1. Spirit Fanfics >
  2. Awumbuk >
  3. Luzes e álcool

História Awumbuk - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Eu acho que tenho uma tara em mãos...

Capítulo 6 - Luzes e álcool


Fanfic / Fanfiction Awumbuk - Capítulo 6 - Luzes e álcool

 Tsukishima voltou para casa no sábado de manhã. Abriu as janelas e uma brisa fresca dominou o ambiente. Ele se jogou no sofá e aos poucos seus olhos foram fechando.


 Quando acordou Kei olhou seus e-mails e junto com mensagens de promoções e trabalho ele notou uma de um colega um tanto quanto irritante na opinião de Tsukishima.


"De: Tetsuro Kuroo

Assunto:

 As 22hs eu passo na sua casa. Por favor não coloque ternos nem nada do tipo. Você tem um espírito de tiozão mas não precisa dar na telha." 


 Kei olhou por alguns instantes a tela do aparelho tentando lembrar se havia marcado algo. Seria um incômodo sair para qualquer lugar com o moreno barulhento. 


"De: Tsukishima Kei

Assunto: 

 Não estou interessado. Nem sei para onde quer me levar."


"De: Tetsuro Kuroo

Assunto: 

 Como assim?? Semana passada você disse que iria comigo. O Kenma não quer e o Bokuto está ocupado com aquela melação toda. Você vai gostar, prometo."


 O loiro soltou um suspirou e apagou a tela do celular. Ele realmente havia marcado de sair com Kuroo a uma semana depois de uma grande insistência ridícula. Mas decidiu ignorar a mensagem do outro e ir preparar algo para comer. 


.......


 As 22hs Tetsuro chegou na casa de Tsukishima e fez com que ele se arrumasse em 10 minutos. Depois de resistir muito Kei estava em frente a uma casa de shows. Não era muito jovem mas Kuroo adorava se meter no meio deles. As festas barulhentas e coloridas sempre tinham a presença de Kuroo e Bokuto, as vezes acompanhados de um Tsukishima desanimado que foi forçado a estar em tais locais. 


 O ar desanimado do loiro já era familiar e Kuroo não ligou. Deu leves batidas nas costas de Kei e fez sinal para entrarem. Quando as luzes piscando pararam de incomodar a visão de Tsukishima ele olhou em volta e percebeu que o lugar não estava cheio. Tinha espaço entre as pessoas e até mesas onde casais silenciosos se amassavam sem serem incomodados. Mas ainda sim haviam muitas pessoas dançando ao som de uma música eletrônica. 


- Quer beber o que? - Kuroo perguntou mas Tsukishima não o ouviu. 


 Sua atenção foi direcionada a um rapaz de cabelos verdes com pontas descoloridas. Yamaguchi estava com algumas mulheres ao seu redor, um copo grande em uma das mãos e uma jaqueta de couro. Foi tudo ao mesmo tempo que chamou a atenção de Kei. 


- Hey, não é aquele carinha que andava com você no colégio? Sim, é ele. Ele era do clube também, tinha um saque perigoso. Que coincidência. Haha. - o moreno disse animado, ao contrário de Tsukishima que por algum motivo sentiu a boca amargar - Vamos falar com ele. 


 Antes de Kuroo começar a puxar Tsukishima em direção ao outro, os olhares do loiro e de Tadashi se cruzaram. Yamaguchi demonstrou surpresa e animação ao perceber a presença de Kei. 


- Oi! - Yamaguchi disse caminhando até Tsukishima. Assim que se aproximou ele depositou um beijo na bochecha do loiro causando curiosidade em Kuroo. 


- Oi... 


- E aí? Quanto tempo. - Kuroo comprimentou gentil. 


- Ooh, o ex capitão do Nekoma! Caramba, nunca imaginei te encontrar aqui. Haha. Quanto tempo mesmo. Como vai? 


   Os dois resumiram um pouco da vida de cada um. Yamaguchi perguntou por Kenma e ficaram conversando sobre como ele não havia mudado em nada. Kuroo o mostrava fotos dos dois em passeios que Kozume não parecia muito interessado. Tsukishima ficou um tempo olhando para o nada esperando que terminassem de se atualizarem. 


Yamaguchi os levou para próximo do balcão de bebidas, onde ele estava antes com algumas garotas. As mulheres ainda estavam lá e, para Tsukishima, pareciam bem próximas a Tadashi. 


- Essas são minhas amigas...- Yamaguchi apresentou uma a uma e os rapazes as comprimentaram educados. 


Tsukishima estava curioso sobre o copo na mão de Yamaguchi. No jantar do clube ele falou que não lidava bem com bebidas mas sempre que a bebida em seu copo ia chegando ao fim uma de suas amigas tornava a enchê-lo. 


- Hahaha. Isso realmente aconteceu? Meu Deus, eu não sabia que o Tsukki curtia esse tipo de festa. - Yamaguchi respondeu a algo que Kuroo falou. Tsukishima não estava focando muito nos diálogos. 


Uma das garotas levantou uma garrafa de vidro e ofereceu encher o copo de Tadashi novamente.


- Ei... Você está bebendo demais, não? - Tsukishima parou o braço de Yamaguchi antes que o copo pudesse chegar a garrafa - Você não disse que não lidava bem com bebidas? 


- Hahaha. O que foi? Eu não estou bêbado, Tsukki. - Yamaguchi falou com um sorriso meigo - Eu realmente não lido bem. Mas as meninas estão comigo. E bom... Eu comecei com isso por sua causa então você não pode falar. 


Tsukishima soltou o braço de Yamaguchi e se afastou um pouco. Não parecia bêbado mas sua última frase não fez muito sentido para o loiro. Ele ficou quieto e observou Yamaguchi virar um copo atrás do outro acompanhando as suas colegas. 


 Kei olhou no relógio de pulso e os ponteiros marcavam 03:07 am. Yamaguchi estava dançando na pista rodeado de pessoas desconhecidas, Tsukishima tomava cuidado para não o perder de vista. Suas amigas haviam se afastado. Tsukishima concluiu que Yamaguchi tinha ficado sozinho. Kuroo estava ao seu lado digitando algo no celular com um sorriso estranho, na opinião de Tsukishima. 


- Vamos? - Kuroo chamou. 


- Pensei que você fosse ficar mais tempo. - o loiro falou sem tirar os olhos de Tadashi. 


- Meu Kozume não está conseguindo dormir. 


- Hum. Pode ir. 


- Tem certeza? Depois não faz drama falando que eu te abandonei. - Kuroo levantou as mãos. 


- Vai logo. 


 Com a permissão de Tsukishima, Kuroo foi embora. Kei ficou no balcão ainda observando Tadashi enquanto ele dançava e vez ou outra interagia com algum desconhecido. 


 Yamaguchi estava despreocupado com seu copo na mão quando um homem estranho o abraçou por trás. De imediato Tadashi pisou com força em um dos pés do cara e mandou ele se afastar. O homem continuou sendo persistente e Tsukishima sem pensar duas vezes foi em um piscar de olhos até o cara e o socou no nariz fazendo um pouco de vermelho se destacar no seu rosto. 


 Tsukishima pegou no braço de Tadashi e o arrastou para fora do edifício. Yamaguchi sem entender nada deu alguns tapas no braço do loiro para que o soltasse. 


- Calma. É só que já está na hora de ir para a casa. A festa já acabou de qualquer forma. - Kei soltou o braço de Tadashi e pegou seu celular para chamar um uber. 


- Que engraçado, não lembro de ter babá. - Tadashi falou em tom brincalhão - Eu não estava indefeso lá. Você nem me deu tempo de agir por conta própria. Eu não sou seu boneco de porcelana. 


- Me desculpa. Eu só fiquei com raiva por ele ter encostado em você. 


- Eu sei, eu sei. Por que você acha que eu sou seu boneco de porcelana. - Yamaguchi estava com a voz embargada - Desde que o conheci... Eu sou seu bonequinho de porcelana, não é? Mas na verdade era eu quem cuidava de você. 


- O que? 


- Você tem esse complexo ridículo de pai. Falando em me proteger mas sempre foi ao contrário. Em pensar que até o sexo é todo cheio de cuidado como se eu fosse quebrar. Foi bom, mas me irritou. 


- Você está bêbado. 


- Mas dizem que bêbados só falam a verdade. Hahaha. Você quer ser meu pai? Não acho que vai rolar. Mas você pode usar essa força de vontade comigo na cama. O que me diz Tsukishima Kei? Vamos ter sexo selvagem, que tal? 


 Tsukishima estava encarando Tadashi sem saber o que responder. Para seu alívio o carro que havia pedido chegou e ele com dificuldade enfiou Yamaguchi lá dentro. Pensou em aproveitar o carro mas não era bom ficar perto de Yamaguchi agora. Ele havia pedido um uber para o endereço do apartamento de Tadashi. 


 Antes da porta do carro ser fechada, Tadashi puxou o loiro e o beijou. Um beijo agressivo e cheio de desejo que deixou Tsukishima levemente excitado. 


- Espero que você aprenda que não sou eu quem precisa de você. - Yamaguchi falou com a voz embargada de um bêbado e logo a porta foi fechada. 


 Tsukishima ficou parado na frente do prédio olhando o carro sumir aos poucos. 



Notas Finais


Esse capítulo é triste porque não terminou em pegação. F no chat kskskkskksk

Se vocês encontrarem qualquer erro gramatical pfv puxem minha orelha nos comentários<3 eu tenho que ter alguém me pressionando para fazer as coisas direito σ( ̄∇ ̄;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...