História Attack on titan -Interativa - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Personagens Alma, Angel Aaltonen, Anka Rheinberger, Annie Leonhardt, Armin Arlert, Bean, Beast Titan, Beaure, Bertolt Hoover, Boris Feulner, Carlo Pikale, Colt Grice, Connie Springer, Dario Inocencio, Darius Baer-Varbrun, Darius Zackly, Daz, Dennis Eibringer, Dieter, Dimo Reeves, Dina Yeager, Dita Ness, Djel Sanes, Dot Pixis, Eld Jinn, Elena Munsell, Ellie, Eren Jaeger, Eren Krueger, Erwin Smith, Falco Grice, Farlan Church, Faye Yeager, Flegel Reeves, Franz Kefka, Frieda Reiss, Gabi, Grisha Yeager, Gunther Schultz, Gustav, Hange Zoë, Hannah Diamant, Hannes, Henning, Historia Reiss, Hitch Dreyse, Hugo, Ian Dietrich, Ilse Langnar, Isabel Magnolia, Jean Kirschtein, Jurgen, Kalura Yeager, Karina Braun, Keiji, Keith Shadis, Kenny Ackerman, King Fritz, Kuchel Ackerman, Kuklo, Lauda, Levi Ackerman "Rivaille", Lord Balto, Luke Siss, Lynne, Marcel, Marcel Galliard, Marco Bott, Marlo Freudenberg, Mikasa Ackerman, Mike Zacharius, Mina Carolina, Mitabi Jarnach, Moblit Berner, Moses, Mylius Zeramuski, Nac Tius, Nanaba, Nifa, Nile Dok, Oluo Bozado, Pastor Nick, Pere, Personagens Originais, Petra Ral, Pieck, Porco Galliard, Ralph, Reiner Braun, Rico Brzenska, Rod Reiss, Roy, Samuel Linke-Jackson, Sasha Braus, Sharle Inocencio, Smiling Titan, Sonny, Sorum Humé, Thomas, Thomas Wagner, Tom, Udo, Uri Reiss, Xavi Inocencio, Ymir, Zeke Yeager, Zofia
Tags Ação, Aot, Attack On Titan, Interativa, Shingeki No Kyojin, Snk, Titans
Visualizações 33
Palavras 773
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção, Hentai, LGBT, Luta, Mistério, Romance e Novela, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá pessoal bem esse foi o prólogo fico bem pequeno e conta o acontecimento no distrito de Shiganshina porém na versão do meu personagen espero que gostem e espero suas fichas

Como serão usados os sinais

"-" fala do personagen

"( )" será o pensamento do personagem

Capítulo 2 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Attack on titan -Interativa - Capítulo 2 - Prólogo

Distrito de Shiganshina

Ano 845

- Naquele dia a humanidade conheceu o terror do passado... o terror dos gigantes e eu estava lá durante esse terror

Em um dia calmo e normal no distrito de Shingashina Fenrir estava junto a seu pai em casa, Fenrir estava brincando com Rex seu cachorrinho (pastor alemão) que havia ganhado de seu pai a pouco tempo, Fenrir estava brincando no chão enquanto seu pai estava sentado em sua poltrona preocupado, Fenrir olha para seu pai e pergunta

- Pai, o que foi?, perguntou Fenrir olhando para o homem

O homem olha para o menino e diz

- Nada...Fenrir vai brincar lá fora, diz se levantando da poltrona e indo até a cozinha – E não fale com ninguém

O garoto sem responder pegou o cachorro no colo e saiu da casa em silêncio, lá fora Fenrir foi para os becos da cidade e sentou em uma escada e começou a pentear Rex enquanto ele ficava deitado quase dormindo, depois de algum tempo Fenrir se depara com ums garotos grandes aparentemente zombando de um outro garoto de cabelo amarelo, Fenrir ficou apenas olhando pensando que poderia ajudá-lo porém seu pai sempre lê disse pra não falar com ninguém que ele não conheça, então de repente um garoto e uma garota de cabelos negros passam correndo muito rápido por ele indo em direção os garotos altos os garotos se assustam com a garota, depois da própria fazer uma cara que os assustou e assustou até mesmo Fenrir depois eles saíram correndo Fenrir ficou surpreso com como os três garotos da sua idade se comunicavam e se ajudavam sem nenhum problema como seu pai sempre dizia

- (A confiança vem do “conhecer”)

Mais Fenrir era muito jovem para saber do que seu pai esta sempre falando para ele, depois que os dois garotos e a garota vão embora Fenrir pega Rex no colo e os segue escondido, até eles pararem perto do rio sentados em um escada conversando que os soms das pessoas próximos não deixavam Fenrir escutar, porém depois de um tempo Fenrir começa a se aproximar dos garotos e da garota lentamente com Rex dormindo em seu colo, porém depois de alguns passos o vento gela o rosto de Fenrir e então Rex acorda e começa a rosnar olhando em direção a muralha e de repente um raio aparece no céu e um titã aparece seu rosto podia ser visto por cima da muralha fazendo Fenrir se assustar enquanto Rex latia sem parar até que o titã levanta a perna e chuta a muralha e várias rochas caiem pela cidade e as pessoas começam a correr desesperadas depois que os titãs começam a entrar, Fenrir vê o garoto correndo para lá e a garota o seguindo, Fenrir não pensou duas vezes voltou para casa rapidamente enquanto agora Rex se escondia em seus braços, quando o garoto chegou em casa seu pai estava arrumando as coisas, porém apenas as coisas de Fenrir roupas comida e água na mochila do garoto

- Eu sempre soube que as muralhas não nós protegeriam para sempre, disse o homem arrumando as coisas

- Pai?, o que está fazendo?, porquê não está arrumando suas coisas também?, perguntou Fenrir olhando para o homem

O homem pega a mochila e coloca no garoto em silêncio depois ele pega Rex e leva os dois até os portões internos, no cominho Fenrir se deparava com muitas pessoas mortas e desesperadas correndo dos titãs logo depois de chegarem no s portões internos o pai dee Fenrir se ajoelha para ele e diz

- Filho, escuta, não havia motivo oara eu viver nesse mundo, o motivo foi você e agora... chegou a minha hora de ir encontrar com sua mãe

- Mais papai...

- Escuta, veja o Rex ele é sua família agora, ele será seu motivo de viver e de lutar contra essas coisas, disse o homem se levantando - Lembre-se, a confiança vem do conhecer

- Mais uma vez ele disse aquela droga de frase, porém daquela vez acho que pude entender pela primeira vez...

- Não se confia em ninguém que você não conheça, porém tem um outro sentido para mim...

Fenrir contínuo indo para os barcos que tirariam as pessoas dali, depois de entrar no barco ele se encontra novamente com os dois garotos e a garota porém dessa vez ele não tentou se aproximar deles pois finalmente entendeu a frase de seu pai, ele olhou para a cidade em chamas

- (“Não se confia em ninguém que você conheça” acho que finalmente eu entendi... só posso confiar em mim mesmo já que só conheço eu mesmo


Notas Finais


Preciso de pelo menos duas fichas para continuar


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...