História Azul Escarlate - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 12
Palavras 4.633
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Famí­lia, Fantasia, Magia, Mistério, Violência

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Feita para umas das faafadas que mais adoro nossa detetive lindia Thai espero que goste <3

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Azul Escarlate - Capítulo 1 - Capítulo Único

         Azul Escarlate
Escarlaty esse foi o nome qu dei a ela quando a vi abri aqueles lindos olhos cor de mel um lindo sorriso abri e ali vi um futuro lindo para a pequenina que havia nascido logo os deuses e semideuses que olhavam laah do ceu contemplavam a alegria que a muito senti ao ver minha pequena crescer linda e forte se empenhava a acreditar que semedeuses nao moravam no ceu mais sim entre nós e o tempo passou e seu facineo por eles diminuía até que em um dia ela passava devagar por uma pequena casinha que faziam para semedeuses cuidar dos vilarejos e ali abaixo se e olhou e de lá escutou uma voz lhe dizer ola bela moça por que esta ai sozinha alguem poderia pega la olhou para tras e viu um belo rapaz de olhos que lhe lembravam o ceu azul e sem graça o respondeu só estou de passagem ele sorriu e a deu um brinco com um pingente de rubi lindo e quando foi o agradecer ele havia sumido.
Ela voltou para casa olhando o brinco que havia ganhado pensando em quem era aquele rapaz que apareceu tão de repente quanto havia sumido, chegando em sua casa sua mãe á pergunta -Onde achou esse brinco? 
Ela olha sua mãe e a fala meio reciosa... -Eu não achei ele eu só ganhei de um rapaz que apareceu na casinha ali da entrada do vilarejo mãe você gostou dele? 
-Sim ele é muito lindo...
-Você que ficar com ele?
Ela abre a mão em direção de sua mãe e a olha... 
-Não se deve dar presentes filha!
-Mas então o que eu faço com ele? Não tenho orelha furada... 
Sua mãe pega o brinco e olha e a fala sorrindo... -Furada por que se ele é um brinco de pressão... 
Ela vai até sua filha e bota em sua orelha gentilmente e o brinco brilha. Na janela um misterioso jovem a olhava brincalhão ele sopra em direção dela e fala a seu amigo Billy -Ela não é linda... 
Dentro da casa Escarlaty sente o vento balançar com o vento e olha para a janela como se ouvesse algo ou alguém lá... 
Ele sorri e sai ao ouvir alguém o chamar pedindo por proteção em seu santuário ''Que esse ano não aconteça de o senhor Eduardo vir busca outra garota para ser sua esposa pois sabemos que todas que vão não regressão ou se quer passam um ano vivas'' 
Porém não havia oque ele pudesse fazer nessa questão não eram seres espirituais mais sim seres vivos e isso ia contra as regras e ele já havia quebrado uma ''Semideuses não podem se mostrar para mortais''.
Um mês depois Eduardo um dos filhos do senhor que comandava aquelas terras veio até a aldeia e pediu as mais belas damas dali para aparecerem em sua presença pois ele iria escolher uma para ser sua esposa, seus homens sairam envadindo as casas e levando uma por uma até seu mestre Escarlaty se arrumava quando foi levada mesmo de pijamas para fora... 
Atrás de uma árvore ele cuidava dela quando viu que foi levada á força e jogada na frente daquele homem nojento... Ele andou até mais a frente e encarava ele com um olhar frio, lá de cima Elena o observava e dizia a si mesma ''Dessa vez não ele não vai repetir essa tolice!''.
Eduardo passava olhando uma por uma pegando em seus rostos, quando chegou em Escarlaty notou que ela o olhava com ódio e repulsa ele foi para puxar seu rosto quando ela segura sua mão e fala alto e com raíva -O que te faz pensar que pode tocar em meu rosto! Você é realmente um homem repulsivo sabia! Ele a puxa e a encara a jogando no chão perguntando seu nome... Mas ela se quer o responde apenas lhe diz friamente -Você não serve nem para saber isso não passa de um mimado que trata mulheres como tratava seus brinquedos de infância! 
Ele levanta sua mão para bater nela quando ela ver o rapaz misterioso segurar a mão dele e dizer -Você não vai fazer isso! Saia daqui agora!
Eduardo olha para trás e pergunta quem ele pensa que é mais ele vira o rosto e passa direto por ele levantando Escarlaty e perguntando se ela está bem e ela o olha vendo seus olhos azuis como um lindo céu visto pela manhã.
Eduardo se vira o puxando pela blusa e falando alto -Você quem você pensa que é para encostar em quem escolhi para se minha esposa! 
O respondendo em um tom sarcástico ele fala -Ouvi muito bem a parte em que ela o aceita... Ouvi como um surdo ouvi! Está vendo aquele brinco que ela carrega?
Eduardo a encara e diz sarcasticamente -Só um cego não veria um brinco daqueles... Oque tem me diga! 
-É a prova de que ela nunca vai ser sua é um brinco passado de geração em geração por uma das famílias mais influentes da provincia vizinha ou você é muito burro ou só é um cego!
Escarlaty o encara mais não diz nada enquanto sua mãe chegava e abraçava dizendo -Ta tudo bem só confie...
Eduardo diz em um tom disconfiado -Agora me lembro você não me estranho cabelos negros olhos azuis você não é daqui é?
Sem o responder ele diz -Não estou aqui para falar de mim apenas vim esclarecer isto... 
Vendo que Eduardo não iria sair dali sem uma explicação Regina a mãe de Escarlaty se mete no meio dos dois e diz para Eduardo -Bom se já acabaram eu vou levar este moço que veio me dar um recado então com licença! 
Ela pega Escarlate e ele pela mão e os leva para dentro de sua casa tranca a porta e diz a ele -O que você fez foi muito perigoso você sabe!
Ele sorri e diz -Você ainda não esqueceu quem sou não é!? 
-Não apenas estou ajudando um amigo que vi crescer! 
-Você ainda lembra daquele tempo Regina meu deus! Ele começa a rir baixinho e olha Escarlaty que os olhava... 
Confusa ela pergunta a sua mãe -Onde conheceu ele mãe?
Ela o olha e fala -Quando eu tinha 10 anos ele estava entrando para o exército das provincias... Ele me levava para passear a cavalo com seu irmão caçula... 
Escarlaty de queicho caído pergunta -Mais ele não deveria ter mais de sua idade?
Sua mãe fica séria e a diz -Deveria mais o que vou te falar você jamais deve revelar, ele não envelhece ou morre não por humanos ele engressou na guerra e lá antes de morrer uma deusa desceu e lhe deu uma segunda chance e lhe concedeu o dom de um semideus porém há regras... regras essas que se quebradas ele e por quem ele quebrou deveram pagar... 
Escarlaty com medo pergunta -Mais quais regras e por que ele pode ser punido!? 
Sua mãe com um lhar surpreso pergunta a ela -Não está com medo?
-Medo de que? Que uma deusa louco desça e me faça mal? Não mas quero saber por que
 ele pode ser punido por ajudar alguém ou por sei lá mais o que...
Os dois se olham e Regina diz -Puxou mesmo a seu pai! 
Os dois começam a rir e ele se dirigia a porta quando ela o segura e o pergunta seu nome, ele se vira e fala -É Victor! ele sorri e desaparece em sua frente.
Ela fexa a porta rápido e diz para sua mãe -Eu disse eu sabia viu eu tava certa!!!
Sua mãe começa á rir e fala -Calminha calminha você não pode revelar isso e mais ainda você não pode de maneira alguma perder esse brinco moçinha!
Curiosa ela pergunta o por que e sua mãe diz -Você viu ele disse é de família sendo assim se você se perder estando com o brinco é mais fácil ele te achar. 
Naquela noite sua mãe sonhou que sua filha foi levada e pela manhã sua mãe não á achou mais em sua cama e se desesperou... Victor foi chamado e olhando o quarto ele começa a ver o que aconteceu ali mais vê que quem levou ela deixou o brinco.
Mais tarde Escarlaty acorda em uma cama e vê que não é a sua... Ela levanta mas vê que está amarrada e escuta uma porta abrir e á voz de Eduardo mas nesse instante ela vê uma luz e escuta uma voz a chamar mas vê que é de uma mulher e pensando ela diz ''Só falta ser a deusa maluca que quer punir o Victor''  
-Não sou maluca mas meu nome é Elena... Vim lhe oferecer algo...
Olhando descofiada ela pergunta -O que vai querer em troca? 
-Que você se esqueça do semideus Victor! Por sua liberdade feito? 
Ela caminha de um lado para o outro e encarando a deusa diz arrogantemente -Você ama ele não é! Por isso o fez umm semideus para seguir as regras e assim ficar com ele mas como ele deve ter tido alguma ligação forte em sua vida humana você não tem total controle sobre ele e assim também não o puni e talvéz de reencarnação em reencarnação você sempre negocia algo com a pessoa que ele ama! 
Elena sem palavra vira o rosto e apenas á pergunta -Você aceita ou não?
Escarlaty vira o rosto e diz -Você deve ser muito ocupada como uma deusa por que perde seu tempo aqui creio eu que já achou sua resposta não?
Elena se inclina sobre Escarlaty e a leva com sigo para outro lugar bem longe e afastado onde só deuses podem pisar... Escarlaty meio desacordada escutou ela falar baixinho "Sim sempre as subornei mais você foi a única que precisei isolar por não aceitar minha vontade ele vai ser meu mais cedo ou mais tarde!". Falou aquilo e sumiu Escarlaty levantou se degavar e olhou em roda um llugar completamente isolado e seco andou um pouco mais depois de um tempo ela se via presa em uma armadilha que já não sabia se saíria... Seu pensamento voou longe até Victor que estava muito inquieto pois já não sabia onde procurar e sentiu como se uma ligação fosse feita ali e fluice dentro dele mesmo sentindo ele sabia que não poderia fazer nada pois sabia que naquele lugar ele não poderia ir. 
Irritado com tuudo aquilo Victor foi até Elena que o recebeu de imediato, animada com a visita ela não pensava que ele viria interceder por Escarlaty que estava no campo de punições... lugar este onde não se tem fim e nem começo apenas um lugar infinito e de onde se caminha eternamente pelo infinito tempo... 
Elena foi até ele mais não reconhecia mais aquele olhar não era mais doce apenas um ódio intenso que emanava dele e friamente ele a disse -Agora você foi longe demais com essa sua obsessão levá la e deixá la em um campo de punições o que realmente de ofencivo ela lhe fez? Te desaiou... Ou apenas lhe disse a verdade que você por séculos subornou as mulheres que eu amei por ser obsecada por mim? Assim sem mais e sem menos você a bota em um campo de punições... 
Elena abismada em ver como ele sabia exatamente o que aconteceu o responde -Então se sabe o que se passou por que não á tira de lá? 
-Não seja sarcástica! Você sabe exatamente o por que ainda não fui lá preciso que autorize ou pelo menos que um de vocês autorize se não você sabe o que acontece...  
Ele sai da sala furioso e no caminho encontra Elliot que o para e o chama para conversar. 
Eles entram na sala ao lado e ele o diz a seguinte frase que para ele vira um enigm após isso ele vai até Regina e lá conversam um pouco. 
Enquanto isso Escarlaty que vagava cansada encontra um homem que parecia mais um mendingo caído e cansado ele a olha fraco ela para e o pergunta. 
-A quanto tempo você está aqui?
Ele ri fraco e com a voz quase falhando a diz -Tempo? Aqui não há tempo moça e sim eternidade ninguém sai apenas entram deuses nos punem com a eternidade mais não com a imortalidade passamos a vida e a morte aqui e como uma pessoa tão jovem veio cair neste inferno?
Escarlaty abaixa a cabeça e diz com raiva... -Eu apenas não aceitei o suborno de uma deusa patife que queria me afastar de um semideus... Não fiz nada de tão ofensivo.
-Aquela deusa maldita ela me puniu por querer revelar a verdade á um deus que ela chama de semideus apenas por que ela o quer em seu controle... Semideuses os chamam mais após um tempo quando eles aceitam o que realmente são e podem fazer e uma ou mais pessoas começam a acreditar neles... Eles não são mais semideuses e sim eles realmente se tornam deuses mais aquele que eu quis avisar ele foi destinado a ser um deus e ela antes mesmo de eu falar me pois aqui... 
Escarlaty curiosa mal sabia que sua pergunta seria sua salvação assim que o perguntou seu coração se alegrou de tal forma que Victor descobriu sua resposta e o mais rápido que ele pode... 
Ela se sentou e ficou a conversar com aquele senhor que passou quase sua vida a vagar por aquele tormento.
Quando no meio de sua conversa ela escutou uma voz não muito distante a chamar, ela levantou e chamou seu nome e o senhor falou.-Isso mesmo menina esse era o nome Victor o pequeno Vivtor era o destinado ele sempre foi e em um piscar de olhos Elena apareceu bem na frente dele e o cravou sua espada em seu coração dizendo -Ele realmente é o destinado mas nunca saberá á menos que seja meu e você menina entrometida no dia em que nasceu eu vi em seus olhos que seria um estorvo assim como sua mãe foi mais eu... Eu a tirei de meu caminho, mas você logo você meu ultimo obstáculo não saiu ficou e se recusa á sair por que você teria a vida perfeita assim como sua mamãe eu garantiria isso!Escarlaty a encara e diz -Você é doente... Doente, muito doente!!! Você menti a si mesma ele não te ama e nunca vai ainda mais fazendo o que você fez e quer fazer... Você é uma mulher fria nenhum homem normal te amaria!!! Nnhum pelo menos não alguém normal.
Elena levanta sua espada sobre Escarlaty e a golpea na perna ela cai de joelhos e diz -Isso contiua complete seu trabalho e daqui mais um século veja de novo ele te rejeitar ao olhar para outra!!! 
Escarlaty sorri e Elena a golpea bem em seu coração ela vai caindo aos poucos mais antes de tocar no chão Victor chega e a segura em seus braços a abraçando forte e olhando em seus olhos ele a diz carinhosamente enquanto ela passa a mão em seu rosto e aconchegando se em seu peito -Não dessa vez eu não vou te perder você vai ficar comigo!!! Eu te amo sempre te amei não feche os olhos mantenha abertos... Ele a olha intesamente enquanto ela tentava continua respirando e com um beijo... Ela foi fechando os olhos com uma lagrima descendo em seu rosto, Victor a abraça o mais forte encarando friamente Elena que estava sorrindo e dizendo -Vamos ver se vai haver próxima sem você para continuar a linhagem maldita de sangue ele não irá olhar para outra!!!
Victor á deita no chão e coloca nela o brinco d rubi passa a mão gentilmente em seu rosto e vira se em direção de Elena que o olhava perguntando arrogantemente -Está pronto para ser meu agora que lhe tirei quem o atrapalhava um lindo caminho em direção a divindade?
Victor sorri e a fala friamente disabafando apesar de sua gratidão por ela o ter salvo -Atrapalhando meu caminho irônico você dizer isso tão calma enquanto sabes muito bem o que já fui o que posso ser e nesse momento quem está atrapalhando meu caminho... Mas bem se deseja continuar com esse papinho mal terminado de quem pensa formar casalzinho posso fazer muito bem o papel de quem já se rendeu depois de você atrapalhar minha pós vida inteira!
Ele baixa a cabeça suspirando e a levanta com um olhar intediado e sorri dizendo -Vamos continue não queria falar disso tanto assim que se rebaixou 3 vezes a matar mulheres inocentes por achar mesmo que esse era o jeito de me fazer a notar sendo que nunca te ignorei e se por um minuto a quis algum... dia isso se foi na primeira vez que subornou quem já amei... 
Elena com uma cara de espanto o pergunta -Então por que nunca ficou comigo?
Ele a olha e fala -Simplismente por que você sempre fez tudo ao contrário do que me atrai... Agora se me der licença vou leva la daqui. 
Elena vai até ele e o abraça dizendo -Não por favor não vá fique aqui comigo vamos nos resolver eu te amo Victor! 
Victor a olha com repulsa e a joga no chão dizendo -Você matou a única chance que já teve comigo não se aproxime mais de mim! 
Ele pega Escarlaty no colo e a leva com cuidado. Quando chega na casa da mãe de Escarlaty Regina cai de joelhos agarrando sua filha que já estava perdendo a cor e ficando aos poucos sem cor, ele a deita em sua cama e fica a seu lado... 
Elena de sua sala o olhava e pensava o que mais ela poderia fazer... Mas devolver a vida daquela que ele amava não era uma opção. 
Elliot observava também o terceiro erro de sua irmã... E foi até o conselho de deuses lhes dizer tudo o que ela já havia feito e foi decidido que a humana que a enfrentou e que se recusou ao suborno que Elena tinha feito seria recompensada... 
Victor estava a pensar no enigma que Elliot havia o dito "Pode um herdeiro de um reino não ser um rei realmente?" 
Regina o chamou e ele foi até ela que estava fora de casa olhando as estrelas pensando se não havia alguma forma de reverter o que havia sido feito... Victor baixou a cabeça e lhe disse triste -Não pode se fugir da morte Regina não tem o que ser feito eu não devia ter chegado perto dela... Teria sido melhor... 
E ali ficaram conversando por um tempo... 
Elliot apareceu no quarto onde Escarlaty estava ele aproximou se dela sentou se ao seu lado e disse sussurando -Desculpe amigo mais o primeiro beijo dela não vai ser com você e ela não ira acordar a tempo mais vou ajuda la a sai de onde for que vocês a deixarem... E com um beijo sua vida voltava aos poucos mais antes ela teria que passar nos testes dos deuses... diversos testes feitos para testar sua capacidade força e seu carater.
Victor ajudava regina para arrumar seu velório... Todos do vilarejo estavam desolados com o acontecido tentavam acreditar mais não podiam as crianças dali faziam uma casinha para por ao lado da de Victor um templo para ser lembrada por sua valentia.
Escarlaty acordava em um lugar estranho que não conhecia tudo estava em chamas e a sua frente havia uma criança presa e tudo em volta estava a pegar fogo, não faltava muito para chegar a criança... Ela podia sair e se salvar mais tirou o tronco que a prendia a levou em seus braços ao sair da casa ela se viu em outro lugar e a criança havia sumido.
Ela andou a frente e viu um homem a puxar uma garota e a força la ela gritava muito e pedia socorro as outras pessoas pareciam não ve la, ela correu e com um tronco derrubou o homem e gritou para a menina -Corra saia daqui, vai ficar tudo bem...
Porém p homem não acordava e ela não poderia deixa lo então o sentou e jogou uma água noo rosto ele acordou e a derrubou com medo ela fexou os olhos e ao abrir ela se viu em outro lugar por algum motivo estava faminta e ao seu lado havia 2 crianças que estavam a pedir comida e passou um homem que a deu um pedaço de pão as crianças á olharam e abaixaram a cabeça... Ela repartiu o pão e deu as duas crianças e levantou se mais de novo se via na mesma situaçao mais 3 crianças um pedaço de pão e ela os repartiu e continuou a caminhar mais á frente 4 crianças e 1 pedaço de pão foi a dado ela o repartiu e os deu quando passou por uma porta estava em outro lugar onde ela tinha que escolher matar ou viver... 
Victor e Regina terminavam os preparativos Raissa uma amiga de Escarlaty chegou a casa para arruma la entrou no quarto e foi a limpando e pondo as roupas quando saiu gritando do quarto dizendo -Ela apertou minha mão ela apertou minha mão!!!
Regina a segurou e disse -Calma querida você só está nervosa ela não se mexeu...
Raissa voltou ao quarto e terminou de arruma la e a disse -Se me assusta de novo eu te belisco! Sorriu e saiu do quarto, Chegando na sala ela vê Billy e não consegue tirar os olhos dele mas disfarça pensando que se estivesse ali Escarlaty diria "Você vai fazer ele cair o olhando tanto" ela da uma risadinha e Billy a olha e sorri eles se olham e abaixam a cabeça Victor os olha e diz meio alto -Não fiquem sem graça conversem eu vou ver a Escarlaty vocês podem ficar sozinhos abailly tenta o segurar mas ele pisca para ele e o empurra para a frente de Raissa que se apresenta e pergunta seu nome...
Ele a olha e fala meio sem jeito -É Billy e o seu?
-É Raissa você não é daqui é... É que é a primeira vez que eu o vejo. Fala meio sem graça mexendo no cabelo... 
Billy senta e diz -Não eu vim com Victor a gente não é bem daqui.
Enquanto isso Victor sentado na verada da cama olhando Escarlaty ali parada ele abaixa a cabeça dizendo -Não era bem assim que eu queria ter conhecido seu quarto... Ele sorri e a olha tão calma era quase como se ela estivesse sonhando... Ele vai até ela e a beija na testa e sai do quarto quando chega a sala vê que Billy e Raissa estavam vermelhos se olhando então ele chega degavar e os pergunta -O que houve aqui vocês estão tão vermelhos.
Eles se olham e o olham... Victor vendo que eles nao diriam nada começa a rir e diz -Okay eu vou ver Regina podem me falar onde ela está, Raissa aponta para a rua e Victor vai até Billy e fala brincando -É assim que se faz deixou ela sem fala!
Victor chega e abraça Regina que o pergunta -Ela sentiu dor? 
Ela balança a cabeç e diz -Ela está bem não pense nisso! 
O sol nascia quando chegaram para enterra la todos estavam presentes ali e muito tristes se despediram dela Regina estava desolada mais Victor ficou ao lado dela durante o dia todo.
Elliot acompanhava os testes de Escarlat que passava para o último e quando estava quase conseguindo ela falhou não conseguiu ajudar a todos a tempo mais a maioria estava a salvo. A decisão ia ser tomada quando Elena chegava a sala.
Victor caminhava pela estrada em que viu Escarlat pela primeira vez. Seu coração batia forte era como se tudo estivesse normal como se ela não tivesse morta mais ele pensava para si "Não é possível".
Elena falava incesantemente -Não me oponho ela não pode voltar não pode e sem os 7 votos vocês não podem traze la de volta a vida essa é a regra vocês a conhecessem!
Elliot interfere e diz -Conhecemos muito bem maninha só que depois de tudo que você fez eu fui colocado em seu lugar no conselho e eu não me oponho fui o primeiro a votar sim então, adivinha só ela vai voltar e não como humana.
O teste de escarlaty havia terminado e ela estava liberada para voltar mais quando acordou estava enterrada. Elliot chegou logo após e ajudou a tirar a terra e foi a guiando pelo caminho, mas assim que ela virou a direita ela vê Victor sentado em frente a uma casinha assim como ela estava na primeira vez em que ele há viu. Escarlaty chega degavar até ele e o abraça por trás e Victor sente o brilho de seu brinco, ele se vira na mesma hora e há vê o olhando e ela o pergunta sorrindo -O que um moço lindo faz sozinho em um lugar como esse podem te pegar sabia! 
Ele ri e responde -Não estou sozinho, estou com a pessoa que mais amo! 
Ela sorri e o abraça dizendo -Tive tanto medo mas estou mais calma agora!
Ele a olha e a pergunta -Por que não sente mais medo?
Ela sorri e diz é que lembrei qual é a cor dos seus olhos... E eles me acalmam...
Ele pensa um pouco e ela mexe em seu cabelo dizendo -São lindos são azul escarlate... Escarlaty, escarlate agora sei de onde minha mãe tirou meu nome... 
Ela sorri e pega em sua mão e no caminho até sua casa Elena aparece e os fala -Não ache que por você ser uma semideusa vou deixar por isso mesmo!!! 
Victor vai a frente dela e a abraça dizendo para Elena -Dessa vez você não vai encostar um dedo nela eu te mato se tentar... 
Elena recua mais o aviso foi dado, Escarlaty o olha falando -Dessa vez eu vou estar sempre ao seu lado mais sabe uns tapa na cara dela eu quero dar... 
Victor a olha meio brincalhão dizendo -Calma ai esquentadinha ela pode se assim mas ela é muito forte!
Escarlaty ri e fala -Eu consigo te derrubar sabia!
Victor ri e diz essa eu quero vê! 
Escarlaty chega perto dele e vai aproximando o rosto no dele tirando a consentração ele tenta a agarrar mais ela da uma rasteira. Ele ri mais fala a segurando pela mão -Você sabe que assim é não é bem um jogo limpo? Tira minha consentração assim é fácil!
Ela o encara e diz -Você sabe que não é tão levinho né?
Os dois começam a rir e vão para casa sabendo que dali para frente nada seria tão simples e nem seguro, depois daquela noite os quatro foram embora para deixar sua mãe segura... E quatro por que depois de uma semana Billy pediu Raissa em casamento e Victor uma semana antes casou se com Escarlaty mesmo com um futuro certo e tão incerto ela sempre lhe dizia que a sua esperança e seu refúgio sempre e para sempre serão o céu azul mais,não o céu em si por que ela tinha seu próprio céu escarlate a cada dia que o olhar nos olhos...
Eu nunca vou me esquecer dessa frase que lhe disse no dia em que juntei meu destino ao o dele "Meu lar, meu maior amor se resumi no azul desse céu e meu lar se vê em um olhar que te dou moro em você na paz que seu olhar me trás uma eternidade não se compara ao tempo que fico em seus braços" 
A eternidade começa em um olhar um amor começa por uma palavra de ola,e a felicidade começa em um sorriso ou em dois olhares que se cruzam por acaso... Olhando um céu azul... Azul Escarlate.


Notas Finais


Dani, Suellen as suas são as próximas <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...