História Através do outro lado - Capítulo 1


Escrita por: e PlayerLuy

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Romance, Suspense
Visualizações 37
Palavras 953
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Gente essa é uma história original, eu tive essa idéia de criar ela quando eu estava assistindo um amv( o amv não tem nada haver com a fanfic)é sou doidinha, então espero que aproveitem beijinhos

Capítulo 1 - O início


Fanfic / Fanfiction Através do outro lado - Capítulo 1 - O início

11 horas antes do acidente...


Pela manhã cedo

_ Mena você vai se atrasar-

Em um grito sua mãe a chamava para acordá-la

_ hummm

Resmungava pela dor de abrir seus olhos com os finos clarões que passava pelas as brechas que sua cortina deixava da janela que estava entreaberta.

_ Mena acorda logo ou se não o Henry vai sem você

Ao escutar o nome daquele que fazia seu coração pular, tratou logo de se arrumar fica tão linda como jamais ficou, depois de se aprontar saiu correndo até chegar na cozinha com o maior sorriso que podia colocar na cara mas logo esse sorriso murchou quando percebeu que sua mãe estava rindo muito de sua cara e que seu amado não estava lá.

_Mãe isso não tem graça, já é a segunda vez que você faz isso

Dizia isso enquanto se sentava na mesa para comer com uma cara emburrada

_ você sabe que é brincadeira e mesmo assim cai nela que nem um patinho sorridente

Dizia sua mãe se sentando também para tomar café

_ filha quando vai falar pro Henry o que você sente

Mena com uma torrada na mão e na outra mão a colher cheia de geleia

_ mãe não posso falar ainda é muito cedo

Disse colocando a torrada na boca

_ cedo? Como assim cedo, vocês dois se conhecem desde que era do fundamental um sabe os defeitos do outro

_ eu acho que você tem medo de mostrar o que sente.

_ Mãe!

Diz Mena toda corada pela a observação da mãe

_ vou te dar um conselho minha filha, se você ama mesmo o Henri trate logo de falar o que sente, porque quando o tempo passar você não poderá ter esse privilégio de estar perto dele.

Mena tocada pelo o concelho que sua mãe havia dado, e no fundo sabia que ela estava certa, que não poderia esperar mais.

_ ah meu Deus olha a hora tenho que ir.

Mena na pressa pega a torrada coloca a mochila nas costas e para na porta e olha pra trás.

_ mãe obrigada, eu juro que vou tentar

Antes de fechar a porta atrás de si dá seu melhor sorriso como forma de agradecimento a sua mãe que fica parada observando sua filha partir.

Há caminho da escola, Mena passava a maior parte pensando numa boa estratégia de falar seus sentimentos para henri, em meio a pensamentos sua atenção é tirada pela sua amiga Saya que gritava para que ela esperasse

_ ufa nunca corri tanto na minha vida

Disse Saya que pediu um tempo para recuperar o fôlego

_ Saya não exagera você nem correu no máximo deu 10 passos apressados até aqui.

Mena debocha da cara de sua amiga que nunca sai para correr e se corri já morre

_ haha isso não tem graça

E logo começam a andar

_ então o que se passa nessa sua cabecinha?

Pergunta Saya

_ como assim?

Responder Mena meio em dúvida do que a amiga estava perguntando

_ minutos atrás eu tava te chamando e você estava viajando, aconteceu alguma coisa?

Pergunta a amiga meio preocupada porque Mena não era de ficar pensando desse jeito isso só acontecia quando algo lhe perturbava, corada pelo que poderia da em resposta a sua amiga resolveu contar o que estava planejando.

_ minha nossa finalmente já tava na hora amiga

Diz super alegre com a determinação da Mena

_ oras até você

_ que foi a dona Helena também já falou?

Pergunta fazer cara de deboche

_ já e até me deu um concelho

_ se a dona Helena te deu um conselho é melhor seguir, os concelhos da sua mãe sempre são sábios.

_ é eu sei

Ao chegarem na escola foram direto a sala porque já estavam atrasadas.


E as aulas do dia passaram e nesse tempo Mena só pensava em colocar seus planos em prática, já tinha falado com o Henry na aula anterior que ele a esperasse atrás da sala dela onde havia uma linda cerejeira plantada, estava com sorte que naquela época do ano as cerejeiras estavam floridas e era o cenário perfeito para confessar seus sentimentos, Mena já arrumando sua coisas só pensava em se jogar nos braços do seu amor, foi a última a sair porque sabia que Henry é difícil em chegar primeiro no local marcado, com o coração apertado viu que não tinha mais ninguém na sala e nem nos corredores saiu correndo para o ponto de encontro nessa hora o sol já estava se pondo e o cenário fica mais belo do que já era ao virar a direita que dava acesso ao local marcado.

Mena parou ali mesmo quando viu seu amado beijando uma garota que não conhecia, era um choque aquilo ela não conseguia descrever a sensação que sentia naquela hora apenas queria sair dali e correr para bem longe onde seu coração não precisasse sentir aquela dor.

Quando Henry terminou de beija a menina que estava em seus braços olho para o lado e viu sua amiga de infância parada, chorando, desolada.

_ Mena.

A menina tomou um susto ao voltar para realidade com Henry lhe chamando

_ porque? Porque você fez isso

Mena se virou e saiu correndo o mais rápido possível para a saída.

Mena correu, correu tanto que seus pulmões já estavam casados, parou perto do portão da escola para tomar fôlego e gritou

_EU TE ODEIO

Mena sem ver a direção para onde estava correndo foi acertada em cheio pelo um carro que naquela hora passava..enquanto isso

Henry depois de ver Mena fugir resolveu ir embora, porque sabia que ela foi para casa ele não sabia o do porque sua amiga está daquele jeito, caminhando para o portão da escola viu de longe uma movimentação esquisita ali perto viu vários polícias uma ambulância e várias pessoas ao redor de algo que parecia um acidente de carro ao chegar mais perto reconheceu o corpo jogado no chão e todo ensanguentado era sua amiga, Mena.


Notas Finais


Coitada da Mena, espero que tenham gostado espero vocês no próximo episódio


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...