1. Spirit Fanfics >
  2. Ayato Sakamaki e a sua Bravinha (reescrevendo) >
  3. Olá Japão e... Olá Karlheinz

História Ayato Sakamaki e a sua Bravinha (reescrevendo) - Capítulo 50


Escrita por:


Notas do Autor


Cheguei! E com capítulo novo...
Bem, demorei pq a droga do bloqueio de imaginação que tá me perseguindo...
Nós temos um aninho de Ayato Sakamaki e a Sua Bravinha! (na verdade já passou um tempo, mas... nhe)
Nem imaginei que alcançaria tantas pessoas, nem sabia que lá na frente, teria 50 capítulos da minha história... Tudo graças a vocês, que me deram apoio e me incentivaram a continuar, agradeço imensamente e de coração.
Capítulo 50... Damos um adeus aos primeiros capítulos e começamos a abraçar as tramas finais... Tenham uma ótima leitura.
***(não esqueçam das notas finais, tem algo bem importante lá!)***
Obrigada pela atenção

Capítulo 50 - Olá Japão e... Olá Karlheinz


Fanfic / Fanfiction Ayato Sakamaki e a sua Bravinha (reescrevendo) - Capítulo 50 - Olá Japão e... Olá Karlheinz

AYATO ON

Panqueca estava no banho e eu sentado no sofá da sala, a adrenalina ainda está circulando pelo meu corpo, sinto ela.

Aquele velho… Tenho que dar um ponto final em tudo isso, não posso nem arriscar em perder a Misaki, ela é minha, ninguém vai tirá-la de mim.

Misaki estava demorando demais, então resolvi subir até o quarto dela e ver o porque dessa demora toda.

Bati à porta do quarto e entrei… Misaki estava se trocando, mas, seu rosto estava vermelho e os olhos inchados, sinal de que chorou. Odeio ter essa visão, minha panqueca triste.

- Tudo bem? *sentei na cama, a observando *

Misaki: - Tá sim. *ela sorri fraco *

- Não tá não. * respirei fundo*

Misaki: - Adorei a pulseira que você me deu, obrigada. *ela termina de se vestir e se aproxima * - Que tal eu te mostrar o seu presente? * ela continua fingindo um sorriso*

- Para. *me levanto *

Misaki: - Parar com o que? *ela cruza os braços *

- De fingir… Não sou idiota. *a tomo em meus braços * - Não vou deixar ninguém te machucar, tudo bem?

Logo sinto Misaki segurar minha blusa e apoiar a cabeça em meu peito.

Misaki: - Por que tudo isso?

- É apenas uma fase, como todas as outras… *beijo o topo de sua cabeça *

Entre soluços consigo ouvir Misaki dizer: “Porque eu não posso ser feliz com você?”… Realmente partiu meu coração.

A consolei, como sempre faço quando ela está desse jeito.

Logo Sakura nos chama pro jantar e rimos bastante… Não vamos contar nada sobre o que aconteceu, é melhor. Não queremos ver ninguém com o sangue da família da Misaki correndo nas veias, estressado. Já basta uma.

Amanhã, eu comprarei nossas passagens pro Japão. Semana que vem são as minhas provas… Agradeço por elas não serem na mesma semana do que a de Misaki, se não, teria que ir sozinho e deixá-la aqui, correndo todo o tipo de risco.

Misaki: - Agora… Falta o seu presente! *ela diz depois de terminar a comida *

Sakura: - Essa garota ficou tão ansiosa que quase mostrou o presente antes da hora. *Sakura ri *

Misaki: - Queria ver a reação dele logo… Eu vou buscar.

- Vamos logo, não me deixe ansioso.

Misaki sai e logo volta com uma caixa nas mãos, coberta com um papel presente.

Misaki: - Adivinha o que é. *ela sorri *

- Pode ser qualquer coisa.

Misaki: - Então… O que quer que seja?

- Gostaria que fosse uma lingerie pra você vestir.

Misaki: - Ayato! *ela olha pra Sakura, discretamente *

Sakura quase morreu de rir.

- Fui sincero.

Misaki: - Aish… Você estuda pelo celular, mas não é muito eficiente quando se trata disso. Então, comprei algo que vai melhorar seus estudos e você não vai mais reclamar da tela pequena do celular. Bem, pode ser usado pra outras coisas também. *ela me entrega a caixa *

Abri ansioso e encontrei um notebook dentro da caixa. Era exatamente o que eu estava procurando…

Misaki: - Eu não sabia o que te dar, até procurar no seu histórico de pesquisa.

Simplesmente perfeito. Realmente precisava…

- Acertou em cheio de novo. *sorri e não demorei para abraçá-la *

 

 

Sexta-feira, finalmente o último dia de provas dela. Agora, minha vez de passar a semana estressado… No sábado vamos viajar, só espero que Misaki não faça nada inesperado enquanto eu estiver na faculdade.

De noite, arrumamos nossas malas e fomos dormir cedo, pois acordaremos de madrugada para chegar ao aeroporto na hora certa.

No sábado, saiu todo de acordo com o que planejamos. Com a má sorte que estamos, era capaz do avião cair, mas felizmente não aconteceu nada do tipo.

Estava mesmo ansioso para chegar em casa e tirar satisfações com Reiji. Pensam que eu esqueci? Claro que não.

AYATO OFF/MISAKI ON

As imagens daquele momento ainda passam pela minha cabeça e eu forço minha mente pra que essa imagem se repita várias vezes, apenas quero ter a certeza do rosto que vi e da voz que sussurrou pra mim, “me desculpe Misa”… Realmente não quero que seja da pessoa que estou pensando. Como ele seria capaz disso?

Eu tenho que resolver isso, mesmo que minha vida esteja em risco… Coloquei isso na minha cabeça e não vou tirar. Não posso ficar sentada esperando que eu seja morta pelo Karlheinz ou por qualquer um que for.

Minha preocupação agora é a reação de todos quando eu chegar em casa. Não sei se estou preparada pra isso e nem quando Ayato explodir (e eu sei que ele vai).

Chegando em casa, encaro o portão da frente. Me lembro da primeira vez de quando cheguei aqui… Eu tinha 16, vazia, quase perdendo as esperanças… As coisas foram indo e ficava cada vez mais difícil. Até que Ayato chegou, aquele que eu menos imaginava que iria me apaixonar… Essa casa, é o meu lar, onde eu conheci pessoas extremamente difíceis de lidar, mas acabei me acostumando e agora eles são como uma família pra mim. No final, tudo valeu a pena. A luz que eu procurava era Ayato e seus irmãos… É por eles que eu preciso lutar.

Eu respiro fundo e entro dentro de casa… Talvez eu leve um esporro, mas tudo bem.

Chegando na sala, todos estavam lá, como se estivessem nos esperando.

- Estava com saudades! *sorri *

Reiji: - Simplesmente ridículo. *ele se levanta *

Laito se levanta e cumprimenta o irmão.

Laito: - Bitch-chan! Como pode ter me deixado quase três meses sem seu sangue? *ele coloca as mãos em meus ombros *

Subaru: - Cale a boca, você sabia que eles iriam embora.

Reiji: - Misaki, você realmente perdeu a noção. *ele se aproxima de mim *

Ayato: - Se encostar nela… Tá morto. * Ayato se coloca na minha frente *

Reiji: - Ayato… Como você consegue ser pior que essa humana? *ele arruma os óculos *

- Também te amo Reiji. *cruzo os braços e erguendo a sobrancelha *

Reiji: - Tsc. *ele dá as costas *

- Obrigada por se preocupar se eu estava bem lá em Londres, realmente muito fofo.

Reiji: - Não interprete minhas ações erroneamente. *ele começa a se irritar *

- Sei que gosta de mim vai, é muito mais fácil ser sincero com seus sentimentos.

Sei como irritá-lo e é hilário ver isso… Bem, se Ayato não estivesse do meu lado, estaria ferrada, mas hoje posso dizer o que quero.

Ayato: - Reiji… Pode me explicar sobre as cicatrizes no corpo de Misaki?

Pronto, já começou… Ayato foi peitar o Reiji… Eu sabia que isso aconteceria, era só questão de tempo.

Vou deixar Ayato discutir, não posso fazer muito… Essas brigas fazem parte do nosso cotidiano, então já estou acostumada. Enquanto isso, puxo assunto com os meninos. Sento no sofá e começo a conversar com eles.

Laito: - Como foi lá? *ele se senta ao meu lado *

- Na maioria do tempo, bom… Mas, tem uma coisa que vocês precisam saber. *respiro fundo * - Sexta-feira passada, Karlheinz mandou alguém pra me matar.

Subaru: - O que? *ele franze a testa *

- Foi bem assustador.

Laito: - Eu já sabia… Ayato me contou.

Shu: - Pelo menos reconheceu o rosto do cara? *ele boceja *

- Não… Nadinha.

Não posso dizer nada até ter certeza de quem é.

Reiji: - Ayato, você não estava lá pra impedir… Também já faz meses, quer me exigir algo que já se foi.

Ayato: - Acho que você não me entendeu ainda.

Ayato já estava se preparando pra entrar em uma briga séria… Sinceramente, não dá. Acabei de chegar de uma viajem e tenho que escutar gritos e tudo mais?

- Ninguém vai lá impedir?

Todos ficaram em silêncio… Revirei os olhos.

- Já chega. *me levanto * - Amanhã você tem prova e acredito que Reiji também… Não é bom chegar com hematomas na cara quando chegarem na faculdade. *cruzo os braços * - Enquanto isso, deveriam estudar mais um pouco, e não brigar… Que ridículo. *ajeito meu óculos invisível *

Ayato: - Tsc. Tanto faz. *ele revira os olhos *

Bem, depois de todo esse alvoroço, pude descansar… Uma bela noite de sono, tudo o que estava merecendo… Longe dos problemas, longe de assassinos loucos. Apenas eu, minha cama e Ayato ao meu lado.

No dia seguinte, Ayato se despediu e foi fazer a prova… Assim como Reiji e Kanato. Então, estou com Shu, Subaru e Laito na casa. Menos mal, pelo menos ninguém se odeia por aqui.

Agora preciso por meu plano em prática. Sei que Ayato vai querer me matar se ele descobrir, mas vale a pena o risco.

Corro procurando Laito pela casa, felizmente consigo encontrá-lo rapidamente… Ele estava na cozinha, procurando por algo.

- Hey Laito, tudo bem? *me aproximo *

Laito: - Ah, olá Bitch-chan. *ele me recebe com um sorriso *

- Então… Você pode… *coço atrás da cabeça *

Laito: - Não. Não mesmo. *ele cruza os braços *

- Você nem sabe o que eu vou pedir! *franzi a testa *

Laito: - Não vou te levar até Karlheinz e ponto final.

- Que droga. *bufei *

Laito: - Ayato já me avisou sobre isso… Sinceramente, não quero ir cutucar Karlheinz.

- Já te pedi alguma coisa? É só me deixar lá! *insisto *

Laito: - Vou deixar a mulher do meu irmão nas mãos da morte… É melhor esquecer, por que não vai dar, Bitch-chan. *ele ri *

- Se me levar… Eu te faço macarons.

Laito: - Eu posso comprá-los. Não adianta sua chantagem.

- Que pena… Achei que quisesse um especialmente pra você, feito por minhas mãos. *sorrio *

Laito: - Boa sorte em encontrar alguém pra te levar. *ele dá de costas e vai embora *

Droga… Realmente não funcionaria… Agora vou atrás de outro.

Encontrei Subaru fora de casa, perto de umas roseiras.

- Oi Subaru! *aceno de longe, sorrindo *

Quando Subaru vê meu rosto, some do nada. Que merda viu? É impossível tirar Shu de casa, imagina ele me levando pra onde quero ir…

Quer saber? Vou por minha conta… Na verdade, tenho uns contatos de pessoas maravilhosas no meu celular, certeza que elas vem me dar uma mãozinha.

As meninas do vôlei… Ainda converso bastante com elas, sei que ficarão muito felizes em me ver aqui no Japão novamente. Soube que Akemi tirou a carteira de motorista, vou pedir uma ajudinha aqui.

A essa hora, os meninos já devem ter achado que eu desisti… Então, facilita bastante.

Chamei Akemi e ela atendeu na hora, felizmente hoje ela tava livre… E foi bem fácil sair da casa. Conversamos bastante e rimos até chegarmos na prefeitura. Dei uma desculpa qualquer e entrei lá dentro.

Estava feliz, até alguém interromper os meus planos.

Shu: - Dê meia volta, agora. *ele impede a minha passagem até o elevador *

- Mas, Shu! *cruzei os braços *

Shu: - Você realmente não tem noção do perigo.

Ele me puxa até um canto, onde não tem muita passagem de pessoas.

Shu: - Não pode nem com um vampiro impuro e quer arranjar briga com Karlheinz?

- Eu vim pedir desculpas, okay? Não vou brigar com ninguém, tá maluco?

Shu: - Vamos pra casa, antes que aconteça alguma coisa. *ele pega meu pulso e vai em direção a saída *

Na recepção, encontramos ele… Karlheinz, o homem que deseja minha morte. Tremi por dentro ao encontrá-lo, tinha esquecido como era a sensação de estar em frente a ele… Sua aura é muito pesada, impõe superioridade.

Shu me coloca atrás dele.

Karl: - Shu, o que o trás aqui?

- Com licença. *apareço em sua frente e logo me inclino pra frente * - Senhor Tougo Sakamaki, venho aqui pedir minhas sinceras desculpas. Espero que me aceite, eu realmente espero que essa rivalidade acabe. *me mantenho em reverência *

Karl: - Alguém lhe deu permissão para falar?… Shu, se certifique de nunca mais levar essa mulher até aqui.

Ele passa por nós e entra no elevador, saindo do nosso campo de visão.

Me levanto e vejo as pessoas me encarando… Essa humilhação… Fazia tanto tempo que não vivenciava essa sensação, o desprezo nos olhares de todos.

Uma lágrima sozinha corre pelo meu rosto e trato de limpá-la rapidamente…Só queria concertar tudo.

Tomo a frente e saio do prédio, Shu me acompanha sem dizer absolutamente nada. Entro no carro e Shu dirige de volta pra casa… Estacionando, antes de sair, Shu não me deixa sair do carro.

Shu: - Tudo vai se concertar com o tempo, então só para, vai piorar tudo. *ele diz firme *

- Desculpa Shu. *me encolho *

Shu: - Nosso mundo, o mundo dos vampiros, é muito diferente. Deixa isso pro Ayato, você sabe que ele não é mais uma criança, não precisa que resolvam tudo por ele. *ele sai do carro *

Levar um esporro do Shu, é a pior coisa do mundo… Me sinto minúscula, e o pior, nem dá pra discutir, por que ele tá certo. Ele quase nunca fala, mas quando fala, todos prestam atenção.

Talvez eu tenha ido longe demais, como sempre. Pra mim, como humana, essa era a melhor saída… Mas assim como Shu disse, os vampiros são diferentes e tenho que aprender muito ainda sobre.

Hoje aprendi mais uma lição, até que não foi tão péssimo… Vou deixar isso na mão de Ayato, sei que ele vai fazer o melhor. Infelizmente, não posso resolver isso por ele.

Espero que tudo fique bem logo, só quero que acabe logo essa agonia no meu coração.

 

(nas notas finais tem algo que pode te interessar :3)


Notas Finais


Obrigada por lerem até aqui!
Sabemos que quando Misaki coloca algo na cabeça... Já era.
Depois do que Shu disse a ela... Acho que já deu um basta, né?

**Como vocês já devem ter percebido, o título da fanfic "mudou"... Vou atualizando vocês okay? Estou reatualizando os capítulos antigos. Pois, como se trata da minha primeira fanfic, ainda não tinha muita experiência com a escrita, então resolvi reescrever alguns capítulos... Os capítulos atualizados até agora, vão do primeiro até o sexto**

Obrigada mais uma vez
Beijinhos da imperatriz~

Link Fanfic - A Assassina Perfeita:
https://www.spiritfanfiction.com/historia/a-assassina-perfeita-18420944


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...