História Avalanche - Capítulo 27


Escrita por:

Postado
Categorias 30 Seconds to Mars, Bring Me The Horizon, Jared Leto
Personagens Jared Leto, Oliver Sykes, Shannon Leto
Visualizações 37
Palavras 1.754
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 27 - Twenty Seven


Fanfic / Fanfiction Avalanche - Capítulo 27 - Twenty Seven

3 meses depois...

Até ontem, nós conseguimos manter esse relacionamento em segredo da grande mídia hollywoodiana. Mas infelizmente nosso relacionamento chegou ao grande público. E meu medo tornou-se realidade.

Eu estava na cozinha da casa dele, era domingo de manhã, não consegui dormir muito bem, então decidi me levantar e preparar alguma coisa legal de café da manhã, enquanto Jay dormia. Ele adorava dormir até tarde quando podia, e eu também, mas ele sempre ganhava.

Eram umas oito e meia da manhã, e decidi fazer um mingau de aveia com canela e alguns morangos. Aproveitei e fiz um café forte pra mim, pingando um pouco de leite. Não conseguia viver sem café.

Coloquei meu mingau numa bowl, salpiquei bastante canela, e cortei alguns morangos e blackberrys jogando tudo por cima. Caminhei até a sala da casa, e liguei a tv. Era cedo para qualquer coisa mas certamente deveria ter algo em algum canal que captasse minha atenção.

Nosso relacionamento cresceu muito e eu simplesmente adorava nossos momentos íntimos sem ninguém por perto. Ficar na casa dele, ou ele na minha tornou-se rotina nos nossos finais de semana, quando ele não estava viajando, o que tinha se tornado raro pois a banda começava a se apresentar em pequenas turnês pelos Estados Unidos.  Sorri ao relembrar de ontem...

Estava esperando ele no aeroporto, dentro do carro, no estacionamento. Combinamos um lugar específico, e eu fui no carro dele com insufilm bem escuro, assim, caso ele fosse visto pelos paparazzi desembarcando, não poderiam ver quem estava no carro. Era tarde da noite, Emma havia me ligado avisando que o avião pousara e perguntando se eu estava no lugar combinado pois o celular de Jay havia descarregado. Disse a ela que sim, e que ficaria ali aguardando. Estava ansiosa. Não nos víamos há 3 semanas, e a saudade estava bem apertada. Meia hora depois, vi Jared se aproximando do carro, com o capuz de um casaco de moleton, a mala vermelha andando depressa. Imaginei que isso significava que estava em fuga, portanto, destravei as portas do carro e ele entrou rapidamente jogando a mala no banco de trás e sentando ao meu lado falando – Arranca, arranca! – comecei a rir porque achei aquilo como uma cena de filme. Em questão de minutos flashes surgiram na minha cara e eu não sabia o que fazer. Tive que frear o carro com medo de atropelar alguém, coloquei a mão no rosto enquanto tentava entender o que estava acontecendo e o que eu deveria fazer. Jared só gritava no carro para que eu acelerasse, e foi o que eu fiz, torcendo para que os três ou quatro caras que insistiam em bater fotos saíssem da frente já que eu estava completamente cega. Ao pegar a saída do aeroporto, olhei assustada para ele, e então ele sorriu: - Oi...

Cai na gargalhada e ele também. – O que foi aquilo?

- Eles me seguiram, e tentei despistar mas não adiantou. E você deu muito mole em parar o carro!

- Jay! Você queria que eu atropelasse alguém?

- Claro que não baby, mas é que esses caras as vezes merecem...

- Você acha que conseguiram fotos da gente?

Jared deu uma bufada tirando o capuz do casaco, e passando a mão no meu rosto disse: - Acho que é bem provável...

- Ai meu Deus! O que vamos fazer?

- Nada... amanhã, se isso vazar, pensamos no que fazer... agora quero saber de você... como você está? E o trabalho, esta tudo bem?

Sorri com a atenção dele, ele sempre era assim.

- Sim, tudo bem! Só estava morrendo de saudades. Desta vez demorou! Não sei como vai ser quando você sair em turnê grande... nem quero imaginar isso na verdade...

- Então não imagine...

Meu celular tocou novamente, era Emma. Entreguei para Jared pois estava dirigindo.

- Oi Emma... hum... sério mesmo? Que saco... Bom, posso deixar o carro na casa do Shan e pegar um taxi com ela, talvez seja a melhor coisa... vou ver aqui. Obrigada por avisar.

Fiquei preocupada com aquele diálogo...o que estava acontecendo.

- O que foi?

- Emma ligou pra avisar que há alguns paparazzi na porta de casa...

- Ué, podemos ir pra minha casa, ninguém sabe onde é...

- Não sei... você percebeu se tem alguém te seguindo?

Gelei. Não tinha pensado nisso. Olhei pelo retrovisor e haviam carros atrás, vários alias. Estávamos no Centro de LA... como eu saberia se alguém estava me seguindo?

- Não sei... não reparei e não pensei em reparar... sou novata nessa coisa toda, aliás estou achando isso hilário...

- Aposto que você não vai achar hilário um bando de loucos te seguindo amanhã querendo saber quem você é! Ainda mais você!

Pensando bem, ele estava coberto de razão. Não conseguia sequer imaginar ter minha privacidade quebrada dessa forma.

- Agora estou com medo...

Ele passou a mão na minha cabeça acariciando meu cabelo – Não precisa ficar com medo baby... vamos fazer o seguinte, vamos até o Shan, deixamos o carro la e pegamos um Uber ou taxi pra casa. Eles estão na porta esperando por esse carro aqui e não por um outro diferente.

- Ok... mas você não acha melhor irmos pra minha casa?

- Não... se alguém estiver seguindo a gente vai ser pior eles descobrirem onde você mora, e eu também estou cansado e queria ir pra minha casa senão se importa.

- Está bem... melhor avisarmos o Shan que estamos indo pra la não é?!

- Sim, vou ligar pra ele, me da seu telefone de novo...

Jared combinou tudo com Shannon. Fomos pra casa dele, entramos diretamente pela garagem do prédio, e aparentemente ninguém estava nos seguindo. Subimos até a portaria e chamamos um Uber. Assim que o carro chegou, a pedido de Jared o porteiro solicitou ao motorista que entrasse na garagem, e assim fomos até o carro e nos dirigimos para a casa de Jared.

Parecia uma operação de guerra, e por alguns minutos fiquei me perguntando se sair com ele pra qualquer lugar seria dessa forma agora. Isso me deu um arrepio. Decidi jogar os pensamentos de lado, não queria sofrer por antecipação. Aproveitei que estávamos sentados os dois no banco de trás do carro, e encostei minha cabeça no peito dele enquanto ele fazia caricias no meu cabelo. Resolvi provoca-lo, e deixei minha mão cair sem querer em seu colo. Imediatamente senti seu corpo reagir, e sorri pra mim mesma. Era tão bom saber que tinha esse poder sobre ele. Jared puxou meu queixo e plantou um beijo nos meus lábios, sussurrando no meu ouvido – Isso vai ter volta!

Chegamos em casa, e realmente havia um pequeno aglomerado de homens com maquinas fotográficas no portão principal. Jared orientou o motorista do Uber a embicar na portão da garagem e acionou com o controle remoto que ele tinha trazido do carro dele a abertura do mesmo. Na mesma hora os fotógrafos se aglomeraram no carro e começaram a tirar fotos. Jared me empurrou para baixo e fiquei com o rosto enfiado em seu colo. Aquilo parecia uma coisa tão maluca, tão sem sentido. Meu coração acelerou. O motorista acelerou o carro cantando pneu para entrar, e o portão se fechou atrás de nós. Me levantei como um cachorro depois do temporal, e Jared me acariciou o rosto – Pronto, já estamos em casa.

Entramos, e ele me abraçou cheio de carinho. Eu retribui, cheia de segundas intenções. Estava com saudades dele, do corpo dele, das nossas conversas e brincadeiras e do sexo. O sexo com ele era cada vez melhor, embora eu nunca achasse que pudesse melhorar!

- Preciso de um banho. Depois de você e depois de comida!

Ri com a observação dele e retruquei – Eu venho depois do banho? Que tal tomarmos banho juntos?

Ele gargalhou alto – Essa é a minha garota! Venha, A G O R A!

Nos abraçamos, beijamos e seguimos pro banheiro dele.

Fizemos amor na banheira, na cama, no closet e depois na cama de novo. Resumindo, transamos praticamente a noite toda. Matamos a saudade e saciedade um do outro. Foi delicioso demais, como sempre.

Senti um beijo no pescoço e dei um pulo do sofá. Jared riu – Mil dólares pelos seus pensamentos!

- Nem fudendo!

- Então se não quer falar é porque é coisa boa,  5 mil?

Comecei a rir e ele foi andando até a cozinha – O que é isso que está comendo? Você sabe que quase me matou ontem com tanto sexo sem me alimentar direito!

- Eu não te alimentei direito? Você é que não quis parar pra comer! – apontei pra panela do mingau enquanto pegava um bowl pra ele no armário. Ele destampou e cheirou a comida.

- hum... aveia! Está com um cheiro delicioso!

- Quer leite também?

- Acho que não, vou num suco.

Ele foi até a geladeira pegando um suco de maçã enquanto eu colocava mingau pra ele. Salpiquei canela e as frutas que já tinha deixado prontas, passando a tigela pra ele que bebia o suco em grandes goles como quem estava com muita fome. Ri.

- O que é?

- Você deve estar mesmo com fome!

- Sim, estou. Preciso me restabelecer e ganhar energia. Hoje tem mais, você sabe! – me dando um tapa na bunda.

- Ai Jay! Isso dói!

- Não foi o que você disse ontem a noite!

Senti o rosto corar. Não sei porque depois de tanto tempo ainda fico vermelha quando ele fala essas coisas.

Voltei para a sala, onde a TV estava ligada, e as fofocas do canal E! continuavam sendo mostradas. Qual celebridade estava com qual, ou qual fazia o que. Me lembrei dos tempos que assistia esse canal em casa, porque achava ridículo e me divertia com as observações toscas. De repente, uma chamada para a matéria mais importante do dia (segundo eles diziam), que era terem descoberto finalmente quem era o novo “affair” de Jared Leto. Meu coração parou, voltou e parou de novo... bombava no peito. Não podia ser sério o que eu estava ouvindo, e para piorar tudo, imagens começaram a surgir, repetidamente, meu rosto, dirigindo o carro com Jay ao meu lado, minhas tentativas de sair com o carro daquele bando de fotógrafos, que com o flash a todas, conseguiam atravessar o insulfilm do carro. Me dei conta de que estava segurando o bowl numa mão, a colher em outra, e a boca aberta e os olhos arregalados.  Neste exato momento ouvi a voz de Jared: - Pataquiupariu! Não acredito nisso!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...