1. Spirit Fanfics >
  2. Attack on Titan - Imagine (Shingeki no Kyojin) >
  3. Banho Quente - Levi Ackermann

História Attack on Titan - Imagine (Shingeki no Kyojin) - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


olá pessoal! tudo bem com vocês? eu espero que sim!
hoje não me aguentei e já fiz uma oneshot do Levi! cara, dono do meu ser todinho! aaaaa, como pude me apaixonar por um personagem 2D?
quero agradecer a todos que curtiram e comentaram no cap anterior! como fiz algo mais badzinha, resolvi trazer algo mais quentinho pra vcs ( ͡° ͜ʖ ͡°)
eu espero que vocês gostem!
~bøa leitura

Capítulo 2 - Banho Quente - Levi Ackermann


Fanfic / Fanfiction Attack on Titan - Imagine (Shingeki no Kyojin) - Capítulo 2 - Banho Quente - Levi Ackermann

Banho Quente 

Levi Ackermann


• 。 ☬ X ☬ 。 •


Farta. Uma palavra que podia me definir, eu estava farta. Cansada, com o suor pingando, escorrendo pelo pescoço é peito. 

Passar horas fazendo flexões, abdominais é polichinelos não era uma coisa agradável. Estávamos treinando há um tempo considerável, mas parecia que o nosso querido capitão Levi adorava ver meu sofrimento estampado no rosto, indicando o quanto estou cansada. 

O tempo todo ele me analisava, ordenando que eu fizesse mais agachamentos que o natural. Parecia que todo a minha dor significava uma satisfação enorme para ele, um tipo de prazer. 

— 200... — suspirei baixo, depois de fazer todos aqueles agachamentos. Minhas pernas tremiam, e eu precisava urgentemente de um descanso. 

Olhei ao redor do campo, vendo todos em situações parecidas. Cansados, exaustos. Fazer parte do esquadrão de Levi Ackermann realmente não é para amadores — fazer parte do seu esquadrão já estava virando o meu maior arrependimento. 

Quando estava no esquadrão de Hange, não tínhamos tanto trabalho assim. Óbvio que tínhamos treinos intensos, mas Levi parecia querer arrancar as nossas peles fora, é aquilo chegava a ser extremamente chato é infeliz. 

— Por que parou com os treinos, (Nome)? — perguntou Levi, com seu cenho franzido. — Eu não mandei você parar em nenhum momento! Ordeno que continue! — emburrei, sentindo um pouco de desconforto. 

— Tudo bem, capitão. — exclamei, sem aquela animação contínua que eu normalmente tinha. 

Voltei a fazer os mesmos treinamentos de antes, sentindo o olhar frio de Levi sobre mim. Além disso, meus músculos doíam sobre as roupas pretas justas e apertadas — eu precisava urgentemente de um banho quente é uma cama. 

Novamente fiz os mesmos agachamentos com afundo. Me sentia observada, talvez pelo fato de ter o “querido” capitão observando me de forma intensa, para ver caso eu fizesse algo errado ou não. 

Eu não poderia mentir, sentia certa atração por Levi. Apesar de ser carrancudo, ignorante é um verdadeiro psicopata, o baixinho tinha me conquistado de forma diferente. Tenho absoluta certeza que não é só eu que fui fisgada por sua aparência bonita, então tentava nunca deixar aqueles sentimentos mínimos me dominarem. 

Apenas queria conhecer melhor de sua personalidade, o que tinha por trás de toda aquela máscara? — alguém amigável, gentil, ou até mesmo tolerável? Minha curiosidade acendia sobre mim, mas eu tentava ao máximo não deixar tudo aquilo preencher minha mente. 

Eu não queria um relacionamento frajuto, com um homem que não me ama em um mundo cheio de titãs, não é mesmo?

Além de que tem Petra, aquela garota que sempre está com Levi. Eles claramente tem algum relacionamento, é quem sou eu para julgar? Cada faz o que quiser, independente das circunstâncias. 

Meus olhos pesaram, ainda sentindo meu suor escorrer por todo o meu corpo. Eu só queria um banho quente. 

— Acabou o treinamento! — ordenou Levi, em um tom aparentemente suave. Todos que estavam envolta sorriram animados, e eu podia jurar que já sentia a água quente da banheira sobre minha pele. — Todos voltem para seus respectivos lugares, amanhã iremos começar um próximo treinamento intenso. 

Todos assentiram, mantendo o máximo respeito pelo baixinho. Se tudo aquilo fosse uma preparação para uma próxima expedição, então eu teria que me manter preparada o máximo possível. 

Já estava pronta para sair da ala de treinamento junto com os outros cadetes, quando Levi intercedeu aparecendo na minha frente. Ele arqueou uma das sobrancelhas, mantendo sua pose ridícula de capitão do Reconhecimento. 

— Onde você pense que vai? — perguntou em um rosnado, e eu vi apenas os outros cadetes saírem, sem me esperar. 

Bando de falsos. 

— Pensei que o treinamento tinha acabado, capitão. — abaixei o olhar, tentando não dar uma resposta atravessada para o anão de jardim.

— Para os outros sim, já você, não. — o olhei fixo, tremendo sobre ver suas orbes azuis acinzentadas. — Pode voltar as suas obrigações, você não saí daqui até fazer um treinamento decente. — naquele momento senti uma raiva tremenda, uma repulsa no capitão Levi. 

— M-mas... — pensei em retrucar, mas logo fui interrompida. 

— Está questionando a minha ordem, (Nome e Sobrenome)? — sua voz me ameaçava, e eu neguei rapidamente, abaixando a cabeça em sinal de respeito. — Agora volte, quero que dê 80 voltas pelo campo inteiro. 

Filho da puta. 

• 。 ☬ X ☬ 。 •

Após o treinamento intensivo, bebia água o máximo que podia. O Sol já desaparecia sobre o horizonte, deixando me um pouco sonolenta é preguiça. 

Mas o dia não tinha acabado, e eu sabia perfeitamente disso. 

(Nome). — Mikasa chamou, sentando ao meu lado. Ela tinha uma pequena marmita em mãos, embrulhada de forma cuidadosa. — Fiquei sabendo que você ficou treinando até tarde por ordens do capitão. — ela me entregou a pequena marmita, sorrindo minimamente. — Trouxe para você, espero que goste. 

Olhei para Mikasa com brilho nos olhos, a abraçando. Mikasa retribuiu o abraço, soltando uma fraca risada:

— Você é um anjo enviado aos céus Mikasa! — peguei a marmita, prestes a comer aquele almoço atrasado que parecia estar suculento. — Eu devo muito a você. — salivei, lambendo os beiços. 

— Apenas coma, você não deve ter ingerido nada hoje. — concordei, pegando os talheres que estavam juntos. — E então, o que fez para o capitão Ackermann ficar tão bravo com você?

— E-u n-nuam fiz nada. — respondi de forma errada, com a comida na boca. Engoli em seguida o alimento, percebendo que estava maravilhoso. — Mikasa, sua comida é divina. — ela riu, e eu voltei a comer. — E respondendo sua pergunta, eu não fiz nada! Aquele anão de jardim do caralho deve ter pegado alguma bronca minha, ou apenas pensou que eu seria seu passatempo favorito. 

— Anão de jardim do caralho? — perguntou aquela voz que eu tanto conhecia. Rapidamente senti um calafrio percorrer pela minha espinha, causando-me certo desconforto. 

— Capitão! — Mikasa levantou, com os olhos um pouco arregalados. Eu permaneci sentada, ainda tentando entender porque o mundo estava conspirando contra mim. 

— Mikasa Ackermann, volte para seus aposentos. Tenho assuntos pendentes para resolver com a (Nome e Sobrenome). — a outra apenas assentiu, começando a correr para longe. 

Ela também tinha medo do capitão Levi. 

Saí dos meus pensamentos fúteis, olhando para os olhos raivosos de Levi. Ele deve ter ouvido toda a conversa, o que me deixava parcialmente nervosa com tudo. 

— Anão de jardim do caralho? — perguntou novamente, olhando me. — Quando estiver falando com você cadete, peço que se levante. — fiz o que pediu rapidamente. — Quem a senhorita pensa que é para se referir assim a mim? — coloquei a marmita sobre o banco. 

Pensei de maneira refletiva, vendo sua feição brava. Como Levi poderia ser irritante e lindo ao mesmo tempo? Desviei de tais pensamentos, respirando fundo:

— Não entendo o porque o senhor sempre pega no meu pé! — praguejei, vendo Levi arquear a sobrancelha. — Desde que entrei no seu esquadrão, parece que possuí um ódio incomum por mim. — respirei fundo novamente, olhando para o chão. — Eu fiz algo que não agradou-lhe? Sou uma pessoa irritante para o senhor? Se quiser, peço transferência de batalhão. — admiti a derrota, sentindo um peso cair sobre meus ombros.

Levi arregalou os olhos, e eu estranhei tal reação sua. Eu nunca tinha o visto daquele jeito, era raro suas reações de surpresa — muito raras mesmo. 

— Vêm para meu aposento hoje a noite, (Nome). — ordenou, friamente, com a sua típica cara. — E não precisa tomar banho nem ao menos se arrumar, quero você lá assim que possível. — e saiu andando como se nada tivesse acontecido. 

Permaneci intacta, parada naquele corredor vazio. Observei minha marmita no banco, esfriando com a luz fraca do Sol. Naquele momento eu nem senti mais fome, apenas um desconforto total, além de borboletas imaginárias pelo meu estômago. 

• 。 ☬ X ☬ 。 •

Ali estava eu; de frente ao aposento de Levi Ackermann a noite. Eu não sabia que tipo de esporro iria levar, além de que não havia tomado um banho decente. 

O frio cortante da noite já deixava minha pele arrepiada. Eu queria correr para o meu quarto, mas se meu capitão estava me chamando, talvez eu precisava ir mesmo. 

Bati na porta duas vezes, e em seguida Levi a abriu. Arregalei os olhos ao perceber suas vestes — uma camiseta larga sobre seu corpo e calças moletons simples, como se fosse realmente dormir. 

— Boa noite, capitão. — fiz a nossa clássica reverência, observando atentamente para a figura descontraída de Levi. 

— Boa noite, (Nome). — abriu mais espaço. — Entre. — ordenou, e eu apenas fiz. 

Assim que entrei, Levi fechou a porta atrás de mim. Observei cautelosamente o seu quarto, sofisticado e extremamente limpo — é quando digo limpo, e pelo fato de não ter nenhuma mancha em absolutamente nada. 

— Você já tomou banho, senhorita (Sobrenome)? — perguntou simplista, e eu estranhei, afinal, ele tinha mandado que eu não fosse tomar banho, para eu não me atrasar. 

— Não senhor. — mantinha minha postura ereta, sentindo que a qualquer momento fosse pega desprevenida. 

— Me chame de Levi a partir de agora. — seu rosto estava com a mesma feição, parcialmente calmo. — Vamos, eu vou te dar um banho. — e aquilo foi uma tacada certeira em meu interior. 

No momento estava ainda estática, mas logo em seguida a ficha caiu. Arregalei os olhos, abrindo a boca em um perfeito “O”. Levi iria me dar banho?! Como caralhos isso iria acontecer?!

Me besliquei prontamente, para ver se não era algum sonho erótico meu. 

E não era. 

— Você não vem? — estava parado em pé na porta que provavelmente daria para o banheiro particular, com os braços cruzados. Aquela imagem com certeza iria ficar gravada em minha memória. 

— C-capi-... Levi. — o chamei pelo nome, fazendo o mesmo me olhar fixo. — O que você está querendo dizer com isso? — perguntei, sentindo minhas bochechas esquentarem consideravelmente. 

— Você não ouviu? — perguntou ríspido. — Tsc. — exclamou. — Eu vou dar um banho em você. — aproximou-se de mim, pegando em meu braço. — É uma ordem. 

Engoli em seco, concordando e abaixando a cabeça. Em passos lentos, Levi me levou até o seu banheiro, novamente sofisticado é novamente, nem limpo. 

A coisa que mais me chamou atenção, foi a banheira enorme, que com certeza cabia duas pessoas. 

— Pode tirar a roupa, eu não vou olhar. — virou-se de costas, começando a tirar a blusa preta. Naquele momento reparei em suas costas musculosas, me causando um fervor interior que não tinha. 

Que merda estava acontecendo comigo?

Levi tinha músculos trabalhados, obviamente por ser capitão do Reconhecimento. Ele ainda estava de costas, começando a tirar sua calça de maneira lenta, como se quisesse me instigar. 

Me virei rapidamente, respirando fundo, com os olhos fechados é as bochechas vermelhas. Em seguida somente ouvi o som da banheira enchendo, e um vapor preencher por todo o cômodo. 

— Estou te esperando, (Nome). 

Eu iria mesmo fazer aquilo? O que poderia dar de errado?! 

Peguei na barra da camiseta suja de suor, tirando. O top que usava estava encharcado, e tirei com todo o cuidado possível. Além disso tinha aquela bermuda, tirando-a, ficando somente com uma calcinha de tecido fino. 

Virei-me para frente novamente, vendo as costas de Levi, sentado sobre a banheira. Ele estava de costas como prometido, e a água quente com espuma já preenchia completamente a banheira, que parecia ter borda infinita. 

— Pode entrar. — ele deve ter percebido que eu já estava pronta. — Eu estou de olhos fechados, pode entrar. — concordei, indo até a banheira e entrando. 

Comigo dentro, a água se elevou mais ainda, e Levi fechou a torneira. Naquele momento em questão mais nada se passava pela minha cabeça, somente o fato de estar quase nua com Levi na mesma banheira, em um banho extremamente quente. 

Era tudo que eu desejava. 

O rapaz me olhou diretamente nos olhos, percebendo que eu estava sem sutiã. Tentei cobrir meus seios com os braços, mas mesmo assim ele continuava com seus olhos cravados em mim, como se quisesse me devorar viva. 

(Nome). — aproximou-se, e eu senti o toque de sua mão grande e áspera em minha coxa, fazendo-me ter um choque elétrico. — Eu não vou admitir que me chame de anão de jardim do caralho, sem sair impune. — me olhava fixo, mordendo o lábio inferior. — Por isso hoje você vai levar uma punição. — suas palavras tinham segundas intenções, e eu não podia perder a chance. 

— M-me punir? — gaguejei, sentindo agora sua mão em minha cintura, alisando meu umbigo. 

— Sim, eu vou te punir de uma forma que você não vai esquecer. — ele sorriu de forma maléfica, levantando-se da banheira. — Hoje eu vou mostrar que sou o seu capitão, e que você deve manter total respeito. — assim que se levantou completamente, pude reparar em seu pênis totalmente duro, com as veias inchadas, já jorrando um pré-gozo. 

Arregalei os olhos, assustada. Ele mantinha sua feição neutra de sempre, e seu pênis estava muito próximo a mim... Agora eu descobri onde foi que o Levi mais cresceu, porque ele não estava para brincadeira. 

Me aproximei mais ainda, sentindo o pênis dele encostar sobre meus lábios. O olhei fixo, e um sorriso de canto brotou no rosto de Levi. 

— Chupe. 

— Como o senhor quiser, capitão. — respondi de forma maliciosa, abrindo a boca, começando a chupar a glande de sua cabeça. 

Minha língua começou a fazer movimentos circulares na cabeça inchada e rosada, que já estava jorrando um pequeno pré-gozo. Ouvi um rosnado vindo de sua parte, mas apenas continuei com movimentos leves, apreciando a visão dos deuses. 

Levi com os olhos fechados, a boca entreaberta, aproveitando o que eu estava dando para ele. 

Beijei sua cabecinha algumas vezes, começando a enfiar seu pênis cada vez mais na minha boca. Não estava acostumada com aquilo, então apoiei minhas mãos em suas coxas grossas, começando um vai e vem com a cabeça. 

Levi rosnou mais ainda, e eu o observava. Suas feições simples me deixava louca. Eu queria ver Levi gritando de prazer, implorando por mais, então com as mãos comecei a masturbar seu pênis, ainda tentando enfiar tudo na boca. 

O mesmo gemeu mais um pouco com os movimentos intensos e rápidos, e seu pênis apenas dava mais sinal de vida. Eu lambia como se fosse meu doce favorito, e naquele momento era — chupar Levi tinha se tornado a coisa mais viciante. 

Com a outra mão livre apertei suas bolas, fazendo que com que Levi desse um gemido alto. Talvez ele não estivesse preparado para aquilo, mas apenas continuei fazendo os movimentos todos juntos, numa intenção de dar o máximo possível de prazer para ele. 

(Nome). — ele geme, pegando meu cabelo e fazendo um pequeno rabo de cavalo. — Como você é uma puta gostosa. — seu tom de voz mudou, e eu senti ele empurrar seu pênis contra minha boca, fazendo movimentos de vai e vem. 

Algumas lágrimas saíam de meus olhos, mas eu estava adorando ser dominada daquele jeito. Sentir o pênis delicioso de Levi em minha boca causou sensações estranhas em meu corpo, além de uma coceira no meu útero.

— Eu quero muito gozar na sua boquinha, (Nome). — parou os movimentos, tirando seu pênis da minha boca. — Mas sinto que hoje a punição será sua, não minha. — ele rapidamente sentou-se na banheira, aproximando-se de mim. 

Seus olhos se encontraram com o meu, e em seguida ele beijou meus lábios. Estávamos literalmente sem saber como prosseguir com aquilo, Levi parecia ter controle sobre as coisas, mas não parecia ter muita noção do que fazer. 

Peguei em sua nuca, trazendo mais para perto, em questão de beijar seus lábios de uma vez. 

Ter nossas bocas conectadas foi a melhor coisa. Sua língua quente, seu corpo perto do meu. Eu sentia tudo vindo de Levi. Ele apertava meu corpo sobre o seu, e a água escorria da banheira a cada movimento que fazíamos. 

Estávamos em ouro tesão imaculado, além da nossa inexperiência aflorada. 

Soltei-me do beijo no momento em que Levi apertou meus seios com desejos, começando a distribuir beijos molhados pelo meu pescoço. Ele lambia, chupava, mordiscava minha pele, claramente deixando marcas que todos iriam perceber. 

— Isso é para todos saberem que você é minha garota. — sua mão direita foi até a minha calcinha, passando o dedo por cima. — Agora sem mais delongas, que eu vou lhe chupar toda, até a última gota. — afundou-se na água, lambendo minha barriga. 

— L-Levi! — gemi, quando minha calcinha molhada foi jogada pelo outro lado do banheiro. Sem mais demora, senti seus lábios úmidos sobre a minha intimidade, além da língua suave. 

O rapaz abriu minhas pernas com extrema força, fazendo com que eu me sentisse exposta. Ele começou a lamber totalmente minha intimidade, com o seu dedo indicador acariciando meu clitóris. 

Gemi seu nome novamente, despreparada. Além disso, sua outra mão apertava minha coxa com força, causando-me arrepios. 

Ele desferiu um tapa em minha bunda, enfiando um dedo molhado sobre a minha cavidade. Grunhi em resposta, totalmente entregue a ele naquele momento. 

Levi ainda continuou chupando a minha buceta de uma forma prazerosa, como se tivesse uma prática sobre. Seu dedo fazia movimentos rápidos de vai e vem, sua língua quente fazia uma dança inexplicável sobre meu clitóris, massageando-o sempre que possível. 

Gritei novamente, gemendo alto e em bom som. Todos poderiam ouvir, mas eu estava totalmente entregue a Levi naquele exato momento. 

Novamente outro dedo, fazendo movimentos repetidos e com força. Eu revirava os olhos de prazer, já sentindo um certo formigamento em minhas pernas. 

Eu iria gozar. 

— L-Levi... E-eu... — o rapaz parou naquele exato momento, mostrando um sorriso ladino em seu rosto. 

Rapidamente arregalei os olhos, ofegante e sem entender. 

— Este é o seu castigo, (Nome). — sentou-se na banheira novamente.  

Abri a boca em um perfeito “O”, sentindo todo aquele tesão se dissipar. Fiquei com raiva, mas mantive a calma. 

— Você fez isto de propósito? Para falar para os seus amigos que “comeu” a (Nome e Sobrenome)? — perguntei de maneira ríspida, indo me levantar para ir embora. 

— Nunca diga isso. — ordenou, com sua voz séria. — Eu nunca iria ser um idiota a este ponto, saiba que não é do meu feitio. — cruzei os braços, sentando-me na banheira novamente. 

— Então por que fez isso?! — perguntei brava. — Por que vivi me tratando mal, e depois me chama aqui para me dar “banho”? — exclamei friamente.

— Porque... — ele engoliu em seco, olhando para a água. — Porque eu... — olhou para o lado, e pude perceber suas bochechas vermelhas. — Porque eu amo você, (Nome e sobrenome). — arregalei os olhos novamente, perplexa com tudo. — Se você acha que vou fazer um discursinho barato dizendo o quanto te amo, está muito enganada! — praguejou, vermelho como um pimentão.

Eu assenti, ainda tentando processar tal informação. Então meu sentimento é recíproco?

— Levi. — o chamei, depois de alguns segundos em silêncio. — Eu também te amo. — vi o mesmo arregalar os olhos. — A-agora... — levei meu pé até seu pênis rígido, vendo Levi fechar os olhos. — Se você me ama, que tal provar isto de outra forma? — mordi o lábio inferior, vendo o mesmo abrir a boca em um perfeito “O”. 

— Acho que sua punição mudou a partir de hoje, (Nome). — ele se aproximou, me olhando nos olhos. — Vamos aproveitar este banho quente da melhor maneira. 


Notas Finais


perdão a qualquer erro ortográfico! se tiverem, me avisem se possível!
gostaram? já estou imaginando um hot bemmm pesadaoo depois rsrsts.
muito obg por lerem até aqui!
se quiserem deixar algumas recomendações, só falar! lembrando que vai ter imagines de qualquer personagem, desde que não seja de pedofilia ou abusivo! até as mulheres iremos trazer aqui rsrs.
gostaram da capa?
~sayønara


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...