História Azul nunca é demais - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Lemon, Neko, Yaoi
Visualizações 50
Palavras 253
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa leitura e eu voltei(se bem que ninguém mais lê esse negócio...)

Capítulo 12 - Oija oriental


Art on

- Shi - me reconforto no colo dele - por que temos que ir pro Japão?

- Meu trabalho me persegue e nesse caso acaba com a minha vida pessoal e me afasta de todo mundo.

- E eu vou junto por?

- Não quero deixar você sozinho e principalmente, não quero ficar dois centímetros longe de você.

- Mas por que estamos indo pra uma escola?

- Só preciso checar uma coisa - descemos do metrô e vamos direto pra uma escola - e você fica aqui, já, já eu venho. - ele me dá um selinho e se vira pra ir embora.

- Vou te esperar aqui, mas não prometo fazer isso acordado.

- Cuidado com os tarados, otakus e fujoshis, beijos. - ele entra na escola e eu me deito encolhidinho em um banco ali perto.

- Ei, ei, por que você tá dormindo no banco? - abro os olhos e vejo um ser com orelhas de raposa, rabo de cachorro e com cor de guaxinim.

- Não tenho cama aqui.

- Por que não vai pra casa dormir na sua cama então? - ele se senta do meu lado.

- Porque minha cama está lá em Québec, no Canadá.

- Então é turista?

- Isso aí, bem, na verdade to acompanhando meu noivo em trabalho.

- É isso aí, evitar piriguete olhando ele.

- Reação estranha, esperava um "noivo, tipo, nada contra".

- Não, eu já sou bem velho, fui Samurai, ou seja, comia meu aprendiz quando dava vontade, adorava aquele tempo, aí veio a maldição e eu virei o Kokkuri san, nada mais...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...