História AU The Unknown Side Of Mind (Yoonkook) - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Romance, Yaoi, Yoonkook
Visualizações 176
Palavras 5.658
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


E aí? Quem tá Super empolgado para o Comeback???? Pq eu tô quase morrendo aqui rsrs
Ah ! Espero q gostem desse Cap.
Vou deixar ele aqui e sair correndo...
Beijos

Ouça Singularity - BTS (방탄소년단)Love Yourself Tear
https://soundcloud.com/user-112816847/singularity-bts-love-yourself

Capítulo 18 - Wonder


Fanfic / Fanfiction AU The Unknown Side Of Mind (Yoonkook) - Capítulo 18 - Wonder

[ DIA ANTERIOR ]


Suga tinha saído do apartamento de Jungkook mais desanimado do que quando entrou. Ele tinha poucas esperanças que encontraria algo, mas de fato sair sem nada nas mãos foi uma experiência pior do que havia imaginado.

Ele ainda usava a academia do GCE, então quando se tornou insuportável encarar Jungkook dormindo tranquilamente, sem desconfiar que havia um traidor ao lado, ele pegou a moto e foi se exercitar na academia onde ele não era tecnicamente autorizado a ir. Suga não tem certeza, mas ele acha que foi entre o semáforo da Rua 124 com a Broadway , que decidiu tentar descobrir algo dentro do GCE, afinal nada melhor que prédio da GCE para esconder seus próprios segredos. Aliás, ele se sentia um bosta de investigador por não ter chegado a essa conclusão antes.


Ele entrou no prédio, em direção a academia, mas fez um retorno direto para o escritório ligado a sala de reuniões de Jungkook, onde presenciou Jimin tentar matar o próprio irmão não muito tempo atrás.

O lugar em si parecia ausente de qualquer tipo de pista, seja em papel, documentos ou qualquer coisa assim. A sala era quase intocada à seu ver.

Suga sentou na cadeira presidencial desanimado, olhando sério para a sala imaculada. Porém,  não precisou muito para que seus olhos desviassem para a mesa de escritório, sua testa enrugando enquanto percebia ter uma parte oca na lateral.


É óbvio que uma mesa de escritório teria gavetas.


Suga se ajeitou na cadeira, ansiedade  transbordando para a palma de suas mãos em forma de suor. Ele passou os dedos frios pelo móvel procurando uma abertura, até que encontrou uma fenda na lateral esquerda da madeira, indicando um compartimento escondido.

- Eureka. - Suga sussurrou quando ouviu um som de algo estalando.

 Dentro da gaveta havia um pendrive isolado, fora isso estava vazio.

- O que aconteceu com o bom e velho papel?

Suga guardou o pendrive no bolso do seu moletom da Puma, ainda curioso sobre o compartimento praticamente vazio.

Se ele ao menos tivesse um computador a vista para analisar o que tinha no pendrive.

- Eu sempre achei que fosse traiçoeiro. - Jin falou da entrada da sala, assustando Suga.

- Que susto, achei que fosse alguém importante. - Suga falou se levantando da cadeira.

- Eu sou importante. - Jin respondeu nervoso, se desencostando da porta para entrar na sala.

- Não foi o que eu quis dizer. Fecha a porta. - Suga pediu ainda distraído com os móveis que talvez pudessem ter compartimentos escondidos.

Jin pareceu indignado de início, mas fez o que o mais novo pediu.

- Você vai se explicar ou vou ter que chamar a segurança? - Jin cruzou os braços na frente de Suga.

- Eu sou a segurança - Suga disse, ainda andando a procura de pistas dentro do escritório que pudesse lhe trazer alguma luz para aquela confusa investigação.

- Você entendeu o que eu quiser dizer. Quer saber, vamos ver o que Jungkook tem a dizer sobre isso. - Jin falou pegando o celular do bolso.

- Que? Não! - Suga finalmente parou de andar e prestou a atenção em Jin, que tinha uma expressão neutra, porém desafiadora no rosto. - Não faça nada ainda, só me escuta primeiro.

Jin pensou no assunto enquanto assistia Suga mal respirar para não atrapalhar sua avaliação sobre sua proposta.

- To esperando. - Jin finalmente disse impaciente.

Suga soltou o ar que segurava tudo de uma vez.

- Acho que Jungkook está em apuros. Eu trabalho na investigação contra o GCE, sobre distribuição ilegal de armamento bélico e de alguma forma Kookie está enfiado nisso até o pescoço.

- Eu sei. - Jin disse fazendo Suga parar de divagar e olhá-lo assustado.

- O que?

- O Nam me contou, mas não falou nada sobre a investigação, é a primeira vez que eu ouço sobre JK estar realmente encrencado.

Suga enrugou a testa, os olhos no chão, pensativo.

- Você tá dizendo que RM te contou tudo?

- Não tudo, ele não me conta nada sobre a investigação, mas eu sei sobre o FBI e sobre você também.

- Mas você é amigo de Jungkook, vocês são praticamente irmãos. Como você pôde guardar isso dele ? - Suga perguntou indignado.

- Sério? Sou só eu que estou vendo a ironia nessa pergunta?

Suga revirou os olhos.

- RM disse que você é o único tentando provar a inocência de JK e só entrou nisso porque foi ameaçado, mas ele não fez parecer tão sério. - Jin deu de ombros.

Suga suspirou desanimado.

- Confesso que tive motivos egoístas inicialmente, mas agora…

- Agora você o ama. - Jin respondeu o cortando.

Suga analisou o rosto inexpressivo de Jin, como se ele estivesse recitando dicas de como fazer um bom Crème brûlée e não sobre seu coração sendo exposto para um garoto, mimado, indeciso e pra piorar noivo de outra pessoa.

- Eu não sei mais o que fazer. As provas indicam que Jungkook é culpado, não tenho nada que indique o contrário.

- Talvez ele seja.

Suga se empertigou com o testamento de Jin.

- Você não tá falando sério.

- Você não o conhece como eu. - Jin deu a volta e se apoiou na mesa da sala fazendo Suga virar para ouvi-lo. - Isso tudo pode até não ter sido ideia dele, porém Jungkook faria qualquer coisa por seu pai, se esse for o caso.

- Até ser responsável por dezenas de mortes inocentes?

- Você não entende. Se o Sr. Jeon mandar Jungkook se jogar de um prédio, a única dúvida de Jungkook será qual.

Suga negou com a cabeça, andando de um lado para o outro.

- Não posso acreditar nisso.

- Não pode ou não quer?

Suga mordeu o lábio inferior de nervoso.

- Eu gostaria que estivesse errado, mas não acho que estou.

Suga nunca tinha visto aquele lado de Jin antes, sempre o considerou alguém descontraído, muitas das vezes até mesmo desinteressado.

- Me ajuda a provar que está errado então. - Suga praticamente implorou pela segunda vez  na sua vida. 

 A primeira foi pela vida de Dahyun.

Jin encarou Suga, pensando no que faria a seguir.

- O que precisa.

Suga sorriu batendo amistosamente no ombro largo de Jin.

- Tudo que puder achar sobre transporte e distribuição da GCE.

Jin concordou pensativo.

- Desculpa te envolver nisso, eu estou desesperado.

- Eu estou vendo. - Jin riu engraçado com a careta de Suga. - Relaxa. Todo mundo tem direito de se apaixonar, eu te ajudo por um preço baixo, nada que você não possa pagar com uma tigela de Bibimbap.

Suga sorriu acenando positivamente com a cabeça na sua direção.

Parecia um bom acordo.



[ TEMPO ATUAL ]


Suga sabia do momento em que atravessou aquela porta que as coisas não seriam a seu favor, mas ainda assim, nada o preparou para ter Jungkook o olhando daquela forma.

Ele estava sentado exatamente onde Suga o viu pela primeira vez, quando foi contratado para ser seu segurança pessoal. Tanto havia mudado depois daquele dia.

- Nós nos conhecemos há tão pouco tempo e eu já não consigo colocar nos dedos quantas vezes você mentiu, me enganou, traiu. - Jungkook puxou o ar delicadamente tentando não cair no choro.

- Um federal. É isso que você é? - Jungkook perguntou magoado. - Jin me contou tudo que pôde, mas acho que ainda tenho mais uma dúvida. Fazia parte da sua missão me foder de quatro?

O segurança ao lado de Suga trocou o peso do corpo obviamente desconfortável em estar ali.

- Eu não…

- Quer saber? - Jungkook levantou da cadeira. - Não me importo com suas respostas vagas.

- Kookie, deixa eu explicar...

- Eu quero você fora daqui e a partir de agora, se eu não me dirigir a você, não quero ouvir sua voz.

Suga ia falar, mas se calou assim que ouviu a última parte do ultimato de Jungkook, concordando em silêncio.

- Dimitri, escolta o Sr. Yoongi do prédio e proíba seu acesso nas dependências do prédio, por favor.

- Jungkook…

- O que eu acabei de dizer? - Jungkook gritou.

Suga se levantou, mas olhou sério para Dimitri ao vê-lo se aproximar demais de onde estava.

Dimitri deu alguns passos para trás dando liberdade para que Suga saísse por conta em respeito a ele, e foi exatamente o que Suga fez, saindo da sala sem dizer mais nenhuma palavra, afinal aparentemente não tinha mais direito de dirigir a palavra ao mais novo.



- JK você prometeu que ia deixar eu dormir na sua casa. - Josh falou fazendo um bico enquanto alisava a coxa de Jungkook.

- Mudei de ideia. - Jungkook respondeu secamente afastando as mãos de Josh pra longe.

Depois da merda toda com Suga, a primeira impulsiva decisão de Jungkook foi ligar para Josh e o convidar para ir a uma balada. Ele bebeu todas e achou que estava se divertindo, até beijar Josh na pista de dança e a boca não ser a de Suga.

Não tinha como aquilo ficar mais ridículo. Jungkook se sentia perdido com a ideia de que nunca mais sentiria a boca do mais velho nele.

Ele nunca havia sentido algo daquele gênero com apenas um beijo, o beijo de Suga deixava sua pele sensível, seus pêlos arrepiados e todo seu corpo completamente excitado.

Um beijo. Um maldito beijo.

Quando Josh o beijou no entanto, tudo que ele sentiu foi saliva, gosto de tequila e língua. Aquela noite inteira estava se tornando nada mais que decepcionante, então ele resolveu voltar para casa, afinal na próxima semana ele precisava seguir estrada, terminar a tour.

O motivo de Josh estar no carro com ele agora, era apenas porque pegou o garoto no hotel, não tinha porque não devolvê-lo no mesmo lugar.

- Sr. Jeon tem uma blitz logo à frente. - Seu segurança o informou diminuindo a velocidade.

- É lógico que tem. - Jungkook puxou o ar, estressado com as investidas constantes de Josh no banco ao lado da SUV.


Um policial pediu nossa documentação ao segurança que dirigia enquanto um outro passava com a lanterna pela janela, iluminando Josh e Jungkook no banco traseiro.

Jungkook começou a bater os dedos na perna, impaciente.

- O que está acontecendo? - Jungkook perguntou para o segurança, interrompendo a conversa que ele estava tendo com o oficial.

- Nada que deva se preocupar Sr. - Seu segurança disse.

Jungkook olhou para trás, vendo uma moto da polícia impedir a passagem, caso seu carro tivesse a intenção de dar a ré, enquanto uma viatura travava a saída da frente.

- Que merda está… - Jungkook começou a falar, parando assim que ouviu o barulho do motor de uma moto já familiar aos seus ouvidos.

Jungkook conhecia aquele som, de alguma forma ele sabia o que estava acontecendo.

   

Seu cérebro mal tinha começado com as associações, quando Suga desceu da moto agora parada. atrás da SUV ao lado de um outro veículo do departamento.

O distintivo pendurado no pescoço, uma jaqueta de couro preta ressaltando os ombros esguios e delicados, a arma na cintura e um jeans apertado nas coxas e na bunda.

Jungkook queria arrancar os próprios olhos por achar aquela cena sexy pra caralho.

Ele tinha cortado o cabelo, as pontas pretas e brilhantes ressaltando seu rosto branco e delicado.

A boca vermelha era tão convidativa que Jungkook precisou cruzar as pernas e virar o rosto.

- Precisamos ir. - Jungkook falou para seu segurança. - Agora! - ele declarou em pânico, mas Suga já estava batendo no vidro do carro ao lado de Josh.

Era tarde demais.

Jungkook revirou os olhos para a cara assustada de Josh ao ver Suga girando os dedos no ar, mandando ele abrir a janela do carro.

Ele não iria dar o braço a torcer para aquele tipo de intimidação mesmo que obviamente estava respeitando a vontade de Jungkook de só falar quando ele lhe dirigisse a voz, então só fingiu que Suga não existia enquanto Josh abaixava a janela com as mãos trêmulas e os olhos ansiosos.

Josh não reconheceu Suga da balada em LA e ninguém estava no clima para lembrá-lo.

- Algum problema oficial? - Josh perguntou com a nota de preocupação na voz.

Suga baixou um pouco mais a cabeça para poder olhar para Jungkook do outro lado do assento, um braço apoiado no carro, a outra mão livre na arma com o coldre aberto.

Suga fez um gesto para o policial que os tinha retido de início,  vendo o oficial andar até eles com os documentos de todos de dentro do carro, em mãos.

Suga achou o que procurava, analisando a ID e o rosto de Josh.

- Sr. Joshua Mackenzie. - Ele falou vendo Josh olhar para as mãos de Suga assustado.

- Sim senhor. - Josh respondeu um pouco inseguro.

- O Sr. está portando drogas ilegais ou de consumo restrito com o senhor ou em algum lugar no veículo? - Suga perguntou vendo Jungkook bufar.

- Isso é ridículo. - Jungkook falou olhando pela primeira vez para Suga que o encarou intensamente.

Os dois seguraram os olhares por alguns segundos pesados enquanto o confuso Josh assistia tudo aquilo sem saber o que pensar.

- Saia do veículo, por favor. - Suga exigiu abrindo a porta do lado de Josh.

O garoto saiu do carro, ainda confuso e intimidado a medida que Suga mandava ele se virar, colocar a mão no teto do carro e abrir as pernas.


Suga revistou Josh, sorrindo ao notar que suas pernas tremiam levemente e pareceu ainda mais satisfeito depois de descobrir o pau pequeno durante as apalpadas invasivas e sem necessidade.

- Sr. Joshua. O senhor está embriagado? - Suga perguntou o virando para encará-lo.

- Só um pouco, oficial. - Josh respondeu, o final da frase se esvaindo.

Suga suspirou dramaticamente, pegando Josh pela jaqueta e fingindo ajeitá-la em seu corpo.

- Josh para onde você pretende ir daqui? - Suga perguntou baixo, o encarando, parecendo que sua resposta determinaria se sairia vivo dali ou não.

- Para casa do meu amigo, Sr. - Josh respondeu indeciso.

Suga fez que não com o dedo na frente de seu rosto, enquanto enrugava a testa.

Suga era bem mais baixo que Josh, mas isso não fez diferença alguma naquela situação, apenas o olhar de Suga já fazia o garoto instável e ansioso. 

Para comprovar isso, Suga riu baixo, grave e de um jeito assustador fazendo Josh engolir em seco.

- Não Josh. Você vai para a porra do lugar de onde veio e não vai tocar um dedo no cara sentado ao seu lado naquele carro. Estamos entendidos quanto a isso, não estamos? - Suga fez que sim com a cabeça quando Josh pareceu travar em seus próprios pensamentos.

Josh seguiu o exemplo de Suga, confirmando com a cabeça para sua pergunta anterior.

- Vamos te considerar com sorte por ter conseguido beijá-lo hoje, ok? - Suga falou abrindo a porta do carro para que o garoto entrasse.

Suga fechou a porta para Josh, sorrindo maldosamente para o garoto assustado.

- Está tudo bem aí Josh? Você parece meio branco. - Suga fez um círculo com os dedos no ar indicando o rosto de Josh.

- Si... sim...senhor.  - Josh respondeu sem olhar para ele, encarando o vazio a espera que Suga fosse embora.

Suga foi andando até o segurança ao lado do motorista para devolver seus documentos.

- Dimitri. - Ele o cumprimentou.

- Suga. - Dimitri falou com um sorriso incrédulo no rosto.

- Podemos seguir viagem? - O segurança no volante falou, sendo mais profissional que Dimitri, apesar deles já terem trabalhado juntos várias noites seguidas.

Suga fez que sim com a cabeça, mas olhou para Jungkook pelo vão entre os bancos.

- Leva meu garoto para casa em segurança, Ok? - Suga pediu se afastando do carro para dar o sinal aos policiais que travavam passagem.

- Pode deixar. - Dimitri respondeu antes de Suga se afastar.


Suga estava perto da moto, prestes a colocar o capacete, quando ouviu passos em sua direção. Ele sabia quem era antes que sua voz revoltada chegasse ao seus ouvidos.

- Que porra foi essa? - Jungkook perguntou gritando, pouco se fudendo se três policiais pararam o que faziam para prestar a atenção neles.

Suga colocou o capacete de volta no assento da moto calmamente, se virando para encarar o mais novo.

- Precisamos conversar. - Ele falou com a voz baixa tentando transmitir calma.

- E você vai me assediar até eu concordar com isso? - Jungkook gritou deixando claro que não queria conversar.

- Enquanto funcionar. - Suga deu de ombros.

- O que quer de mim? - Jungkook tinha lágrimas que ameaçavam cair nos olhos, as mãos trêmulas ao lado do corpo.

Suga ameaçou se aproximar, mas voltou ao ver Jungkook dando passos desgovernados para trás, assustado com sua aproximação.

Não era o que ele queria, ele não queria que o garoto o temesse, ele só queria poder se explicar.

- Eu só quero cinco minutos, só quero me explicar. - Suga disse seus pensamentos em voz alta, inseguro pela primeira vez naquela noite.

- Você já não fez o suficiente? Me deixa em paz. - Jungkook pediu com os lábios tremendo e as lágrimas caindo a contragosto.

Suga concordou com a cabeça, os olhos no chão enquanto segurava para não chorar na frente do mais novo.

- É o que quer? Realmente? - Suga perguntou parecendo decidido a obedecer o mais novo, se esse fosse o caso. - Porque se quiser que eu desapareça, eu desapareço, mas não voltarei quando precisar.

- Você tentou ferir a minha família através de mim. - Jungkook falou magoado.

Os dois trocaram olhares tensos, o clima ao redor deles pareceu descer algumas escalas negativas, mas mesmo que esse fosse o caso, eles não saberiam, por estarem presos na bolha que criaram para si.

- Eu quero que desapareça. - Jungkook sussurrou quase desejando que Suga não escutasse.

Suga passou mais alguns segundos esperando que Jungkook mudasse de ideia e corresse para abraçá-lo ou qualquer coisa do gênero, mas o garoto não parecia na intenção de algo assim.

- Então eu desapareço. - Suga finalmente falou, voltando para a moto sem intenções de olhar uma última vez para o mais novo.

Jungkook no entanto se arrependia da decisão precipitada a cada passo de distância que Suga colocava entre eles, mesmo que parecesse o certo a fazer.



O telefone tocou de maneira tediosa até cair na caixa postal.

Suga bateu sua garrafa pela metade na grama, para depois entornar mais um gole de whisky, que desceu queimando direto pela garganta.

- Eu sei que você não quer falar comigo e que eu prometi desaparecer… - Suga fechou os olhos, a visão turva pela bebida e pelas lágrimas, a voz embargada de sentimentos não ditos. - Kookie, eu não posso desaparecer.

Suga colocou a garrafa no gramado, os dedos deslizando sobre o vidro.

- Você não pode me pedir algo assim. - Suga soluçou na tentativa em esconder que estava chorando.

- Eu te amo. Então não me peça algo assim. - ele falou deixando o celular cair no gramado enquanto tomava mais da bebida que tinha nas mãos.

Ele ouviu o som de passos se aproximando, mas não estava em condições de procurar saber quem era.

- Wow! Você realmente parece desesperado.

Suga demorou alguns milésimos para levantar a sua cabeça para a voz familiar, mas a aparência do garoto e o lugar onde ele estava, juntos não fazia uma boa mistura.

- Jimin. O que faz aqui? - Suga perguntou depois do susto por pensar ser a alma penada de Dahyun o assombrando do próprio túmulo.

Suga aproveitou para derramar um gole de Whisky no túmulo de Dahyun, onde estava sentado em cima.

- Não sei se Dahyun bebia Whisky. - Jimin riu tristemente, sentando ao lado de Suga, depois da tentativa falha de sentar o mais longe possível do túmulo.

- Você não respondeu minha pergunta. - Suga disse com a voz   embargada, por estar bêbado.

Jimin bufou irritado.

- V ligou em pânico, porque ninguém sabia onde você tinha se enfiado. - Jimin falou dando de ombros ainda com o bico enorme nos lábios.

Suga ofereceu o resto da bebida para o garoto que negou com uma careta de nojo no rosto.

- E automaticamente você pensou que eu estaria aqui?

- Foi mais um palpite. - Jimin analisou o nome na lápide em que Suga estava encostado. - Eu costumava vir aqui conversar com ele.

Suga concordou com a cabeça.

Os dois dividiram alguns minutos de silêncio, antes que Jimin voltasse com toda sua agitação.

- Vamos. Eu prometi que te levaria em segurança para casa. - Jimin falou limpando a grama da calça ao se levantar.

- Não quero ir para casa.

- Mas você vai. - Jimin disse simplesmente, ajudando Suga a se levantar.


- Minha moto está ali. - Suga apontou com a visão turva, na dúvida se estava vendo uma moto ou uma árvore daquela distância.

- Que bom que sabe onde deixou sua moto, assim fica mais fácil de vir buscar amanhã.

- Que? Não. Não vou deixar minha moto aqui.

Jimin revirou os olhos enquanto recuperava o fôlego por basicamente carregar Suga nos braços.

- Ninguém vai mexer na sua moto Yoongi. Agora me ajuda porque você é pesado.

Suga enrugou a testa.

Ele não era pesado!

...

- Obrigado. - Suga falou para Jimin enquanto desencostava da janela do carro com enjôo.

O motorista do UBER olhou para Suga assustado pensando que ele estava prestes a passar mal em seu carpete novo.

Jimin abriu ambas as janelas do carro de forma que uma corrente de ar atingisse com violência o rosto de Suga.

- Fiz isso por V, não por você. - Jimin entregou uma garrafinha de água para o maior, que tomou num gole só.

- Eu sabia que meu irmão ia acabar te destruindo também. - Jimin resmungou chateado.

- É um pouco cruel dizer “Eu te avisei” agora.

Jimin riu do comentário de Suga ficando aliviado com a visível melhora do seu enjôo.

- Melhor? - Ele perguntou mesmo assim.

Suga concordou com a cabeça vendo o motorista parar em frente sua casa.

Jimin ajudou Suga a descer do carro, mas notou que o motorista não foi embora.

- Não vai entrar?

Jimin negou com a cabeça.

- Você já comeu? - Suga perguntou avaliando o corpo de Jimin.

Jimin bateu nele com força, mas Suga não sentiu nada, amortecido pelo álcool.

- É feio fazer isso. - Jimin ressaltou, mandando o motorista embora.

- JHope vai adorar engordar mais um filhote. - Suga declarou levando outro tapa.

- Espero que seja a bebida falando Sr. Min Suga.

Suga sorriu largo pela mistura do seu nome e apelido, repetindo várias vezes Min Suga para ele mesmo, até entrar na casa e a conversa alta tomar sua atenção.

Ele jogou as chaves na mesa de apoio, olhando curioso para a conversa que cessou assim que ele entrou na sala, acompanhado do Jimin que escondia metade do seu corpo atrás do maior.

- Que porra é essa? - Suga apontou para umas malas jogadas no canto da sala, nas quais ele quase tropeçou.

- São minhas. - Jin respondeu mal humorado.

RM automaticamente baixou o livro que lia, pronto para defender Jin caso precisasse.

Suga olhou para Jin, depois para as malas. A sobrancelha juntas enquanto todos ficavam em silêncio, esperando ele chegar as suas próprias conclusões, o que demorou um pouco já que o álcool não ajudava.

- To com cara de Albergue?

Jin cruzou o braço e empinou o nariz.

- Você me fez perder o emprego, é obrigação sua me dar um teto pra morar. - Jin falou nervoso.

Todos pararam até mesmo de respirar enquanto Suga avaliava a resposta de Jin, até o cachorro parou com seu rabo balançante, encostando o focinho na perna de V assustado.

- Muito bem, então faz um vento e prepara comida para esse garoto aqui que tá puro osso.

- Não tô não. - Jimin falou indignado, saindo de trás de Suga para enfrentá-lo.

Os meninos não aguentaram e começaram a rir com a cena, o que quebrou o clima tenso no lugar.

- Vem. Vamos arranjar comida pra você. - JHope falou ao mesmo tempo que Suga entrava no seu quarto sem dizer mais nada.



No final das contas Suga acabou sentando embaixo do chuveiro e dormido lá mesmo. 

Jimin foi quem terminou de dar banho nele, o trocou e secou seu cabelo antes de colocá-lo na cama. Em um certo ponto, o álcool no organismo de Suga, já tinha metabolizado o suficiente, mas ele deixou Jimin cuidar dele mesmo assim.

Suga estava deitado na sua cama ao lado de Jimin. Ele não poderia ser grato o suficiente pelo que o garoto fez por ele, mas ele não era Jungkook e tudo que ele queria agora era o seu garoto na cama e não o irmão.

Jimin se mostrou alguém amoroso, preocupado e gentil. Suga ficou imaginando quem ele era antes de toda a bagunça com Jungkook.

- Obrigado por me alimentar hoje. - Jimin murmurou com a boca amassada no travesseiro.

- Como sabia que eu estava acordado? - Suga perguntou intrigado com o fato do menor estar com os olhos fechados e ainda assim saber que ele o encarava.

- To sentindo o cheiro de queimado de tanto que você pensa.

Jimin riu quando Suga o chutou de leve tentando derrubá-lo da cama.

- Obrigado por me trazer em segurança. - Suga falou depois que as risadas cessaram.

- Eu só achei que você precisava de um banho, dava pra sentir o cheiro de longe.

- Mais respeito pirralho. - Suga bagunçou os cabelos de Jimin o comparando automaticamente com a outra criança na qual ele fazia isso.

- Desculpa Hyung.

- Jimin, você tem compromisso no próximo fim de semana? - Suga perguntou ignorando o pedido de desculpas de Jimin.

- Não. Por que? - O menor negou com a cabeça.

- Quer almoçar aqui ? Quero que conheça alguém.

- Se eu quero comer a comida do Jin de graça? Pode apostar.

Suga sorriu com a ideia de ver Lucas com os meninos.

- Ok. Agora vai dormir que já tá tarde. - Suga falou, voltando a vestir a máscara de sério que Jimin parecia não se importar nem um pouco em ignorar.



Suga já estava quase pegando no sono quando sentiu algo bloquear sua respiração.

- Então eu não posso dormir com outro cara, mas você…

Suga pulou da cama ao ouvir a voz de Jungkook que o prendia no lugar com uma de suas mãos em seu pescoço.

 Ele arrancou a mão de Jungkook da sua garganta puxando o ar bruscamente.

- Você tá louco? - Suga perguntou com a voz falhada por causa da agressão do mais novo.

JungKook não respondeu, mas mordeu o lado interno da bochecha mostrando o quão irritado estava.

- O que ele faz na sua cama? - Jungkook perguntou tentando se soltar do aperto de Suga que ainda tentava assimilar que o mais novo estava realmente na sua frente.

- Ele está dormindo. Não tá vendo? - Suga respondeu grotescamente de propósito.

Jungkook ignorou a dor na mão que Suga segurava, usando a outra para apertar o pau de Suga com força, o que fez o mais velho rosnar com dor.

- Você fodeu ele? - Jungkook perguntou aumentando seu aperto.

- Você entrou aqui no meio da noite só para me desrespeitar ou isso tudo é só ciúmes mesmo? - Suga perguntou.

Jungkook ia apertar o pau do mais velho ainda mais forte, pouco se fudendo se aquilo o machucaria de verdade, mas então ele sentiu Suga ficando excitado e entrou em choque.

Ele mordeu o lábio inferior e fechou os olhos tentando não gemer ou arregalar os olhos em surpresa, nada que pudesse fazer Suga dar aquele maldito sorriso convencido, mas ainda assim pôde ouvir  uma risada gutural e intensa vinda do mais velho.

Jungkook abriu os olhos, fúria transpareciam em sua íris. Ele se afastou de Suga, assim que sua mãos foi solta, saindo às pressas do quarto.



Suga seguiu o garoto, que estava prestes a sair pela porta da sala.

Ele virou Jungkook com violência, vendo o garoto bater as costas na porta de madeira com um baque oco.

Ele colocou as duas mãos apoiadas ao lado do rosto de Jungkook, se aproximando cada vez mais.

- O que veio fazer aqui? - ele sussurrou se aproximando do pescoço de Jungkook, mas foi impedido pelo mais novo que o empurrou com uma força descomunal para trás.

Jungkook abriu a porta para sair, mas Suga foi mais rápido, a batendo com violência enquanto grudava seu corpo no do mais novo.

- Que porra! Por que você tá agindo assim? - Suga perguntou confuso.

- Se afasta. - Jungkook rosnou.

Suga ia se afastar, mas mudou de ideia no último minuto, o virando de frente para ele com um puxão em seu ombro direito.

Jungkook gemeu com dor pelo impacto, se assustando um pouco. Ele foi afastar Suga com as mãos, mas Suga pegou suas duas mãos e as entrelaçou em cima da cabeça do mais novo

- Que porra eu te fiz? - Suga perguntou parecendo sem nenhum controle.

Jungkook se afastou de Suga e o empurrou com violência na parede lateral fazendo o mais velho perder todo o ar dos pulmões, quando o soltou de uma vez pelo impacto.

- Ele te fode melhor? - Jungkook perguntou agarrando as mãos de Suga e repetindo os movimentos que ele tinha feito pouco tempo atrás.

- Do que você está falando? - Suga perguntou confuso.

Jungkook puxou os cabelos de Suga para trás com força, arrancando um gemido sôfrego do mais velho que ainda estava em choque demais para reagir.

Ele sentiu o cheiro de erva doce familiar de Suga quase engasgando com o nó que as lembranças daquele cheiro causava em seu corpo, mas se recompôs a tempo de Suga não notar. Ele chupou o pescoço de Suga, o deixando com vários futuros roxos. Suga gemeu em seu ouvido, apertando a mão de Jungkook que seguravam as suas acima da cabeça.

- Ele beija melhor? - Suga perguntou, virando o rosto para encontrar os lábios de Jungkook.

Os dois gemeram quando seus lábios se encontraram.

- Quem? - Jungkook perguntou distraído enquanto sua perna se dobrava entre as pernas de Suga.

- Josh. - Suga respondeu mordendo o lábio inferior do mais novo até sentir o gosto de sangue na sua língua.

Jungkook se afastou e puxou a camisa de Suga num movimento rápido, rasgando o tecido sem muito esforço.

- Amor?! - Suga falou entre gemidos, ainda confuso, mas com muito tesão.

Jungkook arranhou o peito de Suga com as unhas curtas, vendo sangue pisado colorir de vermelho os vergões que deixava.

Suga gemeu de dor, encostando ainda mais o corpo na parede enquanto sentia sua ereção incomodando por baixo do moletom.

Jungkook apoiou a cabeça no ombro de Suga e desceu a mão pra dentro da calça, alisando a glande do mais velho em movimentos circulares.

- Kookie, porque está fazendo isso? - Suga perguntou manhoso enquanto revirava os olhos.

Jungkook arregalou os olhos, em choque com aquela versão de Suga. Ele tem certeza que Suga nunca mostrou esse lado para ninguém antes, ele não sabia como, mas tinha certeza disso.

Depois de ouvir  aquela voz delicada  em seus ouvidos, Jungkook o pressionou ainda mais contra a parede e começou a masturbá-lo, apertando sua mão de forma dolorida ao redor do pau do mais velho.

Suga sentiu dor e prazer ao mesmo tempo, enquanto sentia seu pré gozo escorrendo envolta das mãos em movimento de Jungkook.

Ele não tinha o lubrificado e o pré gozo não era suficiente, machucando Suga e deixando uma ardência com o atrito repetitivo.

- Kookie, espera. - Suga tentou afastá-lo.

- Eu te levaria pra cama amor, mas aparentemente meu irmãozinho está dormindo lá. - Jungkook falou entredentes e obviamente descontrolado.

- Não aconteceu nada. - Suga se defendeu.

- Você fode ele na cama também? - Jungkook perguntou no ouvido de Suga, ignorando sua sentença anterior.

- Quando você goza dentro dele, seu pau fica excitado como está agora?

Suga gemeu sentindo as pernas tremerem conforme Jungkook aumentava seu aperto, movimentando sua mão a seco e esquentando ainda mais seu membro dolorido e excitado.

Ele nunca tinha sentido tanto tesão em toda sua vida.

Jungkook o pressionou mais forte, arrancando gemidos sôfregos do mais velho que apoiou a cabeça no ombro de Jungkook e o mordeu violentamente.

Jungkook gemeu com dor, aumentando a velocidade dos movimentos de sua mão, o que fez Suga vacilar com o peso de seu corpo. Jungkook o segurou com a mão livre.

- Você treme desse jeito nas mãos dele? - Jungkook perguntou com a voz falhada.

Suga gozou por toda a mão do mais novo, sujando sua calça de porra.

Jungkook afastou sua mão de dentro da calça e a limpou na camisa rasgada de Suga chupando o dedo do meio ainda com porra.

Ele fechou os olhos com o prazer por sentir aquele gosto de volta na sua língua, mas não deixou isso evidente em sua expressão, afinal ele estava puto com o mais velho.

- Eu vim até aqui pra dizer que também te amo, mas acho que vai ter que se contentar com uma fodida rápida e sem compromisso, parece que é exatamente isso que você gosta - Jungkook falou, se afastando e batendo a porta ao sair da casa.


Suga escorregou na parede, caindo sentado com as mãos entre as pernas enquanto tentava regular sua respiração.

Que diabos tinha acabado de acontecer?!


- Eu não entendia o que ele via em você antes, mas tenho que confessar que até eu fiquei excitado agora. - Jin falou com um sorriso malicioso nos lábios.

Jin estava encostado no sofá, não muito longe de Suga, numa parte onde a luz da entrada não iluminava, o deixando no anonimato, por isso Suga não o tinha visto antes.

- O que quer? - Suga perguntou ignorando o fato de que ele provavelmente viu o que tinha acabado de acontecer.

Suga levantou a cabeça para encará-lo, quase perdendo o objeto que Jin arremessou em sua mão, por seu corpo ainda estar mole e fadigado.

- O que é isso ? - Suga perguntou olhando curioso para o pendrive que foi arremessado em sua direção sem aviso.

- Digamos só que vc me deve um Bibimbap. - foi o que Jin respondeu antes de voltar para o quarto. Deixando Suga com seus próprios problemas para resolver.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...