História Attraction or Love - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camilacabello, Camren, Fifthharmony, Laurenjauregui, Romance
Visualizações 263
Palavras 8.176
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Demorei, mas voltei.

Boa leitura a todos

:P

Capítulo 27 - Surpresa ?!


Fanfic / Fanfiction Attraction or Love - Capítulo 27 - Surpresa ?!

POV Lauren

Senti o aroma suave e muito bem conhecido por mim daquele xampu, o calor do corpo de minha namorada me aquecia nas noites frias, assim como o meu fazia o mesmo trabalho colado ao corpo dela. Meu braço esquerdo estava envolto de uma cintura fina enquanto o direito estava por baixo do travesseiro dando apoio para minha cabeça, respirei fundo novamente abrindo meus olhos e pude ver que castanhos soltos e levemente ondulados estavam bem próximos ao meu nariz, por isso o perfume estava tão evidente.

Abracei mais a cintura da latina e puxei seu corpo para ficar mais colado ao meu, sua protuberância traseira se encaixava perfeitamente ao meu quadril. Levei minha mão esquerda até sua cabeça e fiz um carinho embrenhando meus dedos pelos fios que conforme se moviam deixavam o perfume do xampu ainda mais evidente.

Meus olhos desceram pelas costas da latina e um moletom que ela costumava usar como pijama cobria seu tronco, movi minha mão pelo seu quadril e senti o tecido fino da calcinha que ela usava. Suspirei ao me lembrar que ela havia colocado uma lingerie vermelha de renda que ficava perfeita em seu corpo.

Camila mantinha sua respiração leve e ritmada, o que indicava que ela ainda estava dormindo. A latina tinha o sono pesado, mas logo ouvi um grunhido de reclamação e a mais nova movimentou seu quadril de encontro ao meu fazendo com que sua bunda roçasse em minha intimidade e no mesmo instante as lembranças daquela madrugada vieram à tona.

Depois que chagamos ao seu apartamento, Camila e eu fizemos amor. Não posso dizer que foi apenas uma noite de sexo, porque não foi. Nos amamos como se estivéssemos conhecendo os corpos uma da outra naquele instante, mas devo dizer que depois que chegamos ao ápice juntas pela primeira vez, o restante da madrugada começou a ficar muito mais intenso.

Minha namorada era quente e terrivelmente boa de cama, não me lembro de já ter saído com uma mulher tão decidida no ato sexual como ela e que quisesse tanto me dar prazer. Muito menos me lembro de quantas vezes já me perdi nas suas curvas perigosas de seu corpo. Só sei que fui à loucura com tudo o que ela fazia comigo na cama.

Minha respiração começou a ficar pesada quando fechei meus olhos me lembrando do som de seus gemidos, apertos e arranhões que a mais nova deixava em minha pele, mas voltei a abrir minhas orbes quando Camila inconscientemente voltou a se mexer roçando ainda mais sua bunda contra mim e suspirei alto com aquele ato.

Virei meu corpo levemente pegando meu celular no criado mudo e o destravei para verificar as horas. Era pouco mais de onze da manhã, há essa hora todos ainda estavam dormindo, pois chegamos de madrugada. Voltei a olhar para o corpo de minha namorada e engoli a saliva que se formou em minha boca.

Seria loucura eu dizer que a queria novamente? Mesmo depois da intensa noite que tivemos?

Deixei o celular onde estava e voltei a abraçar a cintura de Camila, o edredom cobria nossos corpos e o aquecedor do quarto estava ligado, porém o calor de meu corpo já começava a me incomodar. Minha mão começou a subir sorrateiramente por dentro do moletom que ela usava e meus pensamentos impróprios vagavam entre as várias maneiras que eu poderia fazê-la minha agora mesmo. Continuei subindo com a mão e meus dedos tocaram logo abaixo de seu seio, tentei me segurar mas não consegui. Subi mais um pouco e meus dedos atrevidos tocaram em seu bico que instantaneamente ficou rígido perante meu toque ousado.

Ouvi uma respiração profunda da mais nova e lentamente comecei uma massagem em seu seio sentindo o corpo de minha namorada se arrepiar por completo, sua respiração começou a ficar mais pesada e me assustei quando ela se movimentou na cama ficando de barriga pra cima. Achei que ela pudesse ter acordado, mas ao contrário do que imaginei, ela ainda continuava dormindo, algo que agradeci internamente nesse momento para o que eu pretendia fazer.

Apoiei-me em meu cotovelo e a encarei, a latina que com certeza era uma das mulheres mais belas que eu já havia conhecido, levei minha mão para o seu rosto tirando alguns fios de cabelo que estavam por ali e novamente meus olhos desceram para seu corpo. Puxei um pouco o edredom para me dar mais visão e pude perceber que os bicos de seus seios estavam tão rígidos e deixavam uma leve saliência pelo tecido do moletom.

Mordi meu lábio inferior pela vontade insana de fazê-la ter mais um orgasmo naquela manhã e então com o máximo de cuidado elevei meu corpo sobre o seu posicionando um joelho no meio de suas pernas e o outro na lateral de sua coxa. Minhas mãos foram para o seu quadril e segurei na barra de sua calcinha a puxando delicadamente de seu corpo, a todo o momento eu olhava para ter certeza de que a latina ainda dormia.

Devagar tirei a calcinha apenas de uma perna, eu só precisava liberar espaço para que eu tivesse mais acesso ao seu sexo que agora estava completamente exposto pra mim. Engoli a saliva que se formou por aquela visão.

Posicionei meu corpo no meio de suas pernas as abrindo levemente e coloquei meus braços por baixo de suas coxas segurando em seu quadril, sem demora alguma fui direto a sua intimidade deixando um beijo ali. Meu corpo todo se arrepiou com o toque e fechei meus olhos me deliciando enquanto minha língua fazia o trabalho de dar prazer à latina.

A mais nova se movimentou devido à maneira como eu a abordei e um gemido contido saiu por sua boca. Abri meus olhos somente para ter a certeza de que ela ainda dormia, porém sua expressão agora era de puro prazer. Pude vê-la apertando o lençol abaixo de si com tanta força que aposto que seus dedos ficaram brancos pela falta de circulação do sangue.

Eu queria guardar todos aqueles movimentos em minha mente, então meus olhos ficaram atentos e logo ela levou uma de suas mãos para seu seio por cima do moletom o apertando com vontade, soltei um leve suspiro e sua outra mão se embrenhou pelo seu cabelo. A latina abriu levemente a boca arqueando um pouco suas costas, minha língua percorria desde sua entrada até seu clitóris e eu já me sentia molhada naquele momento.

Deixei uma chupada mais forte em seu sexo a ouvindo gemer alto. Camila tentou fechar suas pernas, mas eu a impedi e no mesmo instante ela elevou sua cabeça abrindo seus castanhos que se encontraram diretamente com os meus verdes. A mais nova arregalou seus olhos desacreditada.

- Por Deus Lauren! – Sua voz saiu arrastada em puro prazer e ela voltou a jogar sua cabeça para trás de encontro ao travesseiro. - Não é desse jeito que se acorda uma pessoa. - O som do seu gemido manhoso era música para meus ouvidos.

- Se quiser eu posso parar. - Me afastei minimamente e minha voz saiu extremamente rouca.

- Se você para agora eu juro que te Mato. - Ela me fuzilou com os olhos e eu sorri, pois eu sabia exatamente o que ela queria mais que tudo naquele momento.

Como demorei para voltar a trabalhar minha língua em seu sexo, a latina levou sua mão até minha cabeça me posicionando novamente em sua intimidade. Ela parecia estar desesperada por mais contato e logo voltei a chupar seu clitóris. Minha namorada dava leves reboladas e eu continuava segurando firmemente em seu quadril.

Eu estava encharcada e queria muito mais que aquilo então tirei minha mão direita de seu quadril e posicionei um dedo em sua entrada a penetrando devagar, seu gemido foi alto e eu comecei a estocar bem devagar, apenas sentindo o quanto ela estava molhada. A mais nova dizia algumas palavras sem nexo, mas eu entendia muito bem alguns palavrões que ela estava proferindo.

Me concentrei ainda mais em seu clitóris e comecei a estocar mais rápido, meu dedo entrava e saída com facilidade da latina devido a sua excitação. Eu estava indo a loucura e em forma de aliviar um pouco tirei a outra mão que segurava seu quadril e a arranhei sua coxa com força com certeza deixando marcas de minha unha.

O corpo de minha namorada começou a dar leves espasmos e em questão de segundos ouvi um gemido arrastado e senti seu líquido. Eu não consegui me segurar e acabei me desmanchando junto com ela, a mais nova se contorcia abaixo de mim e eu sentia meu líquido molhar o tecido de minha calcinha. Minha mão segurava fortemente em sua coxa enquanto eu ainda a chupava sem parar, eu não iria perder nada do que ela estava me oferecendo.

- Lauren, por favor. - Sua voz quase não saiu, mas havia súplica em seu pedido para que eu parasse. Ainda a chupei por alguns segundos, ela estava extremamente sensível e quando terminei escalei seu corpo ficando próxima de seu rosto, ela estava um pouco vermelha e completamente ofegante. - O que deu em você? - Mas havia um sorriso em seus lábios.

- Apenas quis te acordar de uma maneira diferente. - A latina mordeu seu lábio inferior e me empurrou pelo ombro fazendo-me deitar na cama.

- Com certeza essa foi a melhor maneira que já fui acordada. - Sua voz saiu rouca e sexy, a morena se sentou sobre o meu quadril, mas antes terminou de tirar sua calcinha. Engoli a saliva vendo-a abaixar seu corpo deixando sua boca próxima ao meu ouvido. - Mas você foi muito má comigo Lauren. - Eu já tinha fechado meus olhos enquanto apreciava o som de sua voz e minha pele se arrepiada novamente. - Por isso não vai ser diferente com você. - Abri meus olhos a tempo de ver a latina voltar a sua posição inicial tirando seu moletom e o jogando pelo quarto, o cômodo estava abafado e nem parecia que lá fora nevava. Minha namorada rebolou lentamente roçando seu sexo contra o meu e me surpreendi quando sua mão foi pra dentro de minha calcinha. - Ah, Lolo! Tão molhada. - Ela soltou um leve gemido junto comigo.

- É porque eu gozei enquanto você fazia o mesmo em minha boca. - Ela abriu levemente a boca se deliciando ao ver meu estado e massageou meu clitóris lentamente.

Fechei novamente meus olhos e senti sua mão esquerda se entrelaçando com a minha. A latina inclinou um pouco seu corpo e impulsionou seu quadril para frente enquanto me masturbava, seu dedo desceu até a minha entrada e sem aviso nenhum me penetrou. Abri a boca soltando um gemido arrastado enquanto sentia seu dedo dentro de mim, suas estocadas eram precisas. Ela sabia exatamente o que fazer e onde me tocar, mas em questão de segundos não a senti mais dentro de mim.

Senti uma movimentação na cama e voltei a abrir meus olhos para ver o que a latina fazia e quase desfaleci ao vê-la completamente nua fazendo um coque em seu cabelo. Aquela cena era sexy demais.

- Fique de joelhos na cama. - Ela disse autoritária e eu soltei um riso baixo. A latina estava séria então me levantei fazendo exatamente o que ela mandava quando percebi que não havia brincadeira em seu tom de voz. - Mas antes tire a roupa. - A vi se levantar da cama e ir em direção ao seu closet então eu rapidamente tirei a camiseta que eu usava para dormir junto com o short e calcinha ficando completamente nua assim como ela. - Feche os olhos e fique quieta. - Novamente fiz o que ela mandava. Eu estava adorando aquilo, a sensação de não ver o que estava acontecendo ao meu redor só deixava meus instintos em alerta e quando menos percebi senti uma movimentação na cama e logo um corpo quente se aproximou do meu por trás.

- O que... - Camila estava colocando algum tipo de venda nos meus olhos, mas parei de falar quando senti a latina morder meu pescoço, provavelmente deixaria marcas.

- Quero apenas que você sinta. - Sua voz sussurrada em meu ouvido era minha morte e pra piorar ela tocou seus dedos levemente em minhas costas e desceu devagar até minha bunda a apertando. - Você é meu pecado Lauren. - Meu corpo correspondeu no mesmo instante se arrepiando por completo. - Meu instinto de predadora se aflora quando estou ao seu lado. - Ela parecia andar pelo colchão em volta de meu corpo, mas eu não conseguia ver nada, apenas sentia o toque suave de seus dedos passando pelos meus ombros e descendo por meu tronco até chegar em meu abdômen. - E quando alguém quer o que é meu, eu viro uma fera. - Abri um sorriso ao meu lembrar do seu ciúme na noite anterior.

- Você sabe que eu te amo e pertenço apenas a você. - Seu dedo agora tocou meu bico rígido o apertando e eu suspirei sentindo também sua língua passear pelo meu maxilar.

- Mas algumas pessoas não sabem disso. - Tentei tocá-la, mas ela me impediu segurando meu braço. Minha namorada fazia uma massagem devagar, porém forte em meu seio e eu já estava encharcada novamente apenas por seus toques. - E então eu tenho que aparecer e deixar claro que você tem dona. - Aquele tom firme de voz fez o incômodo em minha intimidade aumentar ainda mais e me remexi tentando aliviar minha excitação. - Fique quieta. 

Fiz o que ela pediu pela terceira vez e engoli em seco quando senti sua língua percorrer levemente meu seio, meus bicos estavam extremamente rígidos e sensíveis, mas ela continuou agora o chupando e eu não conseguia mais conter os gemidos e suspiros que saiam de minha boca.

- Camz... - Pedi manhosa, eu não estava suportando aqueles toques. - Isso é tortura. – Seus lábios se afastaram de meu seio.

- Você me fez pensar que eu estava sonhando quando na verdade você estava me dando prazer e quando eu gozei, por mais que eu implorasse, você não queria parar. - Seu dedo chegou até meu sexo e adentrou passando por ele lentamente. - Não acha que isso também é tortura? - Maneei a cabeça concordando freneticamente e ouvi uma risada baixa. - Eu quero que me peça. - Ela afastou novamente sua mão.

- O que? - Franzi meu cenho. Porque ela não acabava com aquilo agora mesmo?

- Peça Lauren. - Novamente a movimentação na cama e senti seu corpo ir para trás do meu. - O que quer eu faça com você? - O sussurro em meu ouvido me fez tremer.

- Quero que me faça sua Cabello. - Minhas palavras saíram sussurradas.

- Eu não ouvi. - Suas mãos foram para minha cintura a arranhando.

- Eu quero que me faça sua. - Disse pausadamente e em um tom que ela pudesse me ouvir perfeitamente.

- Fique de quatro Jauregui. - Sua mão espalmou em minhas costas me empurrando. Eu não tinha outra opção a não ser fazer o que ela mandava, mas confesso que eu só conseguia ficar ainda mais excitada.

Apoiei minhas mãos no colchão e me senti completamente exposta, eu nunca tinha sido comandada daquele jeito na cama. A mão de Camila tocou minhas coxas e inconscientemente eu entendi que era para eu abrir ainda mais minhas pernas e assim o fiz. Aproveitei para me apoiar sobre meus cotovelos fazendo com que minha bunda ficasse mais empinada para ela.

Ouvi um gemido contido sair de sua boca e sorri, eu queria estar olhando para seu rosto para ver sua reação, mas logo foi minha vez de soltar um gemido quando senti seu dedo passar por meu sexo me levando a loucura com seu toque delicado.

- Porra Camz. - A latina começou a massagear meu clitóris com intensidade. Ela segurava firmemente em minha cintura a arranhando momento ou outro e eu apertava os lençóis entre meus dedos.

Apoiei minha testa na cama enquanto gemia sentindo o prazer que minha namorada me proporcionava. Camila era quente nos momentos em que estávamos a sós e essa atitude da morena só me deixava querendo mais.

A mais nova continuava em seu trabalho de me proporcionar prazer e eu ao menos havia percebido ela se mover na cama, mas quando senti estava deitada no meio de minhas pernas e parou de me dar prazer com o dedo para apoiar suas mãos em minha bunda me puxando para baixo. Camila sem aviso penetrou sua língua em minha entrada e eu tive que me segurar para não me desmanchar naquele momento. Sua língua entrava e saia, hora ou outra passeava por meu sexo deixando beijos e chupadas por onde passava.

Eu não conseguiria suportar aquilo por tanto tempo, mas tentei me concentrar em apenas receber o prazer de minha namorada. Aquilo estava maravilhoso e confesso que ficaria daquele jeito com ela pro resto de minha vida se fosse possível, mas minutos depois meu corpo começou dar leves espasmos.

Eu estava quase no meu ápice, tirei a venda que cobria meus olhos e me virei para ver melhor a latina e gozei no exato momento em que vi que ela também se masturbava enquanto me chupava. Não pude me segurar ao ver aquela cena soltando um gemido alto enquanto me desmanchava em sua boca.

Os espasmos pareciam não querer parar e o orgasmo estava intenso, meu corpo ficou mole e não consegui mais sustentar o peso de meu corpo me jogando para o lado. Eu estava ofegante, tirei o cabelo de minha testa e meu peito subia e descia rapidamente tentando recuperar meu fôlego quando ouvi um gemido baixo. Olhei para o lado rapidamente vendo Camila tirar a mão de sua intimidade. Ela tinha acabado de gozar novamente e estava extremamente sexy toda descabelada.

- Eu não sei se meu corpo vai suportar tendo sexo desse jeito. - Sua voz era ofegante e soltei um riso baixa ao ouvir sua constatação.

- Você é insaciável. - Brinquei e ela me encarou.

- Então acho que estamos falando de você aqui. - Minha namorada se movimentou lentamente na cama e eu soltei uma pequena gargalhada enquanto a via levantar e se direcionar ao banheiro.

Na verdade eu não sabia dizer ao certo qual das duas era insaciável, só sei que tínhamos a química perfeita na cama e eu não reclamava nenhum pouco daquilo.

Depois do almoço conversei com Chris e o mesmo aceitou ficar no apartamento com Dinah me esperando para que eu saísse com Camila. A latina já havia combinado com a loira que aceitou no mesmo instante ficar com o mais novo. Era hoje que minha namorada faria a surpresa que ela tanto fez mistério e eu confesso estar animada e extremamente ansiosa para saber o que era.

POV Camila

- Já estamos chegando? - Deveria ser a décima quinta vez  que Lauren me perguntava aquilo.

- Só falta mais um quarteirão. - Ela bufou irritada cruzando seus braços e fazendo um bico enorme e charmoso em seus lábios.

Antes mesmo de sairmos do meu apartamento eu combinei com minha namorada que iríamos de táxi e que ela ficaria vendada o caminho todo para que não estragasse a surpresa. De primeiro momento ela aceitou tranquilamente, mas tentou tirar a venda por três vezes no caminho e não parava de perguntar se estávamos chegando. A morena de olhos verdes parecia aquelas crianças irritadas e impacientes no banco de trás de uma longa viagem de carro.

Não demorou mais que dois minutos para o taxista parar e eu descer do veículo conduzindo minha namorada com cuidado também para fora. Deixei-a parada na calçada enquanto voltava pra buscar minha bolsa que continha o presente e fazer o pagamento da corrida. Lauren ainda não tinha percebido que havia um certo volume em minha bolsa, ele fazia parte da surpresa e eu esperava sinceramente que ela gostasse do meu presente simples.

- Camz?! - Ela me chamou manhosa. - Já posso tirar? - Me aproximei dela sem dizer nada e desamarrei o lenço de sua cabeça. Não era o mesmo que eu havia usado durante o sexo que fizemos.

- Fique de olhos fechados só por mais alguns segundos, tudo bem? - Pedi antes de tirar totalmente a venda de seus olhos vendo-a manear a cabeça concordando.

- Posso te fazer uma pergunta? – Fiz um som nasal para que ela continuasse. – Por acaso você tem algum fetiche em tapar os olhos das pessoas? Por que se tiver saiba que eu estou amando isso. – Ela disse brincalhona e o sorriso em seus lábios era encantador.

- Lauren! – A repreendi sentindo minhas bochechas se esquentarem e a morena levantou as mãos em forma de inocência.

- Estamos em um lugar movimentado? - A morena mudou de assunto perguntando ainda de olhos fechados e franzindo o cenho.

- Sim. - Ela deve ter ouvido o som ambiente que tocava pelo parque ao ar livre e também a conversa animada das pessoas que passavam a nossa volta.

Aquele lugar estava lotado e eu começava a me arrepender de ter vindo no começo da noite, deveria tê-la trazido durando o dia, assim como Taylor me sugeriu. Eu seria um desastre ambulante patinando no meio das centenas de pessoas que estavam ali, o que resultaria em algo trágico e vergonhoso para ambas.

- Já pode abrir. – Avisei engolindo em seco por medo. Eu não sabia qual seria a reação dela ao se deparar de frente a uma pista de patinação no Bryant Park.

- Caramba. - Sua voz saiu sussurrada e então olhei para a morena vendo-a estática no mesmo lugar.

Seus pés pareciam terem se solidificado ao chão e seus olhos estavam levemente arregalados enquanto os verdes escuros percorriam todo o local minuciosamente mesmo que ainda de longe, mas de repente num ato de desespero seus dedos se entrelaçaram com o meu e a morena começou a andar rapidamente em direção a entrada do parque e meu corpo começou a entrar em desespero porque eu sabia que faltava pouco tempo para o desastre começar.

- Eu não acredito que você me trouxe aqui. - Finalmente eu ouvi sua voz assim que paramos atrás da pequena fila da entrada. - Eu sempre tive vontade de patinar nesse parque, mas nunca acabei separando um tempo pra vim. - Seu sorriso era grande e eu estava feliz por vê-la daquele jeito.

- Que bom que gostou. - Disse nervosamente quando a fila andou rápido demais e percebi que tinha apenas mais um casal a nossa frente.

- Eu amei Camz. - Lauren segurou em meu rosto e deixou um selinho demorado em meus lábios, mas logo seu sorriso foi embora quando ela se afastou e me encarou com o cenho franzido. - O que foi? Algum problema? - A morena perguntou provavelmente ao ver minha cara de pânico.

- Nenhum. - Tentei sorrir, mas pude perceber que aquilo não a convenceu. - Vamos, já é a nossa vez. - Desviei meus olhos dos dela e a puxei pela mão. 

Passamos pela tenda e entramos na estrutura que era montada apenas por alguns meses do ano para que o parque pudesse proporcionar aquele momento de lazer aos moradores e turistas que visitavam a cidade. Fomos para um balcão onde eram distribuídos os patins e equipamentos para segurança, pensei seriamente em pegar pelo menos um capacete para proteger minha cabeça, mas eu estaria mostrando para minha namorada que não sabia patinar, então tirei aquela ideia de minha mente.

Lauren e eu pegamos nossas numerações e nos encaminhamos para uma sala separada com alguns armários onde podíamos deixar nossos pertences. Coloquei minha bolsa com cuidado para que o presente não fosse danificado de nenhuma maneira e guardei nossos coturnos juntos.

Me sentei ao lado da morena que parecia realmente animada com aquele passeio. Olhei para frente e a pista de patinação estava a poucos metros de nós, várias pessoas já estavam nela e pareciam se divertir enquanto deslizavam pelo gelo, mas meu pânico ainda continuava presente e meu corpo estava completamente tenso.

Tentei me concentrar de novo no que estava fazendo e quando terminei de colocar o primeiro pé do patins Lauren já estava pronta. A morena se levantou e logo se abaixou em minha frente.

- Deixa que eu te ajudo. - Suas mãos foram para os cadarços e a morena os amarrou firmemente, fazendo o mesmo processo com o outro pé em seguida. Quando ela se levantou, ajeitou seu sobretudo e a touca que estava em sua cabeça. - Vamos? - Ela esticou sua mão para me ajudar a levantar.

Firmei meus pés no chão e segurei na mão de minha namorada, mas um desesperou começou a tomar conta de mim quando fui me levantar e minhas pernas tremeram enquanto eu tentava me equilibrar sobre as lâminas, Lauren sentiu minha fraqueza e me ajudou ficando mais próxima a mim e segurou em minha cintura me dando mais segurança.

- Eu não vou te deixar cair. - Ela sussurrou e eu encarei o mar de verdes a minha frente. - Você nunca patinou, não é mesmo? - Ela concluiu enquanto eu me segurava apertado nos braços dela.

- Nunca. - Confessei e desviei meus olhos dos dela negando com a cabeça.

 - Então porque viemos aqui Camz? - Ela encaixou sua mão em meu maxilar me fazendo olhá-la novamente. - Nós poderíamos ter ido para outro lugar, eu não me importaria.

- Por que eu queria te agradar e Taylor disse que você ama isso aqui. - Levantei apenas um braço apontando em volta e ela soltou um riso baixo.

- E pelo visto você também não contou a ela que não sabia patinar. - Ela afirmou e eu apertei meus lábios em frustração. - Se você quiser nós podemos ir embora.

- Não. - Respondi prontamente ainda me segurando nela.

- Tem certeza? - Concordei com a cabeça e ela sorriu. - Então devo lhe dizer que você está com sorte hoje Srta. Cabello. - Acabei sorrindo, fazia tempo que Lauren não me chamava daquela forma brincalhona. - Você terá a melhor professora do mundo pra te ensinar. - E novamente ela deixou um beijo sobre meus lábios.

Minha namorada se afastou minimamente e me explicou como eu deveria "marchar" com os patins, ela começou a me puxar devagar em sua direção e eu segurei firme em suas mãos dando passos lentos em forma de “v” invertido até chegarmos na beirada da pista. Lauren me deixou apoiada na placa que dividia os espaços e se afastou por alguns momentos me deixando sozinha dizendo que iria buscar alguns equipamentos necessários.

Enquanto ela não voltava fiquei analisando as pessoas e a forma como a elas patinavam e paravam sobre o gelo. Talvez eu pudesse aprender algo apenas observando, mas eu ainda me perguntava como elas conseguiam se equilibrar tão bem sobre aquelas lâminas?

- Coloque isso. - Me assustei com minha namorada parando bruscamente sobre o gelo em minha frente, a morena me entregou um par de cotoveleiras e eu as coloquei logo em seguida colocando as luvas. - Quando colocar os pés aqui, você precisa firmá-los na estrutura de gelo da mesma forma que te ensinei a marchar. - Ela dizia enquanto colocava o capacete cuidadosamente em minha cabeça. - Mas não seja bruta. Você precisa ter leveza nos passos. - Ela prendeu o capacete abaixo do meu queixo e senti um frio tomar conta de meu estômago.

- E se eu não conseguir fazer isso? - Minhas mãos começaram a tremer.

- Então pode ser seu primeiro tombo no gelo. - Ela soltou uma pequena gargalhada.

- Lolo... - A chamei manhosa e ela parou de rir no mesmo instante.

- Confie em mim Camz. - Ela começou a puxar minhas mãos me trazendo para perto de seu corpo, mas eu ainda estava resistente. - Eu nunca deixaria você se machucar. 

- Então porque todo esse equipamento de segurança? - Perguntei com a sobrancelha arqueada.

- É apenas precaução. - Ela respondeu rapidamente e eu quase não entendi o que ela tinha dito.

Eu precisava confiar e acreditar nas palavras de minha namorada e com esses pensamentos coloquei o pé direito cuidadosamente sobre o gelo e quando fui colocar o esquerdo, senti o primeiro deslizar entre as pernas de Lauren, mas como prometido ela não me deixou cair. A morena me segurou firmemente pela cintura enquanto eu tentava me firmar nos pés novamente.

- Eu disse que não te deixaria cair. - A morena falou risonha.

Lauren me conduziu para a beira da pista onde tinha uma barra que contornava todo o lugar, levei uma mão segurando nela enquanto minha namorada me dava algumas dicas e explicava qual deveria ser minha postura para obter um melhor equilíbrio em cima do patins. A morena patinava o tempo todo ao meu lado ou as vezes de frente para mim ficando de costas para as pessoas que passavam ao nosso redor. Ela parecia saber muito bem o que fazia e eu me surpreendia com o modo que ela me explicava tudo. Até me arriscava a dizer que ela tinha um conhecimento aprofundado em patinação.

Com o tempo fui adquirindo um pouco mais de confiança em mim mesma e em alguns momentos até me soltava da barra para tentar patinar sozinha, mas por medo minha mão logo voltava ao mesmo lugar de antes.

- Onde aprendeu a patinar tão bem assim? - Eu olhava para os meus pés verificando se eu estava fazendo corretamente, mas eu queria saber de onde vinha tanto conhecimento de minha namorada.

- Hã... Eu fiz uma viagem pra Moscou uma vez. - Seu tom de voz saiu estranho e então eu a encarei, mas Lauren não me olhava nos olhos ela prestava atenção no que eu fazia enquanto patinava de costas pra todos na pista.

- E? - Eu sentia que ela tinha algo mais para contar. Tomei coragem e tirei minha mão mais uma vez da barra de ferro tentando me equilibrar sozinha novamente.

- E... - A vi engolir em seco. - Eu conheci uma garota que era de uma equipe de patinação artística. - Ela disse pausadamente e me encarou. - Ela me ensinou algumas coisinhas. - A morena sorriu sem graça.

- Não parece que você aprendeu apenas algumas coisinhas. - Pronunciei as palavras praticamente rosnando-as e ela sorriu de lado parecendo gostar de me ver daquela maneira.

- Digamos que nós tivemos muito tempo para ela me ensinar. - Algumas pessoas passavam em alta velocidade ao nosso lado e só conseguia pensar em como elas não caíam.

- Como assim? - Dei uma leve desequilibrada, mas Lauren rapidamente me segurou fazendo com que parássemos.

- Eu passei um mês de férias lá e a conheci logo na primeira semana. - Ela me olhava fixamente e pressenti que o que estava por vir não era nada bom. - Nós fizemos sexo em lugares tão loucos que você nem imagina. - Sério que ela estava me contando aquilo? E ela ainda precisava sorrir? Parecia que estava gostando daquilo.

- Saber disso é totalmente desnecessário Lauren. - Fechei minha expressão e me desfiz de seu contato dando um impulso para começar a patinar novamente. 

Deixei minha namorada para trás, eu só conseguia ouvir o barulho das lâminas cortando o gelo abaixo de meus pés. Eu estava com raiva. Porque ela tinha que estragar nosso passeio com aquele tipo de assunto?

- Camz?! - Ouvi sua voz atrás de mim, mas continuei a patinar sem olhar para trás. - Me desculpa, foi uma brincadeira. - Não respondi nada para a morena e apenas continuei minhas passadas. - Camz... - Ela me chamou manhosa, eu estava focada em meus passos e não enxergava nada a minha frente. Estava cega de raiva. - Camila você está indo rápido demais. - Ouvi novamente sua voz e então como um estalo arregalei meus olhos ao ver pra onde eu estava indo, eu realmente estava rápido demais e aquilo não era nada bom.

- Lauren. - Chamei por minha namorada em puro desespero. - Lolo, como eu faço pra parar? - O final da pista estava chegando e devido ao meu afobamento eu não sabia o que fazer, era como se tudo o que Lauren me ensinou há minutos atrás sumisse de minha memória em questão de segundos. - Me ajuda, por favor...

Os patins pareciam deslizar cada vez mais rápido, eu podia sentir algumas pessoas olhando para mim, mas ninguém fazia nada para me ajudar. Eu realmente estava ferrada, a boca grande de Dinah faria eu me quebrar inteira em poucos segundos.

Meu coração batia acelerado e de repente uma onda calor atingiu meu corpo fazendo uma leve camada de suor se formar em minha testa. Fechei meus olhos apenas esperando o impacto, mas senti mãos em minha cintura e abri meus olhos vendo um corpo ficar de frente para o meu. Encontrei o mar de verdes me encarando novamente e apenas ouvi o barulho da lâmina raspando no gelo, Lauren estava tentando parar nossos corpos antes que se chocassem com a placa que dividia o final da pista com o restante do parque.

Fechei meus olhos novamente quando olhei para trás do corpo da morena e vi que estávamos próximas demais e que provavelmente não conseguiríamos parar, mas depois de alguns segundos tudo estava em silêncio e eu sentia meu corpo inerte, voltei a abrir meus olhos quando me dei conta de que eu ainda estava de pé e agarrada ao corpo de minha namorada.

- Você conseguiu nos parar? - Perguntei num sussurro totalmente desacreditada.

- Eu disse que aprendi algumas coisinhas. - Sua resposta também foi sussurrada e eu me afastei de seu corpo a encarando com a expressão fechada novamente. Ela iria mesmo voltar naquele assunto depois de quase morrermos? - Desculpe amor, não vou mais brincar com isso. - Meu coração errou uma batida ao ouvir aquela palavra

Que droga! Sério que eu não iria conseguir ficar brava com ela só porque ela me chamou de amor?

- Você disse de novo. - Encarei seus olhos, meus pensamentos só conseguiam se focar naquele momento e eu estava feito boba.

- O que eu disse de novo? - Ela franziu o cenho em confusão.

- Você me chamou de amor ontem quando estávamos no bar e agora me chamou de novo. - Lauren suavizou sua expressão.

- Não quer que eu te chame assim? - Minha namorada perguntou com receio e eu a abracei pelo pescoço.

- É claro que eu quero sua idiota. - A morena abriu aquele sorriso lindo que eu amava. - Mas ainda estou brava com você. - Me afastei novamente dela, mas acho que apoiei meu pé erroneamente no gelo.

- Camz cuidado! - Eu só ouvi a voz de Lauren me chamando e automaticamente minhas mãos se agarraram em seu sobretudo a puxando ao meu encontro.

Foi muito rápido e eu só consegui senti minha bunda se chocando contra o gelo enquanto o corpo de minha namorada caia sobre o meu. Minha cabeça se chocou levemente contra o piso frio abaixo de nós e naquele mesmo instante eu agradeci a preocupação de Lauren em me proteger com os equipamentos de segurança, mas fui tirada de meu transe por uma gargalhada gostosa muito bem conhecida por mim.

- Do que está rindo Lauren?! - Meu corpo doía devido ao choque contra o gelo. Aquilo era duro demais, eu preferia a neve que pelo menos era fofa.

- Você... - Ela ainda ria de olhos fechados. - Acabei de nos salvar de uma tragédia. - Ela tomou fôlego levando a mão até seu abdômen. - E você por sentir ciúme de novo nos levou ao chão. - Ela rolou para o lado e continuou gargalhando.

- Pra mim já chega. - Respondi brava e levantei meu tronco tentando apoiar meus pés, mas era em vão. Eles deslizavam todas as vezes que eu os apoiava e aquilo só me irritava mais. - Lauren me ajuda. - Pedi manhosa o que não resultou em nenhuma reação da morena que ainda gargalhava, então resolvi beliscá-la e só assim consegui sua atenção a ouvindo reclamar no mesmo instante.

A morena se levantou com uma facilidade incrível e logo esticou sua mão para me ajudar, mas antes explicou como eu deveria apoiar os pés para facilitar. Pedi para Lauren me tirar dali e a morena me segurou pela cintura me levando para longe do gelo com segurança.

- Me desculpe pela brincadeira Camz. - Sua voz demonstrava estar chateada. - Eu não queria te deixar aborrecida. - A morena me sentou na cadeira e se abaixou começando a tirar meus patins.

- Vou pensar se você merece o presente que eu comprei. - Disse com desdém e ela parou seus movimentos para me encarar.

- Presente? - Ela me encarava surpresa.

- Sim, eu comprei um presente pra você. - Cruzei meus braços e ela voltou a tirar meus patins rapidamente.

- E onde está? - Ela também se sentou ao meu lado tirando seus patins enquanto eu tirava os acessórios de segurança de mim mesma.

- Lauren, você é pior que uma criança sabia?! - Me levantei pegando seus patins junto com tudo o que eu havia usado.

- Eu não tenho culpa de ser tão curiosa. - A morena fez um bico adorável e eu me abaixei para deixar um selinho em seus lábios.

- Vamos devolver essas coisas e dar uma volta no parque? - Ela concordou com a cabeça e pegou tudo de minhas mãos. Lauren se dirigiu até o balcão onde havíamos pego tudo e eu fui até o armário pegando nossos coturnos e minha bolsa.

Poucos minutos se passaram até que estivéssemos andando pelo parque de mãos dadas como um casal que se amava. Em nenhum momento desde que coloquei os pés em New York eu me imaginei nessa situação com uma pessoa, mas confesso que era incrível o que estava acontecendo comigo. Nunca estive tão feliz e realizada como eu estava ao lado de Lauren.

A pouca neve caia lentamente no meio de nós e das demais pessoas que andavam por ali, minha namorada me contava algumas historias dela e de seus irmãos de quando eram mais novos e em certo momento senti sua voz falhar. Lauren nunca se abriu muito comigo, mas era visível a saudade que ela sentia de sua família.

- Ok, já andamos demais. - Ela me puxou para um banco nos sentando nele. - Agora você acha que já mereço o presente? - Ela estava com as sobrancelhas arqueadas em completa ansiedade para saber o que eu tinha para ela.

- Talvez se você me convencer melhor. - Fiz um voz sexy e a morena sorriu de lado no mesmo instante.

- E quer que eu faça o que pra te convencer? - Sua voz saiu sussurrada enquanto ela se aproximava mais de mim. Lauren colocou minhas pernas em cima das suas e sua mão percorreu minha coxa me arranhando levemente por cima do tecido da calça. - Posso te acordar mais vezes como hoje. - Ela mordeu meu ponto de pulso. - O que acha? - Fechei meus olhos com as lembranças daquela manhã e automaticamente senti uma pontada em minha intimidade. - Ou até mesmo fazermos amor em lugares inusitados. Lugares que você sequer imaginou na vida. - A morena depositou um beijo em meu rosto.

- Eu acho essa sua tática de convencimento muito boa Jauregui. - Ela colou sua testa na minha e sorriu.

- Ótimo. - Sua mão se encaixou no meu maxilar. - Adoro quando você concorda com minhas ideias malucas.

- A verdade é que eu não consigo resistir a você. - Ainda sussurrávamos. - Você é o meu ponto fraco. - A morena se aproximou e colocou nossos lábios devagar e quando menos esperei Lauren mordeu meu lábio inferior e puxou de encontro a ela. Os verdes me encaravam profundamente e mesmo naquele frio, era como se eu estivesse nua perante seus olhos. - Eu estou com medo de que não goste. - Ela franziu o cenho se afastando minimamente. - É algo simples. - Peguei minha bolsa e tirei o embrulho entregando para a morena. - Minhas economias estavam curtas.

- Camz. - Ela me encarou segurando o presente. - Eu não quero que fique gastando seu dinheiro comigo. - Ela parecia chateada. - Eu sei o quanto você precisa dele e o quanto é orgulhosa pra aceitar uma ajuda se precisar.

- Eu não me importo de gastar ele com você. - Empurrei o presente em sua direção e ela sorriu pequeno. - Espero que não ache brega. - Fiz uma careta e a morena abriu um lindo sorriso.

Lauren abriu o embrulho cuidadosamente e vi seus olhos brilharem e sua boca se abrir levemente quando ela destravou a pequena caixa de madeira que continha o presente e viu o que era.

- Camz, isso é... - Ela disse pausadamente e eu comecei a ficar com medo que ela pudesse não gostar.

- Velho, eu sei. - Fiquei aflita. - Mas era o que eu pude comprar com o pouco dinheiro que eu.. - Parei de falar de relance vi um flash em minha direção.

- Eu sempre quis ter uma dessas. - Ela tirou a foto que saiu da máquina e a chacoalhou no ar logo vendo o papel fotográfico em suas mãos. - Linda. - Ela divagou pra si mesma olhando minha imagem na fotografia. - Obrigada amor. - Ela deixou um beijo em meus lábios.

- Não achou velho demais? - Eu havia comprado uma câmera Polaroid para Lauren, infelizmente Taylor estava certa e aquele era um hobby muito caro. Então comprei algo que cabia no meu bolso, mas fiquei feliz por vê-la tão animada com algo antigo em mãos.

-Está brincando né? Essa é uma das melhores versões que já lançaram, alguns odeiam câmeras antigas, mas eu amo acho que são as melhores para capturar as imagens perfeitas. - Ela dizia olhando para o equipamento em mãos e seus olhos brilhavam como nunca. - E essa foto eu vou guardar pro resto da vida. - Ela balançou o pequeno pedaço de papel em mãos e quando eu fui pegar ela a afastou de mim. - Tsc tsc... – Ela negou fazendo um barulho com a boca. - Ela é minha.

- Deixa eu ver. - Pedi manhosa e ela virou a imagem de longe para que não corresse risco de eu pegar de suas mãos. - Ficou horrível Lolo. - Na imagem eu passava a mão em meu cabelo nervosamente com medo do que ela iria achar do presente.

- Não poderia ter ficado mais perfeita. - Ela se aproximou novamente me beijando. - Mas eu nunca te contei que gostava de tirar fotos. - A morena cerrou os olhos em minha direção totalmente desconfiada e eu dei de ombros, mas a mesma sacou tudo no mesmo instante. - Taylor. - Ela soltou um riso baixo chegando à conclusão e ouvi meu celular tocar indicando uma mensagem.

Peguei meu aparelho na bolsa enquanto de relance via Lauren mexendo novamente na máquina. A morena a explorava nos mínimos detalhes, acho que ela realmente tinha gostado do presente.

20:31 - Kaki, a mama vai te ligar. Ela tem uma surpresa pra você, mas não surte tá legal?! E nem diga que eu te mandei essa a mensagem.

Sofi

- O que foi? - Ouvi a voz de Lauren em tom de preocupação provavelmente por me ver de cenho franzido perante aquela mensagem de minha irmã.

- Sofia me mandou uma mensagem estranha. - Antes mesmo de eu responder para minha irmã ou dar maiores explicações para minha namorada meu telefone começou a tocar e a tela indicava que era minha mãe.

Não sei dizer ao certo, mas um gelo percorreu minha espinha e eu entrei em pânico. Olhei para a morena que maneou a cabeça me passando confiança para atender e assim o fiz.

- Hija - Ouvi a voz animada de minha mãe. - Como vai minha filha?

- Mama. - Sorri involuntariamente, porém um pouco nervosa. - Estou bem e a senhora? - Lauren ainda me encarava.

- Não poderia estar melhor. - Do outro lado ela deveria estar com o sorriso enorme no rosto. - Seu pai e eu temos uma surpresa pra você nesse fim de ano.

- Surpresa? - Desviei um pouco meus olhos de Lauren.

- Nós conseguimos guardar um pouco de dinheiro e com ele vamos comprar sua passagem para passar as festividades conosco este ano. - Eu travei. 

Não sabia dizer o que tinha acontecido comigo, mas eu travei ao ouvir aquelas palavras. Lauren percebeu como eu havia ficado e perguntou em silêncio o que estava acontecendo, mas eu não conseguia responder nenhuma das duas. Então minha namorada estalou o dedo em minha frente fazendo com que eu despertasse daquele momento piscando meus olhos repetidas vezes.

- Hã... Isso é ótimo mama. - Não, na verdade aquilo era péssimo. Na minha cabeça já estava tudo esquematizado e eu iria passar as festividades ao lado de minha namorada. Aquilo não era um bom sinal. - E pra quando é a passagem? - Ao ouvir aquela palavras vi Lauren travar o maxilar.

- Como você terá sua apresentação de fim de ano na orquestra, então você chegará um dia antes do Natal. - Eu só conseguia pensar que eu não queria ficar longe da morena de olhos verdes.

- Ok. - Respondi seca. - Mama eu preciso desligar tudo bem? Depois nos falamos. - Comecei a me despedir o quanto antes de minha mãe, novamente eu estava entrando em pânico com aquela ideia.

- Tudo bem hija, só te liguei para dar essa ótima notícia. - Nos despedimos e então eu desliguei o celular no automático.

Lauren nada disse, ela respeitou alguns minutos de silêncio que eu precisava para colocar minhas ideias no lugar, mas era visível sua aflição para saber ao certo o que estava acontecendo.

- Camz, você está me preocupando. - Minha namorada sussurrou e eu encarei os verdes tomando coragem.

- Minha mãe comprou uma passagem para eu passar o fim de com eles. - Engoli em seco quando terminei de contar e vi o corpo de minha namorada ficar tenso.

- Que bom. - Ela sorriu pequeno desviando seus olhos dos meus e começou a guardar a câmera lentamente em sua caixa.

- Não Lauren, isso não é nada bom. - Toquei em sua mão fazendo-a parar. - Meus planos de fim de ano não eram esses. - Ela voltou a me encarar. - Eu tinha planos de ficar ao seu lado o tempo todo. - Meu coração estava acelerado pela adrenalina do momento.

- Eles são seus pais Camila e você não pode simplesmente ignorá-los. Com certeza eles trabalharam muito para comprar essa passagem e você não pode negar essa viagem. - De repente o dia perfeito ao lado de minha namorada estava indo embora. - Amor... - Seu tom de vi foi sereno e ela apertou minha mão. - Por favor aceite, eu vou ficar bem sozinha. - Ouvir aquilo apertou meu coração. - É claro que eu também tinha planos de não sair do seu lado, mas podemos fazer isso pro resto do ano depois.

- Eu não quero ficar longe de você. - Minha voz saiu chorosa.

- Eu não posso deixar Christopher sozinho e também tenho meu trabalho. - Ela fez um carinho em meu rosto. - Por favor, entenda isso. É claro que eu queria ir com você, mas nesse momento eu não posso. - Fechei meus olhos apreciando o carinho da morena em meu rosto.

- Podemos falar sobre isso depois? - Disse abrindo meus olhos que ficaram marejados, meu coração estava apertado com aquela ideia e eu não queria falar sobre aquilo naquele momento.

- Claro. - A morena me abraçou pelo ombro me trazendo para mais perto de seu corpo, ela depositou um beijo em minha cabeça e apoiou seu queixo ali começando a fazer um carinho em nossas mãos que estavam entrelaçadas.

Eu não queria aceitar que ficaria longe de Lauren por mais de uma semana, na verdade eu a queria comigo, mas pensar nisso também me matava por dentro, pois não poderíamos ficar juntas tendo intimidade se caso ela fosse para Miami. E se meus pais desconfiassem de alguma coisa? Eu ainda não estava preparada para contar a eles, mas e se eu contasse e eles me expulsassem de casa?

Teorias de como tudo poderia acontecer começaram a entrar em minha mente e eu estava ficando desnorteada com aquilo. Respirei fundo tentando afastar aquilo de minha cabeça e me concentrei apenas naquele momento dia que eu tinha planejado ao lado de minha namorada.


Notas Finais


Como estamos indo com a história??
Estão gostando??


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...