1. Spirit Fanfics >
  2. Azar - Taegi >
  3. Farto

História Azar - Taegi - Capítulo 22


Escrita por:


Notas do Autor


Oie babes 💙💙💙

Agradeço os 260 favs😖💅💙💙

💙🌈 (Boa Leitura) 🌈💙

Capítulo 22 - Farto


Fanfic / Fanfiction Azar - Taegi - Capítulo 22 - Farto

CAPÍTULO VINTE E DOIS


FARTO


Taehyung estava de pé, mas quem disse que estava acordado? 

Talvez até tivesse desperto de seu sono, mas de suas negativas especulações, não. 

Encarava um ponto fixo na cozinha, tomando o típico café preto, sentado na mesa na companhia de Hoseok, Daon e HaEun. 

Quando acordara, se assustou ao não ver Yoongi do seu lado, sem nenhum resquício seu da noite anterior. Pensou estar tendo um dejavú quando fechou os olhos mais uma vez e as cenas do dia anterior lhe vieram à tona. Seria uma alucinação ou mais um daqueles sonhos eróticos que tinha frequentemente? Não. Mesmo que Yoongi tivesse recolhido bem suas roupas e tudo que lhe indicava ali dentro, Taehyung conseguia ver os lençóis manchados de ontem, alguns pelos negros contrastando com a cor branca do tecido, e a camisinha jogada ao lado da cama. 

Hoseok já batia sua porta com firmeza, já que o mesmo não sabia o significado do uso da campainha ou ligação telefônica. Se levantou, conformando-se com o fato de que Yoongi tinha levantado pra tomar um ar ou qualquer coisa lá fora. 

Não pudera, como de costume, passar um tempo cuidando da sua aparência no espelho, por mais que precisasse camuflar um pouco aquelas marcas que o moreno havia deixado. Hoseok já estava sem paciência, e o que fizera fora se molhar no chuveiro enquanto escovava os dentes, depois vestira uma roupa e desceu para atender o amigo.

Até então não ouvia nada, estava disperso em si mesmo. Daon e HaEun podiam conversar com a empolgação que fosse, mas nem isso tirou o platinado do estado crítico que se passava.

— Hobi, podemos conversar sozinhos? — Disse baixo, para que os barulhentos não escutassem. Hoseok deixou o celular de lado ao ouvir o pedido do Kim.

— Claro. — Então fez menção em se levantar para conversarem seja lá o que for com Taehyung, mas o mais novo, entediado como estava, nem saiu do lugar. Suspirou. — HaEun, pode subir lá pro quarto do Daon? Papai precisa resolver uma coisinha.

— Tudo bem, pai. — A menina parou o que estava fazendo e desceu a cadeira com um pouco de dificuldade, pois não conseguia tocar no chão. Por outro lado, ajudou seu Saeng mais baixinho a descer do assento e subiram para o quarto do menino.

— Pronto, o que queria falar?

Claro que Hoseok já havia notado a mudança de comportamento porque, só a aparência acabada de Taehyung, como os cabelos desgrenhados, que ele jurava ter arrumado, entregavam tudo. O Kim nunca atenderia ninguém daquela forma se não estivesse verdadeiramente cansado ou incomodado com algo, mesmo que fosse super íntimo de Hoseok e os outros dois amigos. Taehyung gostava de manter a aparência nos trilhos e era exageradamente vaidoso.

— Eu não sei como dizer isso... De novo... — Riu, sem humor, pois novamente estava desabafando com seu hyung sobre sua vida íntima. Mas, como as palavras de Hoseok eram verdadeiras, eles dois eram mais íntimos que amigos comuns.

— Teve outro sonho politicamente incorreto com Yoongi? Você anda bem pervertido, hein? Acho que é a seca. — Brincou

— Então... Eu acabei com a seca ontem.

Agora o Jung estava verdadeiramente admirado com a afirmação do platinado.

— Então quer dizer que...

— Sim, nós transamos. — Interrompeu o mais velho e suspirou. Por mais que não estivesse desesperado como no último encontro, Hoseok sabia que aquilo era efeito do sono ou então o amigo estaria numa ressaca fodida e que quando a ficha caísse ele ia chorar uma quantidade de lágrimas o suficiente para encher uma piscina.

— Tem certeza disso? — O platinado concordou, lembrando do preservativo amarrado no canto da cama. — Você não tava bêbado? Os dois estavam sóbrios, né? Pediu o consentimento dele antes?

— Não, Hobi! — Começou a desesperar-se. — Ontem eu nem encostei em bebida pois passei o dia com Daon... Eu não gosto de beber perto dele... Nem eu e nem Yoongi bebemos, e eu perguntei mais de uma vez se ele realmente queria, Hoseok... Eu não sei o que aconteceu pra ele sair cedo, não sei onde ele está e não me deixou recado nenhum... Eu estou muito preocupado...

Taehyung já puxava os fios descoloridos com violência, pois tinha caído na real. Yoongi teria fugido? Será que ele não gostou? Será que tinha feito algo de errado que incomodou ele? O Rapaz só se desesperava mais.

— Calma... Eu só tava perguntando. Não precisa ficar desde jeito, talvez ele só tenha ido tomar um ar.

— Eu também estou tentando me convencer disso, ok? Mas não consigo tirar da cabeça a ideia dele ter f...

— Ele não iria fugir, Taehyung. Yoongi tem uma criança pra cuidar, e ela vale mais que tudo pra ele.

— Você tem razão... — O menor encolheu os ombros, preocupado.

— Relaxa, maninho... Ele vai aparecer daqui a pouco, confia em mim. — Hoseok se levantou, tentando acalmar Taehyung com um carinho nos ombros. — Vamos ver o que eles estão aprontando lá em cima.

(...)

Desespero, desespero e mais desespero.

Yoongi ainda não tinha voltado e já era noite. Nem mesmo Hoseok estava conseguindo se convencer que estava tudo bem naquelas horas. E toda vez que o menino perguntava pelo pai era de se partir o coração.

Taehyung se sentia tão ruim. Uma súbita vontade de chorar surgia quando parava pra refletir o porquê disso estar acontecendo. Por causa de uma simples transa. Ele entendia, simplesmente se avançaram com agonia em cima do outro e deu no que deu. Mas e se Yoongi tivesse de arrependido do calor do momento? Se ele realmente não quisesse aquilo? Se sentiu um idiota, porque achava que seus sentimentos amorosos de certa forma eram recíprocos, e, aparentemente, não.

Taehyung estava farto de relacionamentos que não davam certo, por mais que seu caso com o moreno não fosse verdadeiramente um relacionamento, ele estava cansado de se machucar e o pior de tudo, se culpar por isso.

— Hoseok, eu vou sair. — Se levantou depressa do sofá em que assistiam um filme de animação infantil e, por sorte, os pequenos não prestaram atenção na mudança de humor de Taehyung.

— Tae, é melhor não! — Tentou impedir o amigo aos susurros. — E se ele chegar aqui quando você estiver fora? — Taehyung parecia estar fora de controle, procurando por uma resposta, nem que fosse a última coisa que fizesse vivo e estava quase impossível para o Jung segurá-lo, tanto que já estavam próximos à porta.

— Você me liga, qualquer coisa! — Taehyung estava estressado. — Eu não aguento mais ficar de mãos atadas esperando uma resposta cair do céu. Me deixe passar, Hobi.

Hoseok permaneceu na frente da porta por mais um tempo, estava tentando decifrar a expressão neutra de Taehyung, se era de ódio, de preocupação, se almejava explicações e quem sabe uma vingança, ou simplesmente medo. Acatou a última opção e deixou o amigo passar, com relutância.

— Tome cuidado na hora de dirigir, Taehyung... — Alertou, apreensivo. Sabia quanto o amigo era vulnerável nos relacionamentos, pois ele era igualzinho a si quando a mãe de HaEun partira.

— Eu vou tomar, Hobi. — Respondeu, destravando a porta do veículo, mas não ousou encarar Hoseok. — Se eu não voltar antes das 22:00 pode levar o Daon pra casa. Tente não preocupá-lo. Por favor, deixe a chave no mesmo lugar que antes.

Taehyung não esperou respostas e saiu, mesmo que sem rumo. Sua mente estava pairando de novo, e por isso diminuiu a velocidade do carro pra não causar nenhum acidente, os motoristas que estavam atrás de si se irritariam, e mesmo que as buzinas protestassem, o Kim não estava pensando em mais nada a não ser encontrar Yoongi.

Um filme se passou por sua cabeça, não era a primeira vez que estava fazendo aquilo. Recordara de encontrar o gatinho na casa da árvore proximo a vizinhança e resolveu dar uma passada por lá, imaginando o óbvio, pois Yoongi não estava.

O Min era esperto demais. Esperto o suficiente para optar se esconder por outras bandas, as que fossem desconhecidas no repertório de Taehyung, ou talvez nem tão desconhecido assim.

O problema é que o Kim não sabia onde, procurara de cabo a rabo na região de sua casa mas nem sinal.

"Use a cabeça, Taehyung. Vamos, pensa, pensa!"

A estratégia era a mesma, se colocar na cabeça de Yoongi, pensar como Yoongi. Mas onde diabos estaria o moreno estas horas da noite?

— Não... Ele não poderia?... Poderia?

Começara a falar sozinho, questionando se o moreno teria coragem ou não, e consciente da personalidade do Min, não custava tentar procurá-lo por lá, pois não tinha mais referência nenhuma de onde encontrá-lo.

Taehyung pressionava as mãos no volante, nervoso, enquanto se dirigia pro interior da capital.

(...)


Notas Finais


Foi menorzinho, né? Mas a continuação vem em breve :)

Acho que foi o primeiro capítulo que eu abordei sobre os sentimentos de Taehyung e não os de Yoongi auheusahuaa é o mesmo esquema de sempre, pessoal. De olho nas frases em itálico <.<

Respostas virão em breve

Eu volto logo 💙💙💙💙

💨 One shots 💨

Bunny - Jikook
Link: https://www.spiritfanfiction.com/historia/bunny--jikook-16291091

Tradutor - Namjin
Link: https://www.spiritfanfiction.com/historia/tradutor--namjin-16431135

Muito obrigada por ler e até o próximo capítulo💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...