História Através dos Anos (Reescrita) - Capítulo 27


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Tags Kuraita, Narusasu
Visualizações 156
Palavras 3.482
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi!

O capítulo de hoje foi reescrito a partir do capítulo "Dor, Tristeza e Perdão" da outra versão, uma parte é igual a da outra versão e outra é nova, espero que gostem.

Capítulo 27 - Namorados (Reescrito)


Fanfic / Fanfiction Através dos Anos (Reescrita) - Capítulo 27 - Namorados (Reescrito)

01 de Julho, ano X23:

 

Kurama: 20, Itachi: 20, Naruto: 14, Sasuke: 13

 

Faziam três meses que estavam naquele relacionamento um tanto quanto estranho, íntimo, diferente do que estava habituado, mas não ruim, só... diferente. Os pais começaram a notar certas mudanças, ambos os meninos começavam a apresentar sutis alterações de comportamento, Naruto andava se arrumando e perfumando mais, estava mais organizado, e seu quarto agora limpo e sem aquele monte de bagunças espalhadas mostrava isso, também andava mais alegre e sorridente que o normal, além é claro de passar horas trancado no banheiro e no próprio quarto, fazendo sabe-se lá o que, Kushina ficava preocupada, porém seu marido apenas sorria e lhe dizia para ficar tranquila, que eram apenas os hormônios da adolescência se manifestando em seu caçula.

Sasuke também havia apresentado mudanças, o menino andava mais quieto e alienado, sempre pensando longe e de vez em quando seu pai o pegava suspirando e sorrindo sozinho, o que era estranho para o pequeno Uchiha, além disso o moreninho também agora estava mais vaidoso e às vezes passava minutos a fio na frente do roupeiro pensando no que iria vestir e isso começava a deixar o patriarca preocupado, que já tinha uma leve suspeita do que estava acontecendo, mas que preferia não acreditar, afinal seu menino era muito novinho e inocente, às vezes o Uchiha simplesmente ainda o via como o seu bebezinho, pequeno, frágil e doente, que requeria cuidados constantes.

Naruto e Sasuke ainda não haviam contado para os pais sobre seu relacionamento, tinham medo do que eles pudessem dizer, de que eles quisessem os separar, especialmente o patriarca Uchiha, que era muito superprotetor em relação à seus pequenos, além disso, também não tinham certeza sobre sua relação, não haviam dado um nome para aquilo que estavam tendo, simplesmente estavam se curtindo.

Naquele dia no entanto, Naruto chegou cedo na casa de seu moreninho, o objetivo é claro era estudar para as provas que viriam, porém logo que Sakura e Gaara foram embora e Sai foi para o próprio quarto, o loirinho viu a oportunidade de aproveitar um pouquinho de seu pequeno moreninho. Naquele momento estavam ambos sentados na cama do Uchiha, com as bocas coladas, movendo-se em um ritmo lento e gostoso, as mãos do menor embrenhando-se nos fios dourados, enquanto as do Uzumaki desciam e subiam pelas costas do mais novo, só pararam o beijo quando o ar os faltou e Sasuke gemeu ao sentir os dentes brancos e alinhados do mais velho puxando seu lábio inferior, teve de esconder o rosto muito vermelho no peito alheio assim que Naruto o soltou e o loiro riu alto, passando a mão em um carinho pela coxa do pequeno.

 

- Não precisa ter vergonha Sake-chan. – o loiro falou risonho, vendo o menor erguer o rosto e encará-lo irritado, com as bochechas infladas e as sobrancelhas franzidas.

- Não me chama assim. – o moreninho falou bravo, porém o sorriso do outro não se desmanchou.

- E por que não? Eu te chamava assim quando éramos pequenos, okaa-san que me disse. – provocou, sua mão ainda escorregando em um vai e vem pela coxa do pequeno.

- Mas eu não gosto. – pronunciou irritado, afastando a mão do maior de si e afastando-se, sentando do outro lado da cama, com os braços cruzados, Naruto riu, por algum motivo gostava de irritar o Uchiha, de ver a carinha emburrada, as bochechas infladas e coradas, porém logo a expressão do moreno mudou e ele pareceu ficar triste, receoso – Naru... – o loiro o encarou, porém ele parecia hesitante em dizer o que se passava em sua cabeça, o mais velho então aproximou-se mais, até estar novamente ao lado do outro e ergueu uma mão, tocando os fios negros, tirando a franja dos lindos olhos escuros, incentivando-o a prosseguir, apesar de incerto, o menor prosseguiu – o que... eu sou pra você? Q-qual o nosso relacionamento? Somos amigos, ficantes, ou... o-o que nós somos? – o loiro surpreendeu-se, não esperava aquela pergunta, na verdade nem mesmo havia parado pra pensar ou colocar um nome naquela relação, porém agora lembrando-se de todos os seus momentos, olhando para o pequeno ao seu lado, parecendo assustado e inseguro, uma certeza lhe vinha à mente, não queria ser apenas o melhor amigo.

- O que você acha Sasu? É claro que você é o meu melhor amigo... – perguntou como se fosse óbvio e viu o rostinho delicado se entristecer, decepcionado, porém logo mudando para surpreso quando pronunciou as seguintes palavras – mas também é o meu namorado, meu lindo, fofo e teimoso namorado.

- N-namorado? – a voz do Uchiha saiu entrecortada, seu coração agora batendo feito um louco dentro de seu peito e suas mãos suando, enquanto Naruto apenas sorria, parecendo tranquilo, sua mão agora descendo das mechas negras para o rostinho pálido.

- É claro, meu namorado, apenas meu. – afagou o rosto corado do menor e depositou um selinho em seus lábios, como se para confirmar aquilo que dizia – A não ser que você não queira.

- Eu quero. – o pequeno quase gritou e quando percebeu acabou abaixando a cabeça, escondendo o rosto agora muito vermelho nas mãos pequenas, o Uzumaki sorriu, achando aquela reação muito fofa e inocente, exatamente como seu pequeno era e por isso o puxou para seus braços.

- Então está combinado... meu namorado. – o loiro proferiu, tirando as mãozinhas trêmulas do rostinho do mais novo e depositando mais um selinho em seus lábios, antes de sussurrar em seu ouvido – Meu noivo. – Sasuke não entendeu a princípio, porém logo lembrou-se daquela ocasião a anos atrás, quando eram muito pequenos e Naruto havia lhe dado aquele anel que havia conseguido em uma máquina de chicletes e lhe “pedido em casamento” e por isso sorriu, levando os dedos às marquinhas curiosas no rosto do loiro.

- Bobo. – sim, bobo, mas a partir de hoje e para sempre seu bobo.

 

_____ x _____

 

23 de Julho, ano X23:

 

Kurama: 20, Itachi: 20, Naruto: 14, Sasuke: 14

 

Já faziam quatro meses que estavam juntos, vinte e dois dias que namoravam e catorze anos que se conheciam e eram amigos, Naruto estava indeciso, aquele era o aniversário de Sasuke e queria torná-lo inesquecível para seu pequeno, sabia o quanto o menino ainda ficava desanimado nesses dias, quanto sentia falta da mãe, principalmente nessas ocasiões, porém faria de tudo para fazê-lo esquecer e deixá-lo feliz, era uma promessa e Naruto nunca quebrava suas promessas.

Chegou na casa do Uchiha sendo recebido pelo patriarca, que o encarava desconfiado, a verdade era que Fugaku tinha medo, sabia o quanto Sasuke era apegado ao pequeno Uzumaki e por isso temia, seu filho era frágil e inseguro, não estava preparado para uma relação e se Sasuke já era dependente de Naruto, o que aconteceria se ambos começassem algo?

Naruto chegou, cumprimentando Itachi e seu irmão, que apenas para implicar consigo, bagunçou seus cabelos, que havia demorado tanto para arrumar.

 

- KURAMA! – gritou bravo, fuzilando com os olhos o mais velho, que jogou a cabeça pra trás, rindo da expressão furiosa de seu otouto, que tentava inutilmente arrumar o cabelo agora desalinhado.

- Quer um espelho princesa? – o ruivo falou irônico e poderia jurar que se olhar matasse agora cairia duro, assassinado pelo do loiro, que só mudou a expressão quando ouviu uma doce vozinha infantil.

- Tio Aúto. – olhou para baixo, notando o pequeno Arashi estendendo os bracinhos para si e com um grande sorriso, pegou o sobrinho no colo e brincou um pouco com o mesmo, levando os lábios à barriguinha gordinha do pequeno e fazendo barulhos no local, fazendo o ruivinho gargalhar, uma risadinha infantil e gostosa, que preencheu a casa, deixando todos sorridentes e encantados. Devolveu Arashi aos pais e subiu as escadas, encontrando Sai e Sakura no caminho, que saíam do quarto do moreno, ambos muito corados, o que haviam feito lá o loiro não tinha ideia, mas pelas expressões assustadas e envergonhadas de ambos já tinha uma leve suspeita e por isso apenas os cumprimentou com um aceno de cabeça e prosseguiu para duas portas depois, para o quarto de seu Uchiha.

 

Abriu a porta sem nem bater, encontrando o pequeno à frente do roupeiro, com uma cara indecisa, sem camisa e com várias peças de roupa espalhadas pelo chão, o que o deixou de certa forma curioso, afinal ao contrário de si, seu namorado sempre havia sido muito organizado. Sorriu com esse pensamento, namorado, nem ele mesmo tinha ideia do quanto havia querido chamá-lo daquela forma, mas agora percebia, queria dizer essa palavra muitas e muitas vezes, assim como queria ouvi-la saindo dos lábios rosados e pequenos de seu moreninho.

Sem fazer barulho, aproximou-se cautelosamente e envolveu os braços na cintura do Uchiha, abraçando-o por trás, Sasuke se sobressaltou, porém assim que percebeu de quem se tratava seu rostinho ficou muito vermelho e tentou esconder seu sorriso com a franja comprida.

 

- Olá meu namorado, feliz aniversário. – Naruto sussurrou em seu ouvido, depositando vários beijinhos no pescoço e nuca alheia, suas mãos escorregando pela cintura nua do menor, em um carinho, que deixava todos os pelinhos claros e quase inexistentes do Uchiha erguidos.

- Naru... – Sasuke virou-se, dando de cara com o mais velho, um sorrisinho meigo adornando seus lábios, porém logo sua expressão mudou e ficou envergonhado e assustado ao perceber que estava semi-nu na frente do namorado – N-naru, saia daqui, eu preciso me vestir. – o Uzumaki arqueou uma sobrancelha e sentiu as mãozinhas pálidas o empurrarem.

- O que foi? Não é como se eu nunca tivesse te visto sem camisa. – o loiro falou, estranhando o comportamento do mais novo.

- M-mas agora é diferente. Sai do meu quarto. – o moreninho apontou o dedo indicador em direção à porta de saída e acabou chocado quando o loiro sorriu de canto e pegou seu dedo, colocando-o na própria boca, chupando-o, seus olhos arregalaram-se e seu rosto ficou ainda mais corado, se é que isso era possível – N-naru...

- Não seja bobo Sasu, eu já te vi sem camisa milhares de vezes e além disso... – puxou o corpo pequeno de encontro ao seu e abraçou-o novamente pela cintura, sentando-se na cama com o Uchiha em seu colo – estamos namorando.

- Naru... – o moreninho fechou os olhos, apreciando o carinho das mãos maiores em sua cintura, enquanto sentia os lábios quentes do namorado “tocando” seu pescoço, tombou a cabeça para o lado, dando passagem para a boca do loiro e assustou-se quando sentiu-o sugar sua pele, acabou empurrando-o e levantando-se – O que fez? – o pequeno correu até o espelho,  notando que seu pescoço já começava a ficar vermelho, no local onde o Uzumaki havia chupado, certamente ficaria pior depois – Você... você... por que fez isso seu dobe?

- Dobe? – o loiro arqueou a sobrancelha pela forma com que fora chamado e levantou-se, aproximando-se do namorado, notando a marca avermelhada em seu pescoço, acabou corando – Desculpe Sasu, eu não...

- Você é um idiota. Saia do meu quarto. – o pequeno ordenou, o Uzumaki até tentou se defender, porém o moreno estava irritado e acabou o empurrando porta a fora e fechando-a na sua cara, Naruto suspirou e seguiu seu caminho para baixo, onde a família de seu pequeno estava reunida, porém por mais que soubesse que havia errado não conseguia conter o sorriso em seus lábios, seu namorado ficava lindo até quando estava irritado.

 

_____ x _____

 

Sasuke demorou para descer as escadas, após ficar vários minutos olhando a recente marca em seu pescoço, voltou-se para o roupeiro, procurando uma camisa adequada, que pudesse esconder aquela marca vergonhosa. Seu maior medo obviamente era seu pai, afinal o que o patriarca pensaria de si se o visse com aquilo no pescoço? Após vários incontáveis minutos e chamadas de seu aniki na porta, optou por uma blusa negra, de mangas compridas e gola alta, Itachi estranhou ao vê-lo usando aquilo, afinal fazia um dia bonito e quente e Sasuke claramente suava, porém achou melhor não se meter, seu irmãozinho era um tanto quanto complicado.

 

- Por que está usando isso Sasuke? – no entanto seu pai se meteu, seus olhos estavam estreitos, encarando meticulosamente o menor, que ficou corado e nervoso.

- Eu... só... me deu vontade otou-san. – Fugaku fechou ainda mais a cara, era a primeira vez que o filho lhe mentia e isso não era um bom sinal, sabia que algo estava acontecendo, porém sabia também que não adiantaria insistir agora, mais tarde interrogaria o pequeno, agora precisavam dar atenção aos convidados.

- Feliz aniversário Sasuke. – era a voz de sua madrinha, que o abraçou, estranhando o quanto o menino parecia suado sob aquelas roupas, estaria doente? Minato apenas afagou os cabelos negros, bagunçando-os e ambos sorriram ao verem as orbes negras brilharem ao abrir o presente recém ganhado, uma máquina de tirar fotos antiga, daquelas que a foto sai na hora. O Uchiha correu na hora, testando-a com todos que estavam no andar de baixo, parecia até uma criança que havia ganhado um brinquedo novo e Fugaku ficava tranquilo de vê-lo sorridente daquela forma, porém obviamente estranhou quando o viu subir novamente as escadas com o loiro Uzumaki, alguma coisa certamente estava errada.

 

_____ x _____

 

“Sasuke, quero lhe dar o meu presente também”, haviam sido essas as palavras de Naruto quando o arrastou novamente até seu quarto, porém agora sozinhos, frente a frente com o namorado sentia-se nervoso e seu coração disparou quando o mesmo aproximou-se, as mãos quentes tocando seu pescoço, puxando a gola da blusa para baixo, revelando a marca que já começava a ficar roxa.

 

- Desculpe Sasuke. – pediu envergonhado e o moreno ergueu os olhos o encarando e suspirou.

- Tudo bem, eu só... fiquei nervoso. Quer dizer, não é como se fosse ficar pra sempre, eu só tenho que esconder do meu pai enquanto não some. – o Uchiha deu um sorriso sem graça e o Uzumaki suspirou triste, antes de rir com o comentário seguinte do menor – E quanto ao meu presente? – é claro, Sasuke era curioso, detestava surpresas e o loiro sorriu, virando-o de costas para si, o Uchiha sentiu seu corpo estremecer ao sentir as mãos quentes irem novamente ao seu pescoço e colocar algo, antes que o Uzumaki o virasse para si e depositasse um selinho em seus lábios.

- Pode olhar. – o moreno foi até o espelho e sorriu ao ver um colar em formato de coração em seu pescoço, Naruto aproximou-se e colocou-se atrás de si, seus braços sobre seus ombros, enquanto o loiro abria o objeto, revelando uma foto sua – É pra combinar com o meu. – o loiro falou, pegando um colar idêntico ao do menor sob sua camiseta e abrindo-o, revelando uma foto do pequeno Uchiha, Sasuke sorriu abertamente.

- Eu adorei. – virou-se para o loiro e ergueu os olhos, encarando os lábios grossos e rosados de seu namorado, molhou os seus próprios com a língua e respirou fundo, tomando coragem para iniciar o contato. Naruto ficou surpreso, normalmente era ele quem iniciava o beijo e o moreno apenas o acompanhava, por isso não se fez de rogado quando sentiu a boca pequena tomar a sua e os braços finos rodearem seu pescoço, correspondeu, envolvendo a cintura estreita do menor, sentindo os movimentos de suas línguas tornarem-se mais íntimos e por reflexo próprio escorregou suas mãos até as coxas do mais novo, erguendo-o e fazendo-o envolvê-las em sua cintura. Andou com o pequeno agarrado a si até a cama macia e deitou-os com cuidado, sem separar suas bocas em momento algum, suas mãos subindo e descendo pelo corpo menor, estava extasiado, excitado, havia tantas vezes se masturbado pensando em seu Uchiha que agora sentia-se quase entrando em desespero, precisava tocá-lo, por isso levou as mãos trêmulas até a barra da blusa negra, puxando-a pra cima, revelando o torso desnudo de Sasuke, que estava tão perdido pelas sensações que nem notou o que o Uzumaki fazia, era tudo muito novo para o pequeno Uchiha. Naruto deslizou as mãos pelo tronco pálido e levou-as aos mamilos rosados, tocando-os, ouvindo um gemido sôfrego escapar dos lábios avermelhados e inchados pelo beijo. Não satisfeito, escorregou as mãos pelo corpo adorado, agarrando as nádegas fartas e as apertando em seus dedos, o que fez o Uchiha encará-lo assustado, porém logo perdendo-se novamente ao sentir os lábios do namorado tomarem os seus, infelizmente ou felizmente não puderam ir muito longe, logo a porta foi aberta pela última pessoa que esperavam e desejavam.

- O QUE ESTÁ ACONTECENDO AQUI?

 

_____ x _____

 

            Os convidados já haviam ido embora, e agora encontravam-se os três adultos encarando sem expressão alguma os dois adolescentes acanhados e assustados, enquanto Kurama e Itachi seguravam-se para não rir, observando tudo em um lugar mais afastados.

 

- Podem me explicar o que foi que eu vi no quarto? – Fugaku falou seriamente, com sua tão comum “expressão fria”, o qual seu pequeno não gostava.

- O-otou-san, nós... só... – Sasuke falou todo enrolado, seu rostinho muito vermelho, enquanto as mãozinhas pequenas apertavam fortemente o tecido de sua blusa negra.

- Não se enrole Sasuke. – falou “duro” com seu pequeno, que se encolheu.

- T-tio Fugaku, Sasuke e eu estávamos apenas... – Naruto foi cortado pelo mais velho.

- Se agarrando no quarto, não minta Naruto, eu sei o que vi. – o loirinho também se encolheu, seu rostinho só um pouco menos corado que de seu namorado.

- Você fez o que Naruto? – sua mãe falou “brava” e o menino abaixou a cabeça, Minato quase riu, mas sentiu pena de seu pequeno, Fugaku e Kushina podiam ser assustadores quando queriam.

- O-okaa-san... – Naruto já estava quase chorando, enquanto Sasuke já tinha os olhinhos marejados – N-nós só... só...

- Quais são suas intenções com meu filho Naruto? – Fugaku o encarou, aquela expressão que poucas vezes havia visto, mas que sempre o assustava.

- E-eu... – viu o patriarca Uchiha estreitar os olhos em sua direção e percebeu que não ganharia nada se enrolando daquela forma, tomando fôlego, olhou firmemente, ou o melhor que pôde, na direção de seu padrinho, o encarando nos olhos – Eu amo o seu filho, amo o Sasuke e estamos namorando. Pretendo me casar e ter muitos filhos com ele quando formos mais velhos. – após terminar de falar, o loirinho suspirou, sentia um grande alívio por ter colocado tudo para fora.

- E você Sasuke, o que sente pelo meu filho? – Kushina falou, encarando o pequeno, que agora torcia as mãozinhas de forma nervosa, seu rostinho ainda mais vermelho, se é que era possível.

- E-eu... e-eu a-a-amo o N-naru. – o moreninho respondeu, sentindo até suas orelhas arderem e os mais velhos apenas se entreolharam, antes de caírem na gargalhada, juntamente com seus primogênitos, que agora riam sem controle nos lugares mais afastados, Naruto e Sasuke apenas se olharam, sem nada entender.

- Bebê, vocês realmente acharam que podiam enganar a gente? – Kushina falou, aproximando-se de seu loirinho, seguida de Minato.

- Nós já tínhamos percebido tudo, muito antes de Fugaku os flagrar. – o loiro Namikaze falou, os menores apenas piscaram os olhos, confusos.

- Somos tão óbvios assim? – Naruto perguntou, encarando todos na sala.

- Tão claros como água. – a ruiva respondeu, afagando com carinho a face de seu caçula.

- Mas... então, por que otou-san ficou tão bravo? – Sasuke perguntou, ainda tentando assimilar tudo o que estava vendo e ouvindo.

- Primeiro, porque eu fiquei muito surpreso de ver o meu bebê naquela... situação. – o patriarca Uchiha falou, sentindo seu rosto esquentar – Segundo, porque eu não quero vocês dois trancados sozinhos no quarto, são muito novos ainda e agora estou falando sério, vão namorar na sala, onde possamos observá-los. Os dois entenderam? – os dois meninos apenas assentiram.

- Então... n-não ficou bravo? – Sasuke perguntou, recebendo um sorriso franco de seu pai.

- É claro que não, tudo o que todos nós aqui queremos é que sejam felizes, o resto não importa. – o patriarca Uchiha viu como os olhinhos de seu pequeno iluminaram-se ao ouvir tais palavras.

- É sério? – o menor de todos ali perguntou, recebendo um aceno positivo de seu pai e como reflexo, pulou no pescoço do mesmo – Obrigado otou-san. Obrigado tia Kushina, obrigado tio Minato. – agradeceu aos mais velhos, que apenas sorriram, assentindo.

- E você Naruto, não vai dizer nada? – sua mãe perguntou e o loirinho balançou a cabeça.

- Sim, obrigado, é muito importante pra nós saber que nos aceitam. – o Uzumaki falou e logo encarou seu agora sogro – Pode deixar que eu vou cuidar muito bem dele tio Fugaku.

- Acho bom Naruto, porque sabe eu não gostaria de estrear a minha coleção de facas em você. – o loirinho engoliu em seco ao ver o sorriso de lado do mais velho, porém logo se recompôs e puxou seu pequeno para si.

- Não vai precisar, podem confiar em nós, vamos ser muito felizes. – e disso não tinha dúvidas, porque desde sempre seu pequeno era seu norte, seu sul, seu leste e seu oeste. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado do capítulo, nos vemos no próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...