História Avatar: The Earthbender - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Avatar: A Lenda de Aang, Avatar: A Lenda de Korra
Visualizações 16
Palavras 3.972
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Saga, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpa a demora, fiquei doente. Espero que gostem.

Capítulo 10 - Capítulo Dez - Água


Livro 2: Água. 
Capítulo 5: Bem vindos a Omashu 


O clima quente e ensolarado daquele dia estava repleto de primeiras vezes, ou melhor, repleto de coisas que não aconteciam a algum tempo e que davam as mesmas sensações das primeiras vezes. 
Lyna estava quieta, com uma mão escondida entre os pelos de Baba ela observava, com seus olhos verdes calculistas, a grande cidade que se elevava à sua frente como uma montanha, era a primeira vez que chegavam a uma cidade grande desde que saíram da Tribo da Água do Norte, e Lyna não estava nada feliz com isto. 
Atrás dela seus três amigos discutiam se deveriam entrar na cidade ou não, Lyna não participou da discussão pois estava ocupada se questionando o que deveria fazer, era a primeira vez em anos que se sentia tão perdida. 
Desde que saíram do pântano Lyna percebeu que não tinha idéia do que estava fazendo, não tinham uma meta e estavam sendo seguidos por causa dela. As coisas não melhoraram depois que aprendeu dobra de água como ela achou que iam melhorar, na verdade, na cabeça dela, tinham até piorado um pouco mais.
A cidade a frente deles era muito conhecida no Reino da Terra, Omashu deixou Lioo, Yma e Kami boquiabertos pela beleza da cidade, porém Lyna ficou indiferente pois já conhecia a cidade por fotos e historias que encontrou na biblioteca de Ba Sing Se com Malio.  
Lyna não queria entrar em Omashu mas também não fazia questão se tivesse de entrar, para ela era um grande tanto faz. Não havia motivo para entrarem além de curiosidade, tudo que precisavam Lyna achava para eles na floresta. 
Enquanto Lyna observava a cidade de longe, Yma convencia os primos de que era uma boa idéia entrar em Omashu, segundo ela dormir em uma cama era essencial para que ficasse totalmente curada da doença, que, claramente, já havia ido embora. 
Entrar significava deixar Baba para trás, Lyna não queria mas fez mesmo assim, prometendo pra si mesma voltar para pega-la no dia seguinte. O animal também não queria ir, mas foi, porém, sem Lyna saber, Baba ficou perto observando eles caminharem até os muros da cidade e esperando voltarem. 
Kami e Yma não pararam de falar um segundo enquanto andavam até as portas da cidade, já Lioo e Lyna se mantiveram calados, cada um deles perdidos em seus próprios pensamentos. 
Lioo pensava no acontecimento do pântano, se deveria dizer que sentia muito pela mãe de Lyna ou se deveria pedir desculpas pelo uso da dominação de ar nela. Para todas as duas opções que pensava ele sempre achava um motivo para não abrir a boca e nem para olhar para a garota, pelo menos não até ser obrigado a fazer. 
Já Lyna não podia estar se importando menos com Lioo estava pensando, ela só queria voltar para um dos melhores momentos de sua vida e esquecer todo o resto, e já que não podia ela torceu para uma meta aparecer logo para que não tivessem que continuar seguindo sem rumo. 
Foi impressionantemente fácil entrar em Omashu, ninguém se importou com eles, afinal eram só quatro jovens, um pouco esquisitos, mas jovens entrando em uma cidade grande e normal como qualquer outra. A população daquela cidade não faziam idéia de que estavam recebendo o Avatar dominador de terra que tanto procuravam. 
Enquanto caminhavam pelas ruas de terra, vestidos de azul como se fossem todos dominadores de água, eles procuravam algum lugar para ficar, Lyna pareceu ser a única a perceber o quanto a cidade estava estranhamente calma. 
Quando Yma procurou caminhar ao lado de Lyna a dominadora de terra soube que a garota iria começar a falar a qualquer momento. E estava certa. 
"Você vai voltar a treinar dominação de ar?" Yma perguntou, e mesmo tentando sussurrar, suas palavras soaram altas de mais nos ouvidos de Lyna. 
Lyna não respondeu, deu de ombros sem olhar para a garota ao seu lado, ela não estava nem aí para dominação naquele momento, queria se esconder em algum lugar porque mesmo estando na presença de tanta terra a cidade ainda lhe parecia esquisita. 
"Está esperando Lioo pedir  desculpas?" Yma perguntou, dessa vez falando alto de propósito para que tanto Lyna quanto Lioo ouvissem, "Isso não vai acontecer." 
Yma tinha certeza que seu primo não pediria desculpas porque o conhecia desde pequena e ele nunca se desculpava quando achava estar certo, ou pelo menos nunca havia se desculpado na frente dela a menos que fosse obrigado. 
Quando foi ignorada novamente Yma resolveu partir pra outra estratégia, ela focou na coisa que era conhecida por ser uma das melhores de onde morava na Nação do Fogo, dominação. Ela tinha irmãos mais novos e já havia ensinado coisas para eles antes, pequenos truques para intimidar, então ensinar Lyna seria mais fácil para Yma do que todos pensavam, porém só seria fácil se, primeiramente, Lyna aceitasse ser treinada.  
"Acho que está na hora dela partir pra próxima dominação." Yma comentou para ninguém em específico tentando parecer o mais casual possível.  
"Eu posso continuar ensinando a dobra de água, mas o fogo…" Kami respondeu a Yma quando percebeu que ninguém mais fez nenhuma menção em responde-la. 
"Eu posso tentar." Yma disse levantando a mão se oferecendo alegremente para ajudar. 
Antes de Kami poder responder Lyna parou de caminhar, os outros pararam na mesma hora assustados pela parada repentina, eles a olharam enquanto ela observava a rua a sua frente e as poucas pessoas que passavam por eles nas calçadas.
"Eu não vou aprender dominação de fogo." Lyna disse depois de respirar fundo e ainda sem olhar os amigos. 
"Mas…" Yma começou a tentar discutir. 
"Não." A garota respondeu baixo mas em um tom autoritário que deixou os outros sem reação. Ou melhor, os outros menos Yma. 
"Por favor Lyna," Ela insistiu, Yma queria realmente ensina-la algo que era boa, "Me dá uma chance, deixa eu te mostrar pelo menos algo simples com fogo."
"Eu já disse que não." Lyna respondeu, com uma voz alta e novamente autoritária deixando claro que não adiantava que pedissem essa era sua resposta final. 
Após um momento de silêncio Lyna voltou a caminhar, tentando se afastar o máximo possível dos outros, ela estava cansada, mentalmente e fisicamente cansada, não queria falar nem discutir, então se virou e fugiu já que era muito boa nisso.   
Kami e Yma somente se mexeram para olhar para Lioo, ele era sempre o que ia atrás dela, mas ele não queria ir dessa vez, estava tão cansado quanto Lyna, as brigas constantes os cansavam e ele não queria ter que brigar com ela novamente. Mas mesmo assim foi atrás dela já que parecia ter sido escolhido para tal. 
"Lyna." Lioo chamou ao chegar perto da garota que já estava no fim da rua que havia entrado. 
"Não Lioo!" Lyna gritou se virando e levantando as mãos para ele como em um pedido de silêncio, "Você não entende, não dá." Ela murmurou cruzando os braços. 
"Você tem medo do fogo, eu entendi." Lioo respondeu em um tom tão indiferente quanto o dela. 
"Não tenho medo." Lyna respondeu. 
"Certo." 
Os dois se encararam por um segundo, Lyna ficou extremamente confusa com a desistência rápida dele, já Lioo simplesmente sabia que perguntar não ia levar a nada então aceitou os termos dela sem pestanejar. 
Enquanto se encaravam um garoto se aproximou, uma criança de aproximadamente oito anos, ele atravessou a rua e chegou rapidamente perto de Lyna, não disse nada, somente levantou a mão esquerda para a garota, Lyna olhou confusa para Lioo que deu de ombros também não entendendo o que o garoto queria. O garoto levava um papel na mão que estendeu para Lyna, ele queria que ela pegasse, era para ela, e assim ela pegou mesmo sem entender o porque. 
Lyna abriu o papel lentamente e leu o que havia escrito, eram orientações. Lioo se aproximou curioso para saber do que se tratava, Lyna não se importou em esticar o braço para deixar ele ler também já que estavam tecnicamente no mesmo barco, Lioo leu o papel enquanto Lyna observava seus arredores com muito mais desconfiança do que antes. 
O bilhete continha várias palavras mas somente uma entrou na mente de Lyna, a assinatura vinha com um nome familiar, Maling. Ele queria ve-la, sabia onde ela estava e queria encontra-la, uma conversa em paz entre velhos amigos, ele dizia no bilhete. 
"Como acharam a gente?" Lioo perguntou após ler, ele olhou ao redor deles assim como já fazia Lyna. 
O garoto que havia entregado o papel saiu correndo para longe de vista assim que Lyna pegou o bilhete, ela tentou localiza-lo mas ele simplesmente havia desaparecido como se nunca tivesse sequer existido. 
"Vocês não são muito discretos." Lyna respondeu, segurando Lioo pela manga da camisa e o puxando rapidamente para longe de onde estavam, se manter em movimento para que ficasse difícil achá-los novamente. 
Enquanto caminhava rápido procurando os outros e puxando Lioo consigo Lyna se questionava o que deveria fazer, sua eu mais jovem queria ver Maling, porém, sua eu atual queria passar bem longe dele. 
"Você vai encontrar com ele, não é?" Lioo perguntou puxando a mão de Lyna que estava segurando sua camisa para fazê-la parar de caminhar. 
Lyna parou e respondeu rápido sem pensar, "Sim." 
Lioo tinha motivos para questionar, era loucura se encontrar com alguém que a estava procurando e a ameaçando, mas ele também sabia que a única forma de evitar o encontro eles era amarrando-a, e o risco de ser morto prendendo Lyna era maior do que encontrando com Maling. 
"Vamos descobrir algumas coisas." Lyna respondeu antes que Lioo falasse algo, segurando a mão de Lioo de volta, o puxando com ela,  Lyna correu pela rua, atrás de Kami e Yma. 
Durante todo o dia Lyna não parava de pensar em Malio, era um pensamento que passava pela sua cabeça tantas vezes ao dia que ela nem percebia. Mas naquele momento ela tinha noção do quanto preocupada estava com ele, eles se conheciam a tanto tempo que Lyna tinha até um pouco de dificuldade de lembrar quando tudo começou. 
Malio era leal a ela assim como ela era a ele, eles tinham uma confiança um no outro que Lyna nunca entendeu muito bem. 
Lyna também sabia que Malio estava preso em algum lugar, e naquele momento tinha a oportunidade de descobrir perguntando a Maling. Ela planejava tira Malio e o irmão dele de onde quer que estivessem presos, ela só não via como.  
Enquanto as horas passavam Lyna e Lioo ficavam mais agitados, os outros perceberam a agitação e até questionaram o porque dela mas não receberam nada mais que olhares e resmungos dos dois. Quando Yma e Kami não estavam olhando Lyna e Lioo combinaram ficar quietos sobre o que iam fazer para não criar um alarme desnecessário. 
Eles conversavam baixo e em um tom de segredo que deixou os outros bem confusos já que, durante a manhã, eles mal se olhavam, era estranho mas estava tudo indo tão bem que ninguém quis estragar a trégua entre dois. 
Durante a noite Lioo e Lyna murmuraram algo sobre dar uma olhada na cidade para descobrir algo sobre a gangue do fogo, eles saíram antes que os outros pudessem ter tempo de responder. A desculpa deles não era de todo mentira eles estavam indo sim descobrir o que estava conhecendo só que não da forma que deviam.  
Quando chegaram perto do local marcado por Maling Lyna puxou Lioo para longe e o colocou em um ponto que ele pudesse ver o local onde ela estaria, sem ser visto, e assim saber o que estava para acontecer. 
"Você fica aqui, se eu não voltar…" Lyna começou a dizer. 
"Eu vou atrás de você." Lioo disse antes dela terminar.  
"…você pega os outros e vai embora." Lyna continuou a frase como se não estivesse escutado as palavras de Lioo. 
Lioo a encarou por um segundo, confuso. 
"O que? Deixar que levem você?" Ele a questionou tentando não parecer desesperado ou nervoso, mas seu tom de voz o traiu.   
Lyna olhou para Lioo desviando os olhos da entrada do beco sem saída no qual devia encontrar Maling, o lugar a lembrava o beco que ajudou Zua em Ba Sing Se. 
"Isso não vai acontecer." Ela disse soando tão confiante que poderia convencer até a si mesma. 
"E se acontecer?" Lioo perguntou imitando o levantar de sobrancelhas que ela deu ao respondê-lo anteriormente. 
"Já disse, você pega os outros e vai embora." Lyna remungou voltando a olhar para o beco esperando ver alguém.
"Mas e você? Não vou voltar sem você." Lioo disse sem pensar em como suas palavras soariam nos ouvidos de Lyna. 
O canto da boca de Lyna se moveu em um leve sorriso, que ela tentou disfarçar rapidamente enquanto virava para olhar Lioo novamente.  
"Mesmo que o que acabou de dizer  soe bem…" Fofo, carinho, e meigo ela queria dizer mas se corrigiu, "Agradável de ouvir, você tem que confiar em mim." 
Ela deu um passo em direção ao beco mas parou se virando para Lioo, novamente sentindo a necessidade de confirmar que tudo ia sair como combinado. 
"Eu vou voltar." Ela disse dando um leve tapa do braço do garoto que, se ficou surpreso não demonstrou, "Espera. Aqui." Ela acrescentou e foi para longe caminhando calmamente. 
Lioo observou de longe Lyna andando em direção ao ponto de encontro, confiante como sempre ela havia passado um pouco de calma para ele, mas mesmo assim ele ainda não acreditava totalmente  que esse encontro fosse terminar bem. 
Lyna cruzou os braços e se encostou na parede onde o beco começava, não haviam pessoas na rua e Lyna sabia que Maling tinha algo a ver com o desaparecimento de pessoas naquele lado da cidade. Ela evitou olhar para onde sabia que Lioo estava, não conseguia vê-lo mas sabia que ele estava lá, por algum motivo ela acreditava que ele não ia deixá-la sozinha, e quando Maling pareceu caminhando até ela, Lyna não teve medo pois daquela vez não estava só. 
"Quanto tempo." Maling disse sorrindo ao vê-la. 
Ele estava exatamente como Lyna lembrava, charmoso e confiante, ele exalava poder. Por crescerem juntos por um tempo Lyna era quase como ele, eles se olhavam da mesma forma que sempre faziam. A única diferença entres eles no momento era o lado que estavam escolhendo para lutar a favor. 
"Porque está me seguindo?" Lyna perguntou não sorrindo de volta enquanto se desencostava da parede.  
"Disseram que você está com os dominadores de ar e de água." Maling afirmou se aproximando, ele era uma cabeça mais alto que ela e teve que baixar o rosto para olhá-la de perto, "Posso saber porque?" 
Lyna continuou calada e sem expressões, ela sabia que aquele não era o motivo de Maling estar ali na sua frente e esperou que ele continuasse a falar, Lyna o conhecia muito bem e sabia que ele adorava falar quando podia. 
"Você sabe ser bem misteriosa quando fica calada desse jeito." 
Maling se aproximou mais um passo, ficando tão proximo que Lyna conseguia sentir sua respiração em seu rosto, inconscientemente ela deu um passo para trás, logo se arrependendo por demonstrar desconforto. 
Por não ter muito espaço Lyna bateu com as costas na parede sem ter como se afastar mais, Maling aproveitou e se aproximou ainda mais olhando no fundo dos olhos dela e enquanto tirava as mãos dos bolsos gesticulando o dedo indicador enquanto continuava a falar.  
"Escuta, eu sei onde seus amigos estão. Também sei que tem alguém observando a gente agora mesmo," Ele disse com um leve sorriso no canto da boca, "Posso mandar alguém atrás deles sem que você possa fazer nada pra impedir." 
Lyna e Maling ficaram se encarando pelo que apareceu uma eternidade para Lioo que observava de longe sem saber o que fazer, seu corpo dizia para ele avançar e ir até lá mas as palavras de Lyna continuavam soando em seus ouvidos. Ele não conseguia ouvir o que diziam e estava cada vez mais curioso. 
"Mas eu não vou fazer isso." Maling disse levando uma das mãos ao rosto de Lyna, passando os dedos pela bochecha dela como já havia feito várias vezes no passado. 
"Porque?" Lyna perguntou por simples curiosidade já que esperava o contrário. 
Maling deslizou as mãos até os ombros de Lyna olhando ela com certa afeição, afeição que também já havia sido correspondida porém tinha se perdido a tempos. 
"Quero que venha por vontade própria. E aliás seria complicado capturar você, meu pai sempre disse isso." Ele disse enquanto mexia nas costuras do ombro do vestido de Lyna, como se fosse um estilista vestindo sua obra na modelo. 
Lyna se sentia desconfortável com a proximidade e com o toque mas não achou energia para afasta-lo, ela já havia gostado daquilo antes mas naquele momento só conseguia pensar no fogo que ele poderia produzir com só um movimento daquelas mãos. 
"Ele te tirou da cadeia mas sempre disse que você não ia ficar lá por muito tempo, ia acabar fugindo sozinha." Maling continuou. 
De repente, sem nenhum aviso prévio, Maling empurrou Lyna com força contra a parede, ele tinha a mão esquerda encostada na parede ao lado da cabeça da garota e a mão direita a segurava com força pelo pescoço. Lyna reagiu da mesma forma que uma pessoa normal reagiria, ela levantou as mãos e tentou tirar a mão de Maling que estava em seu pescoço, porém ele era mais forte que ela e não a soltou. 
No momento em que percebeu que ele não a soltaria, Lyna torceu para que Lioo continuasse onde estava e não interferisse. 
"Onde ele está?" Maling a questionou com uma voz mais alta da que estava usando anteriormente, "O que você fez com meu pai?"
"Não fiz nada." Lyna respondeu enquanto tentava respirar, ela poderia sair dali facilmente mas estava começando a entrar em pânico pela falta de ar em seus pulmões. 
"Nada?!" Maling empurrou Lyna novamente contra a parede mas ao mesmo tempo folgando o aperto no pescoço dela permitindo ela respirar, "Ele desapareceu fazem quatro anos depois do ataque ao palácio e vocês estavam juntos!" 
Ela sabia que ele estava certo, porque realmente tinha algo a ver com o desaparecimento do pai dele, porém não ia confessar tão facilmente um segredo que sempre guardou a sete chaves no fundo da mente dela. Enquanto Lyna pensava em uma resposta Maling estava começando a ficar com muita raiva, e ao invés de aliviar o problema Lyna resolveu colocar mais lenha no fogo. 
"Se pensar um pouco vai saber onde ele está." Ela respondeu levantando uma das sobrancelhas, "Mas inteligência nunca foi seu forte." 
Felizmente, para sorte dela, Maling sorriu, ele conhecia ela a tempo suficiente para não receber suas palavras como um insulto. Ele tirou a mão direita do pescoço de Lyna e a colocou encostada na parede da mesma forma que a mão esquerda. 
"Sabia que meu pai tinha um arquivo sobre você?" Ele comentou enquanto olhava os olhos de Lyna de perto.  
Lyna ignorou as palavras dele, "Você devia procurar no palácio, ele ainda pode estar lá." 
"O palácio já é meu, assim como toda Ba Sing Se e todas as grandes cidades do Reino da Terra." 
Maling era ambicioso e não pararia no Reino da Terra, Lyna sabia disso, e também sabia que não podia fazer nada para evitar Omashu de ser governada por ele, então no momento ela só podia esperar que Maling realmente fizesse o que disse anteriormente e não fosse atrás de seus amigos, e também torcer para que Lioo ficasse onde ela o deixou e não se metesse. 
"Então não vai ser difícil achar ele." Lyna disse sem responder exatamente o que Maling queria saber.  
"A única parte do palácio que não pode ser aberta com fogo é o salão dos avatares." Maling disse calmamente enquanto observava a reação da garota a sua frente. 
Lyna não conseguiu evitar demonstrar surpresa pois era exatamente como estava se sentindo com as palavras de Maling. Ela levantou as sobrancelhas e arregalou os olhos ficando um pouco mais pálida, ela não esperava que Maling falasse aquilo, mas ele estava esperando exatamente aquela reação dela pois sorriu e aproximou ainda mais o rosto para ficarem quase com os narizes encostados.  
"Já fazem dois anos que sei quem você é," Ele disse olhando no fundo dos olhos da dominadora de terra, "Avatar Lyna." 
Lyna congelou ao ouvir as palavras de Maling, ela sabia que ele iria descobrir alguma hora mas não esperava ser tão rápido, então a partir daquele momento ela teria que aprender a lidar com muitas pessoas sabendo sobre ela e sobre o Avatar. 
"Não sou tão burro agora sou?" Maling sussurrou no ouvido dela. 
"Meu pai te tirou da prisão pq sabia quem você era e não porque precisava de você." Ele continuou falando no ouvido dela enquanto tinha a bochecha encostada com a de Lyna, "Ou você se junta a mim ou se torna minha inimiga e acho que nenhum de nós dois quer isso." 
Lyna concordava com ele, não queria ser sua inimiga, mas Maling estava sendo estupido ao pensar em torná-la sua inimiga no futuro, ela já era sua inimiga desde o dia que se recusou a aceitar os planos de dele de conquista do mundo. 
"Aliás," Maling disse se afastando do ouvido dela para olhá-la dos pés à cabeça, "Você fica linda de azul." 
Depois de comentar sobre a cor do vestido que Lyna usava, ele deu um leve beijo no canto da boca dela, beijo que Lyna já havia gostado um dia mas não gostava mais, porém não conseguiu desviar pois ainda estava em choque com todas as palavras ditas por ele. 
Assim que Lioo viu Maling desaparecer em algumas ruas longe dali, ele se aproximou de Lyna o mais rápido que pode. A garota não se mexeu nem para desencostar da parede, ela continuava parada como uma estátua olhando pra frente como se tivesse perdida em outro universo. 
Lioo teve que levantar a mão e cutucar levemente Lyna no braço para ser notado por ela, que o olhou espantada, rapidamente descongelando, ela o segurou pelo braço e o puxou para longe de onde estavam enquanto andava rápido. 
"Vai me contar o que está acontecendo?" Lioo perguntou notando a preocupação na forma rápida que Lyna andava. 
Ela, claramente, e com motivos, queria sair dali mas antes, já que não havia outra opção, teria que explicar algumas coisas a Lioo para assim arranjarem um plano juntos para, de alguma forma, evitar o mundo de ser explodido por Maling. 
"A dois anos trás Maling fez 18 anos e começou a tomar conta da gangue sozinho," Lyna explicou diminuindo os passos para explicar a Lioo o que sabia, "Ele decidiu sequestrar dominadores de terra eu não gostei muito por isso sai."
"E ele não gostou?" Lioo a questionou caminhando ao lado dela.  
"Não, ele me queria por perto." 
"Porque?" 
Lyna deu de ombros olhando ao redor antes de virar a esquina para a rua seguinte, "Achei que era para ajudar a tomar o reino da terra." 
"E não era?"
"Não, de alguma forma ele sabia sobre o Avatar."
"E agora?"
Lioo estava recebendo, mesmo que indiretamente, permissão para perguntar, então ele resolveu aproveitar e perguntar o quanto pode antes de encontrarem os outros ou o quanto Lyna estava disposta a responder. 
"Agora a gente tem um problema, ele já tem o domínio Ba Sing Se, ele vai começar a se espalhar para conquistar o resto do mundo."
"O que a gente faz?" 
A pergunta era justa, Lyna sabia disso mas não gostava da resposta que encontrou. Ela parou antes de entrar na rua que estavam os outros e se virou para Lioo, respirando fundo enquanto aceitava o que tinham que fazer em seguida. 
"Acho que está na hora de pedir ajuda." 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...