1. Spirit Fanfics >
  2. Azedo como limão >
  3. Não estamos no controle

História Azedo como limão - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


esse capítulo é dedicado as pessoas que fazem aniversário hoje, got7 e minha querida, mARAVILHOSA E PERFEITA AMIGA LARA, XUXUZINHO DA MINHA VIDA, que está ficando velhinha kkk feliz aniversario bebe💖💖💖 espero que goste do presente s2s2s2

Capítulo 2 - Não estamos no controle


"e ele fico me olhando, como se eu fosse...sei lá, ficou me olhando. Cara doido!" youngjae contava ao tailandês sobre o garoto do ônibus, o qual ficou lhe fitando por um longo tempo

         "Ele deve ter te achado bonito ué" bambam comento sincero, Choi reviro os olhos e bufou

     "Quem me acharia bonito??" youngjae perguntou retóricamente, juntando as sobrancelhas, debochado e deixando claro isso em sua expressão, como se não fosse possível o fato citado a cima acontecer

           "Eu." o tailandês respondeu curto e sério,  tentando quebrar mais uma grande parte da parede que youngjae criou para manter distância das pessoas e, com isso seus segredos e pensamentos, o que bambam sempre tentava descobrir ou fazer o outro confiar o suficiente em si para lhe contar, o mais novo queria conhecer melhor, mais a fundo o coreano

           Youngjae fico sem reação ao receber a resposta inesperada do tailandês, lhe fazendo ficar um tanto que nervoso e até mesmo, sem graça. O coreano agradeceu aos céus assim que o sino do colégio tocou, livrando-o da situação um pouco constrangedora, "como diz o ditado, salvo pelo gongo" pensou e apenas sorriu amarelo para o kunpimook, logo seguindo caminho para sala de aula

//

        Não é fácil sair das cobertas nas manhãs de segunda-feira, é o que mark tuan sempre diz, mas hoje não era segunda-feira, o que deixara uma leve dose de otimismo invadir a mente do estadunidense em meio ao seu dia, e, consequentemente a parte mais importante dele considerada por si.

         O mesmo havia começado um projeto esportivo para incrementar seu currículo escolar, o que lá na frente o ajudaria para entrar numa boa faculdade. O tal esporte denominado pelo loiro é o basquete, esporte no qual o mesmo já foi campeão em disputas e campeonatos escolares, mas agora isso não era importante, ele estara ali para ensinar basquete, já que o esporte não era mais praticado e exercido no colégio.

        
         Infelizmente, o otimismo do loiro termino assim que pisou na quadra, avistou adolescentes reunidos num circulo com salgadinhos e celulares, podendo escutar risadas e conversas dos mesmos, já pode concluir de início que não estaram interessados no esporte, o que desanimou bastante o loiro, estavam ali somente pelo fato de que ganhariam nota participando de algum projeto dos veteranos

          "Espero que não estejam aqui para brincadeiras" mark disse caminhando até o grupinho de adolescentes, já podendo escutar alguns resmungos "quem não estiver interessado, a porta da saída fica bem ali" propôs, apontando para a mesma "não vamos desperdiçar o meu tempo e o de vocês, ok?!" o loiro olhou autoritário e ameaçador para o grupo de adolescentes, que em segundos diminui de número com a saída de alguns
   
         
           O tuan seguiu rumo até o centro da quadra, esperando assim que os estudantes o acompanhasse, o que foi feito. Formaram um círculo no chão, dando mais clareza ao estadunidense para poder ver todos os rostos e, assim saber os nomes dos indivíduos que estaram ali.

  
           "chaeyoung" mark lia os nomes da lista de inscritos, logo procurando a pessoa citada na roda, obviamente não decoraria o nome de todos, era péssimo com nomes, mas ao longo das semanas ou até mesmo meses, saberia de todos "jinyoung" procurou a figura do citado, se surpreendendo ao encontrar, o mesmo possui uma aparência um tanto que atrativa, o estadunidense não poderia negar, difícilmente esqueceria o nome do outro.

          Após marcar na prancheta quem havia marcado presença dos inscrito, mark deu uma leve introdução sobre seu eu, deixando claro que mesmo sendo só um ano mais velho que eles, ali ele teria a mesma autoridade que qualquer professor no colégio e merecia ter o mesmo respeito de qualquer pessoa mais velha que eles

          "bom, alguém tem alguma dúvida?" perguntou, dando uma rápida olhada no relógio de pulso

     
           "é solteiro?" todos riram com a pergunta, principalmente o próprio mark, não esperava esse tipo de pergunta, ficou ainda mais intrigado por não ter visto quem a fez

      
           "digamos que sim, mais alguma pergunta?" perguntou novamente, querendo conferir que todos ali tinham entendido tudo que havia sido dito e logo após o silêncio dos estudantes ter deixado isso claro, o loiro começou sua aula

         Como restara um curto tempo, o tuan resolveu só passar saques para os alunos e ver como cada um acertava a cesta, quando acertavam.

           "calma" se aproximou do garoto que falhava a cesta na sua terceira tentativa "jinyoung né?" o outro confirmou "sem pressa. Respira fundo, é só você, a bola e a cesta, se concentre nisso" mark ditava ao lado direito da cesta, consideravelmente perto dela

           Já era a sétima tentativa do outro e nada, mark ajudou todos dali a acertarem uma cesta e isso não seria diferente com jinyoung, apenas tentaria outro meio. Pediu para que a fila que havia atrás do moreno se afastasse um pouco deles, mark ficou atrás de jinyoung, guiou o corpo do outro para a posição correta, colou um pouco mais seu corpo com o do mais novo, agora guiando a posição das mãos ao jeito correto de segurar a bola

          "mire seu olhar na cesta" mark disse quase que num cochicho, mas jinyoung pode ouvir claramente já que o outro estara perto o bastante de si para tal, fazendo até o moreno ser capaz de escutar a respiração pesada do loiro "agora é só jogar" ele disse em seu ouvido, jinyoung olhou para o canto que vinha a voz do tuan, dando de encontro com o rosto do mesmo, soltou um sorriso sacana ao perceber como o outro ficara mais lindo de perto, mark retribui o sorriso mudando a direção de seu olhar para qualquer lugar que não fossem as pupilas do mais novo, fazendo o moreno sair do transe e após o loiro se distanciar do mesmo, jinyoung arremessou a bola finalmente acertando a cesta

//

 
      
          "ele era lindo jinyoung, juro que nunca vi alguém tão bonito assim, deveria ser um anjo" jaebeom contara a jinyoung sobre o garoto do fones e também sobre como ele estara animado para ir embora só para dar de encontro com o mesmo novamente

            "cara, você não vai acreditar" jaebeom e jinyoung pararam de andar com a chegada repentina de mark, que os assustou "hoj.." e então o olhar de mark se encontrou com o do jinyoung, fazendo o coração de ambos ter uma batida falhada pelo ato de suas orbis "atrapalhei vocês??" mark pergunto ainda com o olhar preso ao de jinyoung, jogando seu melhor sorriso galanteador para o moreno

            "não, eu já estava indo" se permitiu sorrir para mark, deixando as ruginhas no canto de  seus olhos levemente aparecerem, causando adoração no estadunidense, que aos olhos do mesmo esse era o sorriso mais adorável que já tivera o prazer de ter visto

              "você e o jinyoung se conhecem??" jb indagou após o moreno já não estar mais presente, ele não pode evitar de perceber o flerte de ambos um com o outro desde que se encontraram, esquecendo totalmente a presença do Im, mark acetiu e os dois começaram a andar

//

           "bambam, na minha testa tá escrito cupido??" mark disse grosso, cansado de escutar o tailandês pedir conselhos sobre o choi para si

          "e na minha testa tá escrito "eu te odeio"? porque isso é verdade" rebateu "você acha que ele percebeu que eu mudei a cor do cabelo?"

          "você mudo a cor do cabelo??" o tuan brincou fazendo uma expressão de surpresa e desentendido "fico bonito cara" elogiou as madeixas, agora vermelhas, do tailandês

           "faz tempo que eu não bato uma, tô sedento pra fazer"comentou

           "e porque não bate?"

      
           "acho que tô com depressão pós punheta" mark rompeu na gargalhada, aquela escandalosa e gostosa de se ouvir, com a paranóia do amigo "para de rir idiota" deu um soco amigável no ombro do amigo

            "recapitulando, eu tô perdendo aula pra escutar você falar que não consegue bater punheta?? eu te ajudo bro" mark continuou a rir, o que começou a irritar o mais novo

            "puta que pariu mark, se fude cara, eu não tô brincando filho da mãe, para de rir cacete" bambam queixou-se novamente, se sentindo um idiota por ter um melhor amigo como o mark e ainda insistir em contar seus problemas para ele

    
           "ok, parei" o loiro respirou fundo, segurando o riso

          "obrigado, você é incrível" debochou "é que quando eu tô prestes a gozar, o youngjae vem a minha cabeça e imaginar ele chupando meu pau me dá um orgasmo do caralho, mas depois eu fico me sentindo culpado porque uma das minhas melhores fantasias é com ele, isso é meio doentio não acha??"

           "se é doentio eu não sei, não sou psicólogo, mas olha, é normal tá ligado, todo mundo tem fantasias com alguém, isso é normal, pelo menos eu acho, mas é normal" colocou a mão sobre o ombro do tailandês, como se estivesse o consolando "procura um psicólogo só pra ter certeza, mas é normal" o tailandês, agora ruivo, reviro os olhos e começou a rir da situação

             "eu te odeio mark" o ruivo disse tirando a mão do mais velho de seu ombro

 
             "eu também te amo kunpimook" sorriu com os lábios fechados e decidiu com o tailandês que já estavam tempo demais ali, sairam da sala do faxineiro e seguiram rumo a suas salas de aula

//

           "eu tô com a impressão que você tá me seguindo" mark disse vendo jinyoung lavar aos mãos na pia, o loiro havia decidido dar uma passada no banheiro antes de continuar seu caminho até a sala de aula, o que foi uma excelente ideia. O moreno teve a mesma reação de surpresa ao ver quem entrou no cômodo, rindo fraco em como ele e mark não cansavam de se esbarrarem

             "mark tuan, acho que a gente deve parar com esses encontros repentinos" o loiro nunca achara o próprio nome muito especial ou bonito de ouvir, mas pareceu a coisa mais linda do mundo quando o menor proferiu

              "vai me dizer que você não gosta??" indagou sincero e direto, se aproximando do coreano

     
                "culpado" sorriu sapeca, e então, o estadunidense sorriu torto antes de empurra-lo contra a parede. O corpo provocou um som seco ao encontrar a parede gélida e gasta do banheiro, os lábios se partiram em um som surpreso, que foi abafado quando a boca de mark encontrou com a de jinyoung

           
            O beijo quente de ambos era mais do que necessitado, nenhum dos dois queria parar, era a última coisa em mente. Mãos bobas já faziam parte do momento, o que deixava tudo mais quente, a necessidade de tudo deixara claro que eles não ficariam só em beijos. Dentro de uma das cabines do banheiro, beijaram-se novamente. As mãos do moreno deslizaram até o cinto do tuan e o abriram, em todo banheiro só era possível escutar os estralos que as bocas de ambos faziam e o ruido baixo provocado pelo zíper da calça do mais velho, tal peça já se encontrava abaixo dos joelhos de mark
               

            Em alguns segundos a calça justa de jinyoung se encontrava no chão da cabine, juntamente a sua peça íntima. Num movimento único, mark pegou o mais novo no coloco, numa posição onde as pernas do mesmo estaram sobre seus braços. Parecia uma posição desconfortável, se o momento não estivesse cercado de prazer ambos até perceberiam, entretanto, isso não vinha ao caso. Jinyoung desarmou por inteiro após a primeira estocada. Puxara os cabelos loiros e macios do tuan, achou que iria morrer por um instante, as estocadas com força e uma certa brutalidade, seu membro rossando no abdômen do estadunidense, o beijo selvagem e amistoso, tudo era uma loucura, principalmente o local onde estavam transando

 
               Finalmente se desfizeram, mark primeiro, mas não demorou muito para que jinyoung o seguisse. O loiro só percebeu o cansaço dos braços após não estar mais arfando em prazer enquanto jinyoung pedia mais força nas estocadas entre o beijo
         

//

 

            "se importa de ir de carona hoje??" choi franziu o cenho, confuso com a pergunta do ruivo, suspeitando de algo que o menor estivera aprontando  

              "carona?? quem dessa vez?" youngjae perguntou se lembrando do ocorrido de alguns meses atrás, que envolvia ele, pessoas desconhecidas e bambam querendo que o mesmo fizesse amizade com tais.

                 O tailandês não entendia como o choi se sentia em relação a isso, pessoas novas ou somente pessoas, mesmo que tivesse uma intenção boa com tal ação, não respeitava a decisão do em evitar conhecer pessoas.

                 
              "mark. Mas eu não vou forçar a barra, não precisa conversar com ele, só me fazer companhia" sorriu sincero, bambam não percebeu mas estava sendo egoísta, mesmo que pensasse que era uma boa ideia ja que o choi não precisaria usar o ônibus, evitaria aquele cara, a barulheira dos alunos e outros contraversos, ele estava sendo egoísta pois o coreano se sentiria pior do que dentro das outras circunstâncias

   
              E foi assim que ele se sentiu, já que mark e bambam conversaram o caminho inteiro e a única coisa que foi feita pelo choi, foi existir. Já estara acostumado com tal situação mas odiava presencia-la, principalmente com o fato de que o tailandês tentava vez ou outra lhe fazer participar da conversa, o que sempre acabava falando miseravelmente

 
              "vê se toma um banho porque esse cheiro de pohha tá insuportável" bambam aconselhou o loiro, após descerem na residência do moreno


              "inveja mata bambam, inveja mata" o ruivo revirou os olhos e essa foi a deixa de mark, se despediu dos garotos e foi embora

               "ei youngjae, que pressa!" chamou vendo o amigo caminhar rápido em direção a porta de casa

    
                  "o que você quer bambam, pohha cara tá satisfeito??" a voz do coreano era falha, estava cansado e verdadeiramente chateado com o amigo

                    "hey jae, o que houve?" youngjae sentiu raiva do mesmo com tal pergunta

                  " o que houve??? caralho para de fazer isso, sabe que isso acaba comigo, eu já me sinto deslocado nessa merda de mundo e quando você faz isso, deixa mais claro essa porcaria" uma lágrima desceu "eu não me encaixo, não gosto de pessoas e mesmo você sabendo disso, me faz passar por esse tipo de situação, pra quê bambam?? me responde" seu olhar era pesado, cheio de mágoa e medo, bambam só agora pode perceber como estara sendo egoísta, no fundo, no fundo, ele sabia que fazia tudo isso porque queria o choi consigo e com seus amigos, mas não perguntava se o choi queria estar contigo e seus amigos, queria que o choi fizesse amigos, queria mas ele não se perguntara se o choi queria fazer amigos e ele sabia que não.


                "youngjae desculpa, eu não queria" foi a única coisa que o ruivo conseguiu dizer, seu coração pulava tão rápido em seu peito, a sensação de saber que magoou uma das pessoas mais queridas por si lhe fazia sentir um verdadeiro babaca egoísta


               Youngjae balançou a cabeça negativamente, seus olhos estavam cheios de lágrimas e entrou em casa antes que alguma se atravesse a cair.


               "o que aconteceu??" sua mãe perguntou assim que entrou na casa, estava limpando as lágrimas para poder evitar perguntas, no entanto, estar machucado por bambam era doloroso, mais doloroso que apanhar ou qualquer outra dor, bambam é seu refúgio, seu melhor amigo, alguém que pode contar qualquer coisa, se abrir, igual fez segundos atrás, e por ele ser essa pessoa, lhe doia ainda mais do que necessário "youngjae??" sua mãe insistiu


                "NADA MÃE, NADA!" gritou acelerando seus passos na escada, até chegar em seu quarto


             Estara totalmente atordoado, igual o bambam que deixou plantado do lado de fora, deisejava morrer, sabia que tinha deixado o amigo magoado também, bambam era apenas inocente demais, mesmo que negasse ou não percebesse, não conseguia entender e se esforçava para tal, mesmo que sempre falhasse. Talvez fosse culpa do coreano, deveria esclarecer mais as coisas para o ruivo, ou do tailandês, que deveria escutar mais. A culpa no final era de ambos, youngjae por não tentar e bambam por não escutar, dois idiotas. Mas para o choi, era dele, ele era problemático e deveria saber que causaria algo parecido uma hora ou outra, apenas queria dormir e não aparecer na escola na manhã seguinte, precisava pensar


//

    
              Jaebeom estara ansioso como uma criança no ponto de ônibus, repetia várias vezes em sua cabeça como começaria uma conversa com o garoto dos fones. Primeiro perguntaria para o outro que música estara escutando, logo após iria dizer que ama tal música e se apresentaria, deixaria a conversa fluir até pedir o número do outro. Mas o planejamento foi todo em vão, o garoto não estava lá, jaebeom olhou para todos os assentos do ônibus com a esperança de ainda o encontrá-lo, entretanto, ele não estava lá. Jaebeom não sabia o porquê mas se sentiu decepcionado, e se perguntara o motivo de tal sensação, nunca se sentiu assim, principalmente a ansiedade de ver alguém, foi algo que aconteceu poucas vezes em sua vida, dara pra contar nos dedos das mãos, necessariamente de uma mão só. Encostou a cabeça no banco, estara difícil respirar, precisava transar mas jinyoung não respondia suas mensagens, isso só o deixou mais sufocado, odiara não ter controle de quaisquer situação, e era o que estara acontecendo nesse momento. O Im dormiu até chegar no ponto de casa, tendo que ser acordado pelo motorista, não havia mais ninguém no ônibus, já se passava de oito horas da noite, o motorista fez o favor de deixá-lo em casa, recebendo um agradecimento especial por tal ação, jaebeom não estava tendo controle nem do próprio sono e isso começou a se passar de raiva para medo, "o que estara acontecendo com si" era o que se perguntava

//


                 Mark não conseguia evitar, jinyoung não saia de sua cabeça, ou melhor, o sexo com ele, tão selvagem, tão gostoso. Fazia tempo que não sentia a adrenalina correr em suas veias, fazia tempo que não transava também, riu com tal fato.

                    Após o banho, se pergunto se deveria mandar mensagem para o Im e pedir o número do park, passou minutos com o olhar vidrado no celular que estara em cima da bancada da cozinha, se perguntando tal coisa, existia tantos pós e contra nessa situação, mas deixo sua emoção lhe guiar, mandou mensagem para o coreano, vez ou outra conferindo o celular para ver se o amigo havia lhe respondido, o que não aconteceu.


                  O relógio marcava 23:02 e mark ainda esperava a mensagem do amigo com o número do park, começou a se perguntar porquê diabos quer o número do moreno, o loiro pensou que talvez fosse pelo sexo e bem, talvez fosse por isso mesmo, todavia, era muito mais além de sexo, era a sensação de algo novo e perigoso que o menor lhe causava, não negou tal fato para si mesmo, dormiu com o mesmo pensamento, pediria o número de jinyoung na manhã seguinte

              

             


Notas Finais


espero que tenham gostado amores, desculpe qualquer erro, bjs na bunda😙🍑


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...