História Attraction - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias One Direction
Personagens Louis Tomlinson, Personagens Originais, Zayn Malik
Visualizações 2
Palavras 1.554
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


E voltei com o primeiro cap .. e uau
que calor kkk
boa leitura.

Capítulo 2 - One


Durante anos encarei o Louis como um atraente rapaz, mas por ser tímida e amiga dele não quis confessar meus sentimentos. Ele sempre foi o aluno popular e centro das atenções do colégio. Rodeado por inúmeras meninas, sentia um pouco de ciúmes e inveja do seu jeito chamativo, mas acabava cedendo a sua alegria que contagia tudo ao seu redor.

O passar dos anos eu entendi que meu amor de adolescente era mera admiração e carinho por meu melhor amigo.

Eu comecei a amadurecer, deixando meu visual “moleque de rua” de lado, passei a me arrumar mais, a andar com minhas amigas, guitarra, violão e mochila de desenho, muito leais por sinal. É isso não foi bem o esperado, mas não posso fazer nada. Sou péssima em fazer amizades, mas por outro lado me sentia feliz com minhas ‘amigas’ em meus momentos de lazer. Elas não falam mal de mim.

Terminei o colegial e tudo ia bem, estava me preparando para vestibular, mas tudo mudou quando o Louis seguindo seu objetivo se inscreveu num reality show musical e mudou para Londres. Senti-me traída e sozinha em Doncaster. Apesar de estar mais descontraída agora, só me abria com ele. Mas mesmo antes de sua repentina decisão, ele já estava estranho comigo. Parecia querer dizer algo ou me repelir de perto de si. Aquilo me deixou triste.

Acompanhava quando podia suas apresentações. Minha vida sem ele era monótona. Para não entrar em depressão comecei há passar mais tempo na biblioteca pública, nas aulas de musica da faculdade ou ia shopping. Nesse período conheci o Bernard.

Ele é um fofo comigo. Começou a me cerca em todos os lugares, acompanhando-me. Tanto para minha casa quanto nos meus passeios. Confesso que no inicio estranhei aquele rapaz quieto sempre esbarrando em mim a todo lugar que eu ia, para não dizer que fiquei com medo. Mas como aparências enganam, a sua não podia ser diferente. Seu jeitão de badboy escondia um rapaz tímido, educado e meio nerd às vezes.

[...]

− Vem, não vai doer tirar uma foto. – Sorri de seu argumento e cedi quando o mesmo sorriu.

− Seu sorriso é tão lindo quanto o do Louis. – Quando fui pensar já havia comentado. Cobri minha boca depois do que falei.

− Esse seu amigo esta sempre em seus pensamentos. – Seu comentário estava carregado de ciúmes.

− Crescemos juntos e não o vejo há algum tempo. Sinto falta daquele idiota. – Confessei tentando amenizar o clima e ele sorriu.

− Quanto carinho, isso que é amizade. – Debochou e sorriu. Parece que funcionou. – Só não me compare a ele no quesito idiotice. – Brincou.

− Bernard! – Ele gargalhou de mim. – Anda logo se não eu desisto dessa foto.

− Não, nem pense nisso. – Me puxou para si.

Nossa tarde no parque foi cheia de momentos engraçados e marcantes. Ele não parou de tirar fotos minhas.

− Adoro ver seu sorriso, é lindo. – Comentou mais próximo a mim. – Será que um dia tenho chance de provar o doce dos seus lábios. – Disparou mirando meus olhos e, automaticamente, corei. Sabia que ele gostava de mim, mas não esperava uma abordagem tão direta.

− Ber...

− Shi... – Selou nossos lábios num beijo lento. Pisquei assustada com sua ação e aos poucos fechei os olhos. Percebendo meu vacilo, mordiscou meus lábios com leves mordidas. Senti que ele queria aprofundar o beijo quando segurou minha cintura, puxando-me para ele. Pensei em empurrá-lo e fugir, mas não tive forças.

O que eu tenho a perder, afinal?

Questionei-me e sem demora entrelacei meus braços em seu pescoço e dei permissão para o mesmo aprofundar o ato. Em reação ele firmou ainda mais seus lábios nos meus. O beijo que, começou lento e carinhoso, aumentou a intensidade ao passo que sua língua vasculhava minha boca. Cessamos aos poucos com leves selinhos estralados, ainda de olhos fechados o senti segurar meu rosto.

− Isso... Você é incrível. – Sussurrou ofegante e beijou-me novamente. – Namora comigo? – Pediu ainda ofegante colando nossas testas. Abri os olhos e encontrei os seus ansiosos por uma resposta.

Fiquei em silencio absorvendo aquela pergunta e pensando se era certo dizer sim. Eu ainda tinha pensamentos pelo Louis, mas o mesmo só me enxergava como amiga. Vai mesmo esperar ele lhe notar? Perguntei-me mentalmente. E respirando fundo olhando os olhos ansiosos a minha frente eu me decidi.

− Sim... – Sussurrei mirando-o. Seu rosto se iluminou num lindo e largo sorriso. Não tenho por que abdicar de viver algo com alguém que me da valor.

[...]

Isso foi há um ano e meio. Há seis meses nos formamos e para conseguir um bom emprego ingressamos na faculdade de Londres. Passamos a morar juntos devido a mudança. Foi um passo muito apressado, meus pais não gostaram tanto. Mas estar sendo uma experiência boa.

Nossa intimidade já era considerável. Uma vez que, em Doncaster, ele morava sozinho e sempre que podia arrumava uma desculpa para me prender em seu apartamento.

Nossa vida, de simples estudantes, mudou no momento em que reencontrei o Louis e conheci seus colegas de banda. Tomlinson pareceu desapontado ao saber do meu namorado.

Ele mudou e isso é fato.

Bernard tentou manter a pose, mas era nítido que ele sentia-se incomodado diante o grupo, principalmente por que o Louis fazia parte, ele nunca escondeu o ciúme que sentia do meu amigo e a presença dele só aumentou sua insegurança. Mas esse estava longe de ser meu maior problema. O que iria me dar dor de cabeça a partir daquele encontro atendia por: Zayn Malik.

Desde que o conheci ele sempre dá um jeito de ir a minha casa com o Louis. Seu desejo em mim era nítido. Isso parecia o divertir e me irritava a forma descarada com a qual ele fazia isso. Mas Boo, apelido do Louis, e Bernard pareciam não notar. Passei a evitar ficar a sós com ele ou até olhá-lo, para não dar corda.

De certa forma ele me passava medo. Seu sorriso malicioso e seu olhar, que me desvendava e incomodava, olhar esse que era faminto sobre mim, a ponto de me constranger, eu me sentia despida diante seus olhos.

Suas investidas descaradas em nossos encontros não pararam, eu já não sabia mais que desculpa inventar, não tinha criado vínculos com ninguém de confiança o suficiente para desabafar sobre isso. E eu sabia que se o Bernard soubesse ele perderia o controle. Só evitá-lo já não adiantava, visto que ele conseguiu o endereço do meu emprego e passou a mandar recados, bem descarados, ate que perdi a paciência.

− Isso tem que acabar! – Murmurei com raiva de seu ultimo bilhete, que abara de ler, e do conteúdo nele. No pedaço de papel o cretino descreveu o que faria comigo sem pudor entre quatro paredes.

Respondi seu recado lhe dando corda e marcando um lugar para encontrá-lo. Estava farta daquilo. Queria e teria de por um fim nisso e marquei no mesmo de encontrá-lo após o trabalho. Rumei para o local disposta a acabar com aquilo de uma vez. Bom esse era o plano.

[...]

− ZAYN! – Gemi alto a mercê de suas mãos ávidas que me invadiam sem pena.

− Isso! Gemi! Gemi meu nome.

− Za... Zayn... – Obedeci sem questionar. Já não controlava meus atos e nem meu corpo.

− Céus! Como você é tão quentinha... Ah! Quero entrar em você! Você quer?

− Quero... – Supliquei em resposta fechando os olhos.

− Quer o que? – Ele era sádico e estava amando aquela brincadeira. Entrei em seu jogo mirando com dificuldade. Não iria demorar muito para ter um orgasmo.

− Quero você dentro de mim! – Gemi em suplica, ele sorriu ladino tomando meus lábios e rasgou a peça intima de algodão, tal como fez a minha camisa. Adentrou-me de uma vez. Gemi alto e arranhei suas costas desnudas como reação a seu ato.

− Desculpe. – Pediu e continuou a penetrar minha entrada com brutalidade enquanto abocanhava meus seios e descia suas mãos por minhas laterais. Segurou minhas coxas com força, erguendo-me e tendo uma penetração mais profunda. Joguei minha cabeça para trás e segurei firme seu cabelo, prensando-o contra meus seios.

O prazer que sentia já não cabia mais em mim. Gemi alto chegando ao meu ápice.

− Que delicia...

− Zayn... Goza logo... – Pedi sofregamente. Meu corpo doía muito e eu já sentia as pernas dormentes.

− Shi... – Bateu em minha coxa, marcando-a e suspendeu meu corpo pelo quadril levou-me o divã do seu escritório de sua casa. Continuou a me invadir ate começa a gemer alto e desabar sobre corpo. – Você é mais gostosa... Do que eu pensava. – Murmurou, esgotado, com um sorriso malicioso nos lábios.

− Safado. – Resmunguei o obvio.  

Que homem é esse?

Meu corpo não tinha qualquer força. Estava exausta e dolorida, o moreno usou e abusou alem do que descrevia nos bilhetes.

− Droga! Minhas roupas. – Constatei o estrago que ele fizera. – Como volto para casa agora?

− É simples. Você não volta. – Disse sem qualquer arrependimento.

− O que?! – Mirei-o incrédula e ele sorrindo me puxou com força e deitou-se sobre meu corpo. Ele é maluco? E que desculpa eu uso para o meu namorado agora.

− Achou mesmo que nossa noite acabou? – Sorriu malicioso e tomou meus lábios me impedindo de protestar e prendendo minhas mãos.

Onde foi que eu me meti? 


Notas Finais


Uiiiiiiiiiii lol
Até


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...