História B a b y , b o o h?.. - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Park Jimin (Jimin)
Tags Jeon, Jikook, Jimin, Jungkook, Park
Visualizações 2
Palavras 608
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


~Tenham Uma Boa Leitura.

Capítulo 2 - T w o


Fanfic / Fanfiction B a b y , b o o h?.. - Capítulo 2 - T w o

[J i m i n p.v.o]

Ele realmente foi embora?

stava encolhido sobre a cadeira enquanto em minha mão segurava um lápis preto, rabiscando totalmente a folha de meu caderno de artes. O caderno que Jungkook me deu em meu aniversário de 9 anos.

Ainda não conseguia acreditar que ele foi mesmo embora, sem se despedir.

Depois que minha mãe foi levada urgentemente para o hospital, eu o conheci.

4 anos atrás...

Eu estava sentado em um dos sofás da recepção do hospital. Meu rosto estava vermelho, meu nariz estáva entupido, meus olhos inchados é avermelhados por conta das lágrimas que não paravam de cair.
Ouço passos, passos que estavam cada vez mais pertos.

— Porquê está chorando, garotinho?

Uma voz rouca pairou em meus ouvidos, fazendo me encolher me contra o sofá.

— Eu não irei te fazer mal, vem, olha para mim... Porquê está chorando?

As pontas de seus dedos tocaram meu queixo erguendo lentamente minha cabeça para poder fitá-lo. Era um rapaz muito bonito por sinal, suas íris chegavam a um tom escuro de castanho encantador. Seus fios lisos é negros como a noite eram belos, conjuntivo de seu sorriso. Seus dentes pareciam como os de um coelho.

— M-minha mãe... Ela e-está muito m-mal senhor.

Respondi entre soluços e fungos.

— Calma, ela irá ficar bem logo. Não precisa chorar, pequeno.

Disse enquanto enxugava minhas lágrimas com o seu indicador logo acariciando minha bochecha um pouco corada.

— Qual o seu nome, uh?

J-jimin...

Disse timidamente.

— Que lindo nome Jimin, o meu é Jungkook... Mais pra você, você pode me chamar de kookie se preferir, tá bem?

Assenti sentindo ele segurar minhas mãozinhas pequenas e gordinhas.

— Suas mãos são tão fofas, tão pequenas. Parece um bolinho.

Corei sorrindo em diante.

— Seu sorriso é lindo, assim como você pequenino.

— V-você também, é bonito kookie.

Comentei sentindo minhas bochechas esquentarem. O notei sorrir ao ouvir, seu sorriso era muito bonito.

— Eu sou bonito?

Assenti rapidamente vendo seu sorriso crescer mais ainda com a resposta.

— Obrigado.

— Sr.Park?

Uma voz diferente se presenciou tomando nossas atenções. Ou somente a minha... Para onde ele havia ido?

— S-sim?

Respondi para o senhor que me chamava, parecia ser o médico.

— Sua mãe deseja o ver. Então, vamos?

Assenti o seguindo até pararmos em frente a uma porta com um número "189" gravado no topo. Ao abrir, revelando a imagem de uma ala completamente branca com vários aparelhos que eu desconhecia é em meio a tudo aquilo estáva minha mãe deitada sobre uma maca. Senti meus olhos gotejar é minhas bochechas esquentarem.

— M-mãe...

Disse ao me aproximar me de onde se encontrava notando que já estávamos sozinhos.

— Jimin... Filho.

— Eu e-estou com medo mãe... E-ele machucou v-você.

— Está tudo bem, eu irei ficar bem.

Senti sua mão pousar sobre meus cabelos fazendo um breve cafuné alí.
Minhas lágrimas já escorriam sem pausas, eu realmente estava com medo de perde-lá, de perder a única pessoa que cuidou de mim corretamente diferente de meu pai...

— Irão levá-lo para um orfanato. Mais não se preocupe, você estará protegido lá. Ele me prometeu que estaria...

— E-ele? M-mãe, ele quem?

Ergui meu olhar para a fitar vendo que a mesma havia caído num breve sono.
Enxuguei as lágrimas de meus olhos com as mangas de meu suéter vermelho. Ela está cansada, melhor eu deixá-la descansar.

Selei sua bochecha sussurrando um pequeno é inaudível Eu te amo antes de me retirar dalí... Me retirar de seus braços para sempre.

Desde que eu passei a morar no orfanato, venho recebido várias visitas do mesmo homem que conheci no hospital. O mesmo só aparecia em horários de duas a três horas da madrugada. Ele se tornou íntimo a mim, mesmo não o conhecendo direito, eu o considerava como um pai ou até mesmo um amor?...


Notas Finais


~Espero que tenham gostado.

~Até a próxima atualização!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...