1. Spirit Fanfics >
  2. Através da noite >
  3. Capítulo 1

História Através da noite - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


oie :)
essa é a minha primeira fanfic chanbaek, e faz mais ou menos uns dez anos desde que eu escrevi uma fanfic pela última vez. espero que vocês gostem!!

eu não sei quando vou conseguir atualizar novamente, mas acredito que dentro de uma semana? não pretendo que seja uma fanfic muito longa, durando talvez uns 5 capítulos curtos!

quem tiver dúvidas ou sugestões, só chegar no tt: @scarletbloodx

Capítulo 1 - Capítulo 1


Eu nunca consegui entender muito bem por que os fãs sempre me shipparam com o Chanyeol, desde o início. Tudo bem que éramos muito amigos, e eu era muito mais próximo dele do que de qualquer outro integrante do grupo, mas mesmo assim... Na minha cabeça, nunca fez muito sentido, porque eu sempre achei que agíamos de forma normal um com o outro, nunca sequer cogitei que fossemos diferentes de qualquer outra dupla de amigos. Mas, aparentemente, não importa muito o que eu penso.

         Já virou rotina entrar na brincadeira — com o famoso fanservice — de que somos mais do que amigos. Um olhar, um carinho, um abraço ou um toque: coisas que para gente sempre foram normais, mas que para sempre fazem os fãs surtarem um pouco mais. Chanyeol não tinha limites: todas as vezes em que estávamos em público, ele fazia questão de ser um pouco mais carinhoso, simplesmente porque ele adora brincar com os fãs.

         Você deve estar se perguntando por que eu estou contando isso, certo? A questão é: eu nunca pensei muito sobre o fato de sermos Chanbaek, só que, de uns tempos para cá, as coisas começaram a sair do meu controle. Isso tudo depois que eu esbarrei em alguns conteúdos que não deveria. É, meus amigos, eu realmente preciso parar de ser curioso, porque isso sempre acaba me fodendo.

                                               ••••••••

 

 

         Certo dia, após um show da turnê da SuperM, eu estava me sentindo um pouco nostálgico. Sentia saudades do meu grupo original, apesar de adorar os integrantes desse grupo e poder contar com a presença do Jongin sempre. Mas a nostalgia e a saudade não desapareciam, fazia tempo que não os via, fazia tempo que não estava com eles. Eu não aguentava mais trabalhar tanto, estava esgotado e precisava de descanso. Mais do que isso, precisava voltar para Coreia, voltar para o EXO. Esse negócio de ser líder não é para mim, eu quero Junmyeon de volta.

         Nesse dia, tentei ligar para o Chanyeol, mas ele não atendia. O fuso-horário complicava ainda mais as nossas conversas. Tentei Sehun, também, mas nada. Jongdae, então, queria se esconder do mundo. Junmyeon quase nunca atendia ninguém, ocupado demais com as preparações para o álbum solo. Então, fiquei na mesma. Com saudade, mas sozinho.

         Dormi. Achei que no dia seguinte, tudo estaria em paz e essa sensação teria passado.

 

         Não passou.

        

         E, por não passar, fui pesquisar os vídeos do EXO no Youtube.

 

         Pior. Ideia. Que. Eu. Já. Tive.

 

         Dentre os muitos conteúdos do grupo todo, existiam diversos vídeos Chanbaek espalhados pelo site. Muitos, de verdade. Eu nunca imaginei que pudessem existir tantos. Aparentemente, Chanbaek é um movimento real dentro do fandom. De curiosidade, decidi abrir um desses vídeos: era um trailer de uma fanfic? Eu nem sabia que isso existia! A galera se empenha mesmo, não sei nem porque eu fiquei surpreso.

         Cenas que eu não tinha nem ideia de que tinham sido filmadas: nós, saindo do aeroporto. Nós, andando na lambreta dele. E muitas outras que eu sabia que estávamos sendo filmados, mas que nunca pensei que pudessem ser tão sugestivas: Sehun nos empurrando abraçados; Chanyeol sentado ao meu lado no sofá, limpando o suor na minha perna; eu fazendo uma massagem nos ombros do meu amigo que estava com dor.

         Eram tantas imagens sugestivas que realmente parecia haver algo entre a gente. O que me deixou confuso: será que Chanyeol já tinha visto essas coisas?

         O link da fanfic ficava na descrição do vídeo. Encarei aquele link durante uns bons minutos, sem saber o que fazer. Estava me sentindo ansioso, com medo do que poderia encontrar. Meu coração batia acelerado demais e eu não tava conseguindo entender por que. Isso não é algo comum? Todos os moleques devem ter fanfics escritas sobre eles. Eu sei que eu e o Chanyeol não somos os únicos ships do grupo, o que me leva a acreditar que alguém ali já andou lendo essas fanfics. Sehun, provavelmente.

Mas ao mesmo tempo em que me sentia anormalmente ansioso, eu estava muito curioso. Com certeza não seria nada demais, né? O máximo que eu iria encontrar é alguma cena da gente se pegando. Honestamente, acho que seria até engraçado. Sério, não é nada demais. Se fosse engraçada o suficiente, eu até mostraria aos garotos depois para podermos rir juntos dos absurdos que as exoLs escrevem.

 Ansioso e muito curioso, cliquei.

                                               ••••••••

 

 

         Eu, com toda a certeza do mundo, tinha subestimado nossas fãs. Quando abri a fanfic, acreditei que, mesmo que tivesse alguma cena explícita, seria engraçado e nada demais.

Puta que pariu, eu nunca estive tão errado em toda a minha vida.

Meu corpo suava. Minhas mãos tremiam levemente.

Eu achei que seria engraçado. E foi. No começo.

A partir da metade, eu não conseguia mais acreditar no que estava lendo. Não é como se eu não soubesse que os fãs escrevem esses tipos de cenas sobre nós, mas, meu amigo, deixa eu te contar um negócio: uma coisa é saber, outra coisa beeem diferente é ler o negócio rolando. E nossos fãs não tem limites, mesmo. Eu fiquei perplexo! Achei que seriam leves, pelo menos. Explícito, mas leve. Explícito, mas amorzinho. Explícito, mas não tão cheios de detalhes. Eram tantos detalhes que minha mente não parava de repassar as cenas.

Eu estava sem ar. Meu coração parecia que ia sair para fora do peito. Eu sentia uma gota de suor descer pela minha lombar. E, pior de tudo? Duro pra caralho.

Sentado na poltrona do meu quatro no hotel em Los Angeles, eu conseguia ver as luzes da noite da cidade. Elas eram as únicas testemunhas do que estava acontecendo comigo.

Eu não sabia o que fazer. Quer dizer, saber eu até sabia, mas não tinha coragem de fazer o que eu queria. Sentia como se tivesse algo errado comigo. Não era normal eu ficar tão excitado lendo uma fanfic minha com meu melhor amigo, certo? O problema é que agora que as portas do inferno tinham sido abertas — arrombadas, né, amados —, eu não tinha mais como escapar. Meu corpo inteiro estava arrepiado, e eu sentia meu pau latejando dentro do moletom, implorando para que eu resolvesse aquela situação. Há tempos eu não sentia um tesão tão louco quanto estava sentindo naquele momento. Isso tudo porque eu não conseguia parar de me imaginar ali, naquela situação, com Chanyeol, sentindo ele me consumir por inteiro.

A fanfic nem fazia sentido! Desde quando eu seria o soft da relação? Todo mundo se deixa enganar pelo tamanho dele, mas a verdade é que Chanyeol é o próprio labrador, fazendo tudo para agradar o dono. Nunca que eu ia ficar à mercê desse gigante, ele não conseguiria me ver implorando nem um minuto. Chanyeol é bonzinho demais para isso. No primeiro comando, ele faria o que a pessoa pede.

         Mesmo fazendo de tudo para manter esses pensamentos de que nós dois juntos nunca faria sentido, o desejo não passou. As cenas continuavam aparecendo na minha mente da forma mais inapropriada possível. Estava ficando inviável. Eu tentei pensar em tudo para que minha ereção fosse embora, mas o meu pau desgraçado não queria saber: ele queria gozar e ele queria gozar agora.

As cenas passavam na minha cabeça como um filme no repeat, quando eu pensava que a cena tinha chegado ao final, tudo começava de novo. E com variações. Posições que eu nunca imaginei e que nem estavam descritas na fanfic. Ele por cima. Eu por cima. De lado. De quatro. Meia-nove. Em pé. Na cozinha. Na cama. Na banheira. No estúdio. No backstage.

Largando o celular de lado, coloquei a mão sobre a calça, me apertando levemente para ver se o incômodo passava. Não passou, só piorou. Se antes eu estava duro, eu não tenho nem palavras para descrever como eu tava agora.

Eu conseguia sentir a cabeça molhada grudando no tecido da calça e, chegou ao ponto que eu já não estava mais ligando. E daí que eu iria bater uma punheta pensando num cara? Não é como se eu tivesse pudores comigo mesmo. E daí que esse cara era meu melhor amigo? Com certeza outras pessoas já estiveram no meu lugar. Esse pensamento só despertou em mim a imagem de Chanyeol se tocando, pensando em mim.

Foi demais. Foi o estopim. Coloquei a mão por dentro da calça, segurando firme no meu pau, puxando-o para fora do moletom. Passei o polegar na glande encharcada de pré-gozo. Imaginei Chanyeol fazendo o mesmo.

Gemi alto, eu estava mais sensível do que o normal. Não demoraria para gozar. Meu pau latejava forte quando eu comecei a subir e descer a mão frouxa, devagar.

Joguei a cabeça para trás, apoiando no encosto da poltrona. Cacete. Minha respiração ficava cada vez mais acelerada, o prazer me consumindo. Eu já suava ainda mais, o quarto ficando cada vez mais quente. A outra mão cravava minhas unhas na minha coxa, fazendo um arrepio descer por minha coluna. Eu já estava tão próximo do orgasmo e eu mal tinha me tocado.

Meu pau estava completamente molhado, o pré-gozo facilitando a punheta. Eu conseguia vê-lo vividamente no meu pensamento, ajoelhado entre minhas pernas, pegando minha ereção e me olhando com aqueles olhos grandes e brilhantes. Minha mão subia e descia cada vez mais rápido, me fazendo gemer mais alto pensando que era a mão do Chanyeol. A boca do Chanyeol. Imaginando-o me lambendo, depositando leves beijos com aqueles lábios carnudos. Porra, eu estava ficando tonto de desejo, não era capaz de parar de pensar no mais novo descendo com a boca no meu pau. Eu tentava conter os gemidos, mordia meus lábios, mas os sons saíam mesmo assim. Minha mão já estava incontrolável, a cada subida eu pressiona meus dedos na glande inchada e vermelha. Num último gemido longo, senti meu pau pulsar e, finalmente, FINALMENTE, gozei.

Mas gozei tão forte e por tanto tempo... Me sujei inteiro. Minha mente ficou em branco, tudo envolta ficando preto. Fechei os olhos e respirava ofegante, impactado. Nunca tive um orgasmo tão intenso. Me sentia fraco, mal conseguia me mover.

 

                                               ••••••••

 

 

         Minutos depois, dentro do banheiro, eu me limpava sem olhar no espelho. Não queria me encarar. Não conseguia acreditar no que tinha acabado de fazer. Eu tinha mesmo me masturbado pensando no meu melhor amigo? Aquilo não fazia sentido. Mas mais do que não fazer sentido eu ter gozado tão forte pensando no Chanyeol, não fazia sentido o fato de eu ainda estar duro. Parecia que meu corpo queria mais, e minha mente não dava trégua.

         Eu não quis saber, ajeitei tudo e deitei. Precisava esquecer o que aconteceu. O que eu li. O que eu imaginei.

         Porém, quando eu estava entre o sono e a vigília, despertei de repente com apenas um pensamento: será que Chanyeol já tinha lido uma fanfic assim sobre a gente?   



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...