1. Spirit Fanfics >
  2. Através Das Sombras >
  3. Capítulo 14 - Grito Mudo

História Através Das Sombras - Capítulo 15


Escrita por:


Capítulo 15 - Capítulo 14 - Grito Mudo


Fanfic / Fanfiction Através Das Sombras - Capítulo 15 - Capítulo 14 - Grito Mudo

"Quero fugir. Queria correr ou voar para onde ninguém me encontrasse, esquecer por um instante quem eu sou e quais são meus desejos, mas para aonde quer que eu vá, sei que não poderei me esconder de mim mesma."

*-*-*

Nunca foi tão difícil acordar, mas naquele momento, todos os músculos do corpo pediam por um pouco mais de tranquilidade, entretanto, por mais que tentasse ficar daquele jeito, sabia que não conseguiria. Principalmente porque o cheiro dele estava por todo o canto, havia adentrado dentro de suas narinas e impregnado tudo dentro de si.

Menta e madeira.

Piscou as pálpebras ensaiando abri-las e com um longo muxoxo o fez. Abriu os olhos verdes lentamente, encarando o teto a frente. Fechou os olhos novamente e se remexeu, tornando a abrir os olhos. Respirou fundo, sentindo o cheiro ainda forte, por isso, olhou para o lado, vendo-o sentado na cadeira no canto do quarto. O prateado lia um livro, mas estava com os olhos nela. Certamente havia percebido que ela estava acordando.

O ninja fechou o livro e o colocou de lado, na mesinha, respirando fundo. Sakura sentou na cama com cautela, passando uma mão no rosto, retirando os fios bagunçados. Ela o olhou com o cenho franzido, sentia o corpo dolorido.

- Perdi o controle novamente. - deduziu o óbvio.

- Sim. 

- Entendo... - olhou para as mãos no colo. Torcia os dedos um contra o outro, pensativa - Você... Você viu, não foi?

- Sim. - respondia baixo. O silêncio do quarto permitia uma conversa quase sussurrada.

Ela manteve os olhos nas mãos. Respirou fundo e deu de ombros. Pigarreou e passou uma mão nos cabelos, colocando uma mecha atrás da orelha.

- Bom... Não é como se isso importasse, não é?

- Não. - suspirou.

Sakura ergueu os olhos para ele.

- Isso importa sim. - Kakashi suspirou e inclinou o corpo para frente, apoiando os braços nas coxas, próximo aos joelhos - Eles... Eles te torturaram lá.

- É... - ainda o olhava.

- Houve motivo?

- Eu... - ela desviou o olhar, tentando lembrar, mas nenhuma lembrança lhe arremetia até algum motivo para os maus tratos - Eu não lembro... - voltou os olhos para ele com o cenho franzido - Será que eu fiz algo ruim?

Em silêncio. Ele levantou e começou a caminhar pelo quarto. Olhou para o relógio na parede e viu que já era quase dez da noite. Ela havia dormido bastante.

- Eu não acho que tenha feito algo. - murmurou de costas para ela - Acho que... Foi por pura maldade.

- Mas... Por quê? - ainda o olhava.

- Diversão, talvez? - deu de ombros e colocou as mãos nos bolsos da calça. Girou nos calcanhares e olhou para ela - Praticar maldade o divertia.

- Isso é tão cruel. - murmurou, desviando os olhos dos dele.

- O que mais eles te fizeram?

Ela voltou os olhos para ele. Não queria tocar naquele assunto, machucava muito lembrar. A dor se tornava tão real e atual. Mordiscou o lábio inferior, e desviou os olhos dos dele, olhando para a parede oposta.

O que exatamente eles haviam feito?

Foram tantas coisas.

Chicotes, choques, água, fogo, fome, sede...

Engoliu em seco, sentindo os olhos marejarem.

Era uma pessoa tão ruim assim para merecer tudo aquilo?

Sentiu quando algo caiu sobre sua mão e ao olhar, viu uma gota. Piscou os olhos e mais gotas caíram.

Estava chorando?

Franziu o cenho ainda mais confusa e levou uma mão ao rosto, sentindo-o molhado.

Ainda olhava para a própria mão quando uma mão enluvada apareceu em seu campo de visão. Ela seguiu a mão, braço até que chegou no rosto de Kakashi. Ele a olhava sério, com uma mão estendida e a outra dentro do bolso.

- Vem.

- P-para onde vamos? - franziu o cenho, fungando.

- Você não combina com essas lágrimas. - franziu o cenho e desviou o olhar surpreso pelas próprias palavras. Preferiu ser rápido e calar-se - Apenas venha.

Ela olhou para a mão dele por longos segundos e com um enorme suspirou, segurou na mão masculina. Ele segurou sua mão com firmeza e ela levantou da cama. Kakashi deu um passo para trás, premitindo-a ficar com um espaço mais confortável e então ergueu os olhos para ele, lançando-lhe um pequeno sorriso.

- E então?

- Feche os olhos.

- Por quê?

- Sem perguntas, Sakura. - murmurou, inclinando a cabeça.

- Você é bem chato, sabia? - fez bico, fechando os olhos.

- E você resmungona.

Ela sorriu e deu de ombros. Estava gostando de tirar o Hatake do sério, na verdade, havia se tornado um passa tempo.

Sentiu quando ele se aproximou um pouco mais, segurando sua mão com mais firmeza e então ela se sentiu ser puxada. Era como se algo segurasse seu umbigo e então a puxasse com força. Ela ia abrir os olhos, mas foi tão rápido que uma sensação de náusea a tomou por completo e ela deu um pequeno grito, mas a mão livre dele tapou sua boca.

Sakura sentiu a terra firme sob os pés e seu corpo foi jogado para frente. Ela se agarrou ao Hatake, fechando os olhos ainda mais apertado enquanto a bili lhe subia na garganta.

- Respire. - a voz dele estava perto - Respirei ou irá vomitar.

Ela puxou o ar para dentro dos pulmões. Menta e madeira. Soltou o ar e puxou novamente. Menta e madeira. Percebeu que estava agarrada a camisa dele com o rosto enfiado contra o peito masculino, era constrangedor? Era, mas ela pensava nisso? Não. 

Estava passando mal.

Longos minutos se passaram enquanto ela ficava naquele respira e solta, até que o mal estar aliviou e ela deu três passos para trás, abrindo os olhos e soltando a camisa dele. Ergueu os olhos e encontrou os bicolores, mirando-a com cuidado. Ele queria se certificar de que ela estava bem.

Sakura meneou a cabeça de forma positiva e esfregou o rosto, recompondo-se. Olhou ao redor e precisou prender o fôlego com o que viu.

Konoha.

Toda a Vila da Folha estava a sua frente, linda e iluminada. O céu estrelado banhava a Vila com beleza enquanto as ruas, praticamente desertas, eram decoradas pela iluminação das casas e lojas. Ela virou o corpo naquela direção e caminhou até a grade da varanda onde estava, porque sim, estavam em uma espécie de mirante, com uma grade de proteção. Respirou fundo, percorrendo os olhos pela paisagem. Estavam sobre as estátuas dos Hokages.

- É... - balbuciou.

- Sim... - colocou as mãos nos bolsos e caminhou até a grade, parando ao lado da Haruno e suspirando - Sua Vila.

Ela ergueu os olhos para ele, analisando-o e analisando sua fala. 

"Sua vila"

Era mesmo?

Piscou os longos cílios e voltou os olhos para a vila novamente. Konoha... Segurou no ferro da varanda e continuou observando a paisagem. Como queria lembrar de tudo. Queria tanto saber o motivo de tudo, o motivo de ter roubado aqueles pergaminhos, de ter matado pessoas...

Matado...

Olhou para as próprias mãos e franziu o cenho.

Qual motivo a levaria a ter matado alguém antes da prisão? Tudo bem, depois de ter sido presa, havia mudado um pouco a personalidade, mas e antes? Pelo que Ino e Naruto havia falado, Sakura era uma pessoa amorosa, doce, um pouco exaltada e de pouca paciência, mas extremamente bondosa.

Agora? Bem... agora ela tinha uma sede de sangue que não conseguia explicar.

Mordiscou o lábio inferior, sentindo uma tristeza se abater de si.

Talvez... talvez ela tivesse um bom motivo para tal, já que parecia ter sido tão fiel a Konoha, então, por que a vila lhe levou ao extremo limite, tomando-lhe as lembranças? Colocando-lhe no esquecimento? Apagando até mesmo quem era?

Não haveria uma outra maneira? Não haveria uma outra forma de fazê-lo?

Sentiu a garganta fechar enquanto uma dor possuía seu peito.

No fim, ela não era ninguém... Tudo o que sabia era o que as pessoas lhe contavam e isso lhe soava tão cruel. Ouvia os "amigos" contando quem ela era e aquilo lhe parecia tão longe de si.

- Você não combina com todo esse silêncio. - ouviu o prateado murmurar ao seu lado.

Suspirou de forma profunda. Deu de ombros e afrouxou as mãos na barra de ferro, passando a língua entre os lábios, umedecendo-os.

- Eu... eu só queria lembrar de quem eu sou, sabe? - a voz feminina estava baixa - Realmente lembrar... É... é tão ruim ficar sabendo sobre si através dos outros, porque, ninguém te conhece tão perfeitamente, entende? - olhou para ele.

E ele a olhava.

Kakashi meneou a cabeça de forma positiva.

- É tão... cruel! - balançou a cabeça, olhando para além do Hatake - Destruir a mente de alguém desse jeito. Deve haver outro jeito... TEM que haver outro jeito, você não acha? - olhou para ele.

O prateado ponderou por longos segundos a pergunta dela.

Ele não era a melhor pessoa para aquela resposta.

- Somos ninjas, Sakura. - seria verdadeiro com ela - Não há nada que nos impeça quando queremos proteger nossa vila. - suspirou - Infelizmente, você jogou um jogo perigoso que não possui regras além de lutar. - puxou o ar para dentro dos pulmões com a boca - Esse jogo é como uma kunai lançada: Você pode ter a sorte de desviar ou o azar de ser atingido.

Ela ficou encarando-o por um tempo até que meneou a cabeça de forma positiva, voltando os olhos para frente. Admirando Konoha novamente.

- Como você joga esse jogo?

- Da única maneira que se joga.

- Me explique.

Ele pensou. Deveria mesmo contar? Deveria mesmo expor toda a crueldade do mundo ninja assim, logo de cara?

Sim, deveria. Sakura já conhecia aquele lado podre que uma vila possui e ela era membro da Ne, então mais cedo ou mais tarde, teria que fazer parte daquilo... sujando as próprias mãos.

- Eu não entro no jogo para perder. - olhou para a vila também. Agora, algumas luzes começavam a pagar, deixando apenas as lâmpadas dos postes acesas. Daquela forma, Konohagakure parecia até mágica - Sou um ninja de elite, membro da ANBU Ne, capitão do esquadrão. - suspirou - Conheço toda a sujeita que esse lugar possui... Eu mesmo já executei muitas delas.

A Haruno se manteve em silêncio, absorvendo todas as palavras dele. Sabia que Kakashi era perigoso, mas não o via dessa forma como alguém tão cruel. Era difícil acreditar que aquele homem ao seu lado, o homem que se preocupara consigo ao ponto de levá-la ali apenas como uma distração era dono de uma personalidade tão fria.

- Não consigo te imaginar como alguém tão ruim.

- Possuo mais sangue nas mãos do que você é capaz de imaginar. - respirou fundo - Acredito que metade dos prisioneiros de onde você estava estão lá por minha causa... - ele a olhou pelo canto do olho - Mas não ache que tenho tanta paciência... - voltou os olhos para frente - Pergunto, se o sujeito não responde, ele morre.

- Simples assim? - perguntou baixo.

- Vacilar não é uma opção para mim. - suspirou - Foi por isso que Danzou te colocou em minhas mãos.

- Pensei que fosse por causa do sharingan. - ela o olhou com o cenho franzido.

- Pensou certo. - olhou para ela e deu um pequeno sorriso. Ela percebeu porque o canto dos olhos dele enrugaram. Kakashi deu de ombros e voltou a olhar para a vila - Mas também porque não hesitarei em te matar se for necessário.

Sakura voltou os olhos para a vila. "Não hesitarei em te matar".

De alguma forma, aquela confissão apertou seu coração, mas a sinceridade a fez relaxar. Kakashi jogava limpo consigo, ele não escondia nenhum de seus pensamentos quanto ao que Sakura representava e isso a deixava leve. 

Seu interior lhe dizia que poderia sempre confiar nele, mesmo que ele fosse, notoriamente, seu carrasco.

Do mesmo modo, ele se sentiu incomodado. Ter dito em voz alta que daria cabo da vida dela o afetou. Mesmo não querendo admitir, ele sabia que provavelmente, matar Sakura seria um problema porque no seu interior, ela era um ser frágil que precisava ser protegido.

- Tão linda... - Sakura sussurrou, suspirando - Mas tão cruel.

Ele a olhou, observando que os olhos verdes estavam banhados em lágrimas, mas nenhuma caiu. Sakura engoliu em seco e respirou fundo. Ela estava se segurando. Kakashi se permitiu observa-la um pouco mais. O nariz arrebitado, os longos cabelos balançando com a força do vento, como um manto suave que se espalha e abraça sua portadora. Era uma bela dança. Os olhos verdes e brilhantes que observavam tudo com cautela.

Sakura era um mistério. Um belíssimo mistério, tinha que admitir e era, em sua pouca opinião, uma crueldade. A garotinha que havia encontrado dentro da mente dela não merecia aquela crueldade tão sem tamanho.

Desviou os olhos bicolores e suspirou. Sakura era um problema para si, ela despertava piedade nele, despertava paciência e calma e para alguém como ele, aquilo era uma fraqueza terrível.

Mas o que poderia fazer? Iria entrega-la nas mãos de Danzou para ele fazer o que bem desejasse? Iria entregar ela aos carrascos da prisão, sabendo que em poucos meses ela seria executada?

Seu lado mais frio dizia que aquilo não era problema dele, que como ninja, ele deveria agir com a razão... Mas seu lado mais profundo, aquele que se denominava humano, lhe dizia que não era justo ela carregar todo o peso de uma vila nas costas, porque ele sabia o real motivo da prisão de Sakura, mesmo não concordando.

Ele não pode fazer nada antes porque nem a conhecia, mas agora, sabendo que mesmo sendo o monstro que era, Sakura ainda era doce e pura do seu jeito. Ela havia sido culpada por um crime que assumiu sem ser seu.

Não. Não iria entregar ela nas mãos de pessoas tão cruéis. Não iria permitir que acabassem com a vida dela, que a destruíssem como fizeram antes e com tantas pessoas, inclusive ele mesmo.

- Vamos mudar seu treinamento. - falou baixo.

- Por quê? - olhou para ele. O nariz e bochechas vermelhos por conta do frio da noite.

- Está na hora de você começar a controlar tudo o que tem ai dentro. - suspirou - Não pode ficar vulnerável ao monstro que tem, Sakura.

- Monstro... - sussurrou, baixando o olhar.

- Não pode negar o que se tornou. - virou o corpo na direção do dela - É isso o que tem ai dentro. - ela o olhou com o cenho franzido - Mas você pode ter o controle dele. Você pode controlar esse monstro e usa-lo a seu favor.

- Acho meio impossível. - resmungou, virando na direção dele também - Eu perco o controle e...

- É exatamente isso. - gesticulou com a mão - Você precisa controla-lo... Todos querem te usar como uma arma, querem te manter em cativeiro e despertar esse monstro quando bem entender, mas eu não concordo com isso.

- Kakashi... - sussurrou, entreabrindo a boca, surpresa.

- Eu acho que você precisa controlar esse monstro para poder conviver com você mesma. - apontou para ela - Se isso faz parte de você, então que conviva com você, entende?

- Sim. - ainda sussurrava, balançando a cabeça.

- Então vamos treinar isso. Esse monstro precisa despertar com você consciente. - desviou os olhos rapidamente, pegando fôlego, havia falado rápido demais. Voltou os olhos para ela - VOCÊ precisa querer despertar, VOCÊ precisa controlar e VOCÊ, apenas vo-cê é quem tem que ter o domínio de quando parar.

- Você acha que consigo? - estava incrédula, mas feliz.

- Eu tenho certeza disso. - balançou a cabeça, afirmando. Ele puxou o ar pela boca, levemente ofegante. Sentia as mãos tremendo - Não é justo que todos tenham controle sobre você, menos você mesma.

- Kakashi... - ela sussurrou e então se jogou nos braços dele, abraçando-o.

Kakashi cambaleou para trás por causa do impacto. Esbugalhou os olhos pela ação repentina, mas lentamente, correspondeu ao abraço, envolvendo o corpo feminino nos braços, sentindo-a afundar o nariz contra seu peito.

Alguns fios dos cabelos dela foram para seu rosto, deslizando lentamente como uma carícia e ele não sabia se era por causa do vento ou se por vontade própria. Sabia que o cabelo tinha tinha força e controle. Permitiu-se afundar o nariz discretamente entre os fios róseos, cheirando-os e absorvendo o cheiro. Era bom, doce e suave, mas levemente picante.

- O-obrigada. - ela murmurou com o rosto contra o peito dele, apertando-o no abraço.

- De nada... monstrinho. 

Ela resmungou algo. Ele fechou os olhos e deu um pequeno sorriso.


Notas Finais


Olá kiridas!

Tivemos revelações no início do capítulo... Tadinha da Sasa né? E esse Kakashi todo solidário, protetor e amoroso?

Já disse que ele é crush eterno?

Amo esse homem com todas as minhas forças.

Escrevi esse capítulo ouvindo e reouvindo a música abaixo kkkkkkk. Beijinhoooos.

Obrigada por todo o carinho.

Comentem, compartilhem...

Música do Capítulo: https://www.youtube.com/watch?v=lsbqH5bJURc&feature=emb_title


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...