1. Spirit Fanfics >
  2. Através do Tempo >
  3. Primeiro passo: Concluído com sucesso

História Através do Tempo - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura :3

Capítulo 3 - Primeiro passo: Concluído com sucesso


 Era por volta das 10:23, quando a Lockser menor acordou, se amaldiçoou internamente por isso, fora dormir muito tarde conversando com seu moreno, Gajeel. Levantou-se, toda descabelada e com uma marca clara de saliva a baixo de seus delicados lábios, foi direto para o banheiro para fazer sua higiene e necessidades fisiológicas. Após o banho gelado, para acordar de verdade e esconder as olheiras de sono, ela foi para a cozinha, encontrando sua irmã e sobrinha de consideração.

-Cadê vaca peituda? – Perguntou, fazendo as duas a sua frente rirem com seu apelido ‘’ carinhoso’’ para a Heartfilia.

-Não sabemos, quando acordamos ela não estava aqui - Indagou Juvia.

-O que é extremamente estranho, o carro da titia tá na garagem, procuramos pela casa inteira e nada dela.

-Estranho – Levy ficou pensativa.

-De qualquer forma – A Lockser maior colocou um prato com tapiocas e uma jarra com café na mesa – A Lucy não é do tipo que desaparece e não volta, antes do almoço ela aparece em casa – Completou.

Elas fizeram sua primeira refeição do dia calmamente, jogando conversa fora e rindo. Não imaginavam a loucura que a Heartfilia havia se metido e muito menos o quanto ela ainda demoraria para voltar.

///

Lucy já tinha feito o almoço, limpado a casa e preparado o bar para ser aberto a noite. Estava exausta, mas era o mínimo que estava fazendo pela morena, que aquele ponto já tinha ajudado no que podia para a Heartfilia ficar satisfeita. Se sentou na cadeira que estava na varanda da casa, olhando pro castelo, ansiosa para fazer a entrevista e ver o príncipe novamente, esse foi seu primeiro pensamento. Balançou a cabeça negativamente e pensou mais uma vez ‘’ ver o anel novamente ‘’. Era o que queria acreditar, aquela sensação de ter um proposito se fez presente. E pensamentos impuros a invadiam, deixando-a corada e pela segunda vez, balançando a cabeça negativamente, tentando convencer-se de que não o desejava. Ela acordou de sua fantasia ansiosa e maldosa quando Canna deu um tapa em sua testa, começando a rir com o pulo que a Heartfilia dera na cadeira.

-Estava pensando coisas pervertidas loirinha, pra ficar tão vermelha? – Riu a morena.

-C-Claro que não! – Exclamou constrangida.

-Estava sim – Indagou Canna, convencida, e ela realmente estava certa – Mas de qualquer forma, vim pra te lembrar que sua entrevista de conselheira do engomadinho é daqui a uma hora! Vamos logo comer Lucy, para você não se atrasar – Sorriu.

-Sim, obrigada – Sorriu de volta, levantando-se e esquecendo do mini tapa que havia levado segundos atrás.

Assim foi feito, as duas foram deliciar de suas refeições na cozinha. Por um momento Lucy se pegou questionando se nessa época existe TV e perguntou para Canna, tendo em resposta outra pergunta: ‘’ o que é TV?’’. Assim confirmando o que já imaginara. Após o almoço a loira foi ao banheiro para tomar banho, que ficava no final do corredor, depois da cozinha.

Quando a Heartfilia estava a baixo do chuveiro, com a água caindo em si, ficou pensando no quanto era difícil acreditar em tudo que tinha acontecido em um curto período de tempo, sentia saudade de casa, sabia da preocupação que daria para suas amigas e sobrinha por ter sumido tão de repente, sentia-se angustiada, pelo simples fato de não ter controle algum da situação. Ela era que estava sendo controlada, da mesma forma que o rei controla seus servos, dando ordens, e o mesmo obedece sem sequer ter a chance de questionar como gostaria. Quem e o que eram aquelas vozes? Qual a razão de tudo isso está acontecendo? Perguntas que Lucy não tinha a resposta, mas acharia, ficaria o tempo que fosse necessário para conseguir. Prometeu ao seu pai que jamais desistiria daquilo que tinha como objetivo e foco e o seu naquele momento era ter respostas.

Quando saiu do banho gelado que a fez ficar decidida que encontraria as respostas que queria, Lucy foi ao encontro no quarto onde havia conversado com a morena pela primeira vez, o lugar que ela julgava ter sido o início de toda a confusão. Andou até o pequeno guarda-roupa preto no canto do cômodo e retirou uma blusa azul com espécimes de fitas amarelas pequenas, localizadas no meio que vão do começo ao fim da vestimenta e uma saia branca com botões também de cor amarelada, que ficam nas duas laterais. Em baixo das gavetas possuía um espaço, onde ela pegou um par de botas marrom que chegavam até um pouco a cima do joelho, por fim, suas roupas intimas que estavam na primeira gaveta.

Lembrou de quando perguntou para a morena se aquele dinheiro das roupas e sapatos faria falta, tendo em resposta um não, pois Canna havia furtado de um cara onde praticamente, tinha obrigado ela a ter relações sexuais, a morena aproveitou que no fim do ato o homem dormiu, roubou o colar e anéis de ouro que ele possuía. O fato dela ter sido obrigada a aquela situação deveria ser triste, todavia, essa história é motivo de risada vindo da Alberona, a única coisa que teve de machucado foi seu ego, pois admitiu ter gostado.

Lucy então terminou de se vestir e pegou uma fita azul, amarrando seus longos cabelos loiros para a direita. Foi ao encontro da morena que já estava em frente ao bar de onde admirava o castelo.

-Pronta? – Perguntou a morena.

-Sim, vamos! – As duas começaram a andar em direção ao castelo que não era muito longe dali – Acha que vou conseguir? – Perguntou.

-Acho que sim, mas eu percebi os olhares que você trocou com o engomadinho – Brincou.

-N-Não sei do que você está falando – Gaguejou.

-Gaguejou, mentiu! – Riu – Provavelmente não vai ser ele que vai fazer as entrevistas, por que se fosse – fez uma pausa dramática e lançou um olhar malicioso – Nem iria esperar na fila se ele te visse.

-Exagerada! – Fez bico – Está duvidando do meu potencial?

-Não, só falo verdades – Indagou a morena, convencida.

Canna brincou bastante com a Heartfilia em relação ao príncipe durante o percurso, deixando-a extremamente envergonhada. A loira se sentiu ansiosa quando finalmente chegou ao lugar onde acreditava ser seu novo lugar de trabalho. A Alberona foi barrada, acompanhantes não poderia passar da portão, apesar de Canna querer enforcar os guardas, sabia que iria prejudicar a loira então só seguiu de volta para casa sem reclamar como queria.

 Lucy chegou a um pequeno cômodo do castelo, com orientações dos guardas. Se deparou com poucas pessoas, menos do que imaginava, na sala de paredes cor amarelada. Havia mais mulheres do que homens, o que a deixou surpresa. Ignorando os olhares pervertidos que recebia, se sentou em uma cadeira, próxima a uma porta, onde provavelmente os candidatos iriam ser entrevistados.

Após muita espera chegou a vez da Heartfilia, que adentrou na sala e se deparou com uma mulher de cabelos longos, azuis, de postura seria e dois guardas que estavam nas duas laterais da mesa marrom.

-Boa tarde, senhorita, nome e idade por gentileza – Perguntou sem olhar para a loira.

-Lucy...- Ponderou falar seu sobrenome verdadeiro, pois lembrou que sua mãe havia dito que sua bisa avó era chefe da guarda nacional dessa época, conseguiu esse título após conseguir uma aliança com Alvarez, que tirou todo o equilíbrio da guerra e fazendo os demais países se renderem, ocasionando o fim da segunda guerra mundial - Alberona e eu tenho 23 anos – Sorriu nervosa.

-Currículo? – Olhou para a ‘Alberona’ que travou na hora.

-Precisa de um?

-Não, afinal – Debochou – Os qualificados de verdade foram mandados para a guerra e morreram – Disse a azulada com os olhos sem vida – De qualquer forma, vou começar o teste.

///

 

-Isso é chato – Disse o rosado se jogando na enorme cama.

-Por isso vamos contratar alguém, cansei das suas reclamações idiotas – Riu.

-O senhor fez isso na primeira semana que foi coroado, mamãe que disse – Jogou uma bolinha de papel que foi desviada facilmente.

-Sua mãe é uma linguaruda – Brincou – Mas voltando ao assunto, de preferência que seja mulher, conversei com a Aquarius sobre isso, não queremos que você seja o cadáver que vai iniciar a terceira guerra mundial – Disse sério.

-Por que pensa isso, pai? – Sentou-se melhorando a postura.

-Alvarez não é lá um país para se confiar, vários deles vem para o baile daqui a duas semanas, um atentado não vai ser tão surpreendente, visto que nosso país está bem fraco com o fim da guerra – Suspirou – Só espero que você saiba se defender de uma mulher – Riu novamente.

-Claro que eu sei, vou tomar cuidado – Jogou outra bolinha de papel que dessa vez, não foi desviada – O baile não vai ser uma festa qualquer não é? - Suspirou já sabendo a resposta.

-Você tem que escolher uma noiva logo, para ser coroado de uma vez, quero me livrar desse cargo o mais rápido possível – o rei declarou, deixando o rosado com uma cara emburrada, fazendo seu pai rir – Foi assim comigo também, você que lute – Gargalhou mais alto, irritando o rosado menor.

-Como eu sei que o senhor ama me irritar, vai ter muitos guardas me seguindo para onde eu for não é? – Se deitou novamente.

-Para todos os lugares, se reclamar vão entrar no banheiro enquanto estiver fazendo o número dois -  Deitou ao lado do filho – E não é para fazer filhinhos loucamente com a sua conselheira – Brincou novamente e o príncipe corou.

-Isso o senhor não pode me proibir – Falou baixo, mas foi o suficiente para o Rei ouvir.

-Você nunca me obedece, se fizesse o que eu mandasse dessa vez, duvidaria da sua sexualidade – Completou o rosado maior e foi acertado por um travesseiro, iniciando uma guerra entre pai e filho.

///

 

Foi pedido que todos os candidatos esperem na sala, pois todas as informações iriam ser repassadas e reavaliadas pelo Rei, e o ganhador iria ser chamado. Lucy estava ansiosa, suando um pouco, se sentiu assim quando foi entrevistada para finalmente se tornar uma jornalista, era a mesma sensação, gostava dela, era desafiador. Depois de uma hora, a mulher de cabelos azuis voltou e anunciou o nome da pessoa que ficaria com o cargo.

-Lucy Alberona, poderia me acompanhar? – Dito isso a loira quase pula da cadeira, ficou vermelha de felicidade, mas manteve a postura, primeiro passo e mais difícil de conseguir o anel, foi concluído com sucesso.

-Claro – Sorriu, seguindo a azulada deixando o ar de frustação na sala.

Recebeu a notícia que iria conhecer o rei e o príncipe, o que deixou a Heartfilia mais ansiosa e nervosa. Andou um pouco, chegou a um enorme jardim atrás do castelo, repleto de flores de diversos tipos, o lugar era lindo e possuía uma grande fonte no centro.

-Pensei que para esses tipos de cargos, o tempo para sair o resultado seria maior – Comentou a loira.

-O rei ordenou que uma mulher exercesse este cargo – Bocejou – Das mulheres que entrevistei, você foi a melhor, não foi difícil escolher.

Após continuar a seguir a azulada, a loira finalmente vê o príncipe em um espaço coberto, sentado ao lado de seu pai em um pequeno banco e uma mesa de cor branca a frente. E novamente os olhares do rosado mais novo, se encontram com a da Heartfilia, da mesma forma que na primeira vez, com desejo e ansiedade.


Notas Finais


Tive um bloqueio de criatividade terrivel, principalmente nesse final de cap. ahsuahuhsauh mas ta ai.
Espero que tenham gostado!
Até mais s2 :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...