História Away (EM PAUSA) - Capítulo 3


Escrita por: ~ e ~VihNerd

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Beatrix, Carla Tsukinami, Christa, Cordelia, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Richter, Ruki Mukami, Shin Tsukinami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz", Yuma Mukami
Tags Asuza, Asuza Mukami, Ayato, Ayato Sakamaki, Carla, Carla Tsukinami, Kanato, Kanato Sakamaki, Kou, Kou Mukami, Laito, Laito Sakamaki, Luna, Luna Sakamaki, Reiji, Reiji Sakamaki, Ruki, Ruki Mukami, Shin, Shin Tsukinami, Shu, Shu Sakamaki, Shuu, Shuu Sakamaki, Subaru, Subaru Sakamaki, Yuma, Yuma Mukami
Visualizações 119
Palavras 1.351
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oie!
Capítulo fresquinho pra vocês!
Espero que gostem!
Boa Leitura!

Capítulo 3 - All Are Monsters Part 01


Fanfic / Fanfiction Away (EM PAUSA) - Capítulo 3 - All Are Monsters Part 01

- Shu! - Gritava eu indo atrás dele, enquanto o mesmo adentrava ainda mais a floresta.

 Corri mais e mais rápido, até que vi o loiro parar e ficar olhando para o nada. Parei, e abaixei-me até encostar as mãos nos joelhos e recuperar o meu fôlego. 

- Shu, e-eu s-sinto muito. - Disse já me recompondo. E continua me ignorando. - E-Eu sinto muito pelo seu cachorro. Ele parecia ser legal. - Suspirei e revirei os olhos. - Olha, mesmo que você não fale comigo, eu sempre vou estar aqui, apesar de tudo, somos irmãos.

 Virei as costas e comecei a caminhar de volta para casa, observando as árvores que com certeza, são bem mais velhas que eu... Quantos anos será que elas tem?

 Me destrai pensando nisso e acabei por entrar no jardim do Subaru. Opa, acho melhor eu voltar.

 Olho em volta e vejo o albino olhando para a mãe, tia Christa. Coitadinha, por que ela está presa? Não entendo... Mamãe diz que é porque ela teve um filho sujo e imperfeito.

 Será que ela está falando do Subaru? Não, Subaru não é imperfeito, aliás, ninguém é perfeito.

 Até que ela vai para dentro e Subaru abaixa a cabeça, aparentemente triste. Ando um pouco mais e vou até ele.

- Subaru, não fica triste. Se não eu choro. - Vejo ele cerrar os punhos.

- Saia daqui Luna! - Ordenou ele rosnando.

- Só saio daqui se eu quiser! - Retruquei - Quem é você pra mandar em mim? Hein? - Ele se aproximou e pegou em meu pulso.

- Tsc, ingênua! Você é irritante! Acabarei te machucando se me irritar mais! - Vociferou alto enquanto apertava ainda mais o meu pulso.

- I-Itai, S-Subaru. E-Está m-me m-machucando! - Disse fechando os olhos que já lacrimejavam.

 Me soltou no susto e acabei percebendo que ele havia apertado com as unhas, estava sangrando.

 Ele se virou de costas para mim e colocou as mãos na cabeça.

- Luna, saia daqui se quiser continuar viva!

 Sai correndo chorando enquanto o sangue continuava a escorrer pelo meu braço.

 Cheguei na capela e me sentei em um canto escuro do altar onde comecei a chorar.

 Minha mamãe não gosta de mim, ninguém gosta de mim.

 Encarei as marcas de unha em meu pulso, que agora estavam começando a cicatrizar, porém ainda escorria do líquido viscoso vermelho escuro sobre a minha pele pálida.

- Será que é por causa do... Meu sangue...? O que ele tem? Por que não posso ser normal? Por que não posso ser como as outras, que tem a felicidade? - Funguei novamente - Por que meu Deus?

{...}

- Hello bitches! ~ - Dizia cantarolando Laito enquanto adentrava a mansão que fora recém aberta pelo próprio com um sorriso tortuoso nos lábios. - Voltamos. - Ficou sério de repente.

- O que houve Laito? - Indagou Ayato alcançando o irmão e olhando ao redor. - Onde estão? - Estalou a língua sobre o céu da boca. 

- Tem algo estranho aqui. - Avaliou o interior da casa o de chapéu - Aqui costuma ser menos macabro.

- Do que está falando? - Perguntou o ruivo arqueando as sombrancelhas e olhando para Laito, a espera de alguma resposta, que foi somente uma faceta mais séria. - Demônios...? Não, se fosse já estariam atacando. - Tirou a conclusão.

- Pode ser. - Tentou se convencer o ruivo acastanhado. - Onde está Luna?

- Foi até o jardim... - Interrompeu a si mesmo quando arregalou os olhos. - Laito, se ninguém está aqui e estamos com essa presença demoníaca...

- É porque Shu, Reiji e Subaru são essa presença. - Arregalou ainda mais os olhos que o mais velho e colocaram-se a correr até os fundos da casa.

 No jardim, Luna observava atentamente as flores juntamente a Kanato que também contemplava-as.

- Kanato, por que acha que Laito e Ayato nos disseram para dar uma volta? - Indagava ela preocupada. - Temo que aconteça algo com eles. - Murmurou ainda com tom de preocupação.

 O arroxeado parou e olhou os arredores.

- Luna, não se mexa. - Exigiu ele, fazendo com que a ruiva parasse onde estivesse. - Presença demoníaca. - Murmurou consigo mesmo. - O que querem aqui?

 Os olhos heterocromáticos estavam esbugalhados, demonstravam medo e insegurança pela ordem expressa tão rapidamente. No seu interior, ela estava gritando e gritando infinitamente para que nada de ruim acontecesse a alguém, se não ela nunca se perdoaria.

 O tempo parecia ter ficado mais lento, quando ela viu a frente de seus olhos seu irmão, Kanato se colocar a sua frente para a defender de um ataque, onde a ruiva só pôde ver alguns fios em um tom de branco em movimento, partindo para cima do arroxeado, que o empurrou brutalmente para trás, fazendo-o bater com as costas em uma enorme roseira branca, que fora agora pincelada com tons de vermelho pelo sangue do albino.

- K-Kanato - Murmurou ofegante enquanto tentava se recuperar do susto, quando deu um passo para trás e esbarrou com alguém. - Kami-sama... - Sussurrou e estreitou os olhos com mais medo ainda.

"E então seu sangue me chama..."

- Ninguém encosta na minha irmã! - Kanato foi irado para cima de quem estava atrás de Luna, com uma expressão raivosa.

 Luna porém, se afastou dos dois que brigavam e se aproximou do de cabelos brancos que estava ainda sobre a roseira, e levou as mãos a boca pelos cortes que estavam emanando sangue.

- Saiam da minha frente seus bastardos! - Rosnava Shu, ainda com a coloração dos olhos de um azul mais intenso para os dois irmãos mais novos.

- Luna! Corre! Agora! - Ouviu pois a voz desta vez de Laito, que estava ajudando Kanato a lutar contra o vampiro de cabelos loiros.

- M-Mas...! - Tentou contestar, porém foi cercada por dois braços e sentiu uma respiração e seu pescoço.

"Você quer mais?"

- Seu cheiro melhorou muito, Luna. - Riu nasalmente o moreno, inspirando o ar que a ruiva exalava de seu pescoço desnudo, enquanto ela engolia em seco o que ele havia dito. - Farei questão de fazer um belo estrago em seu corpo.

- Só depois que eu estiver morto, Reiji! - Chamou a atenção do moreno o ruivo que estava com um sorriso desafiador estampado em seus lábios. - Por que não vem pegar alguém do seu tamanho? Hein?

- Farei questão de acabar com você. - Se afastou da ruiva e veio de encontro para com o outro e começaram a duelar.

"Deus, o que está havendo?" - Indagava a ruiva a si própria - "Isto é por minha causa?"

 Olhou para tudo uma última vez e saiu em disparada, em direção a enorme floresta que havia atrás da mansão.

 Seus cabelos voavam mais e mais e o rosto era de cansaço e medo. Absolutamente um sentimento que a definia agora era o medo.

 Até que acabou atropeçando por suas próprias pernas e caiu rolando pelo chão, assim desmaiando.

 Agora, estava cheia de feridas, suja por terra e folhas que haviam por ali no chão e desacordada. Frágil e desprotegida.

 Uma figura surgiu da escuridão formada pela sombra de uma enorme árvore dali, com um sorriso lascivo que se destacou na escuridão e foi se aproximando cada vez mais de Luna.

 Quando saiu, definitivamente, se mostrou um homem de cabelos albinos e olhos dourados amarelados, vestido em roupas formais.

 O homem se abaixou e observou a ruiva, sorrindo ainda mais mostrando os seus caninos afiados, característicos de um vampiro.

- Minha querida filha... Você cresceu tanto. - A pegou no colo ainda com seu sorriso intacto no rosto. - Tem uma pessoa que gostará e quer muito ter ver.

No final, todos são monstros, não importa quanto tempo demore para abrir a cela que os guarda, sempre serão os mesmos, cruéis, sádicos, maldosos... Mas, por que logo com eles? As pessoas que eu quero mais bem? Não quero que se machuquem por minha causa, e se se machucarem... Não hesitarei em me machucar para protegê-los... Até de mim mesma.

 


Notas Finais


Huehuehue
Quem será que quer ver a Luna?
E essa treta? Cabulosa, né não?
Adorei o capítulo passado!
Proponho um joguinho:
Se chegarmos a quatro comentários na fanfic, posto capítulo novo, continuação desse ainda amanhã, ao invés de postar segunda.
Fechado?
Lembrando que se não chegar a quatro, não irei deixar de postar na segunda!
Só é um joguinho pra saber se vocês estão curiosos pra saber quem quer ver a Luna!
Tá valendo, hein?
SE GOSTARAM NÃO ESQUEÇA O SEU FAVORITO E O SEU COMENTÁRIO! ME ANIMA MUITO A CONTINUAR A FANFIC!
Espero que tenham gostado!
Bjs, VihNerd


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...