1. Spirit Fanfics >
  2. Através dos Olhos (sasuhina) >
  3. Desconfiança

História Através dos Olhos (sasuhina) - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Olá minna ❤
Capítulo 11 saindo do forno para vocês meus amores...
Esse aqui está mais tranquilo, aquela calmaria antes da tempestade kkkk
Pessoal eu preciso fazer um aviso, daqui em diante os capítulos serão maiores, tem muita coisa pra acontecer com o nosso casal ( Eu e minha BFF @minenne ficamos uma hora ao telefone conversando sobre os acontecimentos futuros de Através dos Olhos kkkk) e o ser humano aqui não sabe resumir, pretendo não escrever capítulos extensos demais que possam ficar enfadonhos...
Mas enfim, entrego o Cap 11 pra vocês 😘
Leiam com o coração ❤

Capítulo 11 - Desconfiança


Fanfic / Fanfiction Através dos Olhos (sasuhina) - Capítulo 11 - Desconfiança

A área dedicada aos treinos ficava no meio da floresta particular nos fundos da casa. Sasuke e Hinata estavam ao que parecia horas lá, treinavam taijutsu já que esta era a especialidade da perolada e o moreno necessitava aumentar a força no braço implantado.

O Uchiha estava sem camisa, suor escorrendo, ataduras envolviam o pulso direito. A Hyuuga havia trocado de roupa, já que um vestido não era algo ideal para se usar durante um treino, os seios fartos encontravam -se em um top preto que os mantinham estabilizados, na medida do possível. Também usava ataduras em ambos os pulsos e uma calça legging que lhe dava mobilidade.

Agora encaravam-se, esperando o próximo passo do outro. Os donjutsu não eram utilizados, usando somente os próprios reflexos. Os últimos resquícios de luz solar os alcançavam, brindando-os com uma fraca claridade.

- Está lento, Sasuke – a jovem falou ofegante, um sorriso provocativo estampado nos lábios.

Viu o semblante masculino fechar-se em uma expressão de indignação. E antes que os olhos pudessem acompanhar, o rapaz moveu-se rápido como uma flecha, surgindo em suas costas. Teria ficado espantada se já não esperasse por aquilo.

- Isso é len...

O ex-nukenin não conseguiu completar a frase diante do joelho que veio ao encontro do seu estômago. Curvou-se, dor o atingindo. Fechou o punho e o lançou na tentativa de acertá-la. Porém, sentiu antes que conseguisse ver seu soco ser desviado suavemente, e uma mão espalmada transbordando chakra atingi-lo no peito arremessando-o alguns metros para atrás.

- Previsível, você está sendo previsível, Uchiha.

Quando o citado ergueu-se, viu o maldito sorriso zombeteiro naqueles lábios tentadores. Os olhos claros brilhavam com provocação.

- Hummm.

Ninguém nunca o havia chamado de previsível, o pior é que ela estava certa. Pelos golpes que tinham trocado, entendeu o porquê de os Hyuugas serem chamados de mestres do taijustu. Nenhum ataque de Hinata era impensado ou desperdiçado, todos possuíam um objetivo e o encontravam mais vezes do que Sasuke gostaria de admitir.

Ainda tinha o adicional de que mesmo sem o byakugan, ela tinha fechado alguns dos seus tenketsu. Como se após tantos anos usando o donjutsu, a garota registrara na mente a posição de alguns pontos.

Também notou a resistência e a quantidade de chakra que a outra possuía. Ela poderia muito bem aguentar uma luta extensa contra um oponente forte sem exaurir-se rapidamente.

Decidindo deixar a sutileza de lado, partiu para o ataque.

Golpes foram trocados. Alguns atingindo seus alvos outros não. Na mesma velocidade que eram desferidos eram desviados. Hora o moreno atacava fazendo com que a perolada entrasse no modo de defesa, hora ela atacava, forçando o outro a defender -se.

Em um desses ataques o Uchiha aproveitando -se de uma pequena brecha na movimentação da anbu, agarrou-a pelo pulso com um puxão fazendo-a se desequilibrar. Utilizando seu tamanho aplicou lhe uma rasteira, derrubando-a de costas no chão. Com o próprio peso a imobilizou. Prendeu os pulsos delicados com a mão esquerda, por mais tentador que fosse deixar aqueles dedos leves o tocarem significaria uma derrota.

Aproximou a boca da orelha pequena, deixando a respiração quente arrepiar a pele alva e macia do pescoço.

- Assim está previsível o bastante para você, Hyuuga? – sussurrou deixando a voz ganhar um tom rouco.

Deslizou os lábios pela linha da mandíbula, parando a milímetros dos dela. Os olhos de lua brilhavam mesmo na suave penumbra que se instalava a sua volta. Sentiu-a tentar libertar as mãos, intensificou o aperto nos pulsos a olhando com repreensão. Escorregou a mão pela lateral do corpo feminino, sentindo as belas curvas, os dedos longos dançaram pela pele exposta.

Hinata respirava ofegante, o peito subindo descompassado fazia com que os seios fossem pressionados ainda mais contra o tórax definido. As mãos presas e o corpo imobilizado pelo peso do outro a impediam de parar ou intensificar o contato. Estava realmente a mercê dele.

Não que isso fosse ruim...

- Está realmente lento hoje... Sasuke. - provocou-o.

Os dedos longos apertaram sua cintura e os dentes masculinos capturaram seu lábio inferior em uma mordida que a fez gemer. Quando viu a expressão de luxúria do outro, seu baixo ventre queimou. Ele afastou o rosto do dela, olhando-a como se imaginasse qual seria a melhor forma de comê-la.

- Eu não pretendo ser... rápido. – a mão forte subiu, o polegar foi pressionado sobre o mamilo rígido que despontava mesmo através do tecido. Aquele olhar selvagem que passará a agradá-la brilhou. – não com você assim... – novamente a mão moveu-se, dessa vez deslizando pelo braço feminino. – nas minhas mãos.

Sasuke beijou-a com voracidade. Tê-la ali, completamente a mercê de suas vontades, era inebriante. As línguas entrelaçaram-se, os dentes castigaram os lábios e o desejo o percorreu. Estava tão absorto no prazer que aquela pequena boca lhe dava que não percebeu as belas pernas femininas entrelaçarem-se com as suas, até perder o equilíbrio e se ver sob o aperto ferrenho da mulher, que agora o tinha embaixo de si.

Hinata o mantinha imobilizado. O joelho esquerdo sobre o peito dificultando a respiração do moreno, o pé direito prendendo um dos braços e o outro seguro pela sua mão esquerda, já que a direita se encontrava encostada na garganta masculina envolta em chakra, o que a tornava tão afiada quanto uma lâmina.

Deixou que um sorriso convencido aparecesse, inclinando-se um pouco aproximou o rosto do dele. Os longos fios azulados formavam um cortina os escondendo do resto do mundo.

- Mais uma lição Sasuke, jamais perca a atenção na luta – abaixou a voz para um sussurro, como se contasse um segredo. – e nunca deixe o inimigo te seduzir.

Antes que pudesse ouvir a resposta que viu se formar nos lábios do ex-nukenin, o som de galhos sendo quebrados foi ouvido. Quando ergueu a cabeça deparou-se com dois pares de olhos, um azul celeste e outro verde esmeralda os observando, o primeiro com curiosidade e o segundo com uma desconfiança agressiva.

- Naruto-kun, Sakura-chan que bom vê-los. – cumprimentou sorridente ao mesmo tempo que liberava o Uchiha, notou o olhar da rosada preso em cada lugar que tocava no rapaz enquanto o auxiliava a ficar de pé.

Agradeceu silenciosamente à Kami por estar escuro o suficiente para que a Haruno não visse com clareza as diversas, e nem um pouco discretas, marcas que povoavam sua pele.

- O que fazem aqui? – Sasuke indagou não escondendo o mau humor.

- Eu que iria perguntar o que você estava fazendo aqui com a Hina-chan até essa hora, teme. – respondeu o Uzumaki com o seu costumeiro sorriso gigante.

Ouviu o bufar do seu companheiro, não precisava olhar pra saber que ele estava com uma das sobrancelhas arqueadas e uma expressão de poucos amigos.

- Até onde eu sei Naruto, o que eu faço na minha propriedade não lhe diz respeito.

- Sasuke... – o repreendeu sem conseguir conter-se.

O ônix e a ametista cravaram-se nas pérolas, uma mensagem silenciosa passando de um para o outro.

O que foi Hyuuga?

Não precisa ser tão grosso com ele.

O baka vem na minha casa sem ser convidado e eu ainda tenho que dar satisfações?

Ele é seu amigo, deve ter vindo ver como você estava. Não custa muito ser mais educado.

Para mim custa.

Mentiroso.

Sorriu ao ver o semblante indignado do outro.

- Sasuke-kun nós viemos ver como estava, já que ninguém nos atendeu na casa imaginamos que poderia estar treinando aqui na floresta – Sakura se pronunciou, dando uma resposta a pergunta do moreno – só não sabíamos que estava acompanhado.

- Pelo visto estava levando uma sova da Hina-chan – caçoou o loiro, lançando um olhar brincalhão a citada.

- Hummm.

- Ele não negou?! – a gargalhada foi certa.

Foi impossível não deixar de sorrir junto ao portador da Kyubi.

Ser o alvo das risadas não era algo agradável para o Uchiha, mas valia a pena ver o jeito gracioso como Hinata ria. Recostando-se em uma árvore próxima esperou até que ambos se recuperassem. Notou os olhares da antiga companheira de time sete sobre si, preferiu ignorar.

- Então Hina-chan o teme te irritou tanto que tu decidiu bater nele pra aliviar? – perguntou Naruto, enquanto segurava a barriga dolorida de tanto rir.

- Não Naruto-kun, apesar dele ser irritante ás vezes – a anbu sorriu divertida – estávamos treinando um pouco, e acabamos perdendo a hora pelo visto.

Pela primeira vez Sasuke notou a penumbra que se abatia sobre a floresta, aparentemente era tarde. Haviam perdido realmente as horas treinando.

E perderíamos mais, fazendo algo mais interessante.

- Bem, acho melhor irmos para casa. – os olhos de lua procuraram os seus, buscando confirmação.

Acenou levemente a cabeça concordando, deixou que a perolada tomasse a frente e os guiassem. O caminho até a residência foi feito em silêncio na maior parte do tempo, a paz sendo interrompida vez ou outra por um dos comentários espirituosos do amigo baka. Que parecia determinado a fazer a herdeira Hyuuga gargalhar.

Quando chegaram se sentaram a mesa da cozinha. Hinata se encaminhou ao banho sem demora, o que fez o Uchiha lamentar por não estarem sozinhos. Aparentemente o universo não queria colaborar, já era a segunda vez que um momento muito promissor tinha sido interrompido.

A conversa girou na maioria sobre as últimas missões do Uzumaki, já que o próprio Sasuke apenas interagia com palavras monossilábicas. Sakura também comentava sobre o exaustivo trabalho no hospital de Konoha. Enquanto a rosada argumentava que Tsunade andava a cobrando demais. O ex-nukenin sentiu um perfume de jasmim preencher o ar, virando o rosto para a entrada do cômodo pode ver, pelo lugar que ocupava à mesa, a anbu descer as escadas.

Ela usava uma blusa branca de gola alta sem mangas, que cumpria muito bem o trabalho de esconder as marcas que ele havia deixado no pescoço delgado, a calça de moletom escuro marcava a cintura feminina e ao ver do rapaz, apesar de mais larga, destacava o traseiro empinado da moça. Antes que a noite acabasse ele se certificaria de que suas mãos pudessem apalpar aquela carne macia.

Quando a Hyuuga finalmente entrou na cozinha a conversa parou por um instante, tempo suficiente para que o moreno percebesse o olhar rápido, mas ainda sim existente, que o portador da Kyubi lançou aos seios fartos dela. Foi abusando do seu autocontrole que impediu o sharingan de brilhar em vermelho sangue.

- Bem, acho que vou preparar a janta – a voz gentil preencheu o ambiente.

- Eles não vão jantar – falou a olhando de canto, viu uma pequena ruga se formar entre as sobrancelhas delicadas.

- Claro que nós vamos Sasuke – Naruto exclamou – ou você acha que eu vou perder a oportunidade de comer a maravilhosa comida da Hina-chan?

- Tsc. – estalou a língua em frustação, era só o que faltava – vem na minha casa sem ser convidado, atrapalha o meu treino e ainda quer comer a minha comida? – arqueou uma sobrancelha – Não deixou de ser um folgado, dobe?

- E você não deixou de ser irritante teme, além disso é a comida da Hina-chan que eu quero. – respondeu o loiro fechando o semblante.

Travou o olhar nos olhos azuis celestes do amigo, e teria continuado a encará-lo se não ouvisse uma suave risada. Virando-se, deparou-se com a perolada encostada no balcão da pia, a mão pequena sobre a boca na tentativa de tapar o sorriso ali presente.

Indagou com o olhar o motivo daquilo, o que só a fez rir ainda mais.

- Vocês dois...parecem... duas crianças. – os olhos claros reluziam com diversão – vou preparar o jantar – completou ignorando a sua carranca de indignação.

- Hinata...

- Eu. Vou. Preparar. O. Jantar. – as pequenas luas faiscaram, sem esperar a resposta a mulher passou a mover-se pela cozinha com uma familiaridade ganha já a algum tempo.

Virando-se novamente para os companheiros, notou o olhar curioso do Uzumaki, estreitou os olhos. Mirando a amiga, percebeu que a atenção da Haruno estava presa nas costas da Hyuuga, os olhos verdes acompanhavam cada movimento que a outra fazia. Deu-se conta que ela havia ficado extremamente calada desde a chegada de Hinata. Por mais que fosse estranho decidiu dar atenção para isso em outro momento, agora precisava de um banho.

Hinata percebeu o movimento do ex-nukenin, organizando os vegetais sobre a bancada ainda ganhou uma visão das costas largas no tempo em que ele se dirigia ao andar superior. Sentiu o rosto queimar quando pode identificar alguns arranhões longos, provocados pelas suas unhas que ainda se mantinham visíveis na pele pálida.

Pediu silenciosamente a Kami, novamente, que os outros dois não tivessem visto.

- Então Hina-chan como está sendo conviver com um pé no saco que nem o Sasuke? – perguntou o aprendiz do Hogake, ganhando um olhar de repreensão da amiga de olhos verdes.

A jovem parou um pouco para refletir, a convivência com o Uchiha realmente não era algo fácil, mas apesar de tudo e contra todas as possibilidades isso não significava que era ruim. Muito pelo contrário. Conviver com aquele homem era extremamente interessante.

- Ele não é tão pé no saco assim, Naruto-kun. – respondeu calmamente.

- A não, não dê uma de boazinha Hina-chan. Vai me dizer que o Sasuke não tem um humor insuportável?

Depois de colocar as panelas no fogo, virou-se para o amigo.

- Ok, ele é insuportável ás vezes – sorriu, vendo a expressão de triunfo do Uzumaki – mas eu já aprendi a lidar.

- Como assim aprendeu a lidar, Hinata-chan?

A Hyuuga surpreendeu-se com a pergunta da médica ninja, que até então havia se mantido calada.

- Ora Sakura-chan, eu aprendi a lidar com o mau humor, as manias. Enfim, quando se passa algum tempo com alguém aprende-se a lidar com essa pessoa.

Viu os olhos verdes estreitarem-se em pura desconfiança.

- Eu te disse Sakura-chan, ninguém tem mais paciência do que a Hina-chan. Só ela mesmo pra suportar o teme.

- Tu acha que a Hinata está me suportando, Naruto?

A indagação pegou todos de surpresa. Sasuke estava escorado no batente de entrada da cozinha, como gostava de ficar as vezes. Tinha chegado tão silenciosamente que ninguém notara.

- Eu não acho, tenho certeza.

- Perdedor.

- Bastardo.

A troca de farpas entre os amigos era engraçada, quem não os conhecesse poderia dizer que uma briga se iniciaria, mas o sorriso luminoso do Uzumaki e o leve repuxar de lábios que o Uchiha apresentava, mostrava a herdeira Hyuuga que aquilo não passava de provocação entre duas pessoas amigas.

Voltando-se novamente para a comida a moça pensou no que faria primeiro, decidindo por cortar os legumes pegou uma faca, entretanto antes que começasse o trabalho o moreno lhe estendeu o avental que costumava usar e que não havia posto. Mirando as orbes bicolores viu a mensagem que a fez corar.

Não pode sujar a blusa, já que eu ainda não posso tirá-la.

Colocando rapidamente o avental voltou-se aos alimentos na tentativa de esconder as bochechas rubras. Ouviu o raspar da cadeira, significando que o rapaz voltara a se sentar à mesa.

- Parece que a Hina-chan está bem acostumada com a sua cozinha não é, Sasuke-kun? – questionou Sakura, acompanhando o movimentar da outra.

- Hummm.

- Sou eu que preparo as refeições Sakura-chan, então ter... familiaridade... é normal. – respondeu, mesmo que a pergunta não fosse para si.

- Como está indo a recuperação, Sasuke-kun? – a voz da rosada soou mais doce que o normal. – precisa de algo? Se precisar é só me...

- Não, não é necessário- exclamou o rapaz a cortando – se eu precisar de algo a Hinata providencia.

Depois disso a médica ninja voltou a ficar quieta, a conversa passou a girar em torno dos assuntos do irreverente Uzumaki, que afinal era o mais falastrão de todos ali. Antes que percebessem a comida estava servida.

Hinata preparou shogayaki, tsukemono e temporá de tomate momotaro verde, feito especialmente para o Uchiha já que ele tinha predileção por pratos com tomates.

- Nossa... Hina-chan... isto aqui... está... delicioso – Naruto falou com a boca cheia, o rapaz comia como se estivesse passando fome.

- Obrigada – agradeceu com um sorriso tímido.

Examinou os outros. Sakura não parecia inclinada a dizer se a comida lhe agradava ou não, já Sasuke como de costume se alimentava em silêncio. Sabia que dele não receberia elogios, mas notava pelas expressões que aprendeu a ler que ele estava gostando. Outro sinal é que o rapaz tinha se servido apenas de temporá.

A refeição ocorreu de forma agradável, interrompida vez ou outra apenas pelo elogios do portador da Kyubi. Logo a pequena mulher retirava os pratos da mesa, o loiro havia se disposto a ajudar, entretanto, o moreno tomando a frente em absoluto silêncio passou a lavar a louça, apenas lhe entregando para secá-las e guardá-las.

Quando propôs preparar um chá o Uchiha a cortou mau humorado, empurrando os companheiros em direção a porta, resmungando que já era tarde e a visita durara mais que o necessário.

Sasuke estava realmente irritado. O Uzumaki não havia parado de falar, a Haruno não tinha parado de lhe lançar olhares e a Hyuuga parecia alheia ao fato de estar suculenta. Abriu a porta imaginado quanto tempo levaria para vê-los longe do Distrito.

- Calma teme, eu ainda não me despedi da Hina-chan – reclamou o loiro.

- Hummm.

- Boa noite Hina-chan, a comida estava maravilhosa como sempre - viu-o abraçar a perolada, o que fez seu sangue ferver. – e boa sorte com o insuportável aí- completou ele em um falso sussurro que todos ouviram muito bem.

- Obrigada Naruto-kun, quando quiser eu faço um prato pra você – o sorriso angelical iluminou o rosto de traços elegantes – Não preciso de sorte e sim de paciência. – a resposta divertida arrancou uma gargalhada do outro.

- Sasuke-kun, boa noite – Não tinha notado, mas a rosada se encontrava na sua frente movendo-se de forma inquieta. Pelos movimentos notava que ela desejava se aproximar.

- Hummm.

- Boa noite Sakura-chan – Hinata se despediu sorridente. – vamos marcar um dia para passearmos.

Por estar mais próximo da pupila de Tsunade, o Uchiha pode notar a mudança no semblante feminino. Desconfiança e irritação brilhou nos olhos verdes.

- Claro, vamos sim. – respondeu a ninja médica, saindo logo em seguida com o portador da Kyubi nos calcanhares que se despediu do moreno com um aceno.

Fechou a porta, trancando-a. Virou-se a tempo de ver Hinata entrar novamente na cozinha. A passos lentos a seguiu, recostando-se no seu lugar de costume passou a observá-la.

A dona dos olhos de lua organizava as últimas coisas no balcão. Uma pergunta lhe martelava a mente desde o começo da noite, quando ver Naruto e Hinata no mesmo ambiente o lembrou de uma história que tinha ouvido há algum tempo.

- Você gosta dele? – tentou parecer o mais indiferente possível.

- Como? – questionou a Hyuuga ainda de costas.

- Eu perguntei se você gosta do Naruto.

Viu-a enrijecer. O corpo pequeno virou-se para ele numa lentidão torturante. As orbes claras cravaram-se nas bicolores.

- Por que... por que está me perguntando isso Sasuke?

- Eu me lembrei, já tinham me falado que a Princesa do Byakugan, contra todas as possibilidades, era apaixonada pelo baka do Naruto. – sarcástico explicou.

 A moça retirou o avental o pendurando no lugar de praxe. Depois de um longo suspiro voltou a cruzar o olhar com o seu. O quadril largo foi apoiado no balcão, as mãos pequenas cruzadas na frente do corpo e o semblante tomado por uma emoção que ele não conseguiu reconhecer.

- Eu era... Eu fui sim apaixonada por ele. Desde pequena eu... admirava o Naruto, com o tempo passei a... amá-lo, nutri esse sentimento em segredo por anos. Era tímida demais pra confessá-lo, no entanto os mais próximos notaram – um sorriso miúdo apareceu – menos o próprio Naruto, é claro. O amei, mas não foi... e... bem posso dizer que eu tive certeza de que nunca seria totalmente recíproco.

As pérolas se desviaram, focando em um ponto invisível no cômodo. Por mais que sua mente o avisasse para não perguntar mais nada, não conseguia impedir a vontade de saber e calar o sentimento que agora tomava conta de si.

- O que houve? – cruzou os braços aguardando.

- Posso dizer que eu vi o suficiente para saber que o coração dele sempre seria de outra. Era a Sakura e sempre seria ela, se um dia nos envolvêssemos seria para ele tentar esquecê-la... não porque me amava. – os olhos de lua voltaram aos seus. – eu sempre seria a segunda opção...

Não Hinata, você não é segunda opção. Você com certeza é muito mais do que segunda opção.

- Reconheci que ele nunca seria meu, e se um dia fosse... não seria inteiro. Então foquei no meu trabalho na anbu, fiz missão após missão. Tentei melhorar, me tornar alguém melhor e deixei esse sentimento enfraquecer com o tempo. Quando o amor não é cultivado, quando ele não recebe nada... acaba por se extinguir... ou no meu caso...mudar. – um sorriso melancólico surgiu – Hoje é carinho, carinho por um grande amigo o que eu sinto pelo Naruto.

- Você se sentia incomodada com a presença dele. – afirmou de forma categórica – Hoje parecia bem a vontade. – tentou tirar qualquer emoção da voz.

Agora foi a vez dela arquear a sobrancelha. Gesto que reconheceu como seu.

- Sim, de fato. Eu me sentia desconfortável perto dele, como se pisasse em ovos... não sabia bem como agir. Mas as coisas mudam e muitas mudaram.- ela moveu-se, aproximando -se dele – Agora eu me sinto mais confortável. – o rosto angelical inclinou-se levemente para o lado – Mas porque está me perguntando tudo isso Sasuke?

- Hummm. - resmungou dando -lhe as costas.

Teria subido as escadas se uma mão terna não tivesse se fechado sobre o seu pulso o puxando novamente para ela. As pérolas brilhavam inquisidoras.

- Por que me perguntar isso agora? – viu o balançar da cabeça feminina quando abriu a boca para lhe responder – Não diga que é apenas curiosidade. Você não é o tipo de homem que fica curioso com esses assuntos, Sasuke.

Perdendo o resto de autocontrole que possuía, imprensou o corpo curvilíneo contra a parede em um movimento rápido. Aproximou o rosto do dela, apenas alguns milímetros os separando.

- E você sabe o tipo de homem que eu sou, Hyuuga? -a voz estava baixa, quase sussurrada. Percebeu-a estremecer sobre os seus braços.

Mas foi ele que perdeu a respiração quando aqueles malditos olhos o capturaram. Tão brilhantes, tão claros, tão unicamente belos. Verdadeiros até demais. Tão diferentes do seus. Ela não deveria sequer conseguir lhe olhar, mas ali estava aquelas duas luas faiscantes o lendo. Vendo através dos olhos a sua alma. Sabia que também poderia ler a dela, mas tinha medo do que encontraria ali.

- Sasuke...

O seu nome sussurrado naquela voz tão suave o trouxe de volta. Como só ela se mostrou capaz. As mãos delicadas pousaram com ternura sobre o seu rosto, aquecendo a pele fria.

- Se eu ainda o amasse...n-nunca t-teria fi-ficado... com você... d-daque-la-la f-forma.

Ela tinha entendido, o que nem mesmo o próprio Sasuke compreendeu de todo. Imaginar que a bela mulher poderia ter se entregado a ele enquanto pensava em outro o assombrou mais do que confessaria.

As bochechas rubras e o gaguejar agora tão raro eram provas o suficiente de o quão tolo havia sido. Empurrou aquele sentimento que não ousava nomear para bem fundo dentro de si. E deixou que outro mais forte e mais intenso tomasse o lugar.

- Estou com...fome – sussurrou rouco.

Observou a testa feminina enrugar-se em estranhamento.

- Bem, acabamos de jantar... mas...posso preparar um lan...

Não deixou que ela completasse a frase. Roçando os lábios nos dela colou ainda mais os corpos. As mãos desceram buscando a bunda redonda que tinha prometido apalpar, enchendo-se com a carne macia a imprensou contra a sua rigidez crescente.

- A minha...fome... é outra – explicou antes de mordiscar o lóbulo da orelha feminina.

O gemido que escapou daqueles lábios tentadores o fez pulsar sedento. Quando mirou as duas pérolas viu refletida ali o mesmo desejo, a mesma fome que corria pela suas veias.

Essa noite... vai ser interessante.

Continua...


Notas Finais


Então minna o que acharam?
Que treino🔥 mas infelizmente tem sempre alguém pra atrapalhar kkk
Sakura está de olho, mau sabe ela o que já aconteceu hihihi
Sasuke todo interessado no que a Hina sentia pelo Naruto, porque será?🤔
E ela só querendo ele ( Eu tbm iria querer hihi)
E essa fome do Uchiha,onde será que isso vai parar?😏
Tô cheia de perguntas hj kkkk
Vamos para 12 (SPOILER: esse vai estar movimentado)
Talvez ele demore mais um pouco porque eu tenho novas estórias saindo do forno, que estão batendo incessantemente na minha cabeça pedindo atenção kkk
Então beijo no coração minna e até o 12 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...