História Azarada Docete - Capítulo 48


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Debrah, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Lysandre, Melody, Nathaniel, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Violette
Visualizações 70
Palavras 610
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Misticismo, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu vou a casa do Nath mesmo Ambre dizendo que não é uma boa ideia.

Capítulo 48 - Na casa dele


Antes de sair da escola vejo Lys e Castiel. Ontem fiquei com o caderninho e esqueci de devolver mais cedo. 

_Isso lhes é familiar?

_Você é mesmo meu anjo da guarda. -Diz Lys pegando o caderninho da minha mão - Mas você não parece bem...

_O Nath não veio a aula hoje. Ele saiu da minha casa hoje de manhã dizendo que estava vindo pra escola. Ele até está com minha bicicleta. 

_Sério que você passou a noite com aquele cara? É sério mesmo isso? - Disse Castiel num tom de surpreso um tanto quanto incomum. Até o Lys lhe deu uma cutucada com o cutuvelo. _Ah, tanto faz. - Completou, mas pude perceber que suas bochechas agora combinavam um pouco com seu cabelo. 

_Hãn... Tá tudo bem aqui? - Pergunto com cara de dúvida. Mas Castiel não responde e saí andando, e o Lys vai junto mas não antes de dizer obrigado com um sorriso.  Confesso que fiquei bastante confusa com a situação. 

Bom, agora estou indo lá.

 Vou caminhando mesmo. Não é assim tão longe, deve ser umas 5 quadras daqui.

No meio do caminho vou refletindo sobre o que pode ter acontecido.  Passa um milhão de teorias na minha mente.

E finalmente chego. Ambre está na varanda  do segundo andar de seu prédio  junto com Li. Elas fecham a cara quando me vêem.

*Suspiro*

Pego o celular e ligo pra ela, já que o Nath não atende.

_Ambre, pode chamar o Nath por favorzinhoo?

_Não. Eu não vou.  Acredite, estou sendo legal com você. - E desliga.

Eu não esperava menos que isso.

Entro no prédio e peço pra chamarem pelo Nathaniel dizendo que wou uma amiga de escola. 

E uma mulher no inter-fone responde que posso subir.

Será que é a mãe dele? - Penso.

Quando chego no apartamento,  bem, ela estava na porta. Bem séria, e me olhou com uma cara péssima. Reparo a medida que me aproximo reparo que ela lembra um pouco a Ambre.

_Você não é a Melody. O que quer  com meu filho e quem é você? - Diz ela num tom áspero. 

_Ele faltou hoje. E eu estava preocupada.  Vim trazer a matéria de hoje. Eu sou Ellen.

_Ele pega com a irmã depois. Ele está indisposto hoje. Volte depois. 

Affe cara... Ela consegue ser mais insuportável que a filha.

_Aposto que o Nath estava com ela durante a noite mãe. - Diz Ambre se metendo na conversa.

_Mas você é muito abusada em! Isso é verdade? Sorte sua que meu marido não se encontra em casa!...

Fico sem reação enquanto ela continua falando e me dando bronca de como eu estou levando o filho dela pro mal caminho. (Mal sabe que ela que o mal caminho dorme na casa sela todas as noites e ela chama de filha).

Li e Ambre ficam rindo da situação e por mais que eu tente argumentar a mãe rebate com um sermão e sem perder a classe.

Nessa hora vejo uma sombra aparecer num corredor,  andando vagarosamente,  parece machucado. 

Quando confirmo de quem é a silhueta,  meu coração gela na mesma hora. 

Era o Nathaniel,  estava com um gesso no braço esquerdo e um olho roxo.

Quando me vê fica corado e muito surpreso. A mãe dele  também o vê e aquieta-se.

E o silêncio reina naquela sala.

_Mãe, deixa a Ellen entrar.  Ela é minha...

_Você esteva com ela noite passada? Foi por ela que passou a noite fora? - Ela questiona com raiva. 

_Não, eu já te disse.  - Responde sério . - Venha Ellen, pode entrar. 

Eu entro em seu quarto quieta. Estava perturbada com o estado dele.

Ele chega perto, e com seu braço bom me abraça. Não diz nada por vários segundos. 

_O que foi isso? - Pergunto com lágrimas nos olhos. 


Notas Finais


O que será que aconteceu ?
Obrigada pela leitura.
Se gostou, por favor comente!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...