe fazer persistir durante todo o tempo, e que mesmo vendo que nada daria jeito, continuava ali, sorrindo, lhe ajudando, lhe consolando e o fazendo sorrir. 

 

Sasuke esteve lá desde o primeiro diagnóstico, desde o início das quimioterapias até a perda dos seus cabelos, e também quando eles voltaram a crescer; esteve lá quando o corpo de Naruto se enfraquecia cada vez mais, esteve lá quando a cor antes bronzeada do corpo do Uzumaki tomaram uma cor amarela apática, e quando os olhos azuis piscina ficaram cercados por um tom esmiuçado de amarelo. 

 

Agora, Naruto iria embora, e não seria um adeus temporário, não seria pouco o tempo que ele partiria; nem sequer dava para saber se eles encontrariam mais uma vez, Sasuke ficaria, sozinho depois de tudo que fez. 

 

Naruto se levantou, sentando-se na beirada da cama, sentindo-se tonto e nauseado. Levou suas mãos ao rosto, passando-as por ele, dando um longo bocejo. Parecia que alguém havia dançado sobre todo seu corpo, estava morto. Era estranho se pensar nisso quando você está, literalmente aos pés do precipício. Mas era verdade, seu corpo não respondia direito aos seus comandos, e tudo doía. 

 

Ele virou seu rosto para trás, Sasuke já havia se levantado. Naruto voltou seu olhar para frente, observando o relógio a sua frente, era nove e meia, em um suspiro o Uzumaki se levantou; caminhando deliberadamente até o banheiro, onde se despiu das roupas que usava, adentrando o banheiro e ligando o chuveiro. A água morna caiu sobre seu corpo, que se retraiu ao senti-la percorrer por seus músculos.

 

Até a água doía. 

 

Naruto desligou a ducha após ter se ensaboado, e retirado todos os resquícios do sabão logo em seguida, puxando assim a toalha que estava estendida sobre o boxer, enxugando-se e antes de sair enrolando-a sobre sua cintura; o Uzumaki girou seus calcanhares, indo até a pia, onde terminou de fazer suas higienes. Não demorou muito e ele já estava no andar debaixo, vestindo a roupa mais confortável que achou em seu armário. 

 

— Bom dia — disse Sasuke, caminhando até a mesa da cozinha com alguns aperitivos, sorrindo amável para seu namorado; Naruto apenas murmurou um “Bom dia” de volta, sem animação. — Conseguiu dormir? —, perguntou, mesmo já sabendo a resposta.

 

— Não. — O Uzumaki respondeu, se sentando na mesa, vendo o Uchiha se movendo para lá e pra cá, com muitos pratos diferentes; ovos com bacon, café e três tipos de sucos diferentes, uma vitamina, mistos quentes… um verdadeiro café da manhã, era irônico o quanto isso mostrava que Sasuke estava nervoso. — Podemos… conversar? — disse por fim ao perceber que Sasuke queria evitar aquele momento, enquanto fazia comidas. 

 

O Uchiha respirou fundo, não havia como ignorar tudo que aconteceu no dia anterior, era tanta informação que ele sequer sabia por onde começar; não sabia o que dizer ao seu namorado, muito menos como o confortaria, se é que existia uma maneira de fazer isso. Sasuke não sabia dizer o que estava sentindo, pois ele não conseguia imaginar um mundo onde Naruto não estivesse consigo. 

 

Ele assentiu com a cabeça, não ignoraria aquele pedido, por mais que ele não soubesse o que falar; girou seus calcanhares e sentou-se na frente do Uzumaki, olhando-o deliberadamente, hora ou outra desviando. 

 

— Eu vou… morrer, Sasuke —, depois de um longo período de tempo, onde o silêncio e tensão reinou naquele ambiente, Naruto se pronunciou; sua fala saiu pausadamente e falha, tão baixa que parecia apenas um murmúrio inaudível. — E… bom, durante esses anos… — dizia respirando fundo, sentindo seu fôlego se esvaindo a cada palavra dita, — eu apenas… atrasei você e-

 

— Do que está falando, Naruto? — Sasuke se intrometeu, se atazanando todo por apenas pensar o que seu namorado queria insinuar com aquilo. — Não pode di-

 

— Só… me escuta, por favor — disse em um fio de voz, segurando ao máximo as lágrimas que pendiam em seus olhos. — A verdade é que nunca poderemos… realizar tudo que um dia planejamos… nunca vou poder ter um filho contigo, e acompanhá-lo em suas primeiras ações, nunca vou poder ficar velhinho ao ponto de ficar fofocando com você na varanda da nossa casa, enquanto comíamos um sopão por não ter mais dentes bons para comer churrasco… — dizia enquanto um sorrisinho mórbido surgia no canto dos lábios, as lágrimas já não eram mais presas em ambos os rostos; os dois homens choravam, e tudo parecia que ia apenas… piorar.

 

— O que está querendo dizer… Naruto?... — balbuciou o Uchiha, mexendo as mãos inquieto. 

 

— Estou dizendo, Sasuke… — respirou fundo. — Que você precisa me esquecer, e rápido… se isso for possível.

 

O Uchiha ergueu o rosto, olhando incrédulo para o loiro em sua frente; seu mundo estancou no mesmo momento, e ele travou, Naruto estava… brincando não é? Não poderia estar falando algo tão devastador assim de forma tão natural.

 

— Enlouqueceu?! — grunhiu, sua voz havia saído mais aguda e alta do que o esperado. 

 

— Sasuke eu… — Naruto suspirou, tentando reorganizar seus pensamentos. — Não consigo parar de pensar que… durante esse tempo inteiro, eu apenas te atrasei! — os olhos do rapaz estavam fixos nas ônix do Uchiha, que o analisavam com a mais pura incredulidade. — Durante esses dois anos você poderia ter achado alguém muito melhor e…

 

— Que não estivesse com câncer? — Sasuke o encarou, sua incredulidade agora virava raiva. 

 

— É —, respondeu. — Alguém que vai… viver, Sasuke, do seu lado, e não alguém como… eu. 

 

— Não acredito que estamos conversando sobre isso… sério, eu de verdade não consigo acreditar — riu em escárnio, mostrando a tristeza misturada com raiva em seu rosto. — Você não entende?...

 

— Sasuke — Naruto disse suspirando, às náuseas haviam aumentado, e sua cabeça latejava. — Eu já me decidi…

 

— Se decidiu com o que, Naruto? — retrucou, o olhando com confusão; estava totalmente desnorteado.

 

— Eu… — tossiu, sentindo seu corpo se enfraquecendo mais uma vez. — Vou achar alguém para você, antes que eu faça você desperdiçar ainda mais tempo…

 

— Naruto é sério, você precisa-

 

— Eu já decidi, Sasuke — rebateu. — Você precisa, ser muito, muito feliz depois que eu já não estiver mais aqui, e eu quero poder ajudar o quanto puder com isso...

 

{ … }

 

Os dedos magros e amarelados rolavam o feed do famigerado Tinder com agitação. Não fazia mais do que três horas desde a conversa que Naruto havia tido com seu namorado, este que saiu para fazer algumas compras no supermercado, mesmo o loiro sabendo que isso era apenas uma desculpa para que ele pudesse espairecer, e claro, evitar que o Uzumaki lhe chamasse para conversar sobre isso de novo. 

 

Contudo, Naruto sabia que Sasuke se renderia. 

 

Pois, por mais louco que isso possa parecer, o loiro estava certo, não estava? Apenas queria fazer o melhor para o Uchiha, e podê-lo ajudá-lo a lhe esquecer de forma mais rápida e indolor. Isso era doloroso de se pensar, pensar que seu namorado agora seguiria sua vida com outra pessoa, amaria e envelheceria ao lado de outro alguém; mas Naruto não seria egoísta, ele estava morrendo, o que poderia fazer? Não há nada no mundo que ele quisesse mais do que a felicidade de Sasuke.

 

Ele havia procurado as melhores fotos do Uchiha, colocando os melhores pontos de sua personalidade em sua bio; já havia dado match com alguns rapazes, que ao seu ver faziam o tipo de Sasuke, e conversado com alguns.

 

A maioria tinha uma conversa muito ruim, e até deprimente, o que fez com que Naruto já os descartassem de vez —, Sasuke é péssimo em puxar assunto com qualquer pessoa que seja, então, o cara com que ele fosse sair, precisaria ser muito bom de papo —, bom, outra parte da maioria não pensava em nada considerado futuro, apenas queria uma noite de sexo quente e nada mais; e também não era isso que Naruto estava procurando.

 

Outros não tinham maturidade alguma, cheios de piadinhas e qualquer coisa que só um adolescente de dezesseis anos curtiria, eram crianças em corpos de adultos, e isso também era muito ruim; mas também não era descartável, já que Sasuke amava pessoas um tanto retardadas e claro, engraçadas. 

 

No fim das contas, tudo que Naruto conseguiu foi apenas mais decepções; não achava ninguém digno suficiente do seu namorado, e sentia-se totalmente abalado, e novamente aqueles questionamentos sem respostas voltavam a lhe atormentar, e se não conseguisse achar ninguém até o final? Se morresse antes que conseguisse concluir uma missão tão “simples” como essa?

 

Em um suspiro longo e desmotivador, Naruto fechou seu laptop tombando sua cabeça para trás e olhando para o teto. Precisava achar alguma outra forma de fazer com que Sasuke tenha contato com outra pessoa, já que o tinder não estava lhe ajudando. 

 

Então ele se lembrou… 

 

Uma pequena cidade no interior de Konoha, onde havia a maior e melhor boate de toda a região; lugar esse onde Sasuke e Naruto se conheceram, em uma festa de formatura no quente do verão. Lá era o lugar perfeito. Assim como se conheceram, e ficaram juntos desde lá, Sasuke também poderia conhecer outra pessoa. 

 

Naruto retornou seu olhar para suas pernas, abrindo novamente seu laptop e pesquisando mais sobre aquele lugar, procurando reservas, hotéis perto, praias… tudo que pudesse fazer de bom para lhe ajudar. 

 

No fim das contas, ele havia comprado duas entradas, reservado um quarto no hotel, e claro, feito um mapa de lugares que pudessem passar; aproveitou toda a tarde para arrumar as malas, obviamente não levaria tanta coisa, não estava nos planos alongar isso por muito tempo — este que já é escasso. 

 

Pelo menos não o Naruto.

 

Ele apenas iria lá para auxiliar seu namorado a achar e conversar com outra pessoa, e já deixar tudo pronto para quando o Uzumaki virasse uma reluzente estrela. 

 

— O que está fazendo? — o loiro tomou um susto ao ouvir a voz de Sakura soar por trás de si, ouvindo alguns resmungos de Sasuke. — Para que são essas malas? — disse inquieta, e totalmente nervosa, os olhos azuis se viraram para trás, vendo os dois – Sasuke e Sakura –, o olhando com confusão 

 

— Eu e Sasuke vamos… para uma cidade não muito longe daqui — respondeu, voltando sua atenção para as malas em sua frente, começando a dobrar algumas das camisas.

 

— Você está se esforçando demais, e sabe que não pode — Sasuke se sentou sobre a cama, pegando as camisas das mãos do namorado, chateado. — Não pode ficar se cansando, amor, você precisa mesmo descansar! — o repreendeu. 

 

— Sasuke tem razão, Naruto — Sakura o apoiou, sentando-se ao lado do loiro, que apenas suspirava. 

 

— Eu estou bem —, na verdade não, mas aquela dor constante já não era tão incômoda quando se estava acostumado. 

 

— O que vão fazer? — perguntou a rosada, Naruto conseguia ver que ela também não sabia o que lhe dizer, e bancava a sonsa para não entrar no assunto de morte e tristeza; por um lado isso era bom.

 

— Vamos achar um namorado para o Sasuke — disse, desviando seus olhos azuis para as malas em sua frente; mesmo sem olhar para a Haruno, sabia que a mesma estava com uma feição de espanto, e logo, um palavreado foi soltado pelo Uchiha.

 

— De novo, Naruto? — respondeu o moreno, pigarreando totalmente desconfortável. — Você é o meu namorado, e nós não vamos mudar isso. 

 

A desconfortável quietude novamente voltou para o ar, Sakura ainda encarava os dois rapazes com total surpresa, sentindo-se totalmente deslocada, pois aquela conversa com toda certeza era algo bem pessoal deles. 

 

— Por quanto tempo, Sasuke? — rebateu, com a voz baixa, sentindo seu coração acelerando; seus punhos se cerraram ao redor da camiseta que ainda segurava, e o Uchiha mantinha seu olhar sério.

 

— Por toda a eternidade, Naruto! — concluiu, em um rosnado.

 

— Não, Sasuke —, o loiro suspirou. — Não quero que seja assim, eu quero que você ache outro alguém, é tão difícil de entender? — os olhos se levantaram, encarando o Uchiha. — Não estou pedindo para não me amar mais, apenas quero que… não pense muito em mim, e viva, viva intensamente. 

 

— Quem diz não, sou eu, Naruto —, Sasuke bufou. — Você diz que não é, mas é literalmente o que está me pedindo… quer que eu te esqueça assim, tão fácil? É tão fácil para você? 

 

— Caralho, claro que não! — Naruto se levantou de solavanco, encarando o Uchiha com o cenho franzido e as lágrimas lhe molhando o rosto. — Acha mesmo que eu vejo isso tudo como algo fácil? Eu estou literalmente pedindo para você começar a amar outra pessoa, outra pessoa que não sou eu, Sasuke, e sabe porque? Por que eu estou… morrendo! Morrendo! Entende isso? — ele grunhiu. — Eu apenas quero que você seja feliz, será que você pode por favor, pelo menos tentar me deixar te ajudar com isso? 

 

Sasuke olhava o namorado com os olhos escuros arregalados, e seu coração batendo a mil por hora; Sakura estava totalmente encolhida no pé da cama, e Naruto sobressaltado. Aquilo tudo era uma loucura, e uma loucura muito, muito grande. Mas se isso fosse fazer com que Naruto ficasse feliz, Sasuke o faria. 

 

O Uchiha se levantou, indo de encontro com o loiro, e o puxando para um abraço forte; sentindo as lágrimas do mesmo lhe molhando a camisa. Não pode não evitar em chorar também, ele respirava tão rápido que mal sentia o ar encher e sair de seus pulmões. 

 

— Se é isso que você quer, e isso vai te fazer feliz, ok, eu o faço — disse, pausadamente. — Mas saiba de uma coisa… só estou fazendo isso porque quero te fazer feliz, e não porque concordo isso. 

 

{ … }

 

La Sentures. A pequena cidade que fica um pouco atrás de Konoha, não havia mais que cinquenta mil habitantes, mas ainda sim era muito visitada por conta de seus clubes de entretenimentos e suas maravilhosas praias e lagos. Lugar perfeito para encontrar alguém. 

 

Faziam exatos dois dias que Sasuke e Naruto saíram de Konoha, em direção àquela cidade; Lee, namorado de Sakura, se ofereceu para dar uma carona até a cidade, e aproveitar para curtir um pouco com a Haruno, esta que fez questão de acompanhar os dois.

 

Desde a última discussão dos dois homens, aquele assunto havia morrido; Sasuke concordou em fazer o que o loiro lhe pedia, mesmo não compactuando com aquilo, e Naruto não lhe disse mais nada desde então. Pois, ele mesmo precisava se conformar que estava jogando seu homem para outros homens.

 

“Obrigada”, disse Sakura a recepcionista do hotel, logo desligando o celular e olhando para Naruto e Lee que estavam na parte da frente do carro. 

 

— Já estão nos esperando —, disse por fim, torcendo seu nariz para o lado, e vendo Sasuke olhando a janela, seu semblante estava abatido e Naruto não estava diferente.

 

— Está bem —, respondeu Rock, mantendo seus olhos na estrada, já dando de cara com uma placa que dizia “Seja bem vindo a La Sentures”. 

 

Sasuke não disse nada, apenas respirou fundo, mantendo seus olhos fixos na estrada; ele estava mesmo fazendo aquilo? Fazia muito tempo que o Uchiha não entrava naquela cidade, e isso fazia com que uma onda de nostalgia tomasse todo seu corpo. Aquele lugar foi onde conheceu a pessoa mais única e especial de toda a sua vida, e agora, essa mesma pessoa, queria que ele encontrasse outro alguém. 

 

Ele nunca havia sequer um dia cogitado a ideia de se apegar tanto a alguém; Sasuke desde que se entendia por gente, odiava o fato de depender emocionalmente de alguma pessoa, gostava de ficar sozinho, e se achava forte por ser assim; e então, em um piscar de olhos, ele estava caindo aos encantos de um recém-formado de cabelos loiros brilhantes e um sorriso cheio de pureza, este que virou muito rápido o fascínio do jovem Uchiha. 

 

Se apaixonaram, e desde aquele dia, ficaram inseparáveis; mas não no ficou desgastante, Naruto não lhe cansava diferente das outras pessoas que o cercavam. Ele era tão cheio de hiperatividade e novidades, que era impossível se cansar da sua companhia, do seu sorriso e afago.

 

Naruto passou a ser o melhor amigo que Sasuke poderia ter e querer, e durante anos essa amizade se prolongou, e só a três anos atrás o Uchiha percebeu que seu amor pelo Uzumaki era algo muito além que apenas uma amizade, ele amava-o incondicionalmente, e quase teve uma parada cardíaca ao ser retribuído pelo mesmo.

 

Tudo ia perfeito, e todos que os viam como casal, diziam que eram de fato feitos um para o outro; as almas gêmeas, ligados por aquele fio vermelho. Mas, a vida parece não ter gostado da junção dos dois, e agora, Naruto, a pessoa que menos merecia passar por tudo isso, descobriu estar com leucemia, e o que tudo indicava, era que a quimioterapia não daria jeito, e o inevitável aconteceria.

 

Sasuke fez tudo que pode, sofrendo sempre calado, pois ele queria passar o máximo de esperança e conforto para o seu amado; que serventia ele teria se não alegresse Naruto nestes tempos difíceis? Mas agora… ele já não tinha certeza, iria passar o último mês de vida da única pessoa pela qual ele é incontrolavelmente apaixonado, flertando com outros caras, para a felicidade do mesmo? 

 

Era uma loucura grotesca! 

 

Porém, já não poderia simplesmente… voltar atrás, havia dito a Naruto que faria e não queria vê-lo triste, pelo menos não mais do que já estava.

 

Não demorou muito e eles já estavam colocando suas coisas nos quartos do hotel; Lee e Sakura foram para um quarto diferente, mas não muito distante de onde estavam os dois homens. Naruto aproveitou para tomar um banho quente, e engolir alguma coisa, mesmo que não estivesse com um pingo sequer de fome. 

 

Ele girou seus calcanhares, se sentando na beira da cama, esperando Sasuke terminar de tomar seu banho; o loiro já havia tomado todo seus remédios, e agora, estava “pronto” para começar a colocar seus planos em ação. Pois, por mais que tenha “ganhado” um mês, não se pode ter certeza, vai que esse período encurtasse ainda mais? 

 

— Porque está todo arrumado? — os olhos azuis se levantaram, vendo o Uchiha despido e com a toalha por sobre os ombros. Um verdadeiro pecado de mal caminho. Naruto balançou a cabeça negativamente, esse não tinha sido o intuito. 

 

— ‘Pra que mais seria? — soltou um sorriso eufórico, pelo menos o mais convincente que tinha. — Foi para isso que nós vinhemos, para encontrarmos alguém, lembra? — Naruto queria se levantar, e tentar convencer Sasuke de que estava de verdade muito animado com tudo aquilo, mas estava muito cansado; seu corpo já não era o mesmo e nunca mais seria. 

 

— Você está morto de cansaço, Naruto, está estampado em seu rosto… — suspirou. — Não pode ficar extrapolando desse jeito, vem, vamos nos deitar e-

 

— Não! — o loiro se levantou, sentindo seu corpo ir de solavanco para cima do Uchiha, totalmente desorientado. — E-eu… estou bem. 

 

— Não, não está. — O moreno respirou fundo, ajudando o Uzumaki a se sentar sobre a cama. — Não… precisa ficar todo apressado, amor, tenha calma, vamos… com um passo de cada vez, está bem? 

 

— Não tem como… não podemos ficar lerdando desse jeito — balbuciou, com a respiração alterada, e com a voz baixa. 

 

— Você está mesmo muito ansioso para me ver nos braços de outro homem, não está? — Sasuke bufou. 

 

Naruto ergueu os olhos, como se duvidasse daquilo que acabara de ouvir da boca do namorado.

 

— Estamos mesmo entrando nesse assunto de novo? — murmurou, quase sem voz. 

 

— Sim, estamos — bufou. — Eu entendo o que você quer, Naruto, eu realmente entendo… mas você sabe o que eu quero?... — O Uchiha delicadamente levou suas mãos até as pernas do Uzumaki, levantando-as e as pondo ao redor da sua cintura, logo, caindo junto a ele sobre a cama, ficando por cima do seu corpo. 

 

Naruto sentiu seu rosto ferver na mesma hora; mas não evitou em levar suas mãos para a nuca do Uchiha, puxando-o para baixo, e selando os seus lábios lentamente, um beijo calmo porém intenso pelas maiores ondas de amor. O pequeno selar se perdurou por alguns segundos, antes dos rostos dos rapazes se separarem mais uma vez.

 

— Temos que ir, Sasuke — disse o loiro, empurrando o rapaz para o lado, fazendo-o cair sobre a cama de molas. — A noite é uma criança, e nós não podemos perder o tempo que não temos.

 

Sasuke respirou fundo, ele conseguiria tirar aquilo da cabeça de seu namorado? Pois, por mais que em sua cabeça, ele o estivesse ajudando, tudo que o Uchiha queria, era aproveitar o máximo que ainda poderia com o loiro, e ele não estava facilitando isso. 

 

Não demorou muito, e os quatro amigos haviam chegado na boate; estava lotada, o que era esperado, já que era a grande “atração” daquela cidade. Lee logo chamou a namorada para se distanciar, para deixar Sasuke e Naruto resolvendo aquilo que planejaram, a rosada suspirou, mas antes de acompanhar o moreno, foi até o Uchiha.

 

— Você deveria tentar pará-lo, Sasuke —, murmurou, o olhando com insegurança; o mesmo apenas suspirou.

 

— Ele não me ouve, Sakura… — respondeu, murcho. — Eu não entendo… Naruto quer que eu seja feliz, mas ele não entende que a única maneira de eu ser feliz é estando ao lado dele — o Uchiha puxou o ar para seus pulmões, prendendo as lágrimas que se formaram em seus olhos.

 

A Haruno respirou fundo, sentindo seu peito doer no mesmo instante; aquilo era tão cruél, eles eram tão… perfeitos um para o outro e agora a vida decidiu que deveria levar um deles. Sakura puxou o garoto para um abraço apertado, que foi de forma reprimida retribuída pelo mesmo. Ela não tinha ideia do que falar que o ajudaria, então, tudo que pode fazer naquele instante foi abraçá-lo, e rezou para que aquilo o confortasse de algum jeito.

 

— Diga a ele, Sasuke — ela murmurou. — Diga quantas vezes for preciso, mas não perca esse tempo… aproveite o máximo que puder. 

 

Sakura disse assim que soltou-se do abraço, Sasuke a encarou, e sorriu, assentindo com a cabeça; ele girou seus olhos pelo estabelecimento, vendo seu namorado escorado sobre o balcão de bebidas. Ele suspirou e caminhou até lá, deixando a Haruno para trás. Sasuke precisava de uma vez por todas fazer seu namorado enxergar que não há outro homem para aquele Uchiha que não fosse um loiro retardado e levemente infantil.

 

— Hey, gatinho — murmurou rente ao ouvido do Uzumaki, e quando chegou perto; Naruto logo se virou para trás, totalmente vermelho.

 

Aquelas duas palavras haviam sido as mesmas de quando Sasuke e Naruto se falaram pela primeira vez. Porém ao contrário, já que o Uchiha era bem tímido. 

 

— Amor? — o loiro sorriu. — Achei uma pessoa que acho que você vai gostar bastante —, a voz do mesmo saiu totalmente diferente, baixa e inconstante. 

 

Aquilo doía. Quem pensaria que um dia teria que jogar seu namorado para cima de outras pessoas? 

 

— Aquele — sussurrou, apontando para um homem que dançava frenético na pista de dança. 

 

Sasuke deu uma breve olhada, e logo retornou seus olhos para o loiro encolhido em sua frente, mexendo em seus dedos levemente nervoso. 

 

— É, ele é até bonitinho —, Naruto por um momento sentiu seu rosto ferver, ele não tinha como controlar seus ciúmes. — Porém… — o Uchiha sorriu de lado. — Estou muito mais interessado em um loiro todo vermelho que está na minha frente… — Naruto ergueu o rosto, aquilo fez seu coração saltar como se estivesse em uma aula de samba, mas logo seus olhinhos se encheram de água. 

 

— Sasuke… — ele murmurou, desviando o rosto.

 

— Eu não consigo, Naruto —, o Uchiha suspirou. — Não existe outra pessoa que eu ame mais do que você, não há companhia melhor que a sua… meus olhos por mais que tentem, não acham beleza maior do que a que você carrega — Sasuke não segurou a água que escorria de seus olhos. — Eu vou perder a única luz que já brilhou ‘pra mim, e sinceramente, não estou disposto a perder o pouco tempo que eu tenho atrás de outra pessoa. 

 

— Mas Sasuke!... — o Uzumaki pigarreou. — E quando eu não estiver mais aq-

 

— Mas e “o enquanto” você está? — o interrompeu. — Vai querer mesmo desperdiçar esse pouco tempo com isso? 

 

— Não quero… atrasar você, Sasuke — o loiro abaixou a cabeça. 

 

— Você nunca me atrasa, Naruto —, o moreno levou sua mão até o queixo do mesmo, o levantando. — Eu te amo, e eu de verdade, não sei como será minha vida sem você… — murmurou. — Mas, se vai ser assim mesmo, porque não aproveitamos o máximo que podemos? Me deixe amar você da forma como nunca amei, e me deixe te fazer feliz da forma como você nunca foi, Naruto… 

 

— Me desculpe… — o loiro se agarrou ao Uchiha, cravando suas unhas nas costas do mesmo, enterrando sua cabeça sobre o peitoral do maior. 

 

— Pelo o que? — Sasuke retribuiu o abraço, debruçando sua cabeça sobre a de Naruto.

 

— Por querer te jogar para cima dos outros… — sussurrou.

 

— O único que eu deixo você me jogar é na cama, meu amor — disse malicioso, recebendo um aperto maior do loiro, que apenas sorriu

 

Se você está lendo isso, significa que eu já devo estar flutuando por algum lugar, o que é bem triste de se falar… mas, vamos esquecer a tristeza por alguns momentos, está bem? Eu quero que você saiba, Sasuke Uchiha, que você foi uma das pessoas mais únicas e incríveis que eu conheci, e que me fez ficar totalmente e perdidamente apaixonado desde o momento que vi você todo antissocial naquela boate. Me desculpa por não ter percebido o que você queria quando recebi meu veredito final, estava tão cheio de medo e culpa que sequer pensei que você estava sentindo a mesma coisa. Contudo, o que eu quero dizer é… seja feliz, sim, não ache que sua vida acabou, e muito menos fique triste por mim; porque enquanto você estiver vivo, eu estarei vivo junto a ti, minha linda e reluzente lua. Conheça muitos lugares, e faça muitos amigos, conheça novas pessoas e se apaixone mais uma vez; por que não tem nada que eu possa querer mais, do que te ver feliz, estarei te observando viu? Nada de fazer bobagens, risos… eu, sou, e sempre serei, inteiramente, irrevogavelmente e perpetuamente seu, Sasuke Uchiha, eu te amo, e viva da forma mais intensa e feliz do mundo.

Uzumaki Naruto.

 


Notas Finais


então o que acharam? 🤡
quero agradecer primeiramente a @moontears pela capinha e pelo banner maravilhosos que ela fez, muito, muito obrigado meu amor <3.
quero aqui deixar meus agradecimentos especiais para a meli, luds e ana, que me ajudaramm tipo muito com esse plot, vocês são meus amorzinhos ok? 😔💞.
ei, psiu, não esquece de dizer sua opinião tá bom? 👉🏻👈🏻


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...