História Azul é a cor mais quente (Jimin - BTS) - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, EXO
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jisoo, Park Jimin (Jimin), Sehun
Tags Amor, Drama, Jay Park, Jimin, Jisoo, Jungkook, Romance, Sehun
Visualizações 107
Palavras 2.647
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Opa, tudo bem?

Me desculpem pela demora na atualização dessa Fanfic, eu tenho várias idéias para ela, mas quando eu vou passá-las para o papel parece que elas fogem da mente, sem contar com o tempo, já que a escola ocupa metade dele.

Aqui está mais um capítulo que eu fiz com muito carinho, e espero que vocês gostem dele assim como eu gostei.


Música do capítulo:


Daddy Issues - The neighbourhood


(Leiam as notas finais)


Boa leitura! <3

Capítulo 3 - Black suits you


Fanfic / Fanfiction Azul é a cor mais quente (Jimin - BTS) - Capítulo 3 - Black suits you

Todos nós temos um lado escuro, mas por que ele fica tão bem em você? 

— Lux.

2.

Inebriante; a palavra perfeita para definir  exatamente como Aurora se sentia naquele momento, puro êxtase dominava seu corpo ao som de Earned It, sem coreografia ensaiada, seu corpo praticamente flutuava sobre a barra de pole dance, modalidade a qual ela prática há dois anos, quando percebeu que sua carreira de escritora não a levaria muito longe, então resolveu praticar sua verdadeira paixão: dançar.

Homens babando, mulheres olhando descaradamente para ela com uma cara que podemos chamar de "nojo", pura inveja, já que todos os homens do local estavam focados na garota cativante com movimentos perfeitamente alinhados naquele palco de um "cabaré para Play boys", maneira que ela chama carinhosamente seu local de trabalho.

Aurora é a dançarina mais bem paga do local, mesmo sendo novata. A garota foi descoberta pelo proprietário do local a poucos meses atrás em um Barzinho no subúrbio de Seul, no mesmo momento que Sehun — Dono do local a qual ela trabalha no momento. — Bateu seus olhos nela, se encantou com a leveza de cada movimento da garota, a chamando para trabalhar no ecstasy. De início a garota recusou, apreensiva por não saber as verdadeiras intenções do sensual rapaz, mas quando ele falou a quantia que ela receberia e que teria hospedagem na mansão do garoto — Algo que ela não gostou muito por ele ser homem e morar sozinho. — ela não pensou duas vezes e acabou aceitando.

( No outro lado da ecstasy, na área vip.)

Jungkook olhava descaradamente para o corpo da garota morena de cabelos curtos que fazia lap dance nele, enquanto bebia uma dose de old parr sentado na poltrona azul escura.

A vida de Jungkook não tinha mudado muito nesses quatro anos, continuava o mesmo cafajeste de sempre. Sua desculpa era que nenhuma mulher o agradava nem tinha o caráter que ele buscava.

A morena para de dançar e senta-se de frente ao rapaz, rebolando e fazendo consecutivos vai e vens no colo do garoto, insinuando movimentos sexuais, enquanto ele sorria maliciosamente, levando suas mãos a cintura da garota, incentivando ela a continuar.

A garota puxa a gola de sua camiseta branca de botões, trazendo-o mais para perto de si, insinuando beijá-lo, ato que é repreendido pelo garoto quando ele leva seu dedo indicador aos lábios da menor.

— Não gosto que mulheres como você me beijem. — A jovem o olha desentendida. — Mas, para sua felicidade, deixo você beijar a cabeça de baixo.

A mais nova não pensa duas vezes, apenas levanta-se dos braços do garoto, indo até a saída do local.

Ele apenas ri divertido, poderia encontrar outra mulher a qualquer momento, ele teria a mulher que ele quisesse.

Jeon caminha em direção ao local do camarote cujo tinha vista privilegiada para o andar de baixo, seus olhos pararam na garota que dançava pole dance sensualmente.

Inevitavelmente, Jungkook lambe seus lábios e os morde freneticamente em pura excitação, fazendo com que ele sentisse o gosto de ferrugem que seu sangue tinha, e foi assim durante exatos vinte e cinco minutos até a apresentação de Aurora acabar.

— Jeon, ainda está sóbrio? — Brinca Sehun, chegando de surpresa até o amigo tocando sorrateiramente em seu ombro.

— Sim, não estou a fim de beber muito hoje.— Não muito interessado em conversar com o amigo, Jungkook continua em seu delírio, pensando novamente na garota que a poucos minutos atrás dançava no palco.— A propósito, creio que você conhece todas as suas funcionárias, estou correto?

— Claro, escolhi pessoalmente cada uma. — Responde simplista, bebericando seu vinho branco.

— Sabe quem é aquela garota que estava dançando? — Um dos garçons passou perto de nós, e Jeon resolveu pedir um suco, em poucos segundos ele trouxe.

— Sim, ela é uma de minhas melhores funcionárias. — leva suas mãos ao cabelo, jogando-os pra trás. — Mas ela não faz programa Jeon, é uma das únicas que não faz.

— E por qual motivo ela é tão privilegiada?

— Ela na verdade é escritora, tem três livros lançados, muito bons por sinal, mais nenhum fez muito sucesso, ela não é garota de programa. Além do mais, sua personalidade é bastante forte, tenho certeza que se eu pedisse ela não aceitaria e largaria o emprego que tem aqui. — põe suas duas mãos no bolso, analisando o salão.

— E como sabe que sua personalidade e forte? Você tem uma caso com ela, acho. — Cruza os braços dando um longo gole de seu suco.

— Ela mora em minha casa, Jeon. — No mesmo instante o rapaz cospe todo o líquido de sua boca, olhando desacreditado para o amigo.

— Por que não me disse que estava namorando? Eu nunca daria em cima dela cara, desculpe-me. — Jeon olha para um canto qualquer do salão tentando desviar seu olhar de Sehun, ele estava sem graça, deveria estar mais pálido que o de costume

— Não Jeon, eu não namoro a garota. — Fala rindo, dando alguns tapinhas no ombro do rapaz. — Ela é realmente muito bonita, posso sentir até atração, mas nós não temos nada além de uma amizade colorida.

— Vocês já transaram? — Tenta não transparecer interesse em sua voz, algo que não conseguiu, e se repreendeu mentalmente por isso.

— Sim, algumas vezes. — Dá de ombros.

Alguns seguranças chegam, alertando Sehun sobre uma viagem de emergência para o Japão, em uma de suas empresas de lá, acabou que uma das funcionárias foi estuprada, já que, como Aurora, ela também não fazia programas.

— Jeon, quer conhecer a garota, não é?

— Sim, por que?

— Acabei de ter um contra tempo e não vou poder levá-la para casa, quer fazer isso por mim? — Um sorriso forma-se no rosto do mais novo.

— Ela vai me deixar levá-la já que tem uma personalidade forte e não sabe quem eu sou?

— Eu ligo para ela explicando a situação, ela estará na minha sala, como sempre.

Ele sai, sem dar mais nenhuma explicação ao mais novo que estava todo sorridente, sorriso que era de pura malicia.

Descendo rapidamente as escadas, indo em direção aos corredor pouco iluminados, ele chega ao escritório de Sehun, batendo na porta e a abrindo em seguida, vendo a garota de cabeça baixa, com a mesma deitada sobre a mesa, seu corpo estava coberto por um sobretudo bege, e por baixo do mesmo, ainda estava a mesma roupa sensual de sua apresentação.

Mas naquele momento Jeon só queria ver o rosto da garota, já que durante toda sua apresentação ela usava uma máscara que cobria grande parte de sua face.

Percebendo a presença do garoto ali, ela levanta sua cabeça em direção ao rapaz.

— Jeon? — Desacreditada, ela pergunta um pouco tonta pelo sono que sentia.

— Aurora? Então é você aquela garota que estava dançando a poucos minutos. — O sorriso de Jeon que era de malicia, se transformou em um sorriso ingênuo e sincero ao perceber que estava frente a frente a garota que ele gostava na infância, e que seu rosto, mesmo depois de tanto tempo continuava delicado.

— Apenas me leve para casa por favor, estou com muito sono. — levanta-se da cadeira, dando um abraço em Jungkook. — Sei que não éramos íntimos naquele tempo, mas eu estava com saudades de você. — Sorrindo bobo, Jeon retribui o abraço dado pela garota, acariciando os cabelos da menor.

Os dois seguiram para o carro do garoto, Aurora sentou-se no banco traseiro já que queria dormir e assim fez durante todo o percurso, quarenta minutos depois quando finalmente chegaram na casa de Sehun, ela ainda dormia, Jungkook a pegou pelos braços, levando a mestiça para dentro da casa. Subindo pelas escadas chegando ao corredor principal, o moreno abre a porta de todos os quartos para ver qual tinha a decoração mais "feminina".

Encontra um quarto cujo tinha um porta retrato dourado com a foto da garota, e supôs ser o quarto dela.

Pôs a garota sobre a cama, cobrindo o corpo alvo dela com o edredom que estava sobre a cama.

Vira-se em direção a porta para sair do quarto, mas para assim que sente uma mão em seu pulso, olha de soslaio para trás, vendo a garota acordada, mas a sonolência prevalecia em seu rosto.

— Fica aqui? Não quero dormir sozinha hoje. Sei que nos reencontramos a pouco tempo e nem eramos próximos, mas por favor, fica? — Ela não teria feito aquele pedido para ninguém, nunca se submeteria a algo do tipo, por vários motivos. Mas estava muito abalada e precisava de alguém por perto, e Jeon ao seu ver era a pessoa perfeita, já que aparentava ser doce e não tentaria nada contra a ela.

(Uma hora antes, ainda no ecstasy...)

A pedra de gelo tilintava dentro do copo de whisky, enquanto lágrimas rolavam em seu rosto, algumas até chegavam em sua boca, fazendo Aurora sentir o gosto salgado presente em suas próprias lágrimas.

Nervosa, batia repetidas vezes os dedos da mão esquerda sobre a mesa, com o celular no viva voz, bebendo goles repetidos e rápidos que rasgavam a garganta da garota.

Ela bebia para tentar digerir o que sua mãe queria dizer para ela naquela madrugada de sábado. Tinha convicção de que não ficaria bêbada, já que geralmente só fica embriagada após o terceiro copo de whisky pelo seu corpo estar familiarizado com a bebia alcoólica.

— Por favor minha filha, estamos com muitas dividas e não sabemos o que fazer, eles ameaçaram quitar a casa e não podemos fazer nada. — Desesperada, Aurora  puxou seus cabelos para trás sentindo as lágrimas caírem com mais intensidade. — Você tem um caso com seu chefe, não é querida? Peça para ele aumentar seu salário, ele não irá rejeitar uma moça tão bela como você.

— Eu não sou garota de programa mãe, não venderei meu corpo. — Enxuga suas lágrimas, findando a bebida alcoólica que ainda restava em seu copo. — Além de tudo, eu já sou a mais bem paga daquele lugar, não quero esplorar Sehun, ele está sendo bom comigo.

— E nós filha? Como ficamos? Seu pai ele não quer parar, eu já tentei de tudo, nossa dívida aumentou para 250 mil, não temos dinheiro suficiente para pagar. 

O pai de Aurora era um completo viciado em jogos de azar, e foi assim que ele conseguiu uma casa ao lado da residência dos Park, mas com o tempo sua sorte foi diminuindo e as dividas só aumentaram, o tornando um compulsivo por joga de azar, e uma bola de neve de dividas foi surgindo, um valor absurdo cujo eles não podiam pagar, então sempre corriam para Aurora.

— 250 mil?! Isso é muito dinheiro, eu teria que trabalhar por dois anos inteiros para conseguir esse valor. 

— Por favor filha, de seu jeito, arranje outro emprego ou algo assim, não nos deixe, por favor. — Foram as únicas palavras da senhora Choi antes de desligar o telefone, deixando uma Aurora cansada e com uma dor de cabeça avassaladora. 

Com os olhos fechados, ela repousa sua cabeça sobre a mesa de madeira maciça, alguns minutos depois, escuta batidas em sua porta.

— Jeon? 

~*~

— Você bebeu, Aurora? — Pergunta para a garota assim que ela o chama para dormir com ela.

— Somente um copo, estou lúcida. — Fala para o moreno, puxando seu punho, fazendo que o mesmo sentar-se sobre a cama. — É que aconteceu algo, e não quero ficar sozinha, hoje não, saca?

Jeon apenas suspira, esperando uma resposta mais concreta da garota.

— Ah, qual é, pelo nosso reencontro vai, eu não vou te estuprar, prometo. — E, finalmente, conseguiu convencer o Jeon a dormir com ela, arrancando um fofo sorriso dele. Se o rapaz se olhasse no espelho agora, certamente estranharia, já que era difícil um sorriso com aquela expressão aparecer em seu rosto.

— Aish, tá bom. — Deita-se ao lado da menor, vendo a mesma deitar-se de costas para ele.

Jeon, como sempre atrevido, permite-se abraçar a garota por trás, fazendo a mesma arregalar os olhos surpresa. Percebendo o desconforto da garota, ele sussurra um "calma" em seu ouvido, fazendo cafuné nos cabelos dela, a mesma vira-se para frente do rapaz, encostando sua cabeça no peitoral dele, fazendo-o soltar um riso abafado.

— Boa noite, Jeon. — Foram as últimas palavras que saíram dos lábios de Aurora antes dela deixar um selar no queixo do mais velho, em seguida sendo levada pelo sono.

~*~

O despertador de Aurora toca a exatas nove e meia da manhã, fazendo com que ela acordasse, de mal humor, mas acordasse.

Levou seu braço ao lado da cama onde Jeon dormia, e abriu seus olhos em espanto quando percebeu que estava fazio.

— Aish, homens são todos iguais mesmo. — Reclama em reprovação.

Resolveu trocar de roupa, já que ainda estava com a roupa que usou no trabalho ontem, vestindo um short de seda preto e a camiseta de botões do Jeon, o que estranhou, já que achava que o mesmo tinha ido embora, causando um sorriso nela.

Sentindo sua barriga roncar e o cheiro maravilhoso de panquecas se espalhar pela casa, escovou seus dentes e foi em direção a cozinha. Vendo o que a senhora Kim tinha preparado — Além das panquecas — Para o café da manhã.

Mas algo surgiu em sua mente: A senhora Kim não trabalha hoje.

Então deduziu que Jungkook estava lá, e sua suposição estava muito certa.

— Você sabe cozinhar? — Pergunta, sentando-se a mesa, percebendo que além das panquecas, Jungkook tinha feito suco de laranja, e estava preparando bacons e ovos.

— Não é o meu forte, mas sei sim. — Acabando de cozinhar, o garoto leva a frigideira para a mesa, retirando um pouco para ele e Aurora.

— Está gostoso. — A menor diz, dando uma garfada em suas panquecas.

— Está usando a minha camiseta?

— Sim, por que? — bebe um pouco do suco, sem tirar seus olhos do rapaz.

— Ficou bonita em você. — Sorri sem mostrar os dentes.

Ela para e observa Jungkook, já que estava com a camiseta dele, então com o que ele estava vestido?

Desce seu olhar para o corpo de Jungkook, vendo que o moreno estava vestido com uma calça moletom preta e pantufas da mesma cor pertencentes a Sehun, e seu tronco estava desnudo, sem nenhuma camisa ou algo para cobri-lo.

Terminando a refeição, ambos arrumaram a mesa e cada um lavou seu prato, deixando o local, seguindo até a sala.

Sobre o sofá da sala, estava uma camisa preta cujo Jeon tratou de vestir, deitando-se em seguida.

— Sabe, preto combina com você. — Aurora sentou-se ao lado do local onde o rapaz estava deitado, em seguida recebendo um sorriso de agradecimento do mesmo pelo elogio.

— Você não contou o motivo pelo qual me pediu para dormir ontem contigo. — Jeon senta no sofá, ficando sério.

— São problemas pessoais que estavam me atormentando, você não entenderia.

— Você não pode saber se eu entenderia ou não se nem ao menos me contou. — suspirou. — Conte-me, quem sabe eu possa lhe ajudar a resolver.

— Minha família está com uma dívida e nós não temos dinheiro para pagar, então eu estou a procura de um emprego.

— Você vai abandonar a ecstasy?

— Não, vou ficar com os dois, já que só trabalho à noite na ecstasy.

—  Qual o valor da dívida?

— 250 mil. 

— Eu acho que tenho a solução para isso... — Olha sorridente para a mesma, ele estava adorando isso tudo secretamente. — Que tal trabalhar como a secretária do vice presidente da Inside? Ou seja, minha secretária? — Jeon podia muito bem dar aquela quantia em dinheiro para ela, mas não queria. Ele queria simplesmente ter ela como sua secretária, estava adorando aquela situação toda, mesmo que aquilo fosse um inferno para Aurora.



Vá em frente e chore, garotinha

Ninguém faz isso como você

Eu sei o quanto significa pra você

Eu sei que tem problemas com o pai.

E se você fosse minha garotinha

Eu faria o que eu pudesse

Eu fugiria e me esconderia com você.

Eu amo que você tenha problemas com o pai

E eu também tenho.

Daddy Issues - The neighbourhood



Notas Finais


Uma informaçãozinha básica, porém importante, nesse capítulo se passou novamente quatro anos depois do reencontro deles, ou seja, Aurora e Jungkook tem 20 anos, enquanto Jimin tem 22.

Jimin não aparece nesse capítulo, ele aparecia, mas o capítulo estava muito grande então eu resolvi cortar esse parte pra adicionar no próximo. (Um leve spoiler rs)

Espero que tenham gostado, e me desculpem por qualquer erro de ortografia.

<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...